Articles

Lockheed Martin considera o KC 390 como um rival potencialmente forte

In Aérea, Aviões de Transporte, Negócios e serviços on 21/07/2010 by E.M.Pinto Marcado: ,

Por Siva Govindasamy

Tradução e adaptação: E.M.Pinto- Plano Brasil

Sugestão: Justin Case


Lockheed Martin vê o Embraer KC-390 como um concorrente potencialmente indigesto para o seu C-130J, mas acrescenta que há ainda muitas questões a serem respondidas sobre a aeronave brasileira.

A Embraer, pretende entregar o primeiro protótipo do KC 390 para a Força Aérea Brasileira em 2014, e almeja entrar no lucrativo mercado de transporte militar, indo em rota de colisão direta com o C-130J, da Lokheed Martin, isto porue ambas as aeronaves possuem  semelhanças em termos de carga e capacidade operacional, totalmente distintas do Airbus Military A400M e Boeing C-17.

“Temos que lembrar que o C-130J é uma aeronave consagrada. É capaz, com seus novos Turbopropulsores e nova aviônica  de atender as   necessidades estratégicas e táticas de praticamente todas as forças aéreas do planeta”

Segundo declarou  Ross Reynolds, vice Lockheed-presidente do programa C- 130

“Claro, vemos o KC-390 como um concorrente. Mas a pergunta chave que a Embraer tem de responder é o quão realmente capaz é este avião? Nós ainda não sabemos. O C-130J pode operar em condições adversas, na poeira em terreno não preparado por exemplo. O  KC-390 pode fazer isso?, isto é o que destaca o C-130J tal como o é “.

Olhando para o futuro, Reynolds diz que Lockheed espera “uma boa demanda” para o C-130J, nos próximos anos. A carteira atual de pedidos é de 99 aeronaves, mas ele não se prende a isso e acredita em novos pedidos adicionais tanto de clientes já existentes como de novos.

“Nós acreditamos que haverá pelo menos mais 150 encomendas por parte dos EUA e outras 100 de nações estrangeiras nos próximos 10 anos”

, acrescenta.


“A USAF,   USMC, USNavy, USCG e o Serviço Florestal, são clientes em potencial, enquanto a nível internacional estamos a olhar para o interesse no Oriente Médio, África e Sudeste Asiático”.

Parte do sucesso do C-130J, ele acrescenta, se deve ao fato da Lockheed ter atualisado e modificado  a aeronave ao longo dos anos desde a sua concepção até os dias de hoje. Iste manteve-la relevante às necessidades do mercado atual e acrescenta que este esforço será continuado.

“Estamos constantemente procurando formas de melhorar a aeronave. Uma coisa que estamos de olho é na capacidade roll-on, roll-off . A flexibilidade da plataforma permite o câmbio para missões diferentes e isso é algo que nós estamos olhando” , diz Reynolds.

Fonte: Flightglobal

Anúncios

14 Respostas to “Lockheed Martin considera o KC 390 como um rival potencialmente forte”

  1. Se eles dizem q o KC 390 será um forte concorrente, então , o projeto e mt bom…vai fazer sucesso.Bom p EMBRAER , + empregos p nós, e melhor ainda p o BRASIL.

  2. carlos argus :Se eles dizem q o KC 390 será um forte concorrente, então , o projeto e mt bom…vai fazer sucesso.Bom p EMBRAER , + empregos p nós, e melhor ainda p o BRASIL.

    De certa forma concordo contigo, eles olham como um concorrente e um rival e sabem que poderá ser uma boa aeronave.
    Ele quando diz que ainda não sabe as capacidade que o 390 pode operar, eu vejo neste sentido… de certa forma uma indirecta a dizer que parceiros vão ter para construir a aeronave., que componentes, motores, etc etc etc que vão usar. Isto vem um pouco de encontro daquilo que escrevi em tópicos anteriores quando fiz referencia que aqui as parcerias serão muito importantes…
    Este mercado é complicado, a longevidade de um projecto faz-se vendendo o produto para máximo de nações possíveis (além do país construtor) … não se faz vendendo para meia dúzia e parando aí… só assim o projecto vai amadurecendo e novas variantes vão saindo.
    Olho para este KC390 como um sucesso, tem todas as condições para sê-lo, agora parte do Brasil escolher bem quem participa.
    Bom futuro para o KC390, aquilo que todos nós esperamos.
    Sds

  3. A parceria e mt importante p diluir os custos e melhorias no projetos…Potugal seria o nosso parceiro nessa empreitada…mt bom.

  4. Vejam o exemplo do KC-390, e ai tem negrinho que fica argumentando que a FAB não tem competência no FX-2,competência ela tem ,quem não tem é esse governo e esse ministério da defesa.Eu gostaria de sugerir que o Plano Brasil fizesse uma reportagem sobre a transferência de tecnologia do AMX e os seus benefícios pra industria brasileira.

  5. Uma coisa é certa:
    Além de EXCELENTE o nosso “KC” vai precisar de toda a criatividade da Embraer e apoio do nosso Governo para vender porque NÃO É FACIL competir contra os Ianques…
    A Lookhead pode simplesmente baixar o preço do seu avião e nesse caso vai ser uma concorrência durissima!
    Mesmo assim, acho que o Brasil, a FAB e a Embraer estão no caminho certo.

  6. se caso acontecer a encomenda da França e Africa do Sul certamente
    na America latina e Africa terremos muitas vendas. Emborra
    e provavel que mesmo assim terremos menos plataformas vendidas que o
    c-130.

  7. A Embraer não entra em jogo para perder. O KC-390 será superior ao C-130j em todos os aspectos: custo de aquisição , manutenção, desempenho…O que atrapalha mais é o lobby do Tio Sam…Mas eu estimo algo entre 100 e 200 vendas, pelo menos..É uma avião de nova geração e não um respeitável senhor recondicionado…

  8. Jakson Almeida :Vejam o exemplo do KC-390, e ai tem negrinho que fica argumentando que a FAB não tem competência no FX-2,competência ela tem ,quem não tem é esse governo e esse ministério da defesa.Eu gostaria de sugerir que o Plano Brasil fizesse uma reportagem sobre a transferência de tecnologia do AMX e os seus benefícios pra industria brasileira.

    A FAB, e todo o setor de Defesa no Brasil,receberam investimentos muito altos neste governo..Pára de repetir a ladainha e procure pesquisar para saber o que escrever…Leia o link: http://defesabrasil.com/site/noticias/defesa/lula-amplia-45-gasto-com-defesa-em-5-anos.php

  9. André Oliveira :A Embraer não entra em jogo para perder. O KC-390 será superior ao C-130j em todos os aspectos: custo de aquisição , manutenção, desempenho…O que atrapalha mais é o lobby do Tio Sam…Mas eu estimo algo entre 100 e 200 vendas, pelo menos..É uma avião de nova geração e não um respeitável senhor recondicionado…

    Concordo contigo André, a Embraer já mostrou sua competência e a que veio, a própira declaração do Ross Reynolds revela isso.
    Está em desenvolvimento mas já começa a incomodar.
    Os movimentos são favoráveis, FAB, correios e um mercado aberto, teremos um lobby fortissimo (jogando contra) mas é certo que todos os questionamentos acima serão respondidos.
    Como já foi bem dito, a Embraer não entra em jogo para perder.

  10. Analisando todos os aviões que a Embraer fabrico até hoje ,apenas o CBA-123 ,não foi para frente ,mas podemos considera lo um demonstrador de tecnologia ,a parceria não foi das melhores também olhando todos os aviões desenvolvidos pela FMA a grande maioria não passou do protótipo,sem duvidas que o KC-390 tem tudo para ser outro grande projeto de destaque da Embraer , e isso incomoda muita gente.

  11. Que bom, mas vamos pensar, será um modo da Boeing dizer que não tem planos (para cedo) para transportes do mesmo nível?
    Tem o Kawazaki, muito parecido com o nosso KC-390.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: