Articles

Um motor só será suficiente?

In Aérea, Aviões de Combate, Defesa, Opinião, tecnologia on 18/07/2010 by E.M.Pinto Marcado: , , , ,

https://pbrasil.files.wordpress.com/2010/07/lockheedf-35lightningiiside.jpg?w=300

O F-35 Lightning II – que em breve será designado CF-35 no Canadá – foi, de fato, a única escolha possível do país para um novo avião de caça. Mas ele está cercado de críticas e muitas perguntas não respondidas sobre a sua adequação a uma grande nação setentrional.

Ele foi acusado de ser demasiadamente caro, demasiadamente lento (no ar, e no seu desenvolvimento), não furtivo o suficiente e possivelmente até mesmo incapaz de se defender contra avançados caças russos. Em suma, os críticos argumentam que o F-35 não é “o melhor avião que podemos oferecer aos nossos homens e mulheres de uniforme”, como ministro da Defesa, Peter Mac Kay disse ao anunciar a compra ontem (16-07).

A questão crucial para o Canadá é o fato do F-35 ter um único motor. A Força Aérea Canadense, que historicamente optou por caças bimotores, acredita que eles tenham uma melhor chance de sobrevivência para patrulhar o vasto território do Canadá.

O Tenente-Coronel da Reserva Billy Allen, instrutor do Royal Military College, disse que no caso de uma falha em um dos motores durante, digamos, uma missão sobre o Ártico, o piloto e o avião teriam alguma chance de voltar à base – um cenário muito melhor do que um avião acidentado e um o piloto lutando pela sua sobrevivência na tundra.

“Se um motor apagar, você ainda pode voltar para casa”, afirmou o Tenente-Coronel Allen. “No Canadá, isto é considerado importante. A meta era recuperar os aviões e repará-los, porque só tínhamos [138], um número muito pequeno se comparado a outras naçõess que voam o F-18.”

Os outros concorrentes que dizem que dois motores são mais vantajosos são a Boeing, fabricante do F/A-18 E/F Super Hornet, um “primo avançado” do atual CF-18, e o consórcio Eurofighter, desenvolvedor do Typhoon. Ambos queriam que o Ministério da Defesa Nacional optasse por um dos dois caças bimotores, como foi feito durante a década de 1970 quando o Canadá escolheu o F/-18 no lugar do F-16.

A vantagem de se ter dois motores “é muito evidente”, disse o diretor do programa Super Hornet em entrevista ao Post.

Os defensores do JSF dizem que a tecnologia do motor do avião é muito avançada e que as taxas de atrição do monomotor F-16 são comparáveis às do F-18.

Aqueles que apoiam o JSF também apontam o fato do F-35 ser o único caça de 5a geração disponível no mercado aos países da OTAN (ou compra-se o JSF ou você vai para os russos). O Brigadeiro da reserva Paul Hayes, ex-piloto, disse em uma entrevista ao Post de ontem que o F-35 “é realmente um passo a frente de toda a tecnologia existente atualmente. Não há nada igual a ele no mercado”.

Todos os potenciais concorrentes ao F-35 – o Typhoon, o Super Hornet, o sueco Saab Gripen, para não mencionar Rafale da França (muito caro para ser considerado) – representam, para a maioria dos observadores, a tecnologia de 10 anos atrás. Apesar de suas respectivas empresas informarem o oposto, o consenso nos círculos militares é de que nenhum desses aviões formará a linha de frente em 2030. Nenhum deles são verdadeiros aviões stealth, enquanto o F-35 tem uma assinatura radar do tamanho de uma bola de golfe.

Embora a Austrália tenha decidido comprar o Super Hornet, a compra foi feita com o propósito de preencher a lacuna entre os seus próprios F-18 Hornet e seu futuro F-35. O Canadá acabou pulando uma geração.

De qualquer forma, o F-35 foi a única opção viável para o Canadá. Os Estados Unidos, a Grã-Bretanha, a Itália, a Austrália e Israel já tinham feito as suas escolhas em relação ao JSF como próximo caça, o que significa milhares sairão da linha de montagem nos próximos anos (incluindo mais de 2.400 para a US Navy , USAF e USMC).

A falta de opções para os membros da OTAN tirou do Canadá a chance de optar por qualquer outra aeronave e pode explicar em grande parte a polêmica escolha do JSF. Mas pelo menos garante a possibilidade da nossa força aérea pedir emprestado os mesmos sobressalentes dos nossos aliados quando operarem em bases aéreas comparilhadas nas próximas décadas.

FONTE: National Post

Fonte:Tradução e adaptação: Poder Aéreo


Anúncios

44 Respostas to “Um motor só será suficiente?”

  1. Do texto acima vale ressaltar uma pequena frase, “Rafale da França (muito caro para ser considerado) – representam, para a maioria dos observadores, a tecnologia de 10 anos atrás.” AHA..Rafale e considerado caro para o Canada; imaginem! e pro Brasil ta bom. Que technologia vao transferir afinal de contas pelo preco tao alto.Ninguen viu detalhes dessa tal transferencia total. estaremos comprando gato por lebre ou esse EFEXISDOIS esta morto. Dilma.. compra uns 20 Mirage 2000-9 e assina os papeis pro PAK-FA. Nao existe outra saida.

  2. Um monoreator nas condições descritas no Canadá está sendo quesitonado. Não seria o mesmo caso no Brasil, onde o vencedor do FX2, se este sair, deverá cobrir áreas de Selva e Mar descomunais como no Canadá. Teremos o mesmo problema, baixo número de unidades para dar conta da tarefa. Para mim o melhor para o FX2 seria o SU35BM, seguido do Dassault Rafale. Nada de nenhum peso pulga queiridinho de alguns Blogs que ganham viagens a Suécia ou da Mídia que deseja ver as FFAA cada vez mais fracas.
    Imagine, o F35 está sendo questionado no Canadá e na Austrália, o que dirá de uma opção como o Gripen NG que nem seu país de origem compra a idéia. Nenhuma nação próxima a Suécia desejou este vetor que tentam empurrar através de campanha na mídia para a FAB.
    Abraço

  3. ” ‘o piloto E O AVIÃO teriam alguma chance de voltar à base’
    ‘Se um motor apagar, você ainda pode voltar para casa’, afirmou o Tenente-Coronel Allen. ‘No Canadá, isto é considerado importante. A meta era recuperar os aviões e repará-los’ ”

    Argumento de peso: com 2 motores não se perde o avião.

  4. Se um motor só é suficiente ou não eu não sei só sei que os bimotores sao sempre mais belos.

  5. Penso que o Brasil sendo um país não alinhado aos Americanos como Israel, Canada, Inglaterra e demais futuros operadores do F35, tem a vatangem de poder negociar com quem desejar, de russos a israelenses, de franceses a americanos. Logo, só posso enchergar muita incompetência no direcionamento do FX2. Se fossemos priorizar custos, deveríamos ter no mesmo pacote de opções F16Blk60, Gripen NG, Mirage 2000-9, Tejas, Mig35, J-10. Agora esperar que desta saco de gatos, onde um peso pulga como o Gripen NG (por sinal um projeto) competir com vetores que tem sua performance comprovada em combate como o F18E/F e Rafale é bagunçar tudo e esperar pelo cancelamento do FX2.
    Os Americanos estão apostando tudo no F35, assim como seus aliados de carne, mas sua carta principal está operando e ganhando horas de vôo preciosas. Se precisar a linha de produção dos Raptors volta a operação. O pior dos mundos é o competidor oriental ser tão competente quanto pregam seus desenvolvedores. Mesmo assim eu não estaria preocupado, pois a Rússia de hoje não se parece com a de 10 anos atrás. A um telefonema de Obama e alguns dolares, eles cancelam a venda para quem os Yankes desejarem. Este também é um quadro preocupante para a decisão sobre o FX2.
    A pergunta que os candidatos a Presidência devem fazer é. Precisamos de um vetor de combate? Precisamos de aviação de caça? Se sim, precisamos do que existe de melhor, não remendos ou solução retritivas ao orçamento da FAB. A FAB precisa de um contingente de soldados próximo de 70.000 homens?

  6. O Brasil necessita de vetores com grande porte e motores bem possantes. Quando toca nesse ponto os vetores que vem a cabeça são os caças russos que são bem robustos e desenhados para defender um país de território gigante como é o caso da Rússia, seriam perfeitos para o Brasil também, pelo menos uns doze ou dezesseis ou até mesmo os trinta e seis como deseja o governo. É interessante essa polêmica envolvendo o F-35 e o Canadá, muita tecnolgia, pouco mais de US$ 70 milhões e pouco desempenho.

  7. “Rafale da França (muito caro para ser considerado)”

  8. Wolfpack. vc tem abisoluta Razao
    Na Inglaterra o passarinho da Saab nao passa de um treinador
    ese blog que vc se refere um uma piada so vive de USAF ,US NAVY, US ARMY ,questao pela qual nem piso la a Seculos.pq que De USAF BLOGS tem di quilos em English bem melhor do que aquele
    Plano BRASIL conserteza e uma parada obrigatoria pela boa qualidade
    mais falando sobre F 35 E UMA FURADA JA GASTARAO O QUE NAO TEM E VAO GASTAR MAIS

  9. Acho peculiar citarem o Rafale como “muito caro para ser considerado”

    Ao que chegam as fontes oficiais (meios de mídia, quando se chegam a números, o que é raro e pouco confiável) é que o custo unitário do Rafale varia na faixa 80 milhões dólares, e o custo estimado de cada unidade do F-35 já atravessou a barreira dos 100 milhões a tanto tempo que nem lembram mais quando foi…

    Além disso, o próprio EF-2000 é também de custo unitário mais caro que o Rafale, agora ao pessoal que comenta sobre o custo do Rafale, favor se informarem melhor antes de comentários infundados, que pouco acrescentam além de serem infantis e recheados de tônica de torcida, especialmente para um concorrente europeu que só tem uma coisa de bom saindo de lá:
    o fato de termos ganhado a primeira copa lá.

  10. Concordo totalmente com o Luiz9Medeir.
    A mesma pergunta do título da matéria, vale para o Gripen.

  11. O pior pessoal serão somente 36 vetores para dar conta deste espaço aéreo descomunal.

  12. Todos os potenciais compradores do Rafale atestam como desvantagem o seu preço absurdo de aquisição/manutenção, mas para os defensores do caça francês esses são sempre “comentários infundados”. O pior cego é aquele que não quer ver :-)

  13. Os canadenses fariam melhor uso do f-15 silent eagle.

  14. Realmente o F-35 é uma furada. Espertos somos nós que compraremos um caça de 4a geração pagando o preço de um de 5a.

  15. A peculiar citação no texto, no que se refere ao Rafale: “muito caro para ser considerado”, verte-se na peculiaridade de o ser na função de um caça tampão. O Canadá optou por manter operacional sua frota de caças CF-18, até a entrada em operação do CF-35, cujo custo unitário supera os cem milhões de dólares americanos.

  16. Um motor só será suficiente?
    r: para voar sim.

  17. Gunsalmo :Realmente o F-35 é uma furada. Espertos somos nós que compraremos um caça de 4a geração pagando o preço de um de 5a.

    Gulsalmo, o F35 está disponível para aquisição pelo Brasil. Em quais termos? onde deverão estar armazenados os BVR? Poderemos integrar os A-Dart, R-Dart, Derbies neste vetor? Em qual posição da fila ficaríamos para ter acesso a este vetor? Depois de Turquia, Israel, Japão, Coréia, ou Holanda???? Talvez o Chile esteja na frente.
    Sabe o que é pior, vender um vetor Demonstrador monoreator, com $$$ horas de vôo estimadas para um programa como o FX2… Isso sim é de doer. Afinal, todos sabemos dos dados do Rafale, e quanto ao Suéco é tudo na base da estimativa, especulação, extrapolação de dados da versão C/D. Claro, a mídia está ao lado Suéco, pois o lobby é forte e ataca ferozmente em todas as frentes.
    Será a SAAB Aero a próxima aquisição de um Grupo Chinês? A BAe System já caiu fora da parceria? O Governo Suéco não coloca uma SEK Coroa Sueca neste projeto.
    Pode escrever ai, o F35 será o próximo vetor da Real Força Aérea Suéca. Depois de Holanda, Dinamarca e Noruega escolherem o F35 em detrimento do Gripen NG. Porque o Brasil deveria escolhê-lo então? A FAB deve diminuir seu contigente de praças e cortar gastos internos para ter capacidade de combate e não optar pelo “dois pelo preço de um” igual nas feiras da vida.

  18. “para não mencionar Rafale da França (muito caro para ser considerado)”

    Até Canadá acha essa Jaca cara. hehehehhe

    []s

  19. Grande Wolfpack bom vê seus comentários de novo… Concordo com sua critica aos Blogs inteiramente!

    Quanto ao F-35 não esperava tantas criticas por parte dos canadenses, podem esquecer isso de bom e barato, isso não existe mais em aviação de defesa, além do mais que historia é essa de o “Rafale se caro de mais” se o Typhoon é mais caro e esta no páreo??? Sem falar que o Typhoon nem tem radar “PESA” não to falando “AESA” e sim do “PESA”!!! Cada uma…

  20. O F35 parece ser um avião que tenta fazer tudo e acaba fazendo tudo mediocremente.

  21. A insistência no Gripen só se explica por uma oculta intenção de atacar o governo, tipo a atitude da Folha. Acho que esses ‘gripeiros’, não passam de caras que se os deixassem falariam de petralhas etc. Os que defendem o Gripen nos blogs sempre são contra o governo, não é coincidência. A matéria fala claramente que o Brasil precisa caças de 2 motores, mas o gripeiro não presta para argumentos, o cara fala que pagamos demais pelos Rafales. Lembro quando a Folha quis acusar à MB de estar pagando demais, que os subs alemães eram mais baratos bláhbláhbláh.

  22. Isso de o rafale ser caro é falar de má fé.
    O rafale é caro comparado a q?
    Ao eurofigther? ao f15? ao f18?
    O gripen é assim tao barato comparado ao f16?

    Comparar os precos de avioes de classes diferentes fica facil qd se quer esconder o obvio.

  23. vendo do aspecto “transferência tecnológica” … o francês vai sair barato…

  24. quanto a “mono motor” … não vejo motivo para discusão… em caso de conflito … dois motores confere ao piloto uma certa garantia do ponto de vista operacional … se um motor parar ainda pode … efetuar a missão..vencer..retornar.

  25. Milton Bras Cabral em 19/07/2010 às 13:08
    “Os que defendem o Gripen nos blogs sempre são contra o governo, não é coincidência.”

    Milton, pelo seu critério, poderiamos dizer também que aqueles que apoiam o Rafale, o fazem apenas para defender o governo. Felizmente, o mundo não se divide entre petistas e não petistas.

    Quanto à sua alegação de que: “A matéria fala claramente que o Brasil precisa caças de 2 motores”, onde você leu isso? A matéria fala sobre aquisições do Canadá, não do Brasil. Ou você acha que o que é bom para o Canadá (ou EUA) é bom para o Brasil também?

    Um abraço.

  26. Wolfpack em 18/07/2010 às 22:54

    Wolfpack, sua informação sobre o governo sueco não estar investindo no NG é totalmente incorreta, pois aqui mesmo e em outros blogs já foi noticiado que a força aérea daquele país já garantiu sua compra pois precisará dessa nova versão devido à redução no número de bases.

    Sobre o F-35, não defendo sua aquisição no FX-2, pois alem de não estar na shortlist, o prazo de entrega para os sócios não majoritários do projeto seria muito longo. Porém, no futuro, pode ser um bom complemento para a aeronave que for escolhida agora. De qualquer modo, os países que estão investindo nele farão um bom negócio pois receberão um caça de 5a geração por um preço provavelmente menor que o do Rafale.

    Quanto às suas colocações sobre escolhas de outras forças aéreas e a aquisição da SAAB por um grupo chinês, bem, não vale a pena nem comentar pois se trata de especulação ou pura invencionice.

    Um abraço.

  27. HAHAHAAA….
    Vai sonhando com o NewGambiarra operacional na Suécia…
    Informaçãozinha duvidosa espalhada por um blogzinho de gripeiros onde um certo editor comissionado voltou da Suécia querendo ressuscitar a bananinha no FX…

  28. A maioria dos mirages perdidos em Anápolis foi por pane de motor…A FAB quer bi-reator agora pra seu caça principal….adeus banana nanica sueca…
    E já tá rolando que essa compra do Canadá MIXOU !!!

  29. Gunsalmo, é, verdade, a matéria não fala que “o Brasil” precise caças de 2 motores. Eu quis dizer que lendo essa matéria se conclui que o país pelo seu tamanho e pelas áreas onde não haverá aeroportos para um pouso de emergência (Amazõnia e Am-azul) ainda temos mais motivos que Canada para ter caças de 2 motores.
    ————————
    A matéria adiciona um valioso motivo, a recuperação da máquina. A gente sempre pensa no piloto, mas é preciso também poupar aviões.
    ————————
    A única info que li do governo sueco decidir a compra ou encomenda de G-NG foi uma matéria de UM VENDEDOR da Saab.
    Isso, acredita, publicada também aqui no PlanoBrasil, UM VENDEDOR da Saab.
    O lobby da Saab é infantil, e o Brasil não tem tempo pra brincadeiras.
    ————————
    Milton-“Os que defendem o Gripen nos blogs sempre são contra o governo, não é coincidência.”
    Gunsalvo-“Milton, pelo seu critério, poderiamos dizer também que aqueles que apoiam o Rafale, o fazem apenas para defender o governo.”

    Não, isso é um paralogismo, ou seja um raciocínio falaz, talvez um sofisma, mas acredito que você não obra de má-fé.
    Não pode concluir isso, tem muito pessol que não presta para política e pensa de modo diverso. Eu não defendo o governo, só defendo o respeito ás instituções, e não apoio o Rafale, tenho dúvidas se o país não deveria desenvolver seu próprio vetor, e apostar no imediato numa parceria para um UCAV. O Rafale seria uma solução no imediato, mas o país precisa desenvolver uma indústria própria e para isso tem que fabricar seu próprio avião ou com parceiros do mesmo patamar.
    Infelizmente a proposta do “caça brasuca” feita por os empresãrios de SJdC, incluía de qq jeito o pago a um fornecedor extrangeiro(!).
    ———————
    Se o senhor sabe do gov vikingo ter encomendado o G-NG, seria bom publicase o link.
    ———————
    Canadá tem um parecido com o Brasil, a imensidade do território, isso pode ser válido para a escolha de caças de 2 motores tanto lá como no Brasil.
    ———————
    Eu comprobei que não há fanatismo nos que defendem um avião ou outro, os fanáticos são leitores que têm uma intenção política.

  30. “A maioria dos mirages perdidos em Anápolis foi por pane de motor”

    É o que dá comprar motor francês :-)
    Melhor um bom motor americano que dois franceses, hahaha.

  31. Milton Bras Cabral em 19/07/2010 às 22:59

    “Gunsalmo, é, verdade, a matéria não fala que “o Brasil” precise caças de 2 motores. Eu quis dizer que lendo essa matéria se conclui que o país pelo seu tamanho e pelas áreas onde não haverá aeroportos para um pouso de emergência (Amazõnia e Am-azul) ainda temos mais motivos que Canada para ter caças de 2 motores.”

    Milton, a maioria dos aviões que a FAB opera na amazônia hoje é de monomotores, inclusive os Super Tucanos que foram desenvolvidos exatamente para esse fim (SIVAM). Sendo assim, não acho que a FAB tenha qualquer temor de utilizar um monomotor lá.

    “Canadá tem um parecido com o Brasil, a imensidade do território, isso pode ser válido para a escolha de caças de 2 motores tanto lá como no Brasil.”

    Se a condição principal para comprar um caça for o tamanho do território para o qual ele foi projetado, então o único candidato válido do FX-2 é o Super Hornet, pois França e Suécia são igualmente pequenos comparados com o Brasil.

    “Eu comprobei que não há fanatismo nos que defendem um avião ou outro, os fanáticos são leitores que têm uma intenção política.”

    Esses “leitores que têm uma intenção política” são aqueles que não concordam com vc, não é?

    Um abraço.

  32. Se pra vc o que é francês não presta, cuidado, o Gripim precisa de APU francês interno pro motor americano funcionar…
    HAHAHAAAAA…..

  33. Wolfpack :

    Gunsalmo :Realmente o F-35 é uma furada. Espertos somos nós que compraremos um caça de 4a geração pagando o preço de um de 5a.

    Gulsalmo, o F35 está disponível para aquisição pelo Brasil. Em quais termos? onde deverão estar armazenados os BVR? Poderemos integrar os A-Dart, R-Dart, Derbies neste vetor? Em qual posição da fila ficaríamos para ter acesso a este vetor? Depois de Turquia, Israel, Japão, Coréia, ou Holanda???? Talvez o Chile esteja na frente.
    Sabe o que é pior, vender um vetor Demonstrador monoreator, com $$$ horas de vôo estimadas para um programa como o FX2… Isso sim é de doer. Afinal, todos sabemos dos dados do Rafale, e quanto ao Suéco é tudo na base da estimativa, especulação, extrapolação de dados da versão C/D. Claro, a mídia está ao lado Suéco, pois o lobby é forte e ataca ferozmente em todas as frentes.
    Será a SAAB Aero a próxima aquisição de um Grupo Chinês? A BAe System já caiu fora da parceria? O Governo Suéco não coloca uma SEK Coroa Sueca neste projeto.
    Pode escrever ai, o F35 será o próximo vetor da Real Força Aérea Suéca. Depois de Holanda, Dinamarca e Noruega escolherem o F35 em detrimento do Gripen NG. Porque o Brasil deveria escolhê-lo então? A FAB deve diminuir seu contigente de praças e cortar gastos internos para ter capacidade de combate e não optar pelo “dois pelo preço de um” igual nas feiras da vida.

    É isso aê, sem falar no q vem dentro desse pacote em termos de defesa p o n país, é significa + empregos aqui e melelhorias na mão de obra interna e mt +…

  34. Segue link da AviationWeek, com artigo do BillSweetman sobre o Gripen em Farnborough.

    Pelo artigo, SIM o Gripen NG, que para os Suecos é o Gripen E/F será adquirido até 2020. Independente de ganhar ou não as concorrencias no Brasil, India ou Suiça.

    O que acontecerá se a SAAB vencer alguma dessas concorrências é a Antecipação do início da produção.

    http://www.aviationweek.com/aw/blogs/farnborough/?plckController=Blog&plckBlogPage=BlogViewPost&newspaperUserId=af81e61b-7188-4a72-8f39-d3869b7980c2&plckPostId=Blog%3aaf81e61b-7188-4a72-8f39-d3869b7980c2Post%3a3af0457c-0419-4628-862b-808d865efc26&plckScript=blogScript&plckElementId=blogDest

    []’s

  35. Acredito que a FAB poderia operar uns 10 esquadrões de FX-2 até 2025 (sim, podemos construi-los) e pelo menos mais cinco ou seis esquadrões de caças de 5

  36. Acredito que a FAB poderia operar uns 10 esquadrões de FX-2 até 2025 (sim, podemos construi-los) e pelo menos mais cinco ou seis esquadrões de caças de 5ª geração (F-35A de prateleira, Su-50 “quase de prateleira”, ou KF-X em parceria com a Suécia e a Coreia do Sul).

    A esse total adiciona-se mais 48 a 72 unidades para os novos NAe’s da Marinha e fechou… Teremos um mix hi-low por bastante tempo… E mais de 200 aeronaves, um número mais “adequado” a quem quer ser potência e tem duas Amazônias e o Pré-Sal para defender.

    Só não podemos ficar de braços cruzados por 30 anos, lançar uma concorrência internacional, levarmos 14 anos para nos decidir e esperar que toda a tecnologia nos será passada por poucos bilhões.

    Podemos. Queremos?

    Brasil, sonhe mais alto!!!

  37. Wolfpack :Imagine, o F35 está sendo questionado no Canadá e na Austrália, o que dirá de uma opção como o Gripen NG que nem seu país de origem compra a idéia. Nenhuma nação próxima a Suécia desejou este vetor que tentam empurrar através de campanha na mídia para a FAB.Abraço

    O mundo reconhece o SU-35 como a maquina a ser batida…Eu tambem gostaria de ver nossa FAB operando esta vetor mas parece que os mocinhos de Brasilia temendo contrariar Tio San descartaram o Shukoy e ainda disseram que foi a FAB quem descartou…O gripen ja voa a tempos e ja foi provado em combate.O NG é uma variante com algumas diferenças.Dos tres que restaram no FX-2 pra mim o Rafalle é melhor mas o NG encaixasse como uma luva ao perfil de nossos pilotos e por isso eles o amaram.Pequeno,robusto,altamente manobravel,facilmente ocultavel,rustico.Perfeito para emprego Amazonico.Desce em uma clareira,abastecesse e remuniciasse em uma aldeia e ainda sobra tempo pra fumar o cachimbinho da paz.

  38. Wolfpack :O pior pessoal serão somente 36 vetores para dar conta deste espaço aéreo descomunal.

    Meu Deus…não serão so 36 vetores,serão muito mais e a tecnologia tambem e no caso esta é a mais importante.O problema é:Em quem podemos confiar?Em Americanos nem nossas Antas selvagens confiam.Então restaram Suecos e Franceses.Os Franceses oferecem abrir tudo e se a gente chorar um kadinho ainda vem a Carla Bruni de quebra,mas tem fama de mudarem de posição a primeiro soar das trombetas.Os Suecos veem oportunidade com nossa mão de obra e largo campo e desenvolver.Eles ganhariam muito e penso que sejam mais serios.

  39. O aperfeiçoamento é essencia mas nossas Forças tem carencia defasada e precisamos adiantar etapas para supri-las.Esta é a necessidade que se resolva logo esta novela FX-2.Se nossos cientistas e tecnicos ja dominassem todas etapas veriamos maquinas cada vez melhores.Estão falando dos Mirages mas olhem nossos F-5E/M BR,um modelo dos anos 7o que aprendemos a dominar mais que o fabricante de origem e hoje nossos Bicudos são considerados por especialistas extrangeiros como aeronaves de quarta geração.

  40. O problema não é ser gripeiro, o problema é outro.

    “parece que os mocinhos de Brasilia temendo contrariar Tio San descartaram o Shukoy e ainda disseram que foi a FAB quem descartou…”

    Não é que o gripeiro é contra o governo, é que os que são contra, tentam usar o Gripen para jogar pedras no governo, é simples.
    Se puderam usariam o F18, mas é claro, tudo mundo sabe que os americanos embargam e a multa era de um 5% daquelas peças sujeitas a embargo (não de todo o contrato como alguns pensaram).
    O fanático político não tem jeito.

  41. Já fizeram isso com os subs franceses, agora é a vez do caça.
    Acho que a gente vive numa democrácia, que tem o congreso etc para controlar as parcerias que fecha o executivo.
    Parece que o GF vai comprar o Rafale, então aquele que tenha alguma dúvida que entre com um proceso na justiça.
    O mesmo acontece com a Raposa, foi obra do Supremo, eu ao começo era totalmente contra, mas depois fui entendendo, num mundo que quer acuasar ao Brasil de ser um país quase que escravista e de manter uma guerra com os índios usando mísseis como falou o Cameron que se usam HOJE na Amazônia, num mundo assim que está tentando questionar nosso direito, temos que ter mui cuidado e ser ainda mas respeituosos das etnias e do meio ambiente que aqueles que mataron todo o que tinhan (EUA e Europa).
    Os americanos colonizaram os EUA com suas mulheres, não casavam com índias, já isso fala bem da diferência com o que ocorreu no Brasil.

  42. Edu Nicácio, não dá nem pra mencionar a palavra SUÉCIA, não é um parceiro do patamar do Brasil, não dá. Tem 9mi habitantes, e está num continente em falência.
    Nem se pode tentar juntar Gripen e Suécia, porque é chamar a engano, o governo sueco não compra o G-NG, foi uma materia de um VENDEDOR da Saab, aquele lobby infantil que a gente viu nos últimos 2 anos.
    Brasil não está para brincadeiras.

  43. Não tinha lido o link do Nick:
    Swedish air force inspector general Maj Gen Anders Silwer said in London on Sunday that a formal political decision to proceed with the JAS 39E/F, as the NG is designated in Sweden, would be taken in 2011 or 2012

    Aí está: ‘a formal political decision…será tomada em 2011 ou 2012’
    ——————————-
    Também não tinha lido o comentário do Gunsalmo:

    “Se a condição principal para comprar um caça for o tamanho do território para o qual ele foi projetado, então o único candidato válido do FX-2 é o Super Hornet, pois França e Suécia são igualmente pequenos comparados com o Brasil.”

    Isso novamente é uma sofisma, me diga quem falou que o Rafale foi projetado para o tamanho da França??? Tem aí uma falácia escondida. Olha, tem muita gente que estudou aqui no Brasil, já não dá pra tratar de confundir.
    O Rafale tem 2 motores provavelmente porque a França é uma potência global.
    Embutir uma falácia dentro de uma frase já ninguém compra.
    ——————-
    Eu disse “Eu comprobei que não há fanatismo nos que defendem um avião ou outro, os fanáticos são leitores que têm uma intenção política.”

    Esses “leitores que têm uma intenção política” são aqueles que não concordam com vc, não é?

    Mais uma falácia, um sofisma, um falso silogismo, tem leitores que não têm intenção política e concordam, e têm aqueles que têm e as vezes concordam, é óbvio, uma coisa não tem nada a ver com a outra.
    Cada vez tem mais gente que pensa e usa a lógica no Brasil, acredite. rsrs

  44. Nick :
    Segue link da AviationWeek, com artigo do BillSweetman sobre o Gripen em Farnborough.
    Pelo artigo, SIM o Gripen NG, que para os Suecos é o Gripen E/F será adquirido até 2020. Independente de ganhar ou não as concorrencias no Brasil, India ou Suiça.
    O que acontecerá se a SAAB vencer alguma dessas concorrências é a Antecipação do início da produção.
    http://www.aviationweek.com/aw/blogs/farnborough/?plckController=Blog&plckBlogPage=BlogViewPost&newspaperUserId=af81e61b-7188-4a72-8f39-d3869b7980c2&plckPostId=Blog%3aaf81e61b-7188-4a72-8f39-d3869b7980c2Post%3a3af0457c-0419-4628-862b-808d865efc26&plckScript=blogScript&plckElementId=blogDest
    []‘s

    Engraçado o diretor da SAAB é agora porta voz do governo sueco, o mais engraçado ainda é que nenhum gripeiro questiona a parcialidade do diretor da empresa que esta vendendo o peixe mas não acredita no Almirante Edouard Guillaud ministro, chefe do gabinete militar da França, que prometeu muitas coisa para o Brasil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: