Articles

Exclusivo: Evolução dos armamentos anticarro e antipessoal guiados da Federação Russa

In Armas pessoais, Defesa, Plano Brasil, Sistemas de Armas, tecnologia, Terrestre on 28/07/2010 by Vympel1274 Marcado: , , , ,

Autor: Vympel1274

Plano Brasil

Os sistemas de armas conhecidos como ATGM (Anti-tank guided missile – Míssil guiado Anticarro) ou ATGW (Anti-tank guided weapon – Armas guiadas Anticarro), tem a finalidade de prover á arma de infantaria uma capacidade contra MBT (Main Battle Tank – Tanque principal de combate) á médias e longas distâncias, o que não seria possível com os sistemas anticarro não-guiados. Serão abordados os sistemas guiados anticarro de fabricação soviética/russa, devido a sua maior proliferação no mundo e pelo seu pouco conhecimento do público em geral.

Figura 01 – Uma característica singular dos sistemas de fabricação Russo/Soviética é a portabilidade

Tais sistemas, de acordo com sua própria evolução, passam por modernizações em que evoluem principalmente seus sistemas de orientação. São divididos, segundo alguns especialistas, em três gerações (MCLOS, SACLOS e ACLOS). Para melhor entendimento, será feita uma explanação sobre as características de cada geração. Seguem explanações sobre seu desenvolvimento:

MCLOS (Manual Command to Line of Sight – Comando manual para linha de visada), resume-se na primeira geração dos sistemas de guiagem de mísseis. No MCLOS, o operador deve guiar manualmente o míssil até o mesmo atingir o alvo. O operador deve guiar o míssil manualmente através de um Joystick, observando-o através do conjunto ótico, até atingir o alvo. Como auxílio para a observação do míssil pelo operador, na retaguarda do míssil existe um flare, permitindo o operador visualizá-lo mais facilmente.

O sistema MCLOS exige grande treinamento do operador, pois a menor distração do mesmo pode causar o erro do alvo ou a perda do míssil. Estes sistemas de primeira geração têm uma precisão marginal, devido sua trajetória errática, inerente á correção manual.

A orientação MCLOS foi substituída pela SACLOS, a qual é muito mais simples e precisa, devido á exigir somente que o operador acompanhe o alvo com o sistema ótico (o qual orienta o míssil), ao invés de ser forçado a acompanhar tanto o míssil em vôo quanto o alvo.

(Ex: AT-1 “Snapper”, AT-2A e B “Swatter”, AT-3 “Sagger”)

SACLOS (Semi-Automatic Command to Line of Sight – Comando Semi-automático para linha de visada) resume-se na segunda geração dos sistemas de guiagem de mísseis. No SACLOS, o operador deve somente manter o alvo continuamente dentro do visor de pontaria, enquanto o míssil está em vôo, até atingir seu alvo. Todas as correções de direção vertical e horizontal são calculadas automaticamente pelo processador do sistema de lançamento, tendo o operador a única função de manter o alvo dentro do retículo de mira.

As três formas de guiamento mais comuns para os mísseis SACLOS são:

a) Guiagem por fio – Os sistemas guiados por fio tem a vantagem de não sofrerem interferência eletromagnética, pois a comunicação entre o lançador e o míssil dá-se pelo fio de guiagem (normalmente utilizada fibra ótica). Tem como desvantagem o comprimento do próprio fio e o seu meio de armazenagem, além de sua fragilidade, pois não é bom para ser utilizado em áreas restritas (Ex: florestas).

(Ex: AT-4 “Spigot”, AT-5 ”Spandrel, AT-7 “Saxhorn”, AT-13 “Saxhorn-2”)

b) Guiagem por rádio – Tem a vantagem de poder ser utilizado em qualquer ambiente, pois não tem nenhuma conexão física do lançador com o míssil. Como desvantagem, o fato de utilizar ondas de rádio como guiagem, o faz passível a interferência eletromagnética.

(Ex: AT-2C ”Swatter”, AT-6 “Spiral”, AT-9 ”Spiral-2”)

c) Guiagem por laser – A guiagem á laser é utilizada de duas maneiras distintas: a primeira é quando o lançador do míssil ou uma estação isolada “ilumina” o alvo com um feixe de laser, designando assim o alvo para a cabeça de busca localizada na parte frontal do míssil, o qual se dirige para o alvo atingindo-o. Tem como contramedidas por parte do alvo, fumígeno de bloqueamento lasérico, emitido pelo sistema Shtora-1, de fabricação Russa. Na segunda maneira, um feixe de laser emitido pelo lançador é dirigido para um receptor localizado á retaguarda do míssil, sendo que este recebe informações de guiagem do lançador através desse feixe laser. Conhecido também como “Beam rider”, é imune á contramedidas eletrônicas por parte do alvo.

(Ex: AT-8 “Songster”, AT-10 ”Stabber”,  AT-11 “Sniper”, AT-12 “Swinger”, AT-14 “Spriggan”, AT-15 “Springer”, versão guiada por laser, AT-16 “Scallion”)

d) Guiagem por radar – A guiagem por radar é a mais nova modalidade de busca, devido á seu custo e a necessidade de equipamentos de alta tecnologia (radares de onda milimétrica), na qual o referido radar “ilumina” o alvo, para que o míssil com sua cabeça de busca adquira e atinja o alvo.

(Ex: AT-15 “Springer”, versão guiada por radar)

ACLOS (Automatic Command to Line of Sight – Comando automático para linha de visada) resume-se na terceira geração de sistemas de guiagem de mísseis. No ACLOS, todo procedimento de guiagem do míssil, do lançamento até o impacto, é feito automaticamente pelo próprio míssil (chamados também de “dispare e esqueça”), sendo o lançador responsável apenas por gerar informações pré-disparo, para abastecer a cabeça de guiagem do míssil com informações para o mesmo se dirigir até o alvo de forma autônoma. Comumente, esses sistemas têm sua cabeça de busca em infravermelho (IR), o que os faz passíveis de sofrerem interferência por interferidores eletroópticos, como o Shtora-1.

(Ex: Sistema multipropósito “Hermes”, guiado por radar, com orientação de médio curso por rádio)

Muito se discute sobre a real vantagem do sistema ACLOS sobre o SACLOS. Isso aparentemente não deveria ser questionado, pois a grande vantagem do sistema ACLOS sobre o SACLOS seria a possibilidade do primeiro abandonar o local após o disparo, evitando assim ser atingido pela reação do alvo (Ex: Carro de combate), enquanto o segundo necessita permanecer no local do lançamento até o impacto do míssil no alvo. Esta discussão deve-se ao preço muito elevado dos sistemas ACLOS, e do fato de sua maioria, senão todos, dependerem de um sistema de Infravermelho (IR) para adquirir e travar em seus alvos, os quais são muito passíveis a serem jameados por interferidores eletroópticos, como o Shtora-1 de fabricação Russa. O sistema “dispare e esqueça” em uso nas forças armadas americanas é o FGM-148 “Javelin”, o qual tem valores de US$ 125.000,00 (lançador) e US$ 80.000,00 (mísseis), o que lança dúvidas sobre suas vantagens sobre a segunda geração ATGMs (Metis-M, Kornet) em intervalos de mais de 1000 metros. Em distâncias de até 600 metros há um problema semelhante – a utilização racional dos mais leves e baratos RPG/LAW, que também realizam o princípio de “disparar e esquecer”, só que sem guiagem até o alvo.

Uma grande vantagem do Javelin seria sua capacidade de “top attack”, ou seja, ataque a parte de cima da torre do carro de combate. Entretanto, tal característica já é existente no sistema sueco RBS-56 “Bill”, também de guiagem SACLOS através de cabo de fibra ótica, o qual custa uma fração do preço do sistema Javelin.

Figura 02 – Míssil RBS-56 “BILL” acima e míssil FGM-148 “JAVELIN” abaixo.

Desenvolvimentos atuais em serviço ou retirados de serviço ativo:

AT-1 “Snapper” – 3M6 Shmel

Figura 03 – Míssil AT-1 “Snapper” sobre um veículo blindado de reconhecimento Gaz-69 Polonês.

O 3M6 Shmel (AT-1”Snapper”), como muitos mísseis em sua época, baseou-se no míssil francês Nord SS.10, embora seja consideravelmente maior. Ele foi desenvolvido pela Comissão Especial de Argamassa Design Bureau (SKB Gladkostvolnoi artillerii) em Kolomna que também foram responsáveis pelo desenvolvimento do AT-3 “Sagger”. O desenvolvimento do míssil avançou rapidamente, sendo os primeiros testes realizados em abril de 1958. Foi apresentado publicamente pela primeira vez em 1963. O míssil foi o primeiro desenvolvimento de ATGM na então União Soviética, incorporando a tecnologia MCLOS. Tinha como incovenientes o grande tamanho, que o obrigava a ser lançado a partir de viaturas adaptadas para tal e o seu tempo de vôo (20 segundos), considerando lento em demasia. Foi aceito para serviço em 1960.

Comprimento: 1,150 milímetros

Envergadura: 750 mm

Diâmetro: 136 mm

Lançamento do peso: 22,5 kg

Velocidade: 90 a 110 m / s,

Alcance: 500 m para 2,3 km

Tempo para alcance máximo: 20 segundos

Orientação: MCLOS guiado por fio

Ogiva: 5,4 kg HEAT 300 milímetros vs RHA

AT-2 ”Swatter” – 3M11 Falanga

Figura 04 – Míssil AT-2 “Swatter” sobre um veículo blindado de reconhecimento Gaz-69 Polonês.

O 3K11 Falanga (AT-2 ”Swatter”), é um ATGM guiado por rádio com uma ogiva HEAT. Os mísseis existem em três versões, designadas A, B e C. A e B diferem entre si por seu peso e algumas melhorias.  Ambas usam orientação comando manual para a linha de visada (MCLOS). No entanto, a versão AT-2C “Swatter”, tem orientação tipo comando semi-automático para linha de visada (SACLOS). O Swatter é montado em veículos BRDM/BRDM-2 com quatro calhas de lançamento. O Mi-8 “Hip” pode montar dois lançadores  em cima de cada um dos dois suportes de armas externos. O Mi-24 “Hind” A e D, monta dois lançadores sob seus suportes de armamento exernos. O Swatter A, pode atingir alvos a distâncias entre 500 e 2.500 metros. O Swatter B e C têm alcances máximos de 3.500 e 4.000 metros respectivamente. A capacidade de penetração em blindagem é superior a 500 milímetros, e a probabilidade de acerto no primeiro tiro é de 67 %  para o Swatter A e B, e mais de 90% para o Swatter C. Entrou em serviço em 1968.

Comprimento: 1,160 milímetros

Envergadura:

Diâmetro: 148 mm

Lançamento do peso: 27,0 kg

Velocidade: 150-170 m / s

Alcance: 500 m – 2,5 km (A e B), 500 m – 3,5 km (C)

Tempo para alcance máximo: 17 segundos

Orientação: comando Rádio MCLOS (A e B), comando Rádio SACLOS (C)

Ogiva: 5,4 kg HEAT 500 milímetros com RHA

Figura 05 – Míssil AT-2 “Swatter” sob o suporte de armamento de um MI-24 “Hind” Sírio.

AT-3 “Sagger” – 9K11 Malyutka

Figura 06 – Míssil AT-3 “Sagger” em sua versão portátil.

O 9K11 Malyutka (AT-3”Sagger”) nos modelos A e B são ATGM guiados por fio com uma ogiva HEAT. Tem configurações para ser utilizado por equipes anticarro, blindados e até mesmo helicópteros. Com a versão lançada por tropas, o operador carrega o míssil em uma caixa de fibra de vidro. Essa caixa serve de suporte para fixar o míssil antes do disparo. A partir dessa posição, o míssil é lançado através de um botão de disparo na caixa de controle. Ele então usa um periscópio e um Joystick existente na caixa de controle, enquadrando o alvo e o míssil, dirigindo-o para o alvo. Nos veículos BRDM/BRDM-2, seis pontos de lançamento são montados na parte superior do blindado, em uma cobertura retrátil, com oito mísseis adicionais realizadas no interior do veículo. O BMP-1 e BMD-1 tem um lançador de um único trilho montado acima do canhão de 73 milímetros. Respectivamente transportam um total de quatro e de três mísseis. O Mi-2 “Hoplite” pode transportar dois Sagger em cada lado da sua cabine. O Mi-8 “Hip” transporta seis Sagger. O míssil pode atingir alvos a distâncias de 500 a 3.000 metros e penetrar mais de 400 milímetros de armadura. Ele emprega um sistema de orientação MCLOS em que o operador deve observar o míssil e o alvo e orientar a um para o outro. Os mísseis são guiados por fio e são imunes a contramedidas eletrônicas e tem uma percentagem muito pequena de avarias. A variante AT-3C “Sagger”, emprega orientação SACLOS. É montado principalmente na BRDM-2, mas também pode ser montado no “Hip” e helicópteros “Hoplite”. Estes sistemas proporcionam uma maior flexibilidade para o comando do solo, mas a um custo maior da vulnerabilidade para a plataforma de lançamento. Entrou em serviço em 1961.

Figura 07 – Míssil AT-3 “Sagger”, com seu lançador e fio de guiagem.

Figura 08 – Míssil AT-3 “Sagger” sobre um BMP-1.

Comprimento: 860 milímetros

Envergadura: 393 milímetros

Diâmetro: 125 mm

Peso no lançamento do: de 10.9 á 12 kg

Velocidade: 115-130 m / s

Alcance: 500 m – 3000 m

Orientação: comando Rádio MCLOS (A e B), comando Rádio SACLOS (C)

Ogiva: 5,4 kg HEAT 500 milímetros com RHA

AT-4 “Spigot”9K111 Fagot

Figura 09 – Míssil AT-4 “Spigot” com seu operador, ambos camuflados.

O 9K111 Fagot (AT-4 “Spigot”) é um ATGM com guiagem SACLOS por fio, em muitos aspectos semelhante ao sistema TOW. O AT-4 ‘Spigot” consiste em três componentes principais: o míssil, o tubo de lançamento, e o suporte. O suporte montado para lançamento á partir do solo tem uma periscópio ligado ao seu lado esquerdo. Os soviéticos originalmente conceberam o AT-4 como uma arma lançada do solo. No entanto, as torres dos BMP-1 e BMD-1 podem montar o lançador de AT-4. O AT-4 “Spigot”tem um alcance mínimo de apenas 70 metros e um alcance máximo de 2000-2500 metros. Existem dois tipos de mísseis, AT-4 “Spigot” A e B, sendo este último um míssil com o motor melhorado, que aumenta o alcance máximo de 2.000 m para 2.500 m, e uma ogiva melhorada, que aumenta a penetração de 400 mm para 460 mm. O AT-4 ‘Spigot” é adequado, simples e pouco dispendioso. Seu estreito campo de visão extremamente os torna mais difícil de sofrerem pela ação de chamarizes, uma vez que a fonte de isca deve ser dentro do campo de visão. O AT-5 “Spandrel”é uma versão maior do mesmo míssil, mudando apenas o seu tamanho e desempenho. Entrou em serviço em 1970.

Figura 10 – Lançador AT-4 “Spigot” com seu míssil reserva a postos.

Comprimento: 1,030 milímetros

Envergadura: 402 mm

Diâmetro: 120 mm

Lançamento do peso: 11,5 kg

Velocidade: 186 m / s

Alcance: 70 m – 2,5 km

Orientação: Comando fio  SACLOS

Ogiva: 6,0 kg HEAT 460 milímetros com RHA

AT-5 “Spandrel” – 9M113 Konkurs


Figura 11 – Lançador AT-5 “Spandrel”. Note a semelhança com o AT-4 ”Spigot”.

O 9K113 Konkurs (AT-5 “Spandrel”), é um sistema guiado por fio (SACLOS). O sistema é montado em vários veículos blindados. A nomenclatura da Rússia para este sistema é 9K113, e para o míssil 9M113. As dimensões e a forma do tubo de lançamento são semelhantes às do AT-4 Spigot, mas o míssil Spandrel é consideravelmente mais pesado. O AT-5 pode lançar ou o Spigot ou o míssil Spandrel. O AT-5 tem um alcance máximo de 4.000 metros e uma área mínima de 100 metros. Outras capacidades são essencialmente as mesmas listadas acima para o AT-4 “Spigot”, exceto para o tempo de vôo. Os mísseis 9M113 básicos são capazes de penetrar cerca de 600 mm de RHAE. Um modelo melhor, o 9M113-M, usa uma ogiva tandem com uma sonda extensível para lidar com a ERA, e pode penetrar 750-800 mm de RHAE. O lançador controla a posição do míssil através de uma lâmpada de infravermelho na parte traseira do míssil e transmite os comandos apropriados para o míssil através de um fio. O sistema tem um alarme que é ativado quando detecta interferência de um sistema como Shtora-1. O operador pode então assumir o controle manual, reduzindo o míssil a um MCLOS.  A precisão do sistema é citada em algumas fontes como 90%, embora seu desempenho é provavelmente comparável ao TOW. Entrou em serviço em 1974.

Comprimento: 1,150 milímetros

Envergadura: 412 mm

Diâmetro: 135 mm

Lançamento do peso: 14,6 kg

Velocidade: 200 m / s

Alcance: 70 m – 4,0 km

Orientação: Comando fio SACLOS

Ogiva: 6,9 kg HEAT 800 milímetros com RHA

Figura 12 – Lançador AT-5 “Spandrel” montado em um MICV BMP-1.

AT-6 “Spiral” – 9K114 Shturm

Figura 13 – Lançador AT-6 “Spiral” montado em um lançador de um MI24 “Hind”.

O 9K114 Shturm (AT-6 Spiral) é um sistema SACLOS, com comando por rádio, montado em plataformas aéreas e terrestres. A designação industrial é 9K114 Shturm (tempestade). Ele foi concebido essencialmente como míssil anti-blindagem lançado por helicóptero, sendo chamado de Shturm-V na versão lançada por helicóptero, e Shturm-S , na versão terrestre. Os helicópteros que são adaptados para operar esse sistema são o Mi-24 E/F e o Ka-29 naval. O AT-6 também é encontrado no blindado anticarro 9P149, que é baseado no MT-LB. Tal como acontece com muitos mísseis russos contemporâneos, o míssil 9M114 é transportado e lançado de um tubo de plástico reforçado com fibra de vidro. Há pelo menos quatro versões do míssil 9M114. O 9M114 básico tem carga convencional em forma de ogiva HEAT, capaz de derrotar 600 mm de blindagem, e um míssil especial anti-bunker e antipessoal termobárico. Estas duas variantes têm um intervalo mínimo de 400 metros e um alcance máximo de 5.000 metros. Dois tipos de ogivas avançadas HEAT em tandem também estão disponíveis, que foram desenvolvidos para derrotar Blindagem Explosiva Reativa. Estes dois mísseis diferem no tamanho do míssil e do alcance máximo: 6 km para o 9M114M1 e 7 km para o 9M114M2. Entrou em serviço em 1976.

Figura 14 – Lançador AT-6 “Spiral” montado em um 9P149 MT-LB.

Comprimento: 1.625 milímetros

Envergadura: 360 mm

Diâmetro: 130 mm

Lançamento do peso: 31,4 kg

Velocidade: 345 m / s

Range: 400 m para 5 / 7 km

Orientação: Radio link comando SACLOS

Warhead: 5,3 kg HEAT 560 milímetros

AT-7 “Saxhorn” – 9K115 Metis M

Figura 15 – Lançador AT-7 “Saxhorn”, de curto alcance.

O 9K115 Metis (AT-7 saxhorn) é um sistema leve, portátil, com sistema de guiagem por fio do tipo SACLOS. Um homem pode transportar e operá-lo, mas sua equipe é normalmente constituída por dois homens. O artilheiro carrega a unidade de tiro 9P151 e um míssil, e o artilheiro assistente tem três mísseis 9M115 adicionais. O míssil AT-7 “Saxhorn”, com uma ogiva HEAT, tem um alcance mínimo de 40 metros e metros de alcance máximo de 1.000. O operador controla o alvo visualmente utilizando uma objetiva monocular. O míssil é guiado automaticamente para o destino no qual o operador mantém a mira de seus olhos. O míssil 9M115 base tem forma de ogiva unitária de carga e um é capaz de penetrar 460 mm de blindagem. O AT-7 pode ser acionado a partir do ombro, bem como a partir do tripé, mas isso requer muito mais habilidade. Ele pode ser disparado de um espaço fechado, como um edifício, embora seja necessário pelo menos 6 metros de espaço livre para trás e um volume interno de 100 m3. Da mesma forma que aconteceu com os AT-4 “Spigot”e AT-5 “Spandrel”, existe um outro desenvolvimento (AT-13 “Saxhorn -2”), baseado no anterior, só que muito mais pesado e capaz, sendo possível intercambiar munições entre os postos de tiro. Entrou em serviço em 1979.

Figura 16 – Lançador AT-7 “Saxhorn”.

Comprimento: 740 milímetros

Envergadura: 300 mm

Diâmetro: 94 mm

Lançamento do peso: 6,4 kg

Velocidade: 223 m / s

Alcance: 40 e 1000 m

Orientação: SACLOS guiado por fio

Ogiva: 2,5 kg HEAT perfura 460 mm

AT-8 “Songster” – 9K112 Kobra

Figura 17 – Lançador AT-8 “Songster”, o qual é disparado pelos T-64B e T-80.

O 9K112 Kobra (AT-8 “Songster”) é um ATGM lançado do tubo do armamento principal de carros de combate de calibre 125 mm. Foi o primeiro sistema de armas desse gênero no mundo. Tem guiagem SACLOS através de link de rádio-freqüência. É conhecido por ser disparado pelos T-64B e T-80. O AT-8 tem um alcance máximo de 4.000 metros. Sua ogiva HEAT tem uma capacidade de penetração em blindagem de 700 a 800 mm de RHA. O míssil é disparado através do tubo do armamento principal, como uma munição normal. O artilheiro do CC acompanha o alvo visualmente utilizando um periscópio monocular, o míssil é guiado automaticamente para o destino no qual ele mantém no retículo de mira. O míssil tem um papel primário anticarro, mas também tem um papel secundário anti-helicóptero. Entrou em serviço em 1980.

Lançamento do peso: 6,4 kg

Velocidade: de 120 á 800 m / s

Alcance: 4,0 km

Orientação: SACLOS guiado por rádio

Ogiva: 4,5 kg HEAT  700 mm através de ERA

AT-9 “Spiral-2” – 9M120 Ataka V

Figura 18 – Lançador AT-9 “Spiral-2” montado em um lançador óctuplo em um MI-28 “Havoc”.

O AT-9 Ataka V é uma versão melhorada do sistema AT-6 V Shturm, projetado para uso no Mi-28 Havoc e helicópteros de ataque naval Kamov KA-29 e os KA-50. Seu sistema de guiagem é um SACLOS com guiamento por radio. Tem quatro tipos de mísseis: 9M120 (HEAT em tandem), 9M120F (termobárica), 9M120M (alcance extendido) e 9A220 (contra helicópteros). Entrou em serviço em 1992.

Figura 19 – Lançador AT-9 “Spiral-2” e seu míssil, em uma exposição de armamentos.

Comprimento: 1830 mm (com sonda incluída)

Envergadura: 360 mm

Diâmetro: 130 mm

Peso no lançamento (incluindo contentores): 49,2 kg – 48,5 kg

Velocidade: 550 m / s

Alcance: 400 m – 6 km / 800 m – 8 km para o modelo 9М120М

Orientação: Radio link comando SACLOS

Ogiva: carga modelada (provavelmente 08 / 05 kg), tandem HEAT 800 milímetros RHA após ERA / 900 mm

AT-10 “Stabber”9M117 Bastion

Figura 20 – ATGM AT-10 “Stabber”. A esquerda, o míssil com as aletas extendidas e a direita, dentro de seu estojo de tiro.

O 9K116 Bastion (AT-10 stabber) é um SACLOS, guiado por laser “beam rider” e iniciado a partir da arma principal de um T-55 AM (versão modernizada do CC T-55), do MICV BMP-3 e do canhão AC MT-12, calibre 100 mm. A munição para este sistema é designado 3UBK10 para o T-55, e 3UBK12 para o BMP-3. Esta munição consiste o míssil 9M117 e um estojo de propelente que se encaixa sobre a extremidade traseira do míssil. Como resultado, o 3UBK10 completo se assemelha a uma munição normal de 100 mm. Para o MT-12, o míssil é chamado de Kastet, e requer que o MT-12 tenha um designador laser especial montado nas proximidades para fornecer as orientações necessárias. O míssil tem uma probabilidade de 80% de sucesso em 4000 metros. A penetração em blindagem é de 550-600 mm de RHA, e o projétil tem um envelope efetivo de 100 a 5000 metros. Entrou em serviço em 1983.

Munição 9M117 Bastion mísseis; penetração da armadura média 600 milímetros em blindagem laminada homogênea com ERA

100 milímetros 3UBK10 (MT-12)

100 milímetros 3UBK10-1 (T-55)

115 milímetros 3UBK10-2 (T-62)

100 milímetros 3UBK10-3 (BMP-3)

Munição 9M117M Kan HEAT em Tandem; penetração da armadura média 650 milímetros RHAE com ERA

100 milímetros 3UBK10M (MT-12)

100 milímetros 3UBK10M-1 (T-55)

115 milímetros 3UBK10M-2 (T-62)

100 milímetros 3UBK10M-3 (BMP-3)

Munição 9M117M1 Arkan HEAT em Tandem com alcance estendido de 100-6,000 m; penetração em blindagem 750 milímetros RHAE com ERA

100 milímetros 3UBK23 (MT-12)

100 milímetros 3UBK23-1 (T-55)

115 milímetros 3UBK23-2 (T-62); penetração da armadura média 850 milímetros RHAE Após ERA

100 milímetros 3UBK23-3 (BMP-3); queima Range, 100 – 5,500 m

Figura 21 – MICV BMP-3. Atualmente o principal usuário do sistema AT-10 “Stabber”.


AT-11 “Sniper”9M119 Svir

Figura 22 – ATGM AT-11 “Sniper”. As partes integrantes da munição consistem no míssil 9M119, no estojo de carga reduzida e no “plug”extensor, para acomodar a munição na câmara do armamento principal do veículo lançador.

O 9K120 Svir / Refleks (AT-11 Sniper) é um sistema guiado por laser do tipo SACLOS, lançado do armamento principal de um CC ou arma AC de calibre 125 mm. É o sucessor do AT-8 “Songster”, de orientação por rádio. O AT-11 pode ser disparado pelos T-72B, T-72S, T-80B, T-80U e T-90, e a arma AC 2A45M. O sistema 9K120 usa feixe de laser “beam rider”. O veículo lançador dirige um feixe de laser de código especial, o que gera um “funil” no qual o míssil desloca-se no centro.  A nomenclatura da munição é 3UBK14 e consiste no míssil 9M119, mais estojo de carga reduzida, e um “plug” para acomodar o misssil na câmara do cano. A munição 3UBK14 se encaixa normalmente no carregador automático, e a carga normal é de seis mísseis. O míssil 9M119 vem em duas variantes: a Svir, que é acionado pela T-72B, T-72S, e 2A45M arma AC, e o Refleks, que é disparado pelos T-80B, T-80U e T-90. O projétil Refleks pesa 4 kg a mais e tem um alcance máximo 5000 metros, enquanto o Svir tem um alcance máximo 4.000 metros. Os 4,2 kg da ogiva encontrada em ambas as variantes podem penetrar 650-700 mm de blindagem com ERA.

Alcance: Refleks: 5000 m, Svir: 4000 m

Peso: (pronto para disparo): Refleks: 28 kg, Svir: 24,3 kg

Ogiva: HEAT em tandem

Penetração: 750-950 mm de RHA

Tempo de vôo de 4000 m: 11,7 s

Tempo de vôo de 5000 m: 17,6 s

AT-12 “Swinger” – 9K118 Sheksna

Figura 23 – CC T-62 M (modernizado). Seu poder de fogo foi aumentado com o desenvolvimento do 9K118 “Sheksna”.

O 9K118 Sheksna (AT-12 ”Swinger”) é um SACLOS  “beam rider”, míssil anticarro lançado da arma principal de um T- 62 modernizado. O sistema 9K118, que é essencialmente um sistema 9K116 modificado para ser acionado através de um tubo de 115 mm do T-62 em vez dos de 100 mm do T-55, usando feixe de laser como orientação. O 9K118 usa o míssil 9M118. A munição para este sistema é designado 3UBK13. Esta munição consiste o míssil 9M118 e um estojo com propelente que se encaixa sobre a extremidade traseira do míssil. O míssil 9M118 tem dois conjuntos de aletas, um conjunto de trás para a estabilidade e um conjunto frontal para a direção. O míssil tem uma probabilidade de 80% de sucesso em 4000 metros. penetração em blindagem é de 550-600 mm de RHA, e que o projétil tem um envelope efetivo de 100 a 5000 metros. Tempo de vôo em 4.000 metros é de 12 segundos. O projétil tem uma resistência máxima de 26-41 segundos, altura em que se autodestrói.

AT-13 “Saxhorn-2” ­– 9K115 Metis M-2

Figura 24 – Equipe de busca e destruição de blindados, equipada com o 9K115 Metis M-2

O sistema 9K115 Metis M-2 (AT-13 “Saxhorn – 2”) foi projetado para derrotar atuais e futuros veículos blindados equipados com blindagem reativa, fortificações, tropas abrigadas ou não, a qualquer hora do dia, ou com condições meteorológicas adversas. Construído sobre a base de ATGM Metis M, o conceito de modernização foi dirigido para maximizar a maximizar a eficiência dos lançadores,  fazendo uso do míssil 9M115 Metis. Dadas as perspectivas de crescimento para a proteção de veículos blindados, os designers aumentaram a dimensão da ogiva, passando de 93 milímetros para 130 milímetros de calibre. Uma melhoria significativa nas características táticas e técnicas foram alcançados através do crescimento em peso e dimensões deste ATGM. Metis M-2 foi desenvolvido no Instrumento Design Bureau (Tula) e encomendado, em 1992, destinado a substituir os complexos AT-4 “Spigot”, AT-5 “Spandrel” e AT- 7 “Saxhorn”. Juntamente com o sistema Kornet, vem causando perdas nas forças blindadas de Israel, operados pelo Hezzbolah, a ponto deste país protestar junto á Rússia para rever sua política de exportação destes armamentos.  Entrou em serviço em 1992.

Comprimento: 980 milímetros

Envergadura: 402 mm

Diâmetro: 130 mm

Lançamento do peso: 13,8 kg

Velocidade: 200 m / s

Alcance: 80 m – 2,5 km

Orientação: SACLOS comando por fio

Ogiva: HEAT em tandem, penetra 860 mm através ERA, termobárica

Figura 25 – Em caso de aparecimento súbito de um alvo, o operador pode disparar com o lançador no ombro encostado em um objeto. Dois outros membros da tripulação transportam contêiners com dois mísseis cada.

AT-14 “Spriggan” – 9M133 Kornet

Figura 26 – ATGM 9M133 Kornet. É um dos sistemas mais modernos e eficazes atualmente em uso.

O 9M133 Kornet (AT-14 “Spriggan”) é um sistema SACLOS guiado por laser “beam rider”.  Foi desenvolvido para substituir a geração anterior (AT-4 e AT-5). O alcance máximo do AT-14 é 5000-5500 metros. O intervalo mínimo é de 100 metros. Existem dois tipos de ogivas disponíveis para a AT-14, um conjunto de alto explosivo anticarro (HEAT) em tandem, e uma ogiva termobárica. A ogiva HEAT é reivindicada ser capaz de penetrar até 1.200 mm de RHA protegido por blindagem reativa. A ogiva termobárica é eficaz contra edifícios, mas também contra tropas e vários tipos de veículos blindados. Por mais que a ogiva termobárica não penetre a blindagem, ele irá criar uma sobrepressão maciça que irá causar prejuízo para as tropas dentro do veículo. O sistema básico tem uma vista diurna, mas uma visão noturna termal foi desenvolvida que permite alvos a serem reconhecidos em um intervalo de até 3500 metros, dependendo das condições. O sistema Kornet teve sua vida operacional nas guerras do Iraque (de acordo com o site GlobalSecurity, o sistema desabilitou oito CC M1 Abrams) e contra Israel, nas mãos do Hezzbolah, destruíndo/desabilitando CC Merkava MK IV. Foi motivo de protestos por parte do governo Israelense para com a Rússia, visando que a mesma controlasse as exportações deste sistema, devido aos danos que impunham ao exército israelense durante a ofensiva do Líbano de 2006. Entrou em serviço em 1994.

Comprimento: 1200 mm

Envergadura: 460 mm

Diâmetro: 152 mm

Peso no lançamento (incluindo contentores): 29 kg

Alcance: 100 m – 5500 m

Orientação: SACLOS “beam rider”

Ogiva: 07 kg HEAT (com 1200 mm de penetração através ERA), 10 kg termobárica

Figura 27 – ATGM 9M133 Kornet. É um dos mais modernos e eficazes sistemas atualmente em uso.

AT-15 “Springer” – 9M123 Khrizantema

Figura 28 – Veículo blindado 9P157-2, versão anticarro do BMP-3, equipado com o 9M123 Khrizantema

O AT-15 “Springer” – 9M123 Khrizantema é o mais recente ATGM russo de longo alcance, sendo o sistema supersônico. Ele foi projetado para lidar com as mais recentes e futuros CC. Foi destinado a substituir o envelhecido Shturm (AT-6 Spiral). Durante seu desenvolvimento, creditou-se que três veículos destes poderiam enfrentar 14 CC inimigos e destruir 60% deles. Dispõe de mísseis 9K123 com alcance mínimo de 400 m e máximo de 6000 m. Com uma velocidade de 400 m/s, pode ser guiado por dois métodos diferentes de SACLOS, por laser (semi-automático) e radar (automático). Esse sistema de dupla orientação garante imunidade á contramedidas. Dispõe de ogivas HEAT em tandem (9M123), com capacidade de perfuração de blindagem de 1200 mm através de ERA e 9M123F (termobárica). Dois mísseis são alocados sobre os trilhos de lançamento. O Khrizantema pode lançar dois mísseis contra dois alvos simultaneamente. Este sistema também pode atingir helicópteros voando baixo. Ele carrega 15 mísseis dentro do casco, e pode envolver até 15 alvos em poucos minutos. É recarregado automaticamente a partir de um carregador, localizado no interior do casco do veículo. Entrou em serviço em 2004.

Comprimento: 2057 milímetros

Envergadura: 310 mm

Diâmetro: 150 mm

Lançamento do peso: 54 kg

Velocidade: 400 m / s

Alcance: 400 e 6000 m

Orientação: SACLOS guiado por rádio ou laser

Ogiva: 8 kg (9M123), 6 kg (9M123F) 

Figura 29 – Míssil 9M123 HEAT em tandem, do lançador AT-15 “Khrizantema”

AT-16 “Scallion” – 9K121 Vikhr

Figura 30 – Míssil 9M121 “Vikhr”, com seis lançadores, sob asa de um Kamov  KA-50.

O 9K121 Vikhr (AT-16 “Scallion”), é o mais novo sistema anticarro desenvolvido pela Rússia. Tem guiagem do tipo SACLOS por laser “beam rider”, sendo lançado a partir das aeronaves KA-50, KA-52 e SU-25T. Foi projetado para atacar alvos blindados durante o dia por helicópteros (alcance 8 km) e aeronaves de asa fixa (alcance 10 km), além de alvos aéreos dentro de certos parâmetros. Os sistemas de detecção associados tem capacidade IR e de TV de baixa luminosidade, e o míssil também dispõe de espoleta de proximidade, a qual tem precisão de até cinco metros, permitindo a utilização contra alvos aéreos de velocidade de até 500m/s. Sua ogiva polivalente HEAT em tandem, dispõe de uma cinta de fragmentação, a ser usada com efeito antipessoal, sendo uma vantagem quando comparada aos três tipos de mísseis de sistema Ataka V. O sistema pode engajar alvos em sucessão, sendo de três a quatro vezes mais letal que os sistemas anteriores.Entrou em serviço em 1990.

Comprimento: 2800 mm

Envergadura: 380 mm

Diâmetro: 130 mm

Peso no lançamento (incluindo contentores): 45 kg

Velocidade: 600 m / s

Alcance: de 08 a 10 km

Orientação: SACLOS á laser “beam rider”

Ogiva: Penetra 1000 mm através de ERA

Figura 31 – Míssil 9M121 “Vikhr”, com seis lançadores, sob asa de um Kamov  KA-50.

Diferenças entre o 9K120 Ataka V e o 9K121 Vikhr

Devido á aparência externa quase idêntica entre os dois sistemas, confunde-se a identificação exata dos mesmos. As diferenças são listadas a seguir:

  • Quem fabrica e promove o Ataka V é a empresa Mil Moscow Helicopter Plant, enquanto o Vikhr é promovido pela Sukhoi e Kamov, ou seja, em serviço nas forças armadas russas, cada empresa emprega um tipo de sistema em suas aeronaves;
  • Número de lançadores em helicópteros: 08 para o 9M120, 06 para o 9K121;
  • Número de lançadores em cada aeronave de asa fixa: 06 para o 9K121 (SU-25T);
  • Sistema de guiagem (9M120 possui guiagem por rádio, e o 9K121 a guiagem é por laser “beam rider”);
  • O sistema 9K120 é utilizado pelo MI-24 / 35, e o 9K121 pelos KA-50, KA-52 e SU-25T.

Essas predefinições podem variar, de acordo com o desenvolvimento de novas versões e de acordo com o desejo do cliente.

Desenvolvimentos futuros:

Sistema de armas guiadas Hermes

Figura 32 – Representação gráfica do míssil Hermes.

O sistema de armas guiadas “Hermes” é um sistema de mísseis multi-plataforma e multi-alvo, projetado para substituir os sistemas análogos em uso atualmente nas forças armadas da Rússia. Detecta seus alvos por radar (ou auxiliado por VANTS), sendo a orientação em médio curso por comando por rádio e orientação terminal por radar semi-ativo. Os mísseis tem longo alcance, provido por um sustentador, o que garante um alcance máximo de até 100 km. O sistema pode envolver tanto a alvos de superfície e  aéreos. O sistema de mísseis baseados em terra consiste de um transportador móvel / lançador com até 24 mísseis; veículo de reabastecimento; veículo de reconhecimento aéreo; posto de comando, veículo de controle  e um veículo de manutenção. Os sensores desde que o sistema de mísseis Hermes incluem um radar de orientação de mísseis durante o dia e sistemas ópticos estabilizados a noite. Existem os sistemas Hermes A (15, 20 km – terrestre e aéreo), e Hermes K (20, 100 km – naval). Ainda está em desenvolvimento.

Características do sistema:

  • Alcance aumentado devido ao emprego de duas fases do sistema de propulsão;
  • Versatilidade de aplicação contra vários tipos de alvos, devido ao emprego de mísseis guiados com ogivas especializadas;
  • Alto poder de destruição da ogiva;
  • Baixo tempo de vôo, devido à velocidade supersônica do míssil;
  • Processo de orientação automática devido ao emprego do princípio “dispare e esqueça”;
  • Design modular, permitindo a alocação do sistema em vários tipos de transportadores.

Figura 33 – Veículos de combate (esquerda) e controle (direita) do sistema Hermes.

Alcance: 15-40-100 km
Velocidade
máxima: 1300 m / s
A velocidade média a uma distância de 40 km:
500 m / s
Peso do propulsor:
90 kg
Peso do míssil:
107 kg
Peso da ogiva:
28 kg
Penetração em ERA:
1000 mm
Diâmetro do míssil:
130 mm
Diâmetro do propulsor:
170 mm (210 mm para a versão com alcance de 100 km)
Envergadura:
240 mm

Projeto de Lelis1274

Glossário:

CC – Carro de combate

MBT (Main Battle Tank) – Tanque principal de combate

RHA (Rolled homogeneous armour) – blindagem homogênea Laminada

Flare – Pirotécnico iluminativo

Bibliografia:

http://www.armscontrol.ru/

http://www.military-today.com/

http://www.janes.com/

http://www.fas.org/

http://www.kbptula.ru/

Anúncios

15 Respostas to “Exclusivo: Evolução dos armamentos anticarro e antipessoal guiados da Federação Russa”

  1. Camarada E.M. Pinto, dá uma olhada por favor e me avise se for necessário alguma modificação, valeu irmão!!

  2. ХОРОШИЙ РАССКАЗ

  3. спасибо дружище

  4. O texto não podia ser melhor,simplesmente excelente,obrigado amigo Lelis!

  5. Realmente a materia esta´mt boa, parabéns, e mostra a criatividade Rússa .

  6. e-Commerce: País deve movimentar R$ 590 mi na internet espera e-bit…

    I found your entry interesting thus I’ve added a Trackback to it on my weblog :)…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: