Articles

Boeing estuda modernizar caças F/A-18E/F Super Hornet

In Aviões de Combate, Defesa, tecnologia on 21/07/2010 by E.M.Pinto Marcado: , ,

https://i1.wp.com/cavok.com.br/blog/wp-contents/uploads/2010/07/00000129f0bc77faaab2de06007f000000000001.DSC00700.jpg

Numa recente tentativa da Boeing de trazer sua linha de caças do século 20 para o século 21, a empresa baseada em Chicago revelou um plano para modernizar seu caça F/A-18E/F Super Hornet. Veja a seguir um esboço de como será o Super Hornet do futuro.

Segundo uma apresentação feita durante o Farnborough Airshow, o jato teria uma tela touch-screen no cockpit inspirado no iPhone, tanques de combustível conformais similares ao utilizados nos caças F-16 Block 60, novos motores que dariam uma pot~encia de 20% adicional, um compartimento externo de armas no ponto ventral que poderia levar até quatro mísseis AIM-120 AMRAAM, um pod de sensores internos e um sistema de rastreio e busca infravermelho, disse Shelley Lavender, vice presidente dos programas de caças de ataque da Boeing.

A Boeing prevê que os clientes possam escolher entre pegar as atualizações para seus Super Hornets ou adquirir novos caças F/A-18E/F com todas essas melhorias. Isso é parte da estratégia da Boeing para costurar “capacidades adicionais” para exigências de clientes sem quebrar os clientes numa época de retração econômica, disse várias vezes Lavender durante uma conferência no dia 20 de julho no Farnborough Airshow.

“Nós sabemos como desenvolver essas plataformas e entregar novas tecnologias,” disse Lavender. Ela estava sereferindo as modernizações que a Boeing fez dos F/A-18 Hornet originais para o Super Hornet e do F-15 para o F-15E Strike Eagle e depois para o furtivo F-15SE Silent Eagle.

Ela mostrou um projeto conceito do novo Super Hornet; ele lembra o F-15SE — exceto pelo compartimento de armas que pende da parte central e renderá uma assinatura de radar maior que o compartimento de armas conformal do F-15SE.

Lavender disse que o novo cockpit poderá estar pronto até 2015, mas as outras melhorias somente poderia dizer que provavelmente estarão disponível no final da década.

Fonte: DefenseNews – Tradução: Cavok

Nota do Editor (Cavok): Em maio já havíamos falado aqui sobre algumas propostas de melhorias do Super Hornet.

Fonte: Cavok

Anúncios

11 Respostas to “Boeing estuda modernizar caças F/A-18E/F Super Hornet”

  1. …e nós ? Vamos F-5 BR Silent Tiger ?

  2. As rafaletes podem esquecer mas um provavel comprador do rafale,segundo o site “tactical report” o Kuwait vai de super hornet.Ai se junta a Libia que vai de caças russos e a suiça que ja descartou o rafale por ser muito caro(vai de gripen,eu aposto),então quem vai comprar esse fiasco da industria francesa.Talvez uma “super potencia” do sul,que nem avaliou o caça como os indianos estão fazendo.

  3. Qual a utilidade prática de tela de toque no controle de um caça?

  4. Acesso mais rápido aos comnados como seleção de áreas e alvos por exemplo…
    Sds
    E.M.Pinto

  5. Cada caso é um caso. a india já tem até seu subNuc, é nós ainda ñ temos; a India já tem seu VLS e nós ainda nem sabemos lançar buscapé..Vamos pagar pelos rafales p ter acesso a essas tecnológias q oram inclusa no mesmo pacote….é o preço a pagar p ser negligêntes na formação de cérebros..EDUCAÇão do povinho…etâ elite estúpida.

  6. Um Bando de Dinossauro correndo contra era GLACIAL . nao vou me asusta se fizerem o Silent F 14 TOMCAT TBM hahahahahahhaahhahaha
    DEIXA PASSARINHO DE PAPEL (SAAB)PRA OUTROS PAGAREM O DESENVOLVIMENTO QUE PARECE TAO barato!!!!! HAHAHAHHAHA
    que venha os RAFALES

  7. A India tem seu sub nuc, seu lançador e outros meios por uma determinação do governo e não precisou embargar em nenhuma jaca pra isso,agora o Brasil com esse “desgoverno” que não tem determinação deve embargar nessa jaca.Eta visão politica limitada!!!!!!

  8. Jaca? A Índia comecou comprando mig17 su15, etc há 20 anos atrás!!!!Quem não tem visão claro que qr o sonho NG !!! Querem comparar aqueles projetos de 1950, com o projeto RAFALE? Já pensaram daqui uns 10 anos com a criatividasde brasileira vindo do conhecimento dassault? TODO o MUNDO sabe q os AMERICANOS não libera tecnologia !!!!O que vamos aprender com o sonho NG(quase todo americano)?

  9. Alguns itens interessantes:

    Motores mais potentes ou mais econômicos + conformal tanks -> maior alcance
    Cockpit avançado -> Fusão de dados
    Pod furtivo para misseis -> Maior furtividade

    Não sou lá muito fan desse caça, mas não se pode criticar que ele é um produto sem possibilidades de evolução.

    []’s

  10. Falta de visão,vamos em frente:ej 200,rd 93,m 88 (é a do rafale mesmo) e ge f 414 são turbinas possiveis de serem instaladas no gripen,e somente uma delas é estadunidense(caso haja veto),esse é o unico item critico no gripen os demais componentes podem ser obtidos no mercado mundial(que esta em crise,falta comprador).Por ser um projeto, é fantastica a possibilidade de aprender fazendo(sera que alguem avaliou esse detalhe e o valor desse aprendizado,olhem o AMX e compare com o que a Embraer se tornou ),mas existe uma necessidade urgente de um caça na FAB.Por isso devemos pagar mais caro por um caça tampão?Antes de criticarem ,analisem os objetivos da FAB,que e o de tranferir tecnologia pro Brasil,alguém em sã consciência acredita que os franceses(incluam os americanos tambem) vão transferir tecnologia pro Brasil!

  11. Os americanos não transferem tecnologia e por isso montamos kits de helos franceses, tem uns 30 anos.
    Aliás se eu não estou enganado, a Thales NEGOU o seu radar AESA ao Gripen NG, por ordem da Dassault.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: