Articles

SVD DRAGUNOV – Fogo de precisão para o Exército Vermelho

In Defesa on 13/08/2010 by Vympel1274

Autor: Vympel1274

Plano Brasil

1.Introdução

O fuzil conhecido como SVD Dragunov (Russo: Снайперская винтовка Драгунова, Snayperskaya Vintovka Dragunova, tradução literal “Fuzil de Sniper Dragunov”), foi um fuzil desenvolvido em calibre 7,62X54R, na antiga União Soviética. Foi o vencedor da concorrência entre três protótipos (SSV – 58, de Serguei Simonov, o 2B – W10, de Aleksander Konstantinov, e o próprio SVD, na época, conhecido como SVD – 137, desenvolvido por Evgeny Dragunov.

Figura 01Versão inicial do SVD Dragunov, com guarnição de madeira e quebra-chama original

O primeiro pedido para um armamento com tais características foi emitido pelo exército soviético no ano de 1958, sendo aceito em serviço em 1963. Desde então, cada pelotão de fuzileiros do exercito Soviético (e atual exército Russo), tem um soldado capaz de operar o SVD. Foi o primeiro fuzil de precisão semi-automático a entrar em serviço no mundo.

Foi aceito em serviço pelo Exército Soviético em 1963, sendo a companhia IZMASH a responsável por sua produção. O Dragunov passou a ser adotado por vários países sob influência soviética ou os que Moscou tinha boas relações, como arma de apoio de fogo de precisão nos pelotões de fuzileiros. O SVD Dragunov, desde o início de seu projeto, não foi concebido como fuzil de Sniper na acepção ocidental da palavra. Na verdade, ele foi concebido com a função de ampliar o alcance de fogo de precisão dos pelotões de fuzileiros do Exército Soviético para 600 metros.

Figura 02 – Yevgeny Fyodorovich Dragunov – O criador do SVD

2. Características

O SVD é um fuzil de extrema confiabilidade em quaisquer circunstâncias, tem miras fixas com regulagem até 1200 metros, em caso que inoperabilidade do equipamento ótico (luneta PSO – 01), bem como o encaixe para acoplar uma baioneta padrão, do mesmo modelo utilizada no fuzil de assalto AK-74. As últimas modificações estéticas do armamento foram a substituição da guarnição de madeira por polímero na cor negra, coronha dobrável e cano encurtado, com novo modelo de quebra-chama adotado.

O fuzil é operado á gás, por ação indireta dos gases sobre o ferrolho. Tem um seletor de tiro em duas posições (segurança/fogo), no mesmo estilo dos fuzis da série AK, estando do lado direito da arma. É  alimentado por um carregador de dez tiros para munição 7,62X54R. O interior do cano é cromado, para aumentar a resistência contra corrosão (prática comum nas armas russas), tem quatro raias á direita, com passo fixo. Pode-se aumentar a precisão drasticamente utilizando as munições de precisão 7N1 ou 7N14, projetadas especialmente para este fim. Apesar de, tecnicamente, poder atingir um alvo á 1300 metros, o Dragunov é melhor utilizado em distâncias de até 800 metros. Acima disso, sua precisão cai consideravelmente.

O Dragunov é um fuzil projetado para apoiar um pelotão de fuzileiros, aumentando seu fogo de precisão para até 600 metros. Para distâncias acima de 800 metros, deve-se utilizar um fuzil de sniper projetado para tal.

Figura 03Atirador designado de pelotão (Designated Marksman) russo em operação na Chechênia

3.Munição

Desenvolvida originalmente para o fuzil Mosin-Nagant em 1891,durante a era Tzarista,a munição 7,62X54R continuou em uso ainda na segunda guerra mundial, no fuzil semi-automático SVT-40. Atualmente, é empregada na metralhadora de uso geral PKM e no fuzil de precisão SVD  Dragunov, sendo, para nível de comparação, muito parecido em desempenho com a munição americana 30.06 Springfield. Tem excepcional desempenho em longo alcance, tendo o projétil de 185 grains FMJ quando disparado do fuzil Dragunov, cerca de 823m/s (2700 pés/segundo) com uma energia de 1.012 J á 914 metros. Para alvos que exijam grande precisão, foram desenvolvidas munições especiais 7N1 e 7N14.

Figura 04Exemplos de munição 7,62 x 54R

Figura 05Munição 7.62x54R de fabricação russa, acondicionada em caixa metálica

4.Equipamento ótico

A luneta padrão de produção para os SVD de fabricação soviética/russa é a PSO-01, introduzida em 1964 e produzida pela fábrica NPZ, de Novosibirsk (Russia). Tem seu corpo feito de liga de magnésio e dispõe de uma bateria para iluminação do retículo de mira, para tiro noturno. Tem um zoom de 4x.

Figura 06Equipamento ótico PSO – 01 4x

Figura 07 – Retículo de mira da PSO – 01

A PSO-01 é dotada de um mecanismo chamado BDC (Bullet Drop Compensator - Compensador de Queda de Projétil) com variação de 50 metros, até chegar á 1000 metros. O referido recurso deve ser utilizado de acordo com as especificações da munição utilizada, aferimento preciso da distância, correta análise de dados do ar e outros, sendo condicionada a precisão de acordo com os efeitos causados por estes fatores. Além do BDC, existe a correção do Windage (vento lateral), podendo ser regulado sem ter que desmontar o mecanismo. Atiradores são adestrados para avaliar esses dados, aumentando a precisão do tiro.

5.Versões produzidas

a) Estrangeiras

Vários países que operam as versões do Dragunov, fabricaram, sob licença ou não, versões nacionalizadas do fuzil. Destes, os únicos “clones” verdadeiros (fuzis que tem o design interno semelhante ao original) são o iraquiano Al-Kadesh e os chineses Tipo 85 e NDM-86 (este, em calibre 7,62X51 NATO). Outros, como o romeno FPK ou o iugoslavo M76 são apenas parecidos externamente, sendo baseados internamente no AK-47. A Polônia fabrica o SWD.

Figura 08No alto, o fuzil Al-Kadesh iraquiano, no centro o Tipo 85 chinês, e embaixo um FPK romeno, o qual é baseado internamente no fuzil AK-47, sendo parecido com o SVD só externamente.

b) Nacionais

Produzidas pela Rússia, temos o SDVN, equipada com visor noturno, o SVDS, com coronha dobrável, o SVU, compacto, no estilo “Bulpup”, e o SVU-A, mesmo modelo anterior, mas dotado também com a opção para tiro automático. A Rússia também produz uma versão civil em calibres 7,62X54R e 7,62X51 NATO, chamada de “Tigr”. A última versão desse excepcional fuzil é o SVDK, no calibre 9.3X64mm.

Figura 09Atual versão SVDS Dragunov, com guarnição de polímero, coronha dobrável, cano encurtado, novo modelo de quebra-chama e luneta PSO-01M2 4X


Figura 10Versões do “Tigr” voltadas para o público civil, com ênfase em caça animal. De cima para baixo:

Tigr 9 – Calibre 9.3×64 mm (capacidade do carregador – 05 disparos);

Tigr .308 – Calibre 7.62×51 mm (capacidade do carregador – 10 disparos);

Tigr – Calibre 7.62x54R (capacidade do carregador – 05 ou 10 disparos);

Tigr – Calibre 7.62x54R (militarizado, com coronha esqueletizada dobrável, 05 ou 10 disparos);

Tigr – Calibre 7.62x54R (militarizado, com coronha esqueletizada fixa, 05 disparos).


Figura 11 - Fuzil SVU, derivado do SVD Dragunov, utilizado pelo MVD (Ministério do Interior da Rússia). Sua versão SVU-A, difere desta apenas por ter possibilidade de disparo automático

Figura 12Fuzil SVDK, no calibre 9.3X64 mm, voltado para o uso contra alvos “duros”, difíceis até para a munição 7,62X54R.

6.Uso em combate

O primeiro registro em combate do Dragunov foi em 1967, na guerra do Vietnã, sendo utilizado pelo ENV (Exército Norte Vietnamita) e pelo Vietcong. Foi utilizado na guerra do Afeganistão pelo exército soviético, nas guerras da antiga Iugoslavia e atualmente, na guerra da Chechênia e do Iraque. Participu praticamente de todos os conflitos em que existiam armas de fabricação soviética em um ou ambos os lados do conflito.

Figura 13Insurgente iraquiano, armado com uma versão derivada não-identificada do SVD, possivelmente um Al-Kadesh iraquiano ou FPK romeno.

Figura 14Infantaria russa na Chechênia. O militar em primeiro plano carrega um SVD Dragunov de primeira geração. Observem a escolta á retaguarda.

Da mesma forma que o fuzil Kalashnikov AK-47, é extremamente rústico e simplificado ao máximo para ser utilizado até por soldados recrutados, sendo o fuzil de precisão de uso mais difundido hoje no mundo, sendo encontrado em praticamente toda parte. Hoje em dia é considerado como um fator desestabilizante em guerras assimétricas, devido ao fato do mesmo causar baixas consideráveis nas tropas de ocupação americanas no Iraque, mesmo sendo operados por insurgentes destreinados. Alguns anos atrás, o provavelmente mítico atirador conhecido como “Juba, o sniper de Bagdá” causou comoção na mídia americana e mundial por exibir imagens de soldados americanos sendo abatidos com disparos do fuzil Dragunov. Também são utilizadas frases de efeito, visando causar impacto psicológico nas forças da coalizão do tipo ”O que foi tomado pelo sangue, será retomado pelo sangue”, a qual é creditada ao suposto sniper Iraquiano.

Figura 15 – Sgt. Jesse E. Leach dos fuzileiros navais atende o cabo Juan Valdez-Castillo, o qual foi atingido por um sniper, na cidade de Karma, no Iraque.

Um sniper americano no Iraque classificou os sniper insurgentes em três tipos. O potshot é que um civil com fuzil de sniper, geralmente um SVD. O potshot atira a no máximo 200m sem precisar compensar o tiro e são a maioria, sendo cerca de 50% do total. O intermediário é o equivalente ao DM (Designated Marksman) com treinamento de tiro. Geralmente é um militar da reserva ou da ativa treinado pelo exército iraquiano. Aprendendo com a experiência pode se tornar mortal. São cerca de 40-45% de todos os sniper. Já os sniper qualificados são poucos e mortais. Vários tem experiência na Chechênia e outro lugares. Felizmente para os americanos são cerca de 5-10% no máximo.

7.Descrição

Tipo: Fuzil automático de precisão

Miras: Luneta PSO-01 (teórico até 1300metros), miras fixas (teórico até 1200 metros)

Peso: 4,30 kg, com luneta e carregador vazio

Sistema de operação: Ação indireta dos gases, com ferrolho rotativo

Calibre: 7,62X54R

Alimentação: Carregador de dez cartuchos

Comprimento Total: 1.225mm

Comprimento do Cano: 620mm

Velocidade na boca do cano: 830m/s

Cadência: Semi-automático

About these ads

19 Respostas to “SVD DRAGUNOV – Fogo de precisão para o Exército Vermelho”

  1. […] SVD DRAGUNOV – Fogo de precisão para o Exército Vermelho « PLANO … […]

  2. Alguem sabe qual e o fuzil usado pelas FA do Brasil?

  3. Boston vários, FAl 762
    sig 550
    colt M 16
    e não estou certo se outros mais.
    mas só para teres idéia.
    Sds
    E.M.Pinto

  4. Excelente matéria, Faluja mostrou o estrago psicológico que um sniper, ou vários, podem causar e atrasar uma Força Expedicionária. Uma força de snipers bem treinada pode levar o caos a qualquer força armada atual. Não é novidade, e desde da 1a. Guerra foi assim.
    Qual o fuzil principal de sniper utilizado hoje no EB e FN?
    [ ]s

  5. O SVD Dragunov era minha arma preferida no jogo Operation Flash Point.

  6. Wolfpack..

    Nas unidade de elite do EB é utilizado o Remington 700 (Bda Op Esp)

    Nas unidade de elite da marinha é utilizado o Parker-Hale (Comanf – Grumec)

    Alguns Imbel AGLC foram comprados pelo exército a alguns anos…

  7. AGLC Imbel 7,62×51
    Luneta Leupold Mark 4 10x aumento
    Tiro com boa precisão a 800m

  8. Vympel
    na Bda Op Esp ainda tem:
    PSG-1
    Ultima Ratio
    Barret
    M24
    eles usam conforme o gosto do atirador e a missão

  9. Os melhores Sniper do mundo , e bem equipados; são melhores ainda. Aquela imagem do saodado ianks atingido por Irakianos…hehehehehe.

  10. O Dragunov e o You Tube foram responsáveis por alguns dos piores momentos da coalizão no Iraque..Fica a sugestão de uma pauta sobre o tiro de precisão no Brasil, nas três Forças e nas polícias…

  11. Complementando:

    “Nas unidade de elite do EB é utilizado o Remington 700 (Bda Op Esp)”

    http://www.remington.com/product-families/firearms/centerfire-families/bolt-action-model-700.aspx

    “Nas unidade de elite da marinha é utilizado o Parker-Hale (Comanf – Grumec)”

    http://www.snipercentral.com/m85.htm

    “Alguns Imbel AGLC foram comprados pelo exército a alguns anos”

    http://www.imbel.gov.br/site/index.php?option=com_content&task=view&id=28&Itemid=115

  12. Valeu pessoal pelas info. Mais uma perguntinha, o Exército da Venezuela “Chavez” comprou também os SVD Dragunov? dentro do pacote das AK????

  13. Венесуэлы “, Чавес также купил СВД Драгунова ? в рамках пакета АК? ?

    Нет в 2008 году Венесуэлла заключила отдельный с Izmahem(russia) контракт на поставку 5000 винтовок свд!!!! в конце 2009 года контракт полностью выполнен!!
    все 5000 штук поставлены Венесуэлле!!!!!

  14. parabens pela reportagem otima

  15. bela materia parabens ao blog

  16. Salve Latino, obrigado em nome de todos, mas certamente parabéns ao Vympel.
    Abraço
    E.M.Pinto

  17. Excelente matéria.. sem duvida é uma arma que ja criou certa mistica…

  18. Video do fabricante desta fantastica arma: Izhmash

  19. Wolfpack :
    Valeu pessoal pelas info. Mais uma perguntinha, o Exército da Venezuela “Chavez” comprou também os SVD Dragunov? dentro do pacote das AK????

    Sim, ele comprou “alguns” p seus camaradas , irmãos de armas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 289 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: