Articles

Agência americana contra drogas abrirá mais escritórios no Brasil

In Inteligência e Espionagem, Segurança Pública on 28/04/2010 by E.M.Pinto Marcado: ,

http://mexicoinstitute.files.wordpress.com/2008/12/dea-logo.jpg?w=457&h=459

Em conferência no Rio, chefe do órgão diz que quer ampliar parceria com PF

José Meirelles Passos

A DEA (Agência de Combate às Drogas dos Estados Unidos) vai aumentar o número de escritórios no Brasil para reforçar sua parceria com a Polícia Federal brasileira. A informação é de Michele Leonhart, chefe interina da DEA. Ela revelou que pretende abrir escritórios adicionais no Brasil devido aos exitosos resultados de recentes parcerias dos dois órgãos. Atualmente há dois escritórios da DEA no Brasil: um em Brasília e outro em São Paulo.

- A idéia é expandir a troca de inteligência entre nós, e realizar mais investigações conjuntas. A PF é uma das organizações policiais mais profissionais do mundo – disse Michele, que esteve ontem, no Rio, na abertura da 27ª Conferência Anual Internacional Antidrogas, com a participação de 91 países.

O diretor geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, disse que o objetivo principal da conferência é o de atualizar as estratégias, já que o alcance das organizações criminosas “está fartamente demonstrado”:

- A cooperação deve estar associada à velocidade da troca de informações e experiências entre nós. Temos de atualizar os conceitos de enfrentamento - sugeriu Corrêa, lembrando que as fronteiras não podem mais ser vistas como barreiras na hora de se enfrentar o narcotráfico. – No mundo globalizado, os países têm se reunido em blocos para buscar seu desenvolvimento econômico e social. Em termos de combate ao narcotráfico temos de fazer o mesmo: as fronteiras não podem ser barreiras.

Na abertura da conferência, as agências federais de vários países chegaram à conclusão de que, além de continuar empreendendo operações de apreensão e erradicação de drogas, devem se esforçar em ações contra um aspecto praticamente invisível nessa luta: desmontar os esquemas de fornecimento de produtos químicos utilizados na elaboração das drogas e, sobretudo, os canais de lavagem de dinheiro obtido com a venda.

- Chegamos a um momento definitivo nessa nossa guerra: o de atacar os facilitadores. Eles são tão perigosos quanto os traficantes. São os intermediários que agem nas sombras – disse ontem Michele Leonhart.

“Mirando os facilitadores” é o tema central do evento, que vai até amanhã, num hotel na Barra da Tijuca. O vínculo entre drogas e terrorismo, assim como seu elo com os traficantes de armas, são duas das questões em destaque. Mas há certa prioridade quanto aos “facilitadores financeiros” – aqueles que ajudam o narcotráfico a legalizar os lucros de suas operações.

- Os facilitadores usam de meios aparentemente lícitos para dissimular ações criminosas. As transferências financeiras hoje se fazem virtualmente, não mais com carregamentos de dinheiro – afirmou Corrêa.

Fonte: O Globo Via CCOMSEX

About these ads

8 Respostas to “Agência americana contra drogas abrirá mais escritórios no Brasil”

  1. Opa esse negocio ta errado esse dissimulados safados. La eles quere legalizar a maconha e tem varios estados que vende maconha lá passo um grafico no documentario no NatGeo eles naum tão dãdo conta lá pra q vir pra ka???

    aki:
    A Guerra do Narcotráfico,
    Heroína: A Droga Branca no Afeganistão

  2. Os trabalhos envolvendo cooperação e intercâmbio de informações entre agências de inteligência nacionais e estrangeiras, são proveitosas quando há critérios e linhas de ação claras e bem definidas que sejam mutualmente vantajosas, partindo de uma atuação dentro dos parâmetros do direito constitucional, criminal e soberano de cada nação (mesmo que tenham imperfeições institucionais).

    A questão se torna delicada na minha opinião, a partir do momento que não se diversificam as prioridades de acordo com as necessidades infra-estruturais que determinado país enfrenta.

    Na Segurança Pública, muitas vezes a tendência exclusivamente política e a linguagem militar, mesmo que apresentem bons resultados em confiança e proteção no curto-prazo, (por poderem ser unifocais) se tornam paliativos e emperram bons projetos, as vezes por serem segregacionistas por essência, ou pela absoluta falta de sensibilidade.
    É preciso urgentemente estabelecer um novo paradígma para o trato das questões que eclodem na Segurança Publica, multi-setorial, multi-disciplinar e apolítico.

  3. “devem se esforçar em ações contra um aspecto praticamente invisível nessa luta: desmontar os esquemas de fornecimento de produtos químicos utilizados na elaboração das drogas e, sobretudo, os canais de lavagem de dinheiro obtido com a venda.”

    Destacando:

    “e, sobretudo, os canais de lavagem de dinheiro obtido com a venda.”

    Na ultima crise financeira de 2008/2009, o dinheiro que sustentou Wall Street, não permitindo que afundasse completamente e que possibilitou sua recuperação foi o dinheiro do narcotráfico internacional, que é lavado em grandes quantidades nos paraísos fiscais e em seguida injetado no mercado acionário.

    Podem ter certeza que esta parte da investigação:

    “os canais de lavagem de dinheiro obtido com a venda.”

    Vai ficar só nas contas bancarias de algus “traficantezinhos” e esquecer os bancos dos paraisos fiscais e seus banqueiros, mais o sistema financeiro estadunidense, que são a “grande lavanderia” do narcotráfico internacional/mundial…

  4. Na crise financeira de 2008/2009 o dinheiro que socorreu os bancos em Wall Street veio do governo norte americano e não do narcotráfico internacional. Manoel Noriega foi extraditado para a França por lavagem de dinheiro ( relacionado a tráfico de drogas) em território francês e não nos EUA.

  5. caramba!!! ñ sabia disso

  6. DEA deveria cuidar muito mais com a industria de ópio no Afghanistão,e os problemas em Colombia e Mexico!

    A CIA protege Karzai e Uribe é um grande amigo da família Escobar. Noriega foi agente da CIA …..etc.,

    A DEA é incompetente.

  7. Eu sei que é off-topic mas, pra quando é que ficou a definição do FX-2?

  8. [...] embaixada americana. Segundo afirmou em 2010 a chefe interina da DEA Michele Leonhart durante a 27ª Conferência Anual Internacional Antidrogas, o órgão pretende expandir no país, abrindo escritórios em outras [...]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 284 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: