Articles

“Vityaz” entra em operação em 2013

In Defesa, Defesa Anti Aérea, Plano Brasil, tecnologia on 12/05/2010 by E.M.Pinto Marcado: , ,

Autor: E.M.Pinto


Diretamente da Rússia, em mais uma gentileza do nosso amigo Rustam leitor e colaborador do Plano Brasil, fotos e informações sobre o sistema anti-aéreo Russo “Vityaz”, desenvolvido pela PVO Almaz-Antey, que se encontra em testes e que  segundo o fabricante estará pronto e operacional em meados de 2013.


O programa está sendo efetuado na Bielorússia e permanecem secreto. Há especulações de que as baterias “Vityaz” serão equipadas com mísseis 9M96/9M96E que compõe a plêiade de mísseis do sistemas S-400. segundo o próprio Rustam, outras informações dão conta de que sistema seria equipado com mísseis terra-ar de médio alcance (altura) F-77 (R-77ZRK) ou ainda uma mescla destes mísseis.

Porém segundo o sugestor uma terceira arma estaria sendo desenvolvida e trata-se de um SAM (terra-ar) com menor alcance 10km.

Rustam afirma que em sua conversa com generais da Força Aérea Russa obteve a informação de que o sistema será desenvolvido para servir de defesa contra armas de alta precisão e sistemas stand off, a maior ameaça aos sistemas de defesa Anti-Aérea.

O Vityaz será montado num veículo 8×8 e terá o sistema de lançador de 10 mísseis além do radar de detecção e controle de fogo e posto de comando.

O sistema confirma segundo o sugestor a liderança Russa no desenvolvimento de sistemas de defesa Terra-ar que conta com uma variada gama de soluções.

https://i2.wp.com/militaryrussia.ru/i/284/367/xQcyp.gif

O Plano Brasil Agradece ao amigo Rustam pelas informações e sugestão.

E.M.Pinto

https://i1.wp.com/img148.imageshack.us/img148/1882/shtil3v.jpg

Anúncios

5 Respostas to ““Vityaz” entra em operação em 2013”

  1. Esse é uma assunto deveras interessante, tanto para mim, quanto para o País, bem como que (acredito), para um bom número de leitores:

    A Russia dispõe de numerosos sistemas de defesa anti-aérea e o Brasil precisa adquirir alguns desses sistemas, dentro das diretrizes do PND…

    O problema é a multiplicidade dos sistemas! Além do Vityaz, Tem o Tor, e se não me falha a memória tem outro sistema só para pequeno/médio raio de ação!

    Seria interessante uma matéria abordando as diferenças entre esses sistemas, (principalmente os de pequeno/médio alcance), para esclarecer melhor suas diferenças e, talvez servir para um ponto de partida para discussões futuras, caso o Brasil, venha a licitar alguns desses sistemas.

  2. Enquanto isso no Brasil, a defesa aérea fica por conta do “grande” sistema Igla.

    Como o Brasil é incompetente na área de Defesa!

  3. Não vamos nos precipitar! Há a Avibrás, que desenvolve um sistema semelhante. O que precisamos é de investimentos nessa área, pois cérebros temos há tempos. Estamos desenvolvendo nossos mísseis de longo alcance (300 km para uso próprio, 150 km para exportação), e, espero, em breve o EB terá algumas dessas belezinhas em seu inventário.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Avibras

  4. Interessante que após 30 anos de atraso em relação à tecnologia naval só agora há um interesse em sistemas antiaéreos que visam a “munição” e não a plataforma.
    Esse sistema, se for como o Rustam afirma é um bom exemplo disso.

  5. Temos de comprar um de longo açcance p furar o tratado de misseis, até o VLS estar operacional…p ontem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: