Articles

Exclusivo: Dossier Rafale, a origem

In Aérea, Aviões de Combate, Defesa, Plano Brasil on 01/08/2010 by E.M.Pinto Marcado: , ,

https://i1.wp.com/rafalesolodisplay.com/nezraf.jpg

Autor E. M. Pinto

Plano Brasil

A Origem

https://i1.wp.com/www.leezpics.com/airshows/images/N001-15.jpg

O caça Francês Dassalt Rafale teve sua origem em meados dos anos 80 quando do lançamento do programa Europeu European Fighter Aircraft, EFA, 1983, o qual contava com a participação da Alemanha, Espanha, França, Itália e Reino Unido.

O programa visava equipar as forças aéreas europeias com um único caça e embora criticado por analistas por ser demasiado ambicioso, as cinco nações levaram adiante.

https://i1.wp.com/www.milairpix.com/wpics/wpeap.jpghttps://i0.wp.com/www.zap16.com/zapnew/wp-content/uploads/2008/11/zf534.jpg

Porém inúmeros percalços e problemas internos entre alguns membros levaram ao surgimento de atritos entre os participantes especialmente a França que por política interna sempre pesou por uma autonomia e independência passou a exigir uma participação maior no programa exigindo a liderança no programa o que não foi aceito pelos demais estados membros.


Trinational Agile Combat Aircraft © BAE Systems



Os Franceses mais tarde alegavam inúmeras outras pendências que tornavam o programa EFA inadequados as suas expectativas, uma delas dizia respeito ao desinteresse dos demais estados em desenvolver uma versão naval do caça europeu, aquela altura Reino Unido e Itália priorizavam o uso de caças stovl e não tinham interesse num caça naval. Outra questão dizia respeito a exigência da França em desenvolver um vetor polivalente, um caça multifuncional o que não era de consenso dos demais sócios do programa.


https://i0.wp.com/www.militaryaviation.eu/images/Dassault/RAFALE_A.jpg

Naquela altura a Dassault apresentou um demonstrador de tecnologia de nova geração designado por Avion de Combate Experimentale, ACX, porém os demais membros centravam seus esforços em uma outra plataforma de maiores pesos e dimensões designada Experimental Aircraft Project EAP, que culminaria anos mais tarde no que hoje é conhecido como Eurofighter Typhoon.


O Programa

https://i0.wp.com/img63.imageshack.us/img63/7735/RAFALEA_01.jpg

A não concordância com as exigências feitas culminou no abandono do projeto por parte da França, que decidiu seguir sozinha no seu projeto, e em 4 de Julho de 1986, cerca de um ano após o seu abandono formal do programa EFA ,o ACX fez seu primeiro voo.


https://i0.wp.com/i146.photobucket.com/albums/r279/sampaix/c01hybridkn3-1.jpg

A partir do primeiro vôo ACX passou a ser designado Rafale-A que curiosamente foi equipado com turbinas norte americanas GE F404-400 modelo base das séries que equipam o F18 Hornet e Super Hornet bem como o JAS 39 Gripen.


https://i1.wp.com/i5.tinypic.com/124ap38.gif


A partir de Fevereiro de 1990 o demonstrador Rafale-A passou a voar com os novos motores Snecma M88-2. O programa de desenvolvimento do Rafale correu sem problemas e durante efetuando mais de 860 voos de avaliação com pouso e decolagem a partir de Porta-aviões, sendo que o A-12 São Paulo, então Foch da Marinha Francesa fora utilizado nos ensaios de pouso e arremetida posteriormente o programa evoluiu para os testes no seu novo Porta-aviões Nuclear o Charles DeGaule.


https://i0.wp.com/www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2009/08/campfoch02gd.jpg


https://i0.wp.com/www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2009/07/rafale-eisenhower-2.jpg

A campanha de ensaios foi então considerada exitosa e Rafale-A, evoluiu para o protótipo de um avião de combate da multifuncional de serie, sendo agora designado Avion de Combat Tactique ou ACT e que visava o desenvolvimento de um vetor comum à Armée de l’Air (Força aérea Francesa) e à  Aeronavale (Marinha Francesa), substituindo assim todos os  vetores empregados por ambas as forças nas mais variadas funções.


Montagem- Plano Brasil- Por E.M.Pinto

O projeto era ousado pois o caça a ser desenvolvido iria substituir sozinho os caças:

  • Dassault Mirage 2000 (Caça e ataque).
  • Dassault Mirrage 2000 N (ataque nuclear).
  • Dassault Mirage F 1 (Caça e ataque e reconhecimento).
  • SEPECAT Jaguar (Ataque).
  • Dassault Mirage IVP (Reconhecimento).
  • Dassault-Breghet Super Etendard ( Ataque Naval).
  • Vought F 8 Crusader ( Caça naval).

Sendo assim, um único vetor multifuncional teria basicamente três versões designadas de M, B e C.

Os protótipos

https://i2.wp.com/cdn-www.airliners.net/aviation-photos/photos/2/9/9/1175992.jpg

O programa seguiu uma série com mais quatro protótipos, designados a partir de então de:

  • Rafale C.01 cujo voo inaugural se deu em 19 de Maio de 1991.
  • Rafale M.01 com voo inaugural em 12 de Dezembro de 1991.
  • Rafale B.01 voo inaugural 30 de Abril de 1993.
  • Rafale M.02, voam 8 de Novembro de 1993.

https://i1.wp.com/upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/f2/Rafalefamily.jpg

Curiosamente os protótipos que se seguiram ao Rafale-A eram menores e mais leves, o primeiro tinha um peso de 9.500kg e os novos protótipos 8.500 kg.

https://i1.wp.com/i43.tinypic.com/23kspjt.jpg
A redução do peso foi conseguida em grande parte pela adoção dos motores M88 e com a redução do comprimento em cerca de 1 m, bem como da envergadura em 1,15 m o que resultou na diminuição da área alar em 2 m2.

https://i1.wp.com/www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2010/02/img001.jpgO Rafale C.01 tinha um peso de 8.500 kg e já naquela altura incorporava avanços tecnológicos que visavam à redução do seu RCS (Radar Cross Section),  além de melhoramentos geométricos (contornos arredondados) na fuselagem o protótipo foi revestido por uma tinta RAM (Radar Absorbent Material).

Estas modificações visando à redução do RCS do vetor o mesmo possui uma baixa assinatura de radar, sendo que no setor frontal é de apenas 0,1m2 e em outros ângulos como o lateral pode chegar a 0,3m2.

Custos do Programa


Não se tem muita informação sobre os custos do programa no período que antecede à 2008 as informações que dispomos dão conta de que a partir desta data o governo Francês teria investido algo da ordem de € 40 bi .

Estima-se que o custo unitário de cada caça oscile entre €  68-72 mi dependendo da versão sendo que a Naval tem um custo mais elevado.

Custo de um caça moderno (clique para ler o PDF)

Cronograma


  • 1985, França formalmente retira-se do programa Eurofighter, comprometendo-se ao projeto Rafale.

  • 1986, 4 de Julho: Primeiro voo do Rafale A; dezembro: inicio do desenvolvimento de motores SNECMA M88.

  • 1988, Abril: primeira ordem assinada (para Rafale protótipo C).

  • 1990, Fevereiro: começam testes de voo do M88.

  • 1991, 19 de Maio: O primeiro vão da Armée de l’Air, protótipo de assento único (Rafale C); 12 de Dezembro: O primeiro voo do protótipo Aeronaval (Rafale M).


  • 1992, Rafale M começa ensaios.

  • 1993, Março: Primeiro contrato para produção de aeronaves assinada. Abril: Início dos ensaios de porta-avião, compatibilidade com Foch. 30 de abril: Primeiro vôo do Armée de l’Air protótipo de assento duplo (Rafale B).

  • 1995, Junho: Primeiro MICA lançado de um Rafale em modo auto guiada. Julho: sistema OSF e capacete montado vista/display instalado e testado. Setembro: Rafale M testado a bordo de porta-avião (série 4). Novembro: Primeiro vou sem parada de longo alcance do Rafale B01 (3.020 km em menos de 6 horas 30 minutos). Outubro: Série final de testes de terra, baseados em porta-avião do Rafale M nos E.U.A.. Dezembro: A primeira produção de montagem da fuselagem do modelo.

  • 1996, Março: M88 motor “flight worthiness” qualificado. Abril: Produção suspenso, reiniciado em janeiro de 1997, após as reduções de custos. Maio: testes de baixo nível com banco de dados digital de terreno. Julho: espectros eletrônicos guerra testes do sistema de integração em câmara anecóica. Novembro: voo Spectra testados. Dezembro: As primeiras entregas da produção de motores standard.

  • 1997 Fevereiro: Rafale B01 vôo testado na configuração pesado (2 Apache ASMs, três tanques de 2.000 litros, dois Magic e dois MICA AAMS). Maio: Primeiro disparo inercial guiado do MICA. Junho: o voo de teste do sistema de contramedidas Spectra. Outubro: Primeiro radar RBE2 produção voou pela primeira vez. Novembro: acendimento inercial guiado de mísseis contra dois alvos, com aeronaves de vincular-mísseis, com contramedidas.

  • 1998, Junho: Qualificação de MICA sistema de controle de incêndio. Proposta de capacidade operacional inicial avaliada pela Marinha e pilotos da Força Aérea voando Rafale B01 e aeronaves desenvolvimento M02. 24 de Novembro: Primeiro voo de produção Rafale (um Rafale B).

  • 1999, Maio: Primeiro lançamento de teste do míssil de cruzeiro SCALP EG.. 6 de Julho: Embarque no Charles de Gaulle. 7 de Julho: Primeiro voo do Rafale M de produção.

  • 2000 20 de Julho: Primeiro Rafale M entregues Flotille 12F.

  • 2002 Rafale M entrou em serviço com 12F (Aeronaval, em avaliação).

  • 2004 a entrada de serviço completo com 12F (Marinha); 9 de Setembro: Primeira Meteor GHTM (General Handling Training Missiles) Ensaios transporte Rafale M da CEV Istres; Junho: Dezembro: Três Rafale Bs entregue ao CEAM, Mont de Marsan.

  • 2005, 11 de Setembro: ensaios Primeira Meteor GHTM transporte Rafale M do porta-avião Charles de Gaulle.

  • 2006, Verão: Formação de CE 1 / 7, com 8-10 aeronaves.

  • 2007 entrada de serviço completo (Força Aérea) esperado com EC7; Primeiro pouso do Rafale M em E.U.A porta-avião USS Enterprise.

  • 2008 Rafale totalmente qualificado para padrão F3.

https://i0.wp.com/www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2009/08/rafale-08a.jpgVariantes

Rafale A : Um demonstrador de tecnologia que voou pela primeira vez em 1986.

Rafale D : A Dassault utilizou esta designação (D para discret ou discreto) no início de 1990 para as versões de produção para a Armée de l’Air, para salientar os  recursos furtivos que tinham adicionado ao projeto.

Rafale B : Versão de Biplace da  Armée de l’Air, entregue à CE 330 em 2004.

Rafale C : Versão monoplace da Armée de l’Air, entregue à CE 330, em Junho de 2004.


Rafale M : Versão Aeronaval, entrou em serviço em 2002. O Rafale M pesa cerca de 500 kg (lb 1.100) a mais do que o Rafale C e ém Muito semelhante ao Rafale C na aparência, o M difere nos seguintes aspectos.


Rafale N : Originalmente chamada de Rafale BM, foi planejada para ser uma versão biplace da  Aeronavale. Cancelado inicialmente devido aos cortes orçamentários.

Sub-versões

Há três sub-versões aplicáveis às versões C e M:

F1  Disponível desde 2004

  • Defesa aérea

F2  Disponível desde 2006

  • Defesa aérea
  • Ataque ao solo com armas convencionais

F3  Finalizado em 2008 e disponível a partir de 2009.

  • Defesa aérea
  • Ataque ao solo com armas convencionais e nucleares
  • Ataque a meios marítimos e reconhecimento

Porém há outras versões a serem desenvolvidas tal como descreve-se a seguir.

Cronogramas de desenvolvimentos

https://i1.wp.com/img714.imageshack.us/img714/9115/m88eco.jpg

Rafale F3 (2008 -2012):

https://pbrasil.files.wordpress.com/2010/08/rafalefab.gif?w=300

O e F3 será o primeiro Rafale realmente omnirole, possuirá novos equipamentos como:

RECO-NG

  • Pode  Dâmocles
  • Mísseis ASMP-A
  • Mísseis AM-39
  • Bombas GBU-24
  • Pod de foguetes guiados por laser.
  • Radar  RBE -2 PESA (futuramente incorporará um radar AESA).
  • FSO ou FSO-IT.
  • Capacidade ROVER.

A partir de Fevereiro de 2010  todos os Rafale em serviço na França serão submetidos ao processo de atualização  para a  configuração F3.

https://pbrasil.files.wordpress.com/2010/08/fab_rafaleb.jpg?w=300

Rafale F3-O4T/F4 (2012 -2017): ( Versão escolhida pelo Brasil no programa FX-2)


O primeiro caça de série com radar AESA e que incorporará novas armas e equipamentos:

  • Pode Damocles XF
  • Novos membros da família AASM.
  • Radar AESA.
  • FSO-IT.
  • DDM-NG.
  • Sistema EWS Spectra
  • HMD.
  • Motores M88 atualizado TCO (M88-4E).

https://i0.wp.com/www.usageorge.com/Wallpapers/Military/wallpaper/Rafale-+-Mirage2000D.jpg

Rafale Emirados Árabes Unidos (2013 ):


Possivelmente o primeiro membro do Rafale com motorização mais potente e novas armas:

  • Míssil Meteor BVRAAM.
  • Os principais equipamentos eletrônicos devem ser os mesmos que Rafale F3-O4T ou mesmo da variante F5.
  • GMTT e modos GMTI.
  • HMD.
  • Novo motor M88 com empuxo ( 20.000lb ).
  • Redução de RCS.
  • Melhoria na capacidade de carga de (SCALP-EG * 3 + 2,000 tanque L * AAM 2 + * 6).

https://i0.wp.com/www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2010/04/Neuron-e-Rafale-imagem-Dassault.JPG
Rafale F5 (2018 -2023):


Primeiro membro do Rafale com techonologia de furtividade ativa e novas armas:

  • Míssil Meteor BVRAAM
  • Novo pode Dâmocles
  • Atualização da antena do radar  RBE-2 AESA e introdução de novas antenas espalhadas pela fuselagem do avião (GaN).
  • OSF-NG (Techonologia da imagem de radar a laser).
  • Atualização do sistema DDM-NG.
  • Atualização do sistema de fusão de dados.
  • Datalink SATCOM.
  • SPECTRA 5T EWS (GaN).
  • Nova geração de HMD.
  • Air-launched cruising jammer / decoy de asa destacável.
  • Melhoria no sistema de furtividade ativa
  • LDIRCM
  • TVC
  • Entre outras

Rafale MLU (2020-2025):


A atualização de meia vida é planejada de forma a garantir mais 20 ou 25 anos de operação aos caças, nela está planejada:

  • Um radar completamente novo além de outros sistemas e sensores.
  • Nova motorização, M88 com acréscimo de potencia.
  • CFTs para o aprimoramento alcance de combate.
  • Melhorias importantes na furtividade guerra eletrônica e  sobrevivência no combate.
  • Sistema de controle  remoto para Aeronaves não tripulada de combate.

Anúncios

133 Respostas to “Exclusivo: Dossier Rafale, a origem”

  1. Um belo avião que sera o osorio frances um fracasso de vendas que pena

  2. Oque seria furtividade ativa?

  3. Custo do Rafale: pro brasil U$157 mi, pra India U$79 mi.
    Hora de voo:U$25.000(U$16.000 subsidiada pelo governo/contribuinte frances)
    Vetores em uso:82

    Custo do Super-Hornet:U$60mi
    Hora de voo:U$10.000
    Vetores em uso:424+130encomendas da USNAVY +40EA-18

    Custo do Gripen ng:U$50mi
    Hora de voo:U$4.000
    Vetores em uso:*

  4. O avião é espetacular e não ganhar a venda para o Brasil não será demérito. Quantos MIG-31 a URSS vendeu ?

  5. Perfeito para o Brasil este avião, teremos poder de dissuasão com ele, com o GripenNG nada de enfrentar ou amedrontar os SU-35, F-16, Mig-29 do continente!!

    Notem que a turbina Snemca é a menor em relação aos outros, mas mesmo assim tem força e potência para carregar cerca de 12-13 Toneladas cada, próprios por isso que o Rafale pesando 10 toneladas vazio pode carregar outras 12 toneladas de armas debaixo da asa com segurança e ainda mantendo a velocidade!!

    O GripenNG carrega 4 Toneladas, e tem raio de ação inferior(850Km) que o Rafale(1482Km)… estes dados são aqueles oficiais das fabricantes, estes são os fatos senhores.

    Bela matéria, bem informativa, mas daqui a pouco vai chegar a turma do Mr.Fake pra bater e falar mau, mesmo que eles não saibam o do que dizem.

    Igual ao Osório não é, pois pelo que eu sei o Osório não vendeu nada! E o Rafale não foi fracasso de venda não, pois já vendeu mais de 200… se alguém pode me dizer quantas unidades do Gripen NG já foram vendidas até agora eu agradeceria!! :twisted:

  6. Sim MRCA, não inclui TOT, Armamentos nem mesmo um pacote de manutenção de 10 anos previsto para manter o caças operacionais com os sistemas originais sem o MLU.
    Fora isto o Rafale concorrente no MRCA é o F 3
    https://pbrasil.wordpress.com/2010/02/07/guerra-nos-ceus-qual-o-real-custo-dos-cacas/
    Sds
    E.M.Pinto

  7. Caro Hate,

    Seria o sistema de Cancelamento Ativo, que existe? ou não no Rafale. Quando do desenvolvimento do mesmo, este sistema deveria fazer parte do Spectra. Nunca ficou muito claro se isso existe ou não. Tem como objetivo emitir uma onda exatamente à metade da onda de radar de detecção. Ou seja anular uma onda de radar inimigo. Hoje em dia questiona-se a capacidade do mesmo visto que Radares AESA em modo LPI ou não são capazes de mudar a frequência em milhares de vezes por segundo, e a potência, exatamente para evitar esse tipo de Jamming. Ou seja esse sistema identifica uma onda e sua potência e envia de volta a metade, anulando-a. Com o advento dos radares AESA, teoricamente esse processo se tornou extremamente complexo. Não sabemos até que ponto isso é efetivo.

    Sobre o motor ECO, que eu saiba ele não aumenta a potência do M-88 e sim reduz o custo de manutenção do mesmo. Se ele tivesse essa potência não haveria necessidade dos EAU por dinheiro para desenvolve-lo.

    No geral, esse seria o plano do Rafale. Moderniza-lo até não poder mais. Eu entenderia que o melhor seria desenvolver uma nova célula, com características mais furtivas, ou aprimorar a mesma, do mesmo modo que a Boeing fez com o F-15 SE.

    []’s

  8. Jakson Almeida :
    Custo do Rafale: pro brasil U$157 mi, pra India U$79 mi.
    Hora de voo:U$25.000(U$16.000 subsidiada pelo governo/contribuinte frances)
    Vetores em uso:82
    Custo do Super-Hornet:U$60mi
    Hora de voo:U$10.000
    Vetores em uso:424+130encomendas da USNAVY +40EA-18
    Custo do Gripen ng:U$50mi
    Hora de voo:U$4.000
    Vetores em uso:*

    Então já saiu no Diário Oficial da União o preço que o Brasil vai pagar nos Rafales… vou entrar la agora pra confirmar!

    Ficou louco né?? 82 unidade que a França comprou, esqueceu de dizer das encomendas, mas no caso do SH não esqueceu né… não meu caro, eles compraram:

    “As of July 2008, 120 Rafales have been ordered (82 for the French Air Force and 38 for French Navy), with 35 delivered to the air force and 23 to the navy.” ,mas as previsões são de se chegar , depois da crise que passa a Europa e a França, aos 292 originais da primeira encomenda oficial do governo francês, e mais as nossas encomendas dão ao Rafale uma boa escala de produção…

    Link das unidades que descrevi acima:

    http://www.airforce-technology.com/projects/rafale/

  9. Hora voo do Gripen:

    US$ 10000 foi o valor ESTIMADOS PELOS NORUEGUESES na sua concorrência, US$ 8000 é o valor supostamente apresentado pela COPAC

    Bem lembrado Pinto!!

  10. Caro E.M.Pinto,vejamos:
    A India vai construir 108 caças,onde se exije a TT.
    A India vai fazer uso de um caça sem armamento,pra que então comprar o caça.
    A India vai fazer uso de um caça sem um pacote de manutenção.

  11. Jakson Almeida pelo que eu saiba a hora voo do rafale está orçada agora em 14mil dólares,prucra se informar amigo e não ficar repetindo inverdades!

  12. Essa “Jaca” não é melhor do que os SU35.
    Podemos ter uma materia SU35 x Rafaleco.

    Quero ver essa Rfale longe daqui somente na França e que o Sarkosy morra abraçado com ele e a Dassault

    Abs.

  13. Jakson Almeida vc tb deve acreditar naquela lenda de hora voo do gripen 5 mil dólares,estranho o gripen cd tem uma hora voo 20% mais barata que o rafale,pra um caça de uma turbina é cara essa hora voo!

  14. Rafale conserteza eo melhor jato dese FX2 ja que tirarao os Russos
    Franca desenvolveu ese jato sem presiza dos palpites Britanicos.O Rafale nos da umas ferias da dependencia dos trecos da pratileira da USAF muitos ate usados..Povo pode falar que a Banana Sueca vale menos mais no final quando ela sai do papel vai ta o dobro de hoje .
    sem Flar no IRON EAGLE
    que deu um show la nos Eurofights e F22
    que Venha os Rafales

  15. E.M.Pinto, é lamentável ver comentários sem um embasamento sólido, pois existem leitores que prefiro não mencionar o nome, pegam uma calculadora, dividem o preço do pacote pela quantidade de vetores e dizem a todos os ventos que este é o preço do vetor, porém se esquecem daquilo que você lembrou acima, existe um pacote de manutenção de 10 anos incluído no contrato, sem mencionar os armamentos incluidos na negociação.
    Para um país continental como o Brasil, nossos aviões de caça tem de ser bimotores e com grande raio de combate, por isso existem apenas 2 concorrentes no FX-2 e vocês sabem quais são.
    Esta não é minha opinião pessoal, que na verdade deveria ser um misto de HI-LOW, ou melhor, deveria ser o PAK-FA, porém a única coisa palpável no momento são os 3 (2) concorrentes que disputam o contrato com a FAB.

    Abraço,Lucasu.

  16. É preciso se ver não somente o preço que tanto se fala mal. Vejam as suas ligas de:
    Tintanio,Kevelar( aço balistico),tudo isso encarece o vetor, fora seus componentes
    de alta qualidade. Podendo se modernizado pelo um longo periódo.E dos tres é que tem maior raio de ação.Agora acho que poderiamos ter um esquadrão de Sukhoy-35,para defesa da Zona Azul.

  17. Para aqueles que insistem que a India não quer TT e manutenção em seu processo de aquisaição leiam o texto a seguir (em inglês).

    MMRCA : IAF Conducts Marathon Race for Jet Fighters
    By Sangeeta Saxena

    The Indian Air Force Medium Multi-Role Combat Aircraft (MMRCA) Competition, commonly known as the MRCA Tender, is an on going competition to supply the Indian Air Force with 126 Multi-Role Combat Aircraft. The Defence Ministry has allocated Rs. 42,000 crore for the purchase of these aircraft (Approx. US$10.5 billion).

    Six of the top global fighter aircraft majors which include MiG, Dassault, Eurofighter, SAAB Gripen, Boeing and Lockheed Martin submitted their bids in April 2008. The aircraft, in contention for the mega order are the Russian MiG-35, Dassault’s Rafale, the Eurofighter Typhoon, the Swedish Gripen JAS-39, Boeing’s F/A-18E/F Hornet and Lockheed Martin’s F-16. Under Indian industrial offset stipulations the winner will have to source, or re-invest, at least 50 per cent of the contract value through Indian industry or in India.

    A request for proposal (RFP) for the 126 combat jets was floated in August 2007 and all those invited responded with their proposals by April 2008. Since then authorities have been studying the copious amount of documents submitted, which in the case of some bidders runs into as many as 10,000 pages. India’s defense procurement process is definitely a game for the patient, and this was no exception. The Medium Multi-Role Combat Aircraft (MMRCA) RFP caps a process that began in 2001, when the IAF sent out its request for information (RFI) for 126 jets. After delays lasting almost 2 years beyond the planned December 2005 issue date, India’s Ministry of Defence finally announced a formal Request for Proposal on Aug 28/07.

    The RFP announcement estimated the program at a cost of Rs. 42,000 crores (about $10.24 billion as of the RFP date, or about $81.3 million per fighter). The 211-page document includes clauses for initial purchase, transfer of technology, licensed production, and life-time maintenance support for the aircraft. Under the terms of purchase, the first 18 aircraft will come in a ‘fly away’ condition, while the remaining 108 will be manufactured under Transfer of Technology. Some reports add an option for an additional 64 aircraft on the same terms, bringing the total to 190 aircraft; DID is attempting to confirm this.

    The vendors had 6 months to submit their proposals. Selection involves an exhaustive evaluation process as detailed in the Defence Procurement Procedures (DPP) 2006. First, submitted proposals will be technically evaluated by a professional team to check for compliance with IAF’s operational requirements and other RFP conditions. Then extensive field trials evaluate aircraft performance. Finally, the short listed vendors’ commercial proposals are examined and compared. The defence ministry’s Contract Negotiation Committee (CNC) would then hold discussions with the vendors before identifying their preferred manufacturer. Their report goes to the defence minister, who must forward it to the finance minister. After the file returns to the defence ministry, it goes for final approval to the cabinet committee on security (CCS).

    This is not a speedy process. The selection process alone is likely to take at least 2 1/2 years, to be followed by lengthy price negotiations, and probably including delays along the way. Most observers believe that delivery of any aircraft is unlikely before 2013.

    The vendor who finally wins will be required to undertake 50% offset obligations in India. That’s a boost from the usual 30%, which is required for Indian defense purchases over $70 million. The additional 20% was added because India is looking for a large boost to its aerospace and defense electronics industries, and understands that the size of their purchase gives them additional leverage. The Indian MoD’s RFP release added that “Foreign vendors would be provided great flexibility in effecting tie up with Indian partners for this purpose.” It also says that:“The aircraft are likely to be in service for over 40 years. Great care has been taken to ensure that only determinable factors, which do not lend themselves to any subjectivity, are included in the commercial selection model. The selection would be transparent and fair….

    It may be recalled that the Defence Minister Shri A K Antony while chairing the Defence Acquisition Council Meeting on June 29, 2007 had outlined three guiding principles for this procurement scheme. First, the operational requirements of IAF should be fully met. Second, the selection process should be competitive, fair and transparent, so that best value for money is realized. Lastly, Indian defence industries should get an opportunity to grow to global scales.”

    The RFP lays down that the first aircraft is supplied within 36 months of the contract being signed and the 18th within 48 months. The 19th aircraft, the first to be assembled in India, will come within 54 months. Thereafter, there will be an incremental increase with the last aircraft to be delivered by 2020.
    http://spsaviation.net/mmrca.asp?id=1

  18. Jakson meu amigo.
    A India quer 126 MRCA
    A india não negocia o pacote específico de armas, todo e qualquer caça que venha adquiri terá sua suite de armamentos negociada ao final do programa isto quer dizer, que se você pegar a tabela que lhe passei vai facilmente compreender que terá custos adicionais para integração de armamento.
    por exemplo, no caso do F 18 Hornet, mais pelo menos 40 milhões por caça supondo o pacote oferecido para Brasil, isto eleva o custo final do programa como é óbvio. não precisa ser matemático ou gênio para perceber ao contrário, não perceber é querer ser cego.
    Depois o TOT da Índia não prevê nacionalização de itens em território nacional o que para todos os 2 concorrentes do FX 2 é fator determinante, a Índia vai por conta nacionalizar o que lhe convier e assume os riscos de custos, coisa que no FX2 ocorreria sobre a supervisão do vencedor da concorrência, fosse ele quem fosse.
    Transferir a produção de estruturas para a empresa local é TOT a questão é saber em qual nível, quem dera eu poder perguntar pessoalmente ao sr. Ministro Jobim e ao Ten Brig. Saito o porque da Rússia ser excluída do FX 2 pela alegação de que não transfere tecnologia, se os EUA sabendo que o senado americano não dará um parafuso do motor do F18 e Gripen sem consulta, eles te daão o caça e o motor ensinam a mexer e daí? isto fazemos no F 5 ganhamos algo?
    como o FX2 está no enrosco que sabemos, estou torcendo para a resolução do MRCA e ai vamos ver se tabelas e números batem, se suposições superam fatos.
    Abraço
    Edilson

  19. Nossa quanta infantilidade,o meu não faz mas o do vizinho faz,o meu não isso tb mas do meu primo faz.
    O que tem por trás dessas criticas loucas,infundadas de alguns é uma raiva do atual governo,se o atual governo opta-se pelo gripen,muitos diriam,que a opção é absurdo pelo caça não estar pronto e que o governo iria super faturas,viriam milhoes de teorias conspiratorias,e todo tipo de absurdo,se fosse até mesmo o F-22,pela metade do preço seria a mesma coisa,pra resumir se o Governo oferecesse a essa turma a Juliana Paes,eles iriam preferir a vovó do Twitter do panico.
    Por mim pouco importa se um governo é de direita ou esquerda,o que importa é se o governo administra bem o país,pouco me importa se o caça é sueco,francês,russo,indiano,tem que ser o melhor,o mais avançado,mais armado,até porque se formos precisar usar o caça,nenhum desses senhores vai pilotar,nenhum desses senhores nem tem a noção do que o caça que eles defendem faz,tanto que agora ficam metendo sukkoi,daqui a pouco F-22,é brincadeira né,espero que essas pessoas sejam adolecentes,pois se tiverem mais de 30 anos tem uma capacidade mental bem reduzida!

  20. Se aparecer amanhã alguém dizendo que os marcianos vão querer entrar no FX-2,e que eles oferecem transferencia de tecnologia,essa turma vai defender a opção marciana,repito nem eles sabem o que o caça que eles dizem gostar faz.

  21. Desculpem o Tom mas tem horas que não dá.
    Peço desculpas a todos!

  22. E Jackson, antes de mais nada. este artigo é um artigo informativo, não recebo um centavo da Dassault, nem fui convidado para voar no Rafale( se fosse iria com o maior prazer- pois é meu sonho)e não estou defendendo camisa de time de futebol, que é o seu caso com Gripen da SAAB.
    Neste Blog não há lobbie e nem defesa de inverdades, se fores capaz contestes os dados publicados na matéria e eu a rebaterei, do contrário sugiro que procure outro blog para apresentar suas estatísticas, pois antes de postar algo leio e procuro as fontes.
    Meu caça favorito é público e todos sabem qual é chama-se temporariamente PAK FA, o resto nada tem haver com a matéria.
    Abraço
    E.M.Pinto

  23. Jackson,Darkman vou fazer uma pergunta a vcs dois,os dois vivem dizendo que o Rafale nunca vendeu nada,que o gripen vendeu,agora me responda a essas duas perguntas ?

    Porque o Gripen NG vendeu mais que o rafale,pois se ele não existe e o governo da suecia só vai entrar se ninguém comprar,não se vende o que não existe?

    É uma tolice comparar o RAFALE em relação a vendas pois o Jas-39 que é uma geração anterior do suposto gripen NG,o certo seria vc comparar o Gripen CD com o Mirage 2000!,se for por isso o gripen é superior até ao F22,pois só os E.U.A tem!

    Faço um desafio a vcs,me mostrem em dados o que o gripen é superior ao rafale,e não aquele mantra velho e batido,se vcs conseguirem isso eu,compro um kit Revel do gripe,e tiro uma foto e coloco como meu avatar!

  24. Ai esta a engesa FRANCESA,nao e so pais do terceiro mundo que fale.

  25. E.M.Pinto :
    E Jackson, antes de mais nada. este artigo é um artigo informativo, não recebo um centavo da Dassault, nem fui convidado para voar no Rafale( se fosse iria com o maior prazer- pois é meu sonho)e não estou defendendo camisa de time de futebol, que é o seu caso com Gripen da SAAB.
    Neste Blog não há lobbie e nem defesa de inverdades, se fores capaz contestes os dados publicados na matéria e eu a rebaterei, do contrário sugiro que procure outro blog para apresentar suas estatísticas, pois antes de postar algo leio e procuro as fontes.
    Meu caça favorito é público e todos sabem qual é chama-se temporariamente PAK FA, o resto nada tem haver com a matéria.
    Abraço
    E.M.Pinto

    Esa razao pq o Plano Brasil tem qualidade nao e como um serto blog ai que o editor foi comisionado pela saab pra postar so asunto sobre a SAAB .quando nao so USAF
    por isso E POR OUTRAS RAZOES que Plano BRASIL EO MELHOR BLOG AI NO BRASIL

  26. Gastos militares para assegurar a soberania nacional não tem preço. É como gasto com a saúde para o cidadão comum. Espero que ele seja o vencedor do FX-2 e o Brasil venha a fabricar e aprimorar esse vetor.

  27. Roberto, para mim a questão é simples, quanto você daria pela garantia de futuro e segurança dos seus filhos?
    pois é, penso da mesma maneira quando o assunto é a defesa, pautar por baixo é se igualar a inferioridade e viver na mediocridade é pior que se subjugar.
    Por esta razão é que acho que independente de quem seja o escolhido, este deve ser o caça que melhor atenda ao país como caça, e não como plataforma política, geração de emprego, ou outro fim que queiram.
    Avião de combate não precisa de outro adjetivo.
    Sds
    E.M.Pinto

  28. Barca :Jackson,Darkman vou fazer uma pergunta a vcs dois,os dois vivem dizendo que o Rafale nunca vendeu nada,que o gripen vendeu,agora me responda a essas duas perguntas ?
    Porque o Gripen NG vendeu mais que o rafale,pois se ele não existe e o governo da suecia só vai entrar se ninguém comprar,não se vende o que não existe?
    É uma tolice comparar o RAFALE em relação a vendas pois o Jas-39 que é uma geração anterior do suposto gripen NG,o certo seria vc comparar o Gripen CD com o Mirage 2000!,se for por isso o gripen é superior até ao F22,pois só os E.U.A tem!
    Faço um desafio a vcs,me mostrem em dados o que o gripen é superior ao rafale,e não aquele mantra velho e batido,se vcs conseguirem isso eu,compro um kit Revel do gripe,e tiro uma foto e coloco como meu avatar!

    Caro Barca,
    Onde vc viu algum comentário meu dizendo que GripenNG foi vendido mas que o Rafale ????
    Veja bem o GripenNG é penas um projeto com um demostrador, ainda não foi vendido a nenhum País está apenas sendo oferecido.
    Outra coisa o Rfale tb não foi vendido a nehum País a não ser a França que adquiriu os Rafales que pelo jeito não serão comprados por iutro País.

    Não comente coisas que vc nunca viu ou não sabe.

    Abs.

  29. KLM :

    E.M.Pinto :E Jackson, antes de mais nada. este artigo é um artigo informativo, não recebo um centavo da Dassault, nem fui convidado para voar no Rafale( se fosse iria com o maior prazer- pois é meu sonho)e não estou defendendo camisa de time de futebol, que é o seu caso com Gripen da SAAB.Neste Blog não há lobbie e nem defesa de inverdades, se fores capaz contestes os dados publicados na matéria e eu a rebaterei, do contrário sugiro que procure outro blog para apresentar suas estatísticas, pois antes de postar algo leio e procuro as fontes.Meu caça favorito é público e todos sabem qual é chama-se temporariamente PAK FA, o resto nada tem haver com a matéria.AbraçoE.M.Pinto

    Esa razao pq o Plano Brasil tem qualidade nao e como um serto blog ai que o editor foi comisionado pela saab pra postar so asunto sobre a SAAB .quando nao so USAFpor isso E POR OUTRAS RAZOES que Plano BRASIL EO MELHOR BLOG AI NO BRASIL

    KLM,
    Não sabia que vc tinha bola de cristal para saber se outro blog está levando comissão para fazer lobby ????
    Fala sério seja inteligente colocar informações sobre determinado vetor não é fazer lobby e outra coisa se vc recebesse o convite para conhecer a Saab vc não iria ????

    Vamos ser racionais !!!

  30. Darkman agora que vc diz isso né,agora!
    Agora vc entende a diferença entre o Demonstrador e o Caça em si!

    Mas,tudo bem.

    Um abraço amigo,quando sair o resultado do Fx-2 vou sentir saudades…rsr

    Considero vc um amigo que fiz nos blogs,apesar de nossas divergencias,mas apenas divergencias sobre os caças!

  31. KLM nesse ponto discordo de vc,o outro Blog é muito bom tb,tanto que um dos moderadores de lá acabou com o mito do gripen,e pode ter certeza no dia vi uma lamentação enorme lá, ai me lembre da música da Maysa:Meu mundo caiu.
    Mas lá é um execelente blog,gosto muito do colunista Guilherme,os dois blogs são bons.

  32. Espero que vc não me considere um vermelhuxo,,,rsrs.

    Um abraço,agora vou jogar HAWX,e pilotar o Rafale.

  33. Todos sabemos que o Rafale é um ótimo avião, mas:

    * As informações sobre custos de aquisição, operação e disponibilidade de entrega são consideradas conflitantes (http://www.cockpit.aero/index.php). A forma como a Dassualt repassa informações é considerada incrivelmente imprecisa.

    * O governo francês discute seriamente interromper a fabricação do Rafale por pelo menos dois anos. Talvez mais!

    * Hoje a fabricação do caça da Dassault é antieconômica, da prejuízo, nove caças ao ano.

    * Não existem recursos para desenvolvimento da versão F-4, cujo desenvolvimento pode ser entregue a outro país (EAU).

    * Único avião europeu de 4.5 geração que não foi exportado.O Eurofighter foi exportado para dois países, no total está presente em seis países. O Gripen, da Saab, está presente em cinco forças aéreas e a Escola Britânica de Pilotos de Testes (ETPS). A Malásia demonstra interesse em comprar a versão E/F resultado do programa NG.

    * A difícil situação financeira da Dassualt. “A compra dos caças é questão capital para Dassault, desde a série de anulações de pedidos, devido a crise econômica, do seu produto principal” (jornalista Antônio Ribeiro).

    * Quem ler os jornais franceses vai ver que mesmo lá o programa Rafale é muito questionado. Alguns observam que daqui a vinte anos a França, se não vender nenhum caça, será o único usuário de um avião desatualizado e com custos operacionais cada vez maiores.

  34. Aqueles que amam uma coisa distinta da verdade

    Aqueles que amam uma coisa distinta da verdade quereriam que isso que amam fosse a verdade. No entanto, como não querem enganar-se, mas ao mesmo tempo também não querem reconhecer que estão enganados, odeiam a verdade por causa daquilo que amam em vez da verdade.
    (Santo Agostinho, Confissões, 10, 23)

    “do contrário sugiro que procure outro blog para apresentar suas estatísticas”ISSO TEM UM NOME,E É CENSURA.

    Pinto lamentavelmente a sua posição como editor fica seriamente comprometida diante de sua resposta a um simples texto que confirma que a India ao contrario das suas afirmações exije transferencia de tecnologia e manutenção.O proprio Mangabeira Unger, um dos responsaveis pela END passou a questionar a opção pelo rafale.
    Eu participo de outros blogs,comunidades e foruns na internet e nunca fui ameaçado de processo ou “convidado a participar de outro blog” simplesmente por ter uma opinião diferente ou questionar uma materia ou comentario.Fique a vontade para me bloquear caso seja seu desejo.

  35. Penso que, se for 5+3 na questão do Irã, da Rafale.
    Mas se for 5+1, será Gripen
    Hornet só esta ai para, os EUA saber que o Brasil disse NÃO

  36. Parabéns E.M.Pinto,pelas respostas, é por este motivo que estou gostando muito do PB.

  37. Bom senhores então fica assim, o Rafale é o melhor, por isso mesmo foi escolhido por varias nações, inclusive o Brasil, mes que vem fará 01 ano do pronuciamento do Lula, em que ele escolhe o Rafale, se ele é essa maravilha toda por que não bateram o martelo ainda?

    Voçê acusou o Jakson Almeida de desinformar, mais quem esta desinformado é vc, pois segundo a Assemblée Nationale o custo da hora de voo do Rafale M, em 2006, era de € 35.000 (R$ 87.500) e espera-se reduzir esse custo para € 12.000 (R$ 30.000)de forma subsidiada pelo governo françês p/ Armée de l’air, mais não para o Brasil

    http://www.assemblee-nationale.fr/13/rapports/r1615-t2.asp

  38. Caro lucasu,fique a vontade de mencionar meu nome como eu estou mencionando o seu.
    Agora eu gostaria de entender como se chega ao valor real do caça,vejamos o exemplo como eu aprendi da pre-escola a faculdade.

    Foi anunciado pela folha de que o governo teria negociado o valor do rafale em US$6,2bi (de aquisição)e mais US$4bi (de manutenção).

    US$6,2bi/por 36 caças= US$172mi (de aquisição)
    US$4bi/por 36 caças=US$111mi (de manutenção)

  39. Barry,

    “Quem ler os jornais franceses vai ver que mesmo lá o programa Rafale é muito questionado. Alguns observam que daqui a vinte anos a França, se não vender nenhum caça, será o único usuário de um avião desatualizado e com custos operacionais cada vez maiores.”
    Imaginem o beco sem saida que o Brasil vai se submeter se Franca e Brasil sao os unicos operando o Rafale. As 36 unidades do Brasil nao manteria a Dassault. Quanto aos possiveis 120 futuros para o Brasil imagina a visualizacao mental para alguen pensar que o Brasil um dia tera 120 cacas rafales. Se 36 ja da novela imagina 120.
    Outro beco e os avioes sendo considerados; USA e F-18 que ja esta velinho, Franca e os Rafales que ninguen quer; Esquece o Gripen.. Que erro grande nao participar do Pak-FA.

  40. Opinião da revista suiça, Cockpit, sobre o Rafale:

    http://www.defesanet.com.br/10_07/100707_10_ckp_decolagem.html

  41. Lucasu :
    E.M.Pinto, é lamentável ver comentários sem um embasamento sólido, pois existem leitores que prefiro não mencionar o nome, pegam uma calculadora, dividem o preço do pacote pela quantidade de vetores e dizem a todos os ventos que este é o preço do vetor, porém se esquecem daquilo que você lembrou acima, existe um pacote de manutenção de 10 anos incluído no contrato, sem mencionar os armamentos incluidos na negociação.
    Para um país continental como o Brasil, nossos aviões de caça tem de ser bimotores e com grande raio de combate, por isso existem apenas 2 concorrentes no FX-2 e vocês sabem quais são.
    Esta não é minha opinião pessoal, que na verdade deveria ser um misto de HI-LOW, ou melhor, deveria ser o PAK-FA, porém a única coisa palpável no momento são os 3 (2) concorrentes que disputam o contrato com a FAB.
    Abraço,Lucasu.

    Documento do senado françês que diz que o preço unitário do rafale varia de 64 a 70 milhões de Euros a unidade:

    http://www.senat.fr/rap/a08-102-5/a08-102-516.html

    Está no 4º paragrafo, leiam

  42. Barca :Darkman agora que vc diz isso né,agora!Agora vc entende a diferença entre o Demonstrador e o Caça em si!
    Mas,tudo bem.
    Um abraço amigo,quando sair o resultado do Fx-2 vou sentir saudades…rsr
    Considero vc um amigo que fiz nos blogs,apesar de nossas divergencias,mas apenas divergencias sobre os caças!

    Veja bem vc pode esta me confundindo com outra pessoa rs..rs…
    Mas vamos lá a diferença entre o Gripen C/D para o NG são al não acredito algumas modificações qu fizeram para ele entrar no requisito da FAB pois o C/D para aumentar sua autonomia de voo.
    Não que o rafale é um vetor ruim nada disso ele tem suas qualidades e tecnologias, mas não dá para o Brasil ter um vetor disses.
    Meu preferido não está na disput final que é o Su35 e posteriormente o PAKFA.
    Seria o ideal para a FAB, tb não acredito nessa TT que tanto fala.
    Saab cumpre os contratos assim como os americanos, temos aqui o F5 os iroquis que falam por si.
    E estão em uso 40 anos, sem faltar peças e tudo mas nossa doutrina é americana e não Francesa.
    Enfim espero que FX2 seja cancelado e que entre disput de novos 5G.

    Abs.

  43. Caro Barca,
    Se o Fx2 sair já está definido e há muito tempo para o Rafale.

    Volto firmar que vc está me confundidindo com outra pessoa.
    O gosto é variado entre os vetores mas todos estão aptos a defender o Brasil.

    Espero sinceramente que não dê o Rafale mas se el ganhar que seja e depois quem vai pagar a conta somos nós mesmos.

  44. o Rafale é extraordinario,Sou mais um projeto brasileiro mesmo sendo inferior, nós temos que andar com as proprias pernas igual a China faz.

  45. É óbvio que o Lula o que está tentando fazer é conseguir emprego na França!
    Tipo para montar um “bolsa família” em Paris.
    O primeiro de janeiro o cara fica desempregado, ja pensou?
    Um fome zero, sei lá! Ministro? pode ser. Na Dassault? isso! ele quer trabalhar no sindicado da Dassault! pra quê? pra fazé greve! óbvio!
    E quem será que está arranjando a posição, e quem pode ser? o ministro de sobrenome francês! é claro! Em janeiro estão lá o cara e o ministro fardado pra começar uma nova vida! Aquilo de secretário da ONU tivesse sido uma bagunça, um quebracabeça sem solução, melhor arranjar um posto na Dassault ou como secretário de Sarkozy, quem sabe até da pra ver à Carla, sem desprezar à senhora ML!

  46. olha “gripeiros”[=cansei], comprem gripe! poupem grana cara! tem que comprar o mais barato! até que a Saab acabou dando um de presente por cada gripe comprado! Olha até tem brinde cara! aproveita! é como comprâ carro, testdrive? o que isso meu chapa?! pra quê perdê tempo! compra pelo folheto e pronto! depôi axente dáum jeito!

  47. Bela matéria E.M.Pinto, tomara que vc faça dos outros dois.

    Mesmo que o novo presidente seja de outro partido que o atual, não acho que o vetor a se comprado seja outro que o Rafale, se bem que temo a volta desse “outro” partido ao poder não só na área militar, mas em tudo (coisa minha…)

    Assim como vcs também penso que o ideal seria participar do projeto de um caça de quinta geração seja russo ou chinês, felizmente temos um bom relacionamento com essas duas nações, e acredito que ao lado do Rafale voará um caça de umas dessas nações mesmo sem transferência de tecnologia. E quanto mais o tempo passa mais eu me convenço que será o modelo chinês não por se superior, pois não deve ser mesmo, mas por outro lado a China fica cada dia mais próxima de nós, vejam, tanto nas áreas civis como militar a participação chinesa cresce… E pra quem questiona o treinamento que a MB esta dando para os futuros pilotos aeronavais chineses deve ficar de boca aberta ao ver um quinta geração chinês sendo pilotado por militares da FAB e da MB.
    Bem se não tenho bola de cristal tento juntar algumas peças para prever o futuro às vezes da certo outras não…

  48. INTERESSANTES SEUS COMENTÁRIOS PINTO, DÁ A ENTENDER QUE TEM UM BOM CONHECIMENTO DO ASSUNTO. GOSTARIA QUE O ESCOLHIDO FOSSE O RAFALE.

  49. Carl 94, esta é a intenção, mas como o Brasil tem 200 milhões de técnicos de futebol, entendedores de caças e torcedores de fabricantes de caças, postar uma matéria informativa tem se tornado cooperação ao lobby, mas não se preocupe, os demais terão sua matéria também.
    Sds
    E.M.Pinto

  50. Sem dúvida Dell, eu também opto por um programa nacional, porém temos que ter pé no chão, para projetar um caça avançado 4.5 5G nos falta muito em capacidade, é preciso abreviar etapas trabalhando em colaboração com alguém e daí partir para um projeto novo, creio, é isso que o Hornet explicou, é isso que o MD quer.
    Sds
    E.M.Pinto

  51. Carlos, quem ler os jornais suecos, não encontrará o NG bem fiat também, quem ler os jornais americanos verá que o F 22 foi cancelado que o F 35 caminha no mesmo destino.
    Nem por isso a USAF desativou o F 22, vai deixar de comprar o F 35 ou muito menos a França trocou o Rafale pelo Gripen ou Hornet.
    No Brasil há quem defenda que os bilhões investidos na defesa dariam mais retorno se fosse para educação.
    e assim vai.
    Sds
    E.M.Pinto

  52. Ta vendo Jackson, mostre-me onde é que eu te ameacei?
    Qual ponto, o que sugiro você frequentar outros blogs? chama isto de censura? por acaso bloquei-te? por acaso excluí seus comentários.
    Não meu caro, não me confunda.
    O que está escrito ai é que se você apresenta números e tabelas advindas de fontes elas tem que ser embasadas, do contrário submeta a outros sites e blogs, é isto que está escrito.
    O que não gosto é desta tática já manjada, a matéria se quer tem haver com FX e você já me apresenta as suas tabelas de custos, eu mostrei a minha e tenho a fonte, goste ou não é alguém envolvido no FX2 que está em Brasília e que lida com este processo desde o seu início, é óbvio que ele não sabe tudo sobre o que se passa no FX-2 mas tenho certeza que sabe mais do que muito economista que posa de entendedor de assuntos de defesa, o que permeia hoje a mídia nacional.
    e portanto se for ao link que lhe passei verá que lá está especificado tudo, se não concordas, faça como eu, guarde-o pois vou perguntar a estes sujeito assim que o programa passar e saber se seus números são verdadeiros.
    Quanto a matéria do MRCA, na do que não sabíamos, veja o meu comentário anterior sobre o MRCA.
    No link que lhe enviei estão dispostos os custos de Cada um envolvido no projeto.
    agora veja, lá não está só descrito o que se compra por unidade como quem vai a feira e compra banana, melão e pinga.
    A Tot não é gratuita para capacitar uma indústria nacional a produzir parafuso para o avião é preciso prepará-la, treinar gente, isto custa dinheiro.
    Ninguém entrega tecnologia só porque você comprou o avião, se fosse assim compravamos 1000 motores TF 404-414 e a GE nos dava tudo assim não tinhamos que nos preocupar com nada., já sabíamos fazer os subsequentes.
    Para haver tot, tem que haver primeiro de tudo vontade de quem cederá, segundo capacidade de absorção ( o que em se tratando de caça, não temos nem 70%-na melhor das hipóteses). e depois continuidade e estudos para desenvolvimentos, do contrário aprende-se fazer fósforo mas o mundo quer isqueiros…
    Para haver Tot Paga-se e paga-se seja pra quem for, o importante é saber quem cede e oque, e dependendo disto os custos são maiores e é por isso que nãos e compara estes preços, pois você pode estar comprando a tecnologia de se fazer o pistão e não o motor, e por isso não adianta comparar com quem está vendendo a tecnologia de se fazer o motor, por outro lado, o Motor BMW será mais caro que o Fiat e a comparação de custos ai continua sendo indevida.
    Sds
    E.M.Pinto

  53. Senhores, críticas ao Plano Brasil, são bem vindas, façam-nas aqui, críticas a outros blogs e sites bem como seu editores não, sugiro que encaminhem suas críticas aos outros blogs aos seus editores.
    A cesar o que é de cesar.
    Sds
    E.M.Pinto

  54. Rogério, o preço que dispus na tabela apresentada no link
    https://pbrasil.wordpress.com/2010/02/07/guerra-nos-ceus-qual-o-real-custo-dos-cacas/
    mostra o custo de aquisição negociado no FX segundo a fonte do diplomacia global.
    US$ 84.6 milhões por caça à um euro 1.35 o que dá algo como 64 milhões de euros nada longe dos 70 milhões e muito menos tendo em conta que foi negociado uma redução dos custos bem como os valores reduzidos pela cadência de produção aumentada e consequentemente diluição dos custos do programa.

    Quanto aos custo do Rafale M, desculpe mas não achei o parágrafo, poderia me enviá-lo separadamente?.
    Porém consultando a minha fonte que está ai apresentada no link, recebi como resposta o seguinte:
    Os dados estão defasados o custo da hora de voo do Rafale naval (Rafale M) é sim superior ao da versão terrestre, mas não tanto assim, cerca de US$ 15 mil para o naval e US$ 12,3 para a terrestre.
    Os dados segundo a fonte são de 2005 altura em que o caça ainda não era considerado operacional e que haviam muitas modificações a serem feitas e portanto forma reduzidos mas não aos 12 mil como pretendiam, ainda sim bem menores que os 35 mil euros como consta.
    Quanto ao fato de não vencer concorrência ele ganhou sim em Singapura, mas o FMS entrou em ação e o F 15 foi colocado como vencedor nas mesmas condições do M 1 Abrams na concorrência saudita que desclassificou o Osório, o mesmo deve ocorrer no Kwait e Iraq, nada haver com a técnica e sim com o acordo geoestratégico que estas nações pretendem, em outras palavras aproximar-se dos EUA.
    Se tiveres alguma informação adicional por favor, disponibilize-a.

    Obrigado
    Sds
    E.M.Pinto
    E.M.Pinto

  55. Então foi mal eu tinha um amigo com esse nome!

  56. Mas Darkman vc viu agora o que te falei que a hora voo do rafale não é tão cara assim,o E.M PINTO MOSTROU ISSO,eu já vinha falando isso para vcs a tempos,mas muitos vinham com essa história de 25 mil dólares,agora quanto a pagar o rafale,eu tb vou pagar e muito,pois recebo uma boa mordida do Leão,mas vou pagar feliz pois estamos investindo na segurança da nossa nação e não pegando um produto de suma importancia por ser apenas o mais barato,e sim o melhor,ou vc acha o gripen melhor que o rafale?
    Outra pergunta que te faço se vc fosse piloto de caça e fosse para um combate hipotetico contra um Sukkoi,ou um TYPPON,vc pegaria o gripen ou o Rafale ?

  57. Eu sei que o Rafale foi o escolhido e depois das eleições ele vai ser comprado o contrato já está pronto,só falta passar o periodo das eleições.

  58. A Dassault pode reduzir o custo da hora de voo do rafale de 25 mil pra 12 mil dolares,ai tudo bem,mas a Saab não pode reduzir a hora do gripen ng pra 4000 dolares.Expliquem essa magica da Dassault,talvez uma fada madrinha do rafale,chamada contribuinte.

  59. Me desculpem… bonito o caça, moderno… mas, o F-18E/F Super Hornet tem mais furtividade, mais história e é mais confiável, tanto que vários países resolveram trocar o Rafale pelo o Super Hornet… por que será???

  60. HR :Me desculpem… bonito o caça, moderno… mas, o F-18E/F Super Hornet tem mais furtividade, mais história e é mais confiável, tanto que vários países resolveram trocar o Rafale pelo o Super Hornet… por que será???

    A escolha do Rafale foi totalmente política… Se o Ministério da Defesa deixasse a FAB escolher livremente entre os 3 caças, com certeza teríam escolhido o Super Hornet, porque é batata!!! O EUA tem uma cultura inacreditável na fabricação de caças.

    Se houve essa controversa entre as Forças Armadas e o Governo, logo as Forças Armadas não apoiam o atual governo…

  61. HR :
    Me desculpem… bonito o caça, moderno… mas, o F-18E/F Super Hornet tem mais furtividade, mais história e é mais confiável, tanto que vários países resolveram trocar o Rafale pelo o Super Hornet… por que será???

    Com certeza,escolheriam o Su 35BM…o melhor entre osmelhores..

  62. Penso que o cenário mais provável para os próximos 30-40 anos (período que imagino que corresponda ao de vida útil no brasil do vencedor do FX2) é o não envolvimento militar do Brasil em nenhum conflito importante. Assim, apesar da defesa e da dissuasão serem absolutamente necessários, não se pode negar que há grandes chances (na verdade é a maior probabilidade) de que nenhum dos caças comprados jamais venha a ser utilizado pelo Brasil em combate. Isso, a meu ver, torna menos importante a tão discutida capacidade de combate do modelo a ser adquirido e coloca em primeiro lugar de importância a análise das respectivas ofertas de transferência de tecnologia. Como mostra a história recente envolvendo o programa AMX, podemos, através da Embraer, ganhar muitíssimo com um acordo como esse, desde que seja bem planejado e respeitado. E por tudo que eu li o que me parece ser o mais atraente neste sentido é o do Rafale.

  63. Interesante o Povo questinando o Preco do Rafale e manutencao comparado com outros .Muita gente sonha em ver os Ultimos top guns nas cores da FAB . mais ai esquecem que tbm terao que paga grandes quantia pra manutencao tbm. A PERGUNTA E ATE QUANDO UM PAIS QUE QUER SE ASENTA NO CONSELHO DE SEGURANCA DA ONU VAI SER O PAIS DAS PIXINXAS? se quiser tecnologia e uso delas nao vai ser barato coisa que USAF SABE MUITO BEM .agora ficao se inludindo com um projeto que nem fez sucesso la na Europa e que ainda ta no papel .
    se nosso pais NAO fosse um REPUBLICA DA BANANA HOJE PODERIAMOS TA NO PROJETO DO T50
    e ainda teriamos que desembolsa din din PQ TECNOLOGIA NAO SE TROCA COM BANANAS HAHAHHAHAHA

  64. Caro E. M. Pinto,

    Não o sabia, mas folgo em saber de sua preferência pelo PAK-FA. Esta é também a minha pregerência, contudo há um longo caminho a percorrer por nossa industria aeronáutica. Veja: já dispomos de boa experiência no que tange a célula, e alguma coisa em avionica e armamento, mas ainda nem engatinhamos em outras áreas igualmente estratégicas, como moto-propulssão; não começamos nem a “tentar” produzir turbinas!!

    Saudações

    Lopes

  65. HR :

    HR :Me desculpem… bonito o caça, moderno… mas, o F-18E/F Super Hornet tem mais furtividade, mais história e é mais confiável, tanto que vários países resolveram trocar o Rafale pelo o Super Hornet… por que será???

    A escolha do Rafale foi totalmente política… Se o Ministério da Defesa deixasse a FAB escolher livremente entre os 3 caças, com certeza teríam escolhido o Super Hornet, porque é batata!!! O EUA tem uma cultura inacreditável na fabricação de caças.
    Se houve essa controversa entre as Forças Armadas e o Governo, logo as Forças Armadas não apoiam o atual governo…

    O Super Hornet é mais furtivo que o Rafalle ? pelo que me consta o SH é de Quarta Geração e o Rafalle e o Gripen são de geração 4.5 …. estarei errado ?

  66. Lendo este Blog dias atras, vi uma matéria que o Brasil já tinha o primeiro protótipo de motor a jato. Como que está esse processo E.M.Pinto, vc tem alguma informação?

    Grato.

  67. ATENÇÃO RAFALETES:
    Foi anunciado ontem no “Sunday Times” que a Royal Navy pode substituir o F-35 pelo Super Hornet,o que significaria um pedido de 138 caças, aumentando assim o numero de SH para mais de 600 unidades,enquanto isso pra quem a jaca ja foi vendida alem das “82” unidades da França.

  68. Parabéns a Boeing, pela marca, se se concretizar será uma vitória para vespa eu uma derrota para o trovão…
    mas Jackson, não seria hora das nações européias em corte de defesa optarem pelos caças mais baratos?
    Tipo o Gripen?

    E mais uma correção já feita anteriormente, e mais uma vez feita aqui O rafale conta agora com perto de 180 encomendas
    120 até 2004 e outras 60 ano passado este ano, mas como você não acredita no Plano Brasil que já noticiou isto envio-lhe o link do blog do nosso amigo Valduga o Cavok, diga-se de passagem um blog muito bom e boa fonte de referências, o qual sugiro a todos.
    http://cavok.com.br/blog/?p=594
    sds
    E.M.Pinto

  69. Amigos…
    A relação custo benefício entre os caças qualifica o caça frances para o Brasil…
    O desenvolvimento do mesmo em território nacional vai fazer a diferença para mais autonomia ainda neste século… Assim espero…

  70. RAFALETES quanta infantilidade!,como disse o E.M Pinto se o Gripen é essa maravilha toda porque a Royal Navy não optou pelo Gripen ou bancou seu desenvolvimento,cabe lembrar ao amigo adjetivador de pessoas que a BAE SYSTEM é sócia do projeto gripen,tendo vendido grande parte de sua participação no projeto,e lembro ao adjetivador que a BAE é inglesa.

    Jakson Almeida troca a fita,contestar,ser do contra não é ser infantil,procura ver o outro lado,e não uma atitude infantil de apelidar os outros,levantar suspeitas,se no fundo dessas suas críticas é de cunho politico vc poderia entrar em Blog que existem só pra isso,agora procura informações dos riscos do gripen,tente ter uma visão imparcial!

  71. Pois é…..
    Se a banana sueca é tão barata…
    Pq os ingleses não topam o Sea Gripen…é tão fácil um projeto naval pra qualquer caça…kkkkkkk

  72. Olha essa Jakson:

    Romenia compra F-16,em vez de Gripen,e nem por isso fico noticiando isso,ou desmerecento o caça,me concentro no que é importante para o meu país:

    Fri, Apr 16, 2010 15:03 CET
    Romania’s Supreme Council announced in March its decision to buy 24 second-hand F-16 jets for $1.3 billion dollars, a purchase which is to be submitted to parliament for approval.
    Sweden has offered Romania 24 new Gripen fighter aircraft at a reduced price to match that demanded by the United States for second-hand F-16s, officials confirmed on Wednesday.
    The offer matches the number of jets offered by the United States, but does not contain ammunition like the US offer.
    Jerry Lindbergh, a Swedish government official in charge of defence exports, gave details of the offer at a news conference in Bucharest. He said Sweden could provide 24 new “fully NATO interoperable Gripen C/D fighters, including training, support, logistics and 100 percent offset for the amount of EUR 1 billion.” The money could be paid over 15 years with low interest rates.

    Sweden’s ambassador to Romania Mats Aberg said it was “Romania’s sovereign right to choose the multirole jets it wanted”, but to provide all information on the Swedish offer, he had sought a meeting with the parliament defence commission chairman.

    Swedish group Saab said in March it was “surprised” by Romania’s choice of second hand F-16 aircraft.

    Bucharest is also considering buying 24 new F-16 jets and later 24 F-35 jets, the defence ministry said, stressing this was part of the Romanian-US “strategic partnership.”

    http://www.defenseworld.net/go/defensenews.jsp?n=Sweden%20offers%2024%20new%20gripen%20fighters%20to%20Romania%20with%20reduced%20price&id=4387

  73. Viu Jakson se fossemos para infantilidade,eu poderia dizer que a Romenia prefiriu :

    “Swedish group Saab said in March it was “surprised” by Romania’s choice of second hand F-16 aircraft.”

    Ou seja preferem um F-16 usado do que um Gripen !

  74. Se vc visse o que os americanos dizem sobre a escolha do Rafale pelo Brasil,vc ficaria surpreso,eles dizem que o rafale é a melhor escolha,melhor até que o F-18SH.

  75. Eu me refiri ao nº de caças operacionais,400 da USNavy + 24 da Australia e aos 82 da frança,se nos basearmos nas encomendas eu ainda me esqueci de mencionar mais 124.Então vamos ver os numeros:

    400 Super hornet pra USNavy.
    40 EA-18 pra USNavy.
    24 Super hornet pra Australia.
    124 encomendas pra USNavy.
    138 possiveis emcomendas pra Royal Navy.
    Entre caças entregues,encomendas e possiveis encomendas chegamos a 702 SH.Não estou incluindo aqui o FX-2 e o MMRCA.

  76. Mas se incluirmos o FX-2 e o MMRCA,teremos cerca de 864 caças, o que significa escala de produção,logistica e manutenção asseguradas pelos proximos 30 ou ate mesmo 40 anos.

  77. Jakson Almeida agora seu caça é o F-18SH,rsrssr,do que adianta isso tudo se a transferencia de tecnologia for menor que a francesa, esses numeros não servem pra nada para o Brasil,o que ganhamos com isso!
    Se concentra no foco do processo,e não no que acontece em outros lugares no mundo,procure argumentos sobre o gripen,o que ele faz e o que ele não faz,é mais produtivo e instrutivo,o que adianta para nos se os E.U.A TEM 1000 F-18SH,se a transferencia for menor,de nada.

  78. Mad Dog acho que me lembro de vc,por acasado vc tb não foi taxado de rafalete e vermelhuxo,vc era daquele tempo do hornet.

  79. Barca se você esta tão interessado no meu caça preferido,vamos la:
    SU-35 pra emprego imediato e o Super Hornet como segunda opção,como você pode perceber eu não sou anti-russo, anti-americano, pro-russia ou pro-americanos, mas sim PRO-BRASIL,Gripen Ng como opção “tecnica” pra aprender fazendo ou você não conhece o valor desse acesso ao projeto do Gripen ng ,o que permitiria eliminar etapas e acelerar o desenvolvimento da industria aerea do Brasil,talvez tenha sido por isso que a FAB o escolheu,mas o que a FAB deve entender de avião, a FAB deve entender de biscoito,refrigerante,arroz ou quaquer outra coisa, menos de avião, não é mesmo.

  80. É isso ae senhores, o Gripen é tão barato, mais tão barato que vou comprar uma dúzia para presentear meus amigos, e olha que maravilha estão desenvolvendo uma versão naval, vou comprar mais alguma unidades, pois com este preço esta realmente imperdível, aliás,mandarei o seu Zé da feirinha aqui do lado comprar alguns também e pendurar na sua barraquinha, pois ele é pequeno, decola e pousa em qualquer lugar.
    Um avião assim deveria ser colocado a venda para todo cidadão civil, pois é baratinho, peça de manutenção então, da pra fazer em casa, olha que maravilha.
    Agora vem o melhor de tudo, colocamos a defesa nacional nas mãos desta maravilha da indústria Suéca, Alemã, Americana, Inglesa, Israelense………..
    Realmente, em termos de defesa nacional o melhor a fazer é comprar o mais baratinho, pois quem irá querer atacar ao Brasil e se atacarem pediremos para cada cidadão voar com seu Super-Gripen, que fica “estacionado” em sua garagem para proteger o país, pois com 192 milhões de gripens voando até a USAF bate em retirada, e caso algum caça for abatido a SAAB manda o kit de montagem de um novo e potentíssimo Gripen NG na porta de sua casa.
    Agora já que chamam o Rafale de JACA, que tal chamarmos o Gripen de Moskit NG, fica lançada a idéia.

    Grande Abraço a todos, Lanterna Verde.

  81. Salva E.M.Pinto,

    Tenta esse link aqui, no final da pagina:

    http://www.senat.fr/rap/r07-352/r07-35210.html

    []s

  82. “o que adianta para nos se os E.U.A TEM 1000 F-18SH,se a transferencia for menor,de nada.”

    A pergunta certa é o que adiantaria ao Brasil, pois 1000 caças significam 2000 turbinas e a garantia de reposição de peças ao longo da vida operacional das mesmas, argumento valido tanto p/ o Gripen quanto para o SH, pois usam as mesmas turbinas.

    Imagine só daqui a 20 anos, o Rafale no auge de suas 200 unidades produzidas e suas 400 turbinas, qual será o custo da manutenção para o Brasil? Com o Mirage III já foi uma encrenca, e ele nem tinha problema de escala.

    Isso só pra ficar no item turbina, mais serve para qualquer item, o segredo da longevidade do F-5 foi a disponibilidade de peças no mercado internacional.

    []s

  83. Sim Barca…rafalete mas não sou vermelhuxo…

    E assim como o Hornet e outros…..fomos banidos e bloqueados por um certo blog lobbista…rsss
    Cuidado lá hein…só gripeiros que provocam pra que se dê um motivo pra ser excluso…rss

  84. ainda bem que Pinto gosta disso.
    Eu adoro esse site por isso tem alguem formado em engenharia militar ou seja do ITA,CTA?
    oque vi me parece coisa de amador agora eu penso assim o rafale é muito caro eu prefiro o gripen não que que tenho alguma coisa contra o rafale eu prefiro que compre qual quer um do que ficar enrolado na escolha, o F18 muitos pessoas fala que é uma peça de museu eu concordo até certo ponto mais é uma arma testada em guerra o rafale ja foi testado ? eu acho que sim mais não tão quanto o F18 eu esperava mais vai tipo um AMX até agora não vi o relatorio original disse oque cada um vai vender por que eles não vão passar tecnoliga de graça aqui ta parece aqueles piranho que fica o dia todo vendo Wikipédia pra saber quem sabe mais entre os 3 eu fico com nem um prefiria que fosse um avião nacional.

  85. agora e verdade seja dita Pinto ta fazendo lobby aqui sim Pinto ja mandei o denheiro,ele ta recebedo dinheiro por de baixo dos panos a materia ficou legal as duas proxima materia vai ser do Gripin ver se acaba com ele na materia abraço se cuida cuidado por povo não saber disso.:]

  86. Olha o que o “Tribunal de Contas frances” acha dos custos de operação e manutenção do rafale.
    Indicado pelo Rogerio.
    Traduzido no google.

    O ceticismo do Tribunal de Contas para a redução próxima de custos unitários de manutenção de aeronaves novas, fornecidos pelo governo

    “Para a Marinha ea Força Aérea, como o caça Rafale, destinado a se tornar o lutador multi-função é comum a ambos os exércitos, e os custos de suporte actualmente é de € 35.000 tempo de vôo é esperado pelo departamento de ver a diminuição de custos de apoio para atingir o nível de 10.000 € por hora de vôo para o “Rafale Air” e € 7.000 para o “Rafale da Marinha” em 2012 . Embora seja lógico que tal dispositivo, que atualmente sofre de manutenção dupla desvantagem de sua juventude eo baixo número de cópias em uso, significa que a diminuição do custo com o aumento no número de cópias em uso e conclusão de seu desenvolvimento. Além disso, este dispositivo foi projetado para permitir a manutenção a baixo custo (avarias de controle automatizado, por exemplo).

    “Mas a experiência mostra que as mudanças no custo de suporte de uma aeronave é diretamente proporcional a mudanças na prática o custo do suporte de seu motor. Agora, o Rafale é equipado com motores diferentes daquelas aeronaves que, eventualmente, substituir. Além disso, a aeronave é incomparavelmente mais complexo em termos de aviónica e sistemas de armas que todos os seus antecessores, o que dá maior confiabilidade, mas também gera custos de manutenção mais elevados. Parece ilusório esperar que o custo de suporte tal aeronave pode, por 2012, ser idêntico ao actual custo de manutenção operacional do Super padrão modernizado.

    “Essa dúvida também é apoiada pelo fato de que o mecanismo de formação pós-maturidade inicialmente prevista de 50 000 horas de vôo foi aumentado para 100 mil horas de voo. O custo de pós-qualificação está agora em € 180 milhões, cerca de € 50 milhões serão pagos com fundos de manutenção operacional (o restante sendo financiado com recursos do programa). Além disso, o período de execução do programa, mais e mais gera efeitos da obsolescência.

    “Assim, já há mudança de alguns elementos do Rafale entrando em serviço. No futuro, esses componentes se tornarão obsoletas cada vez mais importante, ainda não quantificado, até à data.

    “O mesmo tipo de desconhecido afetará a manutenção operacional do A400M futuro, que será equipado com quatro motores de mais de 10.000 HP cada, até agora exclusivo desafio técnico, cujo impacto sobre a concepção das operações Os requisitos de manutenção são susceptíveis de ser significativos. ”

    Fonte: Tribunal de Contas, “A manutenção operacional dos equipamentos dos exércitos”, disse o relatório ao Presidente da República, Dezembro de 2004
    http://www.senat.fr/rap/r07-352/r07-35210.html

  87. Rogério volto afirmar,de nada,pois peça se compra no mercado,prova disso é o F-5,agora te faço uma pergunta o que vc prefere aprender a caminhar com as proprias pernas,ou ficar preso a numeros,cara vou te dar um exemplo bem didatico,vc conhece provavelmente o famoso caça mitsubishi zero não é?,sabe como os japoneses chegaram a produzir na época um dos melhores caças do mundo,eles compravam peças ou melhor Kit automotivos de paises europeus e americanos,eles estudavam a forma de se adaptar isso a um motor de avião,no caso da marinha,eles adquiriram muitos navios ingleses e fizeram algo como o Brasil está fazendo no FX-2,em menor escala mas fizeram,a formação da marinha japonesa foi feita por oficiais ingleses,que na época era a melhor marinha do mundo,foi oferecido aos japoneses navios alemaes,mas eles optaram pelos ingleses,fizeram engenharia reversa,aprenderam tecnicas de usinagem,fabricação de navios,tudo,e já existiam os navios,o que aconteceu amigo,se vc não sabe a marinha imperial japonesa foi a primeira marinha a derrotar uma marinha de um povo tido como colonizador ou seja de europeus e seus ramos,melhor dizendo uma nação não branca e europeia a derrotar uma nação europeia,e os caras sairam do nada,olha aqui no blog o Link do Yamato,eles começaram aprendendo com os melhores os mais caros,e a nação que podia dar a eles tudo que fosse necessario,agora do que adianta os E.U.A ter 1000 caças se a transferencia vai ser menor,o objetivo é capacitar nosso país,sabe porque não gosto do projeto do gripen,até hoje não vi ninguém dar uma opinião tecnica,do que o caça é capz do que ele faz,é sempre a mesma coisa comparações descabidas,sem pé e nem cabeça,calunias,sobre os que conduzem o FX-2,xenofobia,mistura de radicalismo politico com questões nacionais,por isso que optei pelo rafale,se vc acha que é mentira pode perguntar ao MAD DOG,AO WOLFPACK,a tantos outros,eu nunca vi um cara que defende esse caça aprensentar algo descente,só besteira!
    O debate ficou tão cansativo que muitos cansaram,se vc procurar mais pra trás vc vai ver o quanto a turma da jaca enriquecia o debate,e o quanto os senhores da razão falsa,rebatiam as acusações,só com sandices.
    Então rogerio se vc me apresentar dados convincentes eu na hora mudo de lado,caso vc me prove por A mais B,que o caça y é melhor que X,agora vir com o que os E.U.A tem,o que a inglaterra comprou,não me interessa,quero saber qual o melhor pacote,segundo o General Helito que é responsável por essa area,disse que a proposta francesa é a melhor,ou vc ou outros são mais capacitados que ele,ou vc acha que o Jobim no senado iria mentir,tendo o risco de ser processado,vc sabia que isso é crime,chama-se Crime de responsabilidade.

  88. EI BARCA TU PEGOU PESADO..KKKKK

  89. Eu vou te dar um exemplo Rogerio,na relação de empresas que serão beneficiadas pelo programa Rafale-BR,não sei se vc sabe mas está a Polaris,vc sabe o que essa empresa polaris faz ?.

    Pra vc ver:

    Deve ficar pronto até o final deste ano o protótipo de uma turbina voltada para a aviação que está sendo desenvolvida pelo ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica) em parceria com a empresa de engenharia Polaris. Segundo os responsáveis pelo projeto, esta vai ser a primeira turbina aeronáutica produzida no país com tecnologia 100% nacional.

    A turbina, chamada de TR 3.500, tem 1,30 metro de comprimento por 54 cm de diâmetro. Movida a querosene, terá capacidade para fazer voar um avião de 1,2 tonelada, o que equivale a uma aeronave para dois passageiros. Equipada com este motor, o avião vai poder atingir velocidade de até 900 km por hora, com um alcance de mil quilômetros.

    Para desenvolver o primeiro protótipo, estão sendo investidos cerca de R$ 3 milhões, sendo aproximadamente R$ 1,8 milhão de recursos públicos da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia. O projeto começou há um ano e meio e a previsão é que a turbina entre na fase de testes no início de 2009.

    O professor do ITA Homero Santiago Maciel, coordenador do projeto, disse que o país “ainda está muito longe” de competir com grandes empresas como a Rolls Royce, uma das principais fornecedoras de turbinas para grandes aviões de passageiros. Ele apontou, porém, que a tecnologia empregada no TR 3.500 é dominada hoje por apenas oito países.

    “A nossa intenção inicialmente é fornecer turbinas para aeronaves não-tripuladas, usadas para fins civis e militares específicos”, disse Maciel. Segundo ele, seu grupo já está em negociação com a Aeronáutica. Os motores equipariam aviões não-tripulados usados como alvo aéreo para testes de mísseis.

    Aeronaves que fazem vigilância de grandes áreas e inspeção de linhas de transmissão de energia também podem ser equipados com a turbina, disse Maciel. Fora da área aeronáutica, o motor pode ainda gerar energia elétrica à base de gás natural, em substituição aos geradores a diesel.

    Agora te pergunto o que vale mais 1000 caças F-18SH dos E.U.A,ou uma nação que já tem larga experiencia na fabricação de turbina auxiliar o desenvolvimento de uma Turbina nacional,a Saab colocou na proposta dela isso,relacionou as empresas,não só fica na promessa amigo,e promessa não vale na hora de se cobrar um contrato,cansa repetir isso,mas é bom para que os outros vejam,e se dentre 100 pessoas 10 tiverem o discernimento e a racionalidade de ler sem fanatismo,e se informarem,eu fico contente de ter dado uma contribuição,agora ficar repetindo inverdades,outro dia no outro Blog,perdi o controle….rsrsrs,um cara escreveu um texto enormeeeeeeeee,quereno dar de especialista em licitação,começou a dizer abobrinhas,até ai tudo bem,mas quando ele começou a misturar as coisas e colocou ato discricionario+ ato vinculado no mesmo balaio,bastava o cara ler na lei 8666,NA PARTE DA DISPENSA DE LICITAÇÃO,está lá pra quem quiser ver,no caso de compra de material militar é dispensada a licitação,e caberá ao presidente ouvido o conselho nacional de defesa decidir,pronto está escrito,agora o cara querer citar artigos da lei 8666,e não ver isso é o fim,essa é a turma fanatica!

  90. INDÚSTRIAS BRASILEIRAS PARTICIPANTES DO
    PROGRAMA DE COOPERAÇÃO RAFALE

    – AÇOTÉCNICA
    – AERNNOVA
    – AEROELETRÔNICA
    – ALLTEC
    – AMBRA SOLUTIONS
    – ASTRA
    – ATECH
    – AUTOMATA
    – CAL-COMPOENDE
    – CECOMPI
    – CONDOR S/A
    – CTA
    – EMBRAER
    – FIRST WAVE
    – FOCAL
    – FRIULI
    – GIOVANNI
    – GLOBO
    – GME AEROSPACE
    – GOODRICH DO BRASIL
    – GRANA
    – INBRA INDÚSTRIA QUÍMICA
    – ITA(veja)
    – LANMAR
    – LATECOERE DO BRASIL
    – MECTRON
    – MULTIALLOY
    – OMNISYS
    – POLARIS(veja)
    – SERCO
    – SOBRAER
    – STATUS USINAGEM
    – THYSSENKRUPP
    – TOYO MATIC
    – VEM
    – VILLARES METAL
    – WINNSTAL
    – E INTERNACIONAL DO BRASIL

  91. Proposta Americana Rogerio:

    O jato Super Hornet oferecido ao Brasil é o mais avançado caça multitarefa disponível hoje no mundo. O Super Hornet é uma aeronave do Século 21. O primeiro Super Hornet entrou em operação em 2001, e o Bloco 2 do Super Hornet – que está sendo oferecido para o Brasil – entrou em operação em 2005. A nossa proposta para o F-X2 inclui as tecnologias mais avançadas e que dão ao Super Hornet a vantagem em condições de combate, e superlativo apoio e manutenção em tempos de paz. Essas tecnologias incluem:

    – O mais avançado radar do mundo: o Raytheon APG-79, de varredura ativa eletronicamente escaneada;
    – Sistemas integrados de guerra eletrônica e contramedidas eletrônicas de defesa;
    – Célula de versatilidade comprovada em diversos ambientes ao redor do mundo;
    – Avançada arquitetura de computação;
    – Rede de conectividade digital;
    – Confiabilidade e capacidade de sobrevivência típicas de aeronave birreator;
    – Tecnologias eletro-óticas e infravermelhas de detecção de longo alcance;
    – Avançados materiais para estrutura da célula;
    – Integração multi-origem de sensores e cabine do piloto;
    – Avançada suíte de sistemas de mísseis; e
    – Reduzida assinatura de radar.

  92. Continuação

    – Apoio e manutenção dos Super Hornet;
    – Montagem final das aeronaves no Brasil;
    – Conjuntos estruturais para os Super Hornet brasileiros e de outros clientes desta aeronave;
    – Operações de ensaios em vôo no Brasil com aeronaves instrumentadas;
    – Integração de armas;
    – Treinamento de missão distribuída;
    – Manuais técnicos eletrônicos integrados;
    – Produção, montagem, inspeção, ensaios e ferramental de componentes do motor;
    – Desenvolvimento de software, incluindo desenvolvimento de instalações;
    – Geração do arquivo de dados de ameaças.

  93. Continuação:

    – Pesquisa em aerodinâmica supersônica através do primeiro túnel de vento tri-sônico no Brasil, que apoiará projetos tais como desenvolvimento de futuras aeronaves militares e jatos executivos supersônicos;
    – Centro de modelagem e simulação com a capacidade para modelar futuros projetos comerciais e militares, e seus benefícios – Isso auxiliará na geração de requisitos para um caça de 5ª geração, ou sistemas comerciais ou militares de grande escala como monitoramento dos campos de petróleo do pré-sal ou segurança das fronteiras da Amazônia;
    – Treinamento de minimização da assinatura radar e tecnologias stealth (furtividade);
    – Tecnologias de usinagem;
    – Tecnologia de materiais avançados e sua fabricação;
    – Análise e reparo de danos em materiais compostos;
    – Fabricação de material eletrônico;
    – Sistemas micro eletro-mecânicos;
    – Veículos aéreos não-tripulados;
    – Tecnologias de segurança interna para avaliar infra-estruturas críticas no Brasil;
    – Gerenciamento de estoque através de sistemas automatizados de rastreamento e resposta;
    – Desenvolvimento e treinamento de currículo aeroespacial; e
    – Apoio e co-desenvolvimento do KC-390 no que tange áreas críticas de projeto.

  94. Agora me mostra a do Gripen,que seja real,e não notícias que ele será isso,ou aquilo,que fara isso!

  95. Caso vc ache que estou delirando olha o link aqui!

    http://www.defesanet.com.br/01_lz/fx2/01_cf_bo.htm

  96. Por favor vamos tornar o debate rico e não a mesma tolice de antes pois cansa!

  97. O que mais me adimira no Rafale é seu cockpit bem mais avançado do que o do Gripen.
    Usam sidesticks, assim como F-16s, que permitem menos fadiga do que manches centrais em manobras mais excessivas ao piloto.

    Advantages of side-stick (manche lateral)…

    # A main advantage of relocating the control stick to the side is that it no longer obscures, even if only partially, the lower instruments and controls directly in front of the pilot.

    # If the aircraft is expected to encounter high g-forces and rapid manoeuvring flight, locating the stick on top of a console will enable the pilot to brace their hand and forearm against a hard surface and thus reduce arm flailing.

    # The smaller size of the side stick compared with the conventional centre stick allows for greater precision of hand movement and less fatigue. It is easier to move under high-g.

    # Removal of the centre stick may also allow faster access by both hands to the ejection seat grab handle which is now universally located under the seat between the pilots legs.

    # With the advent of ever bulkier and more sophisticated aircrew clothing, a further minor consideration is that the side-stick will afford easier airflow around the right arm, also aiding free movement and reducing fatigue.

    # A main advantage of side-stick has frequently been seen as the additional room it affords for tilting the seat further back to combat the effects of g- stress. With no room to tilt the seat back, g-protection must be provided by advances in aircrew clothing, as has happened with Eurofighter Typhoon.

  98. Fantástica a matéria e pelo número de comentários, foi bem recebido na comunidade. Parabéns. O Rafale dos 3x no FX2 é o único que pode nos dar uma perspectiva de um dia projetar, desenvolver, uma aeronave de combate a reação de primeira linha. A vantagem do Rafale é sabermos o que estamos comprando e não entrar em aquisições de idéias quando a FAB precisa de uma aeronave de combate moderna para ontem. Se a turma do avião de papel desejar que entre a FAB os Gripen C/D, afinal, assim estaremos comprando algo palpável, real, tangível, nada de sonhos e idéias.

  99. Gripen E/F, Rafale F3, F-18 E/F… Qualquer que venha, que venha… Precisamos substituir os Mikes e os A-1… E pensar em, no mínimo, no MÍNIMO, as 120 unidades previstas…

    Se chegarem as 88 prometidas pelo MD até 2022, espero que até 2030 já tenham chegado pelo menos as 120 unidades da FAB e as 24 unidades para o 1º novo NAe da Marinha.

  100. O legal e vê os comentários do Hornet, Bosco, E.M.Pinto entre tantos outros é que esses caras usam argumentos, números, dados (verdadeiros) ao comentar… Por outro lado tem uma turma que simplesmente bate o pé diz que sua opinião é a correta e pronto.

  101. Jakson, não lestes os comentários de que os custos baixaram para 12 300 no Rafale terrestre e 15 000 para M.
    Pois bem, números por números vamos lá:
    Tenho aqui 3 versões, uma em alemão, outra pessimamente traduzida por mim do alemão e uma em francês que é mais chique…
    Ambas feitas no FX suisso (pk não tem credibilidade a Folha talvez tenha mais) que demonstram que os custos de alguns caças da concorrência diminuiriam ao longo dos anos e que outros pelo contrário aumentariam.
    No FX suíço nenhum dos 3 candidatos do nosso FX foi escolhido e creio que mais imparcial que isso impossível.
    https://pbrasil.wordpress.com/2010/01/07/guerra-nos-ceus-informacoes-do-grupo-pro-cacas-o-custo-operacional-dos-cacas/
    http://www.pro-kampfflugzeuge.ch/f/kosten-f.php
    Sds
    E.M.Pinto

  102. Nem me importa mais os preços das arruelas,parafusos do Rafale.È uma excelente aeronave multi-emprego ate mesmo abastece outra em voo.O mais importante é a aliança com a França no sentido militar pois na otica estão a parte dos eixos EUA,Russia ou China e dos 3 finalistas seja aquele que nos trara melhores beneficios.Mas não esperes que se entrarmos em conflito que eles venham juntar-se a nós mas lhes garanto que se eles vierem entrar esperam que iremos com eles.

  103. Caro E.M.Pinto,o texto em questão e de um orgão (tribunal de contas)da França,eles proprios(os franceses mesmo) é que estão questionando os custos do rafale,agora você pode ir la e questionar o orgão do governo da França,porque o texto indicado pelo Rogerio tinha o link da “FONTE”.

  104. O site Pakistan Defense divulgou uma informação(talvez seja so especulação,mas quem pode saber)de que os seguintes caças foram eliminados:
    Gripen NG(isso mesmo),o F-16 e o Rafale.Ja sobe o Eurofighter se levantou duvidas sobre o consorcio.Permanecendo o Super Hornet e o MIG-35 na disputa.
    Eu aposto no Super Hornet.

  105. Jackson, eu sei que é do tribunal de contas e não contesto isto, o que se passa é que estes valores ai estipulados são do ano fiscal de 2005 momento em que o programa estava em desenvolvimento, os custos foram reduzidos tal como expliquei para o Rogério anteriormente.
    O Governo Francês pretendia baixar os custos até 12 mil e não conseguiu até agora, o custo de hora de voo do Rafale M está em 15 mil.
    Espera-se que a nova turbina ECO descrita no artigo reduza também o consumo de combustível e que tenha um rendimento maior e portanto também cairá o custo final, quanto ? não sei eles dizem em15-20 %
    outro ponto é que há uma redução substancial na manutenção exigindo agora períodos mais longos entre uma manutenção e outra, e é ai que reside grande parte do custo das horas de voo de um avião, o motor por via de regra responde por uma parte significante do custo dos caças.
    Há um outro fator que tem que ser considerado que é o armamento, só para dar um exemplo:
    os mísseis mica são caros demais e operá-los tal como a França opera (carregado e não para exibição) demanda um custo maior na operacionalidade dos caças, Armas mais recentes (meteor) inclusive as novas versões do Mica não requerem substituições tão frequentes.
    Os mísseis tem um relativa vida curta e isto demanda gasto na utilização do caça a contento, por esta razão também, quando se equaciona as horas de voo de um caça na Bolívia não se pode aplicar a mesma equação para compará-la com os da Suiça por exemplo, a menos que leves em consideração estes fatores.
    Ao que sei a COPAC fez isto e os valores obtidos estão dispostos no link relatado pelo Diplomacia global e que refutam as argumentações da Folha de São Paulo.
    O Rafale é caro, sim ninguém diz o contrário, mas caro comparável ao eurofighter (custos idênticos entre 12-15 mil hora de voo-porém com custo de aquisição inferior), caro comparável ao F 15 K (idem) mas não caro comparável ao F22 e F35 como se vê, tentam supor.
    Não estou te criticando pois tens ai a fonte e não está errada, apenas desatualizada.
    Abraço
    E.M.Pinto

  106. É provável, mas não dou certeza.
    Os Indianos tentam uma aproximação com os EUA e usam isso para forçar os Russos a cederem no PAK FA.
    O para mim o eurofighter é rufião nesta corrida, um excelente caça e até superior aos dois outros prováveis finalistas, mas os europeus teriam que dar muito para a Índia.
    Eu aposto na disputa acirrada entre Mig 35 e F18.
    sds
    E.M.Pinto

  107. Sobre essa furtividade ativa, seria algo sobre um possível Silent Rafale no futuro?

  108. Mad Dog :
    Sim Barca…rafalete mas não sou vermelhuxo…
    E assim como o Hornet e outros…..fomos banidos e bloqueados por um certo blog lobbista…rsss
    Cuidado lá hein…só gripeiros que provocam pra que se dê um motivo pra ser excluso…rss

    Qualquer desculpa é boa atualmente, nesta altura do campeonato… lembrando que ultimamente(semana passada) vi uma briga la dentro, com ataques pessoais diretos do senhor FAKE a colegas foristas, e ele continua “operante” nada de expulsão ou suspensão pra ele… enquanto outros vão “expulsos”, dois pesos e duas medidas… quem sabe depois do FX2 a liberdade de opinião volte, mas duvido muito, pois uma vez que se perdeu a mentalidade democrática esta raramente volta.

    No fim o meu sentimento nos confrontos da trilogia é de frustração profunda, pois antigamente tinha-se pelo menos um pouco de analise, tinha-se o Hornet, o Welington, e outros grandes pensadores, hoje tem-se somente torcedores, que agridem imediatamente quem pensa ao contrário da mentalidade coletiva implantada no blog, tentando descredibiliza-los com adjetivos pejorativos tal como: Vermelhuxo, mão peluda, mal intencionado, traidor, chavista, terrorista e outros.E é nisso que está se transformando a trilogia, em um ponto de doutrinamento e não mais de pensamento… fiquei muito triste e sentido com esta mudança, mas eu sempre tentei abrir os olhos dos outros colegas de que seguindo esta lógica perversa e calculada de um certo elemento, o Blog perderia a sua posição no cenário de discussão militar, e assim é, basta entrar em outros fóruns “fechados” por ai pra se perceber que os participantes cada vez menos utilizam as reportagens e matérias da trilogia com fonte de informação, por não mais considera-la “imparcial”.

    Então, ficamos aqui no Plano Brasil, no Defesa Brasil e no Fórum da Alide, coisa que muitos de la não têm nível para participar, pois são somente TORCEDORES ou papagaios, e não analistas críticos de equipamentos, estratégias ou geopolíticas, vivem de clichês políticos, com frases feitas e ainda por cima se dizem entendidos, que vergonha para a nossa cultura de debate!!

    Espero que aqui no Plano Brasil continue sempre a liberdade de expressão que atualmente existe, e vemos que os resultados aparecem quando se trabalha assim, certamente deve-se ter um comportamento civil e dentro do respeito mútuo aceitável por parte dos foristas.

    Desabafei, Valeu !!!

  109. Renato :
    Sobre essa furtividade ativa, seria algo sobre um possível Silent Rafale no futuro?

    Já existe um protótipo coberto com material RAM, o Welington fala um pouco dele, mas certamente existem alguns componentes eletrônicos também instalados, que poucos conhecem.

    Link pro Blog do Welington:

    http://defesasaereas.blogspot.com/2010/01/dassault-rafale-poderosa-rajada-de.html

  110. Senhor E.M.Pinto.
    Deixe me apresentar, Sou Bernard Krugman, consultor de TI de uma multinacional que atua no vale do Paraíba região de São Paulo.
    Li seus comentários acerca do programa FX bem como a repercussão que o programa ganhou na mídia e blogsfera.
    Dou-lhe os parabéns pelo site e pela iniciativa, é importante que tenhamos uma fonte confiável para obtenção de informações e esclarecimentos.
    Não poderia deixar de comentar o impacto do programa MRCA na escolha dos caças do programa FX2, que aparentemente não estão conectados.
    Porém a informação da desclassificação tanto do Dassault Rafale quanto do SAAB Gripen NGI, ambos concorrentes no programa podem trazer inúmeras consequências a escolha final do programa FX2 e devem ser analisadas friamente por nossas autoridades.
    Se esta informação estiver correta, o que duvido, todos sairiam perdendo, porém a SAAB seria a mais negativamente afetada.
    A razão é simples, o Gripen NG depende fundamentalmente de lograr exito na campanha pelo MRCA Indiano se quiser alçar voos maiores e seguir seu programa de desenvolvimento.
    A SAAB apostas as suas fixas em dois potenciais mercados, a Índia e Brasil, e a continuidade do programa Gripen NG está entrelaçada a estes dois países.
    A Força Aérea Sueca embora apoie o programa é vista pelos analistas não é vista como um cliente expressivo, uma vez que se compromete com o desenvolvimento do caça mas que certamente pode encerrar sua encomenda quando alcançado uma ou duas centenas de aviões na melhor das hipótese.
    Portanto é fundamental que se logre exportações.
    Vale ressaltar que um dos trunfos na proposta Sueca apresentada a Força Aérea Brasileira,a SAAB traz a possibilidade de desenvolvimento de um caça naval baseado no Gripen NG, o que atenderia também a demanda futura da Marinha do Brasil, porém este programa depende fundamentalmente mais da vitória na Índia que no Brasil.
    O Gripen NG naval não seria viável nem para a SAAB nem para o Brasil caso a Índia exercesse a escolha de outro vetor que não o Gripen NGI.
    Os demais candidatos estariam assim numa condição bem mais favorável e especificamente quanto ao Dassault Rafale e ao Boeing F 18 EF Super Hornet, estes sairiam melhor colocados no programa FX ainda que não fossem os escolhidos pelos Indianos e a razão é simples.
    Ambos já possuem suas versões navais, o que atende aos requisitos da Marinha, ambos estão desenvolvidos, e no caso da Dassalt o Rafale F 3 encontra-se operacional desde 12 de Dezembro de 2010.
    O Super Hornet conta com uma vasta encomenda podendo inclusive entrar no mercado europeu através da Royal Navy. Apesar de poucas encomendas feitas pela própria Armee-del-air, a Dassault conta com um programa que segue seu cronograma de desenvolvimentos e não depende de êxitos em concorrências estrangeiras, dado que há o comprometimento interno do governo francês em dar continuidade ao programa.
    Por sua vez para a SAAB é fundamental que Gripen NG consiga este importante mercado que é MRCA, pois os custos do programa NG chegariam a valores insuportáveis caso apenas a Força Aérea Sueca o adquirisse.
    Não quero aqui parecer tomar partido sobre nenhum dos concorrentes, apenas gostaria de salientar estes pontos que julgo serem importantes e que passam desapercebidos pelos participantes em geral.
    Obrigado pela oportunidade e pelo espaço.
    Desejo-lhes sucesso
    saudações a todos

  111. JAKSOM VC É FERA, TU TENS UM CONHECIMENTO MUITO BOM SOBRE O ASSUNTO,CLARO Q TEM A OPOSIÇAO,TODOS TEM O DIREITO DE ARGUMENTAR AS SUAS IDEIAS,ENTAO ACHO Q TODOS TEM UM POUCO DE RAZAO NO ASSUNTO.ESPERO Q TUDO DÊ CERTO PARA O NOSSO PAÍS.ABRAÇO ATODOS.

  112. Mais uma Excelente matéria!!

    Quanto ao ganhador do FX2 que venha logo!!! Quero deixar claro que “NÃO TORÇO” para este o aquele finalista do FX2, minha opção é outra?!?!?!?!?!?!

    Algumas considerações / perguntas:

    1 – O Gripen NG (demo) consegue mesmo o Supercruise? Se sim, seria uma vantagem grande em relação aos outros 2?

    2 – Caso o Brasil venha um dia adquirir ou participar do PAK FA ou algum SU 30 BR, como fica a questão dos armamentos e localizadores (GPS)? Pergunto pois, o GPS é uma rede Americana, nossos atuais armamentos e meios (F5M, A1, Navios, tropas, etc) o utilizam.

    3 – IRST, dos 3 só o Rafale tem?

    4 – Hipotéticamente, se entrassemos no Programa Russo, quando receberíamos o caça “definitivo”. Pergunto pois, os primeiros 60 serão entregues ainda sem a Turbina definitiva, correto?

    5 – Sobre o NOVO Super Hornet (com tanques conformais, etc), seria interessante?

    6 – E por que, já que demoramos tanto a resolver, não analizemos o F 15 Silent Eagle????

    Observerm que não coloquei nada sobre TT, pois acho ainda muito nebulosa esta questão, então alguns dos caças que cito aqui viriam bem à calhar aos planos Nacionais, não acham???

  113. Corrigindo:

    SU 35 BR e não 30 como postado anteriormente.

    Obrigado.

  114. observador :

    HR :

    HR :Me desculpem… bonito o caça, moderno… mas, o F-18E/F Super Hornet tem mais furtividade, mais história e é mais confiável, tanto que vários países resolveram trocar o Rafale pelo o Super Hornet… por que será???

    A escolha do Rafale foi totalmente política… Se o Ministério da Defesa deixasse a FAB escolher livremente entre os 3 caças, com certeza teríam escolhido o Super Hornet, porque é batata!!! O EUA tem uma cultura inacreditável na fabricação de caças.Se houve essa controversa entre as Forças Armadas e o Governo, logo as Forças Armadas não apoiam o atual governo…

    O Super Hornet é mais furtivo que o Rafalle ? pelo que me consta o SH é de Quarta Geração e o Rafalle e o Gripen são de geração 4.5 …. estarei errado ?

    O Super Hornet passou por algumas modificações durante a sua existência e passará por mais uma!!! Hoje em dia ele é mais confiável para um eventual ataque e tem mais alcance. Os Australianos estão muito felizes com os Super Hornets e estarão muito mais felizes com os F-35s.

  115. Salve E.M.Pinto.

    A questão é que essa diminuição para 12 300 no Rafale terrestre e 15 000 para M. foi subsidiada pela Dassault, por pressão do governo Françês, mas por prazo limitado a 10 anos apenas, eles se comprometem a manter esses valores p/ FAB por 10 anos e só.

    Mais esse assunto já cansou, não pretendo mais escrever sobre isso, fica aqui a minha torcida contra a Jaca cara da França, os Franceses não são confiaveis, enquanto os americanos dizem o q fazem e o que não fazem no ato, sem frescura, os franceses prometem td e não cumprem nada, vide Helibras que é apenas uma forma de garantir reserva de mercado para os produtos franceses, tb não me surpreenderia nem um pouco se fossemos traidos na questão do subnuc.

    []s

  116. Segundo a Ravista Suiça Cockpit 7 coisas que ela odeia no Rafale hehehehe:

    http://www.defesanet.com.br/10_07/100707_10_ckp_decolagem.html

    Não é só no Brasil que tem torcida contra o Rafale.

    []s

  117. Rogério,just ask yourself what can be behind Max Ungricht real interests here?:Cockpit chief editor+…german swiss consultant with his own firm W.D Aviation Consulting
    I do not accuse anything or anybody
    I just put out the facts: arms sales are lobbying
    Saab is engaged here and there in a desperate fight for death or life for the possible future production of a Gripen”NG” how many produced until now of this NG model?how many bought by the swedish army?how many naval Gripen NG already fly? even exist?!

  118. Nada sobre minhas questões??????

  119. […] With a good prop’ Fact Sheet  from Plano Brazil […]

  120. Acredito no Rafale como melhor opção para o Brasil porque além de sua enorme capacidade, falo da versão que o Brasil está de olho, F3, seria um vetor que a marinha poderia usar se a END for realmente levada adiante de forma seria. Acredito tambem no potencial da Embraer de assimilar e desenvolver ainda mais esse fantastico vetor, ainda que goste muito do SH e de seu alto grau de desenvolvimento.
    Excelente matéria E.M.Pinto. Abraços a todos.

  121. Esse pessoal que deprecia o Rafale é sempre com a mesma ladainha de custos, como o pensamento pequeno ainda esta forte no Brasil!
    O Brasil ja tem um enorme economia, entre as maiores do mundo, quem quer ser grande tem que pensar grande! Quando se estabelece metas é melhor fazer estas as mais ambiciosas possíveis, talvez não alcance elas mas quanto mais perto chegar de uma meta ambiciosa é melhor do que completar uma meta medíocre.
    Se os EUA, a França e a Rússia pensassem com essa pequeneza igual a muitos brasileiros, os seus caças ponta de lança nunca seriam construídos, estaria todo mundo voando, f-5, Mirage e Mig ate hoje como suas principais armas.

  122. Amigos! Não falem sem conhecimento!
    O Gripen é incerto e inferior ao Rafale. além do mais o Brasil não teria vantagem nenhuma na relação politico-comercial-militar com a Suécia.
    O caça Russo é ótimo, porém, apresenta muitos problemas e requer muita manutenção. Alem do mais a Russia não se comprometeria com a transferencia de tecnologia e o suporte tecnico logistico para a aeronave, a exemplo dos submarinos, os quais nossos amigos russos queriam produzir em seu pais, vender para nós, treinar nossas equipes (rs) e só.
    Quantos aos americanos, nem se fala. Para nos vender alguns lixos usados (lembram: M-41, M-108, Blak) exigem varias coisas. Um exemplo: existem áreas nos equipamentos que somente técnicos americanos podem mexer. Entenderam? Alem disso: não repassariam a tecnologia exigida pelo Brasil, utilizariam limites na utilização do armamento, dujos misseis principais ficariam estocados dentro do territorio americano.
    Com o caça frances a tecnologia será repassada para o Brasil que, a exemplo do AMX, terá o direito de num futuro proximo produzir mais unidades no pais e até vender o caça a outro pais. Por isso um preço diferenciado, porque não estamos comprando a aeronave simplesmente, mas sim, o direito de produzi-la, bem como projetar outra aeronave tomando por base a tecnologia do Rafale.
    Carvalho – Militar no Rio Grande do Sul.

  123. Algo a favor da Jaca gaulesa, parece que o RAfale passou para outra fase do MMRCA indiano:

    http://www.aereo.jor.br/2010/08/07/veiculo-de-comunicacao-indiano-coloca-rafale-e-typhoon-como-favoritos-ao-mmrca/#comments

    []s

  124. Darkman :

    KLM :

    E.M.Pinto :E Jackson, antes de mais nada. este artigo é um artigo informativo, não recebo um centavo da Dassault, nem fui convidado para voar no Rafale( se fosse iria com o maior prazer- pois é meu sonho)e não estou defendendo camisa de time de futebol, que é o seu caso com Gripen da SAAB.Neste Blog não há lobbie e nem defesa de inverdades, se fores capaz contestes os dados publicados na matéria e eu a rebaterei, do contrário sugiro que procure outro blog para apresentar suas estatísticas, pois antes de postar algo leio e procuro as fontes.Meu caça favorito é público e todos sabem qual é chama-se temporariamente PAK FA, o resto nada tem haver com a matéria.AbraçoE.M.Pinto

    Esa razao pq o Plano Brasil tem qualidade nao e como um serto blog ai que o editor foi comisionado pela saab pra postar so asunto sobre a SAAB .quando nao so USAFpor isso E POR OUTRAS RAZOES que Plano BRASIL EO MELHOR BLOG AI NO BRASIL

    KLM,Não sabia que vc tinha bola de cristal para saber se outro blog está levando comissão para fazer lobby ????Fala sério seja inteligente colocar informações sobre determinado vetor não é fazer lobby e outra coisa se vc recebesse o convite para conhecer a Saab vc não iria ????
    Vamos ser racionais !!!

    Darkman… eta escuridão… não passa do maluco do KIRK…queimou tanto o filme com materia paga pra SAAB que agora mudou de nome…

  125. Taiso, bem lembrado, o SH seria passado com limites ao armamento, agora uma pergunta que não sai da minha cabeça, e se o Brasil comprasse o Rafale eo o Gripen com suas respectivas transferencias de tecnologia, não seriamelhor do que apenas um?, isso na questão tecnológica.

  126. Pergunto se seria uma boa ideia comprar 64 Rafales e mais 64 F-16 usados e dar modernização de meia vida neles?

  127. Julio, não faria sentido, pois o custo logístico seria demasiado alto, operar dois vetores significa duplicar a cadeia logística.
    por exemplo
    um mecânico especializado na manutenção de um motor, não vai operar no outro a menos que se pague os novos cursos, ainda sim será caro e deficitário manter homens/hora para esta manutenção.
    Sistemas, armas e manutenção seriam mais caros, é possível, mas não é o mais indicado nem o inteligente.
    o Ideal é o Brasil escolher o caça que quer e dele adquirir os 120.
    sds
    E.M.Pinto

  128. Caro EM, além dos 120, deveriam comprar logo os da MB. Seriam o que, mais 48 unidades?

  129. Fábio o FX2 prevê 120 caças para a FAB.
    O PEAMB fala em 48 caças para a Marinha.
    sds
    E.M.Pinto

  130. E o prazo final de entrega?

    PS: tem alguma maneira mais fácil de acompanhar meus comentários / respostas recebidas. Obrigado.

  131. Marco Antonio Lins :É preciso se ver não somente o preço que tanto se fala mal. Vejam as suas ligas de:Tintanio,Kevelar( aço balistico),tudo isso encarece o vetor, fora seus componentesde alta qualidade. Podendo se modernizado pelo um longo periódo.E dos tres é que tem maior raio de ação.Agora acho que poderiamos ter um esquadrão de Sukhoy-35,para defesa da Zona Azul.

    KEVLAR,não é aço balístico,é sim uma espécie de fibra tipo tecido,com resistência e flexibilidade superior ao aço balistico,o rafale realmente é um bom caça,mas já se encontra defazado diante de projetos atuais,o próprio euro fighter,já esta na ativa a vários anos,e é extremamente caro,na real o Brasil vai pagar caro pelo pacote de sistemas,que é o que enteressa,assim que fechar o contrato do fx,em 5 ou 6 anos terá um protótipo multi função,stealth,com capacidade de voo misto(tripulado ou não)e controle de empuxo vetorado 3D com uma turbina hipersônica desenvolvida primeiramente pelo IPT e assumida pela aeronáutica(não força aerea)em agosto de 1994,conhecida como axaustor em colméia,já existe protótipos em escala reduzida fazendo ensaios em tunel de vento,inclusive se construiu um tunel de vento,maior e mais moderno unico no MUNDO,para testar tal aeronave,norte americanos testam uma turbina semelhante desde 2003,a brasileira já existe,acredita-se na espionagem por parte de americanos,só precisamos de sistema de voo e sistemas de armas,após possuir tal conhecimento,pode-se desenvolver um exclusivo para nosso projeto,que se pretende por no céu até 2020…

  132. a força aérea,a aeronautica e o exercito,possuem uma tecnologia já ativa mas em fase de testes desde 2005 em que uma aeronave não tripulada,se orienta pelo território brasileiro,se guiando apenas pela topografia do terreno,fazendo a leitura simultanea de 5 pontos no solo,tal aeronave,após receber os dados da missão,levanta voo,atinge qualquer destino e retorna a base sem nescessitar de satelites,cameras ou operadores em terra,tudo autonomo,já que se localiza atraves do solo,que funciona como uma impressão digital,provavelmente após,adquirir o conhecimento tecnologico do fx,esse projeto decole de vez…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: