Articles

FX 2 novamente nas paradas

In Aviões de Combate, Defesa, Negócios e serviços on 03/08/2010 by E.M.Pinto Marcado: , ,

Jobim prepara anúncio do Rafale

Viviane Vaz

https://i1.wp.com/www.flightglobal.com/assets/getAsset.aspxDesde 15 de julho um dia depois da festa nacional da Queda da Bastilha , os franceses comemoram antecipadamente a compra de 36 caças Rafale para a Força Aérea Brasileira (FAB), supostamente ratificada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O Ministério da Defesa informou à reportagem que a exposição de motivos técnicos e políticos pelo ministro Nelson Jobim deve sair nos próximos dias. O relatório, segundo adiantado no fim de junho pelo Correio e pelo site Inforel (especializado em notícias internacionais), resume em 40 páginas as mais de 20 mil geradas em documentos dos comandos da FAB e da Marinha sobre a compra dos caças.

Com o Rafale, a francesa Dassault lideraria a preferência sobre o F/A-18 Super Hornet, da americana Boeing, e o Gripen NG, da sueca Saab, depois de uma alteração com base na nova Estratégia Nacional de Defesa (END), que mudou os pesos da avaliação e deu mais valor à transferência de tecnologia, reduzindo a importância dos custos de aquisição e manutenção da aeronave.

Também há rumores de que Lula já estaria estudando o relatório desde maio e junho.

Espero tranquila e serenamente, o anúncio ou a declaração do presidente Lula prevista para o mês de julho, declarou o ministro francês da Defesa, Hervé Morin, ao canal de TV LCI, em meados do mês passado. O Brasil é um sócio estratégico maior e decidiu refazer seu exército com a indústria francesa, anunciou ainda o ministro.

Luis Alexandre Fuccille, pesquisador da Facamp, pesquisador do Núcleo de Estudos Estratégicos da Unicamp, considera que a confirmação do Rafale seria uma boa decisão. Esse projeto vem sendo postergado há muito tempo, desde o governo do presidente Fernando Henrique, que acabou deixando para Lula, e estamos no fim do governo Lula sem nenhuma decisão tomada sobre um projeto que é para ontem importantíssimo para a defesa da nossa independência e soberania nacional e, sobretudo, para esse maior protagonismo que o Brasil busca na cena internacional, analisa Luis Alexandre.

Meu único senão seria talvez com relação à conveniência de uma decisão tão importante faltando menos de seis meses para o fim do mandato, aponta o pesquisador, pois a conta e as implicações ficarão para o governo seguinte. Teria sido desejável que tivesse sido antes.

Enquanto os franceses comemoram a decisão do governo brasileiro pelo Rafale e sua parceria estratégica, os suecos comemoram este mês um ano de trabalho com a indústria brasileira. “Estamos há um ano projetando com empresas brasileiras a fuselagem, intermediária, traseira, parte das asas e portas do trem de pouso para o Grippen Mundial”, diz Begt Janer, da assessoria assessoria da SAAB.

Fonte: Correio Braziliense

https://i2.wp.com/www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2010/02/alexpereira_fx132.jpg

Bateu asas e voou

E os novos caças da FAB, hein? Estão voando por aí, ninguém sabe, ninguém viu.

Eliane Cantanhêde

Lula anunciou a escolha do Rafale francês em 7 de Setembro de 2009, antes do relatório oficial da Aeronáutica sobre preços, logística, qualidades técnicas, transferência de tecnologia e coisas assim. Dado o vexame, voltou atrás.

Quando o relatório ficou pronto, foi aprovado pelo Alto Comando da FAB no dia 18 de dezembro e enviado por ofício a Nelson Jobim em 5 de janeiro. Criou-se o impasse: o Rafale ficou em último lugar, atrás do Gripen NG sueco (em primeiro) e do F-18 americano (em segundo). E Jobim passou a fazer um relatório paralelo, resumindo as mais de 2.000 páginas em meia centena, para mostrar, por “a” mais “b”, que o Rafale era melhor.

Em todo esse tempo, há inúmeras declarações do ministro e de outras autoridades brasileiras anunciando a escolha oficial do vencedor para daí a algumas semanas, ou dias. Até agora, nada.

Jobim perdeu um momento espetacular para divulgar o resultado: a combinação de Copa do Mundo com recesso parlamentar, quando só se criticava o Dunga e a vuvuzela. Quem iria gritar contra se fosse o Rafale, o Gripen, ou o F-18? Agora, no meio da eleição, fica tudo muito mais complicado. Qualquer anúncio que Lula faça, ganhe quem ganhar, irá fatalmente dar munição para a oposição.

É provável que o presidente tenha considerado os riscos de optar pelo francês entre a Copa e a eleição e/ou tenha se aborrecido com o aliado Nicolas Sarkozy, que lhe puxou o tapete na negociação do acordo nuclear com o Irã.

O fato é que o projeto FX-2 (dos caças) bateu asas e voou. Possivelmente, até passar a eleição.

Fonte: Folha de São Paulo via Notimp

Anúncios

49 Respostas to “FX 2 novamente nas paradas”

  1. O mais perto que o rafale vai chegar do brail é na Guiana francesa.

  2. Somente depois das eleições… talvez!!

    Essa novela já cansou!

  3. Boa Jackson, mas eu diria que em Natal e Fortaleza neste Outubro poderemos ver inéditamente alinhados F 18 e Rafale, na altura da Cruzex.
    tenho um enviado especial lá uma vez que estarei ausente infelizmente…
    Sds
    E.M.Pinto

  4. Se for confirmada a exclusão do rafale na India,como se justificara a escolha de um vetor que nunca ganhou uma unica venda,alem da França,principalmente em ano eleitoral.Independente de quem seja o proximo presidente ele deve, com certeza, ter uma melhor relação com as forças armadas que foi desgastada durante o ministerio de Jobim,ai fica a questão, a FAB deve ter a autonomia de escolha.

  5. E.M.Pinto:

    Tão Falando que os EUA vão trazer os f16 e não os SH e os Franceses vão trazer os M-2000. Vc tem certeza que realmente serão os SH e os Rafales?

    Terá uma Base aqui em Recife tb? ou serão todas em Natal?

    abs…

  6. Rodrigo, ainda não tenho confirmação da vinda do Rafale, ela chegou a ser cogitada mas nada confirmado.
    creio que a operação congregará toda a região.
    No site da Cruzex há mais informações
    http://www.cruzex.aer.mil.br/portal/operacoes_aereas/cruzex5/index.php?page=resenhas
    Certamente alguém vai operar a partir de recife
    Sds
    E.M.Pinto

  7. O pior seria justificar a escolha de um avião que nem sequer existe….

  8. Se justifica de uma maneira ampla e detalhada,e principalmente clara,e como se justificaria um caça que não existe,um caça em que o proprio governo não entra no projeto,que empurar para os outros,e caso não venda em lugar algum,ai sim o governo desse país entra,como explicar um caça que foi dispensado e a romenia comprou F-16 usados,como explicar um caça que nem seus vizinhos e clientes históricos não quiseram,como explicar um caça que é oferecido sem armamento,como explicar um caça que tem como sócia a BAE System,e ela vendeu a maior parte de sua participação no Projeto,entenda uma coisa Jakson,se o gripen não vender corre o risco de morrer na praia,já o rafale tem encomendas das suas futuras versões pelo governo da frança,e certamente pelo brasil,eu quero ver o gripen o mais longe possível,repito amigo se ele não for vendido para o Brasil certamente vai para o Vahalla beber cerveja com o Odin!
    Vamos parar com essa infantilidade de vender ou não vender pois esse caça não vendeu e corre o risco de não sair do papel,por isso é uma comparação tola.

  9. O projeto FX-2 não pode mais ser denominado de novela. Já virou algo mais alem, evoluiu para alguma coisa que não podemos mais identificar.
    O que sei é o país precisa do vetor, seja o Rafale o SH ou o Gripen. Sei também q

  10. Continuando…. rs
    Sei também que tem condições para barganhar a tão sonhada ToT. Então por que não se decide logo?
    Jogo de poder político. Esta é a resposta.
    Como tudo de importante que acontece neste país, o jogo de poder fala mais alto.

  11. Que venha o FX-3!

  12. Seja qual for o vencedor acredito eu que a quantidade é muito pequena e o prazo de entrega, no caso do Gripen e do Rafale, muito longo.

    Pergunta:

    – O nosso pacote, apesar de conter menos aviões é mais caro que o oferecido para a Índia. Seria por conta de armamentos, ou simplesmente pela quantidade?

  13. Senhor E.M.Pinto.
    Deixe me apresentar, Sou Bernard Krugman, consultor de TI de uma multinacional que atua no vale do Paraíba região de São Paulo.
    Li seus comentários acerca do programa FX bem como a repercussão que o programa ganhou na mídia e blogsfera.
    Dou-lhe os parabéns pelo site e pela iniciativa, é importante que tenhamos uma fonte confiável para obtenção de informações e esclarecimentos.
    Não poderia deixar de comentar o impacto do programa MRCA na escolha dos caças do programa FX2, que aparentemente não estão conectados.
    Porém a informação da desclassificação tanto do Dassault Rafale quanto do SAAB Gripen NGI, ambos concorrentes no programa podem trazer inúmeras consequências a escolha final do programa FX2 e devem ser analisadas friamente por nossas autoridades.
    Se esta informação estiver correta, o que duvido, todos sairiam perdendo, porém a SAAB seria a mais negativamente afetada.
    A razão é simples, o Gripen NG depende fundamentalmente de lograr exito na campanha pelo MRCA Indiano se quiser alçar voos maiores e seguir seu programa de desenvolvimento.
    A SAAB apostas as suas fixas em dois potenciais mercados, a Índia e Brasil, e a continuidade do programa Gripen NG está entrelaçada a estes dois países.
    A Força Aérea Sueca embora apoie o programa é vista pelos analistas não é vista como um cliente expressivo, uma vez que se compromete com o desenvolvimento do caça mas que certamente pode encerrar sua encomenda quando alcançado uma ou duas centenas de aviões na melhor das hipótese.
    Portanto é fundamental que se logre exportações.
    Vale ressaltar que um dos trunfos na proposta Sueca apresentada a Força Aérea Brasileira,a SAAB traz a possibilidade de desenvolvimento de um caça naval baseado no Gripen NG, o que atenderia também a demanda futura da Marinha do Brasil, porém este programa depende fundamentalmente mais da vitória na Índia que no Brasil.
    O Gripen NG naval não seria viável nem para a SAAB nem para o Brasil caso a Índia exercesse a escolha de outro vetor que não o Gripen NGI.
    Os demais candidatos estariam assim numa condição bem mais favorável e especificamente quanto ao Dassault Rafale e ao Boeing F 18 EF Super Hornet, estes sairiam melhor colocados no programa FX ainda que não fossem os escolhidos pelos Indianos e a razão é simples.
    Ambos já possuem suas versões navais, o que atende aos requisitos da Marinha, ambos estão desenvolvidos, e no caso da Dassalt o Rafale F 3 encontra-se operacional desde 12 de Dezembro de 2010.
    O Super Hornet conta com uma vasta encomenda podendo inclusive entrar no mercado europeu através da Royal Navy. Apesar de poucas encomendas feitas pela própria Armee-del-air, a Dassault conta com um programa que segue seu cronograma de desenvolvimentos e não depende de êxitos em concorrências estrangeiras, dado que há o comprometimento interno do governo francês em dar continuidade ao programa.
    Por sua vez para a SAAB é fundamental que Gripen NG consiga este importante mercado que é MRCA, pois os custos do programa NG chegariam a valores insuportáveis caso apenas a Força Aérea Sueca o adquirisse.
    Não quero aqui parecer tomar partido sobre nenhum dos concorrentes, apenas gostaria de salientar estes pontos que julgo serem importantes e que passam desapercebidos pelos participantes em geral.
    Obrigado pela oportunidade e pelo espaço.
    Desejo-lhes sucesso
    saudações a todos

  14. Senhores, desculpe, mas desta vez eu concordo com a tão famosa Eliane Catanhede. O FX2 ficou para segundo ou terceiro plano neste Governo. Perdeu a FAB, o COPAC que fez vazar relatório a imprensa. Perde Sarkosy que não soube lidar com o tema tão caro ao Presidente Lula, como foi a negociação “para Inglês ver com o Irã”.
    Perde também Lula e Jobim que repetem Fernando Henrique Cardoso.
    Mas quem perde mais é a Força Aérea Brasileira, que ficou muito desgastadas com todos estes anos de FX1 e agora FX2. Daremos um salto direto para os UCAVs???? ou teremos um caça tampão até o FX3???? E a consulta a Marinha pelo MD, entende-se como mais um desgaste da FAB, quer dizer o MD confia mais na Marinha que na FAB????
    Muitas questões para um processo cheio de lobbies e interesses, dentro e fora da Força. [ ]s Não sairá mais este processo.

  15. Jakson Almeida :
    Se for confirmada a exclusão do rafale na India,como se justificara a escolha de um vetor que nunca ganhou uma unica venda,alem da França,principalmente em ano eleitoral.Independente de quem seja o proximo presidente ele deve, com certeza, ter uma melhor relação com as forças armadas que foi desgastada durante o ministerio de Jobim,ai fica a questão, a FAB deve ter a autonomia de escolha.

    Pra mim a exclusividade relativa sobre o Rafale, ou seja nós e a França operando, é uma vantagem estratégica-operativa, pois reduz a capacidade de potenciais inimigos de conhecerem os segredos intimos deste equipamento, pois o numero de operadores é baixo. Assim dificultando a possibilidade de sabotagens miradas ou contra posições diretas à nossa força aérea, mas atenção, somente dificulta e não elimina completamente o risco, mas ai já é coisa pra ABIN, descobrir os planos do inimigo em potencial.

    Lembrando que a aeronave não é somente um produto, mas um equipamento de guerra, e neste meio existe sim a espionagem e a sabotagem, acordem crianças!!

  16. Embarquei de ponta cabeça no Gripen e ainda admiro e quero ve-lo rasgando nossos céus com uma parceria que faria bem e que acho que vem.Ou eles a fazem conosco ou ficarão sozinhos com o NG.Mas como ja disse em outro post a extrategica aliança fala mais alto em mim com Brasileiro e que venha logo o RAFALE…ps:Olhem pra ele,parece um Pterodatilo,Predador.

  17. WOLFPACK não é nem que confia mais nessa ou naquela Força é que a prioridade de significativo aumento de nosso poderio Naval se faz cada vez mais necessaria pelo Pré-Sal…Calma as aguias virão…O que me deixa triste é que politicos são cagões.Temem retaliações de Tio Sam e agora temem as eleições.Infeliz pais,infeliz povo que tem extrategistas civis.

  18. Parem com essa paranoia de acharem que tem divisões ou apadrinhados nas Forças.Elas jamais estiveram unidas e coesas como estão agora.Elas tem aquilo que nos falta,a capacidade de superarem passados.

  19. Pessoal, Lí em alguns comentários na internet sobre a possível influência que um short list indiano poderia ter sobre o conturbado programa FX2, mas agora pergunto SE realmente a decisão(FX2) for tomada ainda este ano, após as eleições e provavelmente antes da decisão do MRCA, não teria também algum efeito sobre o mesmo? Afinal o programa brasileiro, compreende a compra inicial de 36 aeronaves, com previsão de se chegar futuramente a mais de 100, ou seja nada desprezível também. É só um pensamento..

  20. Tem que cancelar essa palhaçada de uma vez

  21. E.M.Pinto, existe três opções para o Brasil no caso de aviões de caça, uma pode ser descartada por não transferir tecnologia avançada, no caso os EUA. As outras duas são a Rússia e a França, a Rússia esta fora desse processo do FX-2, restando apenas a França que tem condições de fornecer todos os itens do caça, da turbina a estrutura do aparelho. Eu fico sem entender a obstinação das pessoas que gostam do Gripen, já que é um caça recheado com tecnologias americanas e que não vai ser passada nunca para o Brasil. A opção Inglesa aqui não é mencionada já que eles não fariam nada que não estivesse de acordo com o desejo dos EUA.
    Sds.

  22. well esa novela ja ta mais que na hora de acabar
    mais pelo menos no meio de tudo a decisao sensata
    pelo RAFALE PARECE QUE FOI FOI TOMADA
    sem os Russos
    o Rafales sao os melhores
    que venhao SO RAFALESSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  23. Rafale, Gripen, Super Hornet, Flanker, Typhoon ou F-35… O que me importa é que se tome a decisão e se adquira os meios necessários, sob o risco de soberania do nosso espaço aéreo…

    Se vier o Rafale, vou ficar feliz. Se vier o Gripen, também vou ficar feliz. E se vier o “Vespão”, fico feliz também! Pra mim, o que importa agora é fecharmos o FX-2, comprarmos as quantidades necessárias (36 é pouco) e partirmos para um FX-3, que poderá contemplar a parceria internacional para projeto e construção de uma aeronave de 5ª geração (e acredito que França, Suécia, Coreia do Sul e África do Sul seriam parceiros ideais).

    Ainda no sonho:

    120 caças táticos
    60 caças de superioridade aérea
    120 Super Tucanos

    É isso que eu quero para a FAB até 2025/2030…

  24. Bem diz o ditado: quem escolhe demais acaba sem escolhido, no caso do brasil escolhe demais e acaba escolhendo errado…..

  25. o problema é se tiver-mos uma guerra antes de 2025 ou 2030, ai que quero ver…..

  26. PINTO E JAKSOM VCS PARECEM TOM E JERRY,RSRSRSRSSRSR…..

  27. Salve Roberto, ehhehehe.
    No bom sentido, no bom sentido.
    Abraço
    E.M.Pinto

  28. Obrigado Roth, e não precisa me chamar de sr..rsrsr.
    Acho interessante esta visão e suas consequências, de fato este ponto é interessante.
    Também duvido que o MRCA já tenha sido decidido e aguardo a confirmação oficial, mas concordo que seria uma perda para ambos os concorrentes Rafale e Gripen NG.
    Ressalto apenas que tal como no Brasil que a decisão é política, as autoridades indianas não se furtam de pronunciar que a decisão do MRCA será também política e atrelada a uma estratégia nacional de defesa com o país vencedor o que deu vantagem ao F 18 EF que para mim tem grandes chances.
    Ou seja Índia quer tal como o Brasil um parceiro tecnológico militar e ninguém acha isso errado, só quando é o Brasil…
    obrigado pela participação e seja bem vindo ao Plano Brasil
    Sds
    E.M.Pinto

  29. Vai ficar pro próximo governo. F5 até 2020+.

  30. Não vejo nem Lula nem Jobim como quem gostaria de deixar este assunto sem nenhuma definição. Contudo vejo sim a pedra no caminho- pleito deste ano, e com avaliação de impacto adequada, em algum momento saia a posição. Ressalto, que o cerne deste pacote mesmo é ToT, e isto só possui garantias com parceria estratégica. Se esta parceria está ou não em xeque, isto está a portas fechadas, não saberia qualificar.

    Agora presumindo o FX-2 finalizado, assegurado um ótimo vetor de 4,5 geração, podendo evoluir em pouco tempo para 4,5+, creio ainda em negociações para sondagem de posição diante do PAK-FA. Tanto a França quanto a Rússia tem estado em entendimentos mais próximos, e eu não duvidaria de um desdobramento neste sentido.

  31. Os franceses estão começando a pensar seriamente em interromper a produção do Rafale por pelo menos dois anos. É o único caça europeu de 4.5 geração que não possui compradores e não foi composto por parcerias. O Typhoon foi desenvolvido por quatro países e exportado para dois países (Áustria – 15 e Arabia Saudita – 72)e Omã negocia a compra de 24. O Gripen foi construído pela SAAB e BAESystems e vendido/leasing para cinco países (República Tcheca, Hungria, Africa do Sul, Tailândia, Inglaterra (Empire Test Pilots’ School). O novo Gripen E/F (que está saindo do projeto NG) interessa a Malásia que já enviou pilotos a Suécia para estalo.

    O Rafale apesar das suas inegáveis qualidades técnicas tornou-se, em face da estrategia francesa de “100% made in Paris”, um enorme problema comercial e militar. Ele além de não tem conseguido nenhum comprador tem comprometido a venda de outros equipamentos franceses e corroendo as finanças da Dassualt. Hoje o Rafale é visto como um risco econômico, político e estratégico (este último porque o usuário fica preso apenas a opções de armamentos francesas e aos custos operacionais crescentes do caça). Os seus maiores diferenciais tecnologicos, a suite Spectra e o Dâmocles não tem encantado nenhum comprador. Por muitos é visto apenas como nomes bonitos, nada mais.

    Se o Brasil adquirir o Rafale provavelmente escorrerá em profundo erro estratégico, tanto pelos custos de aquisição e manutenção, quanto por adquirir um caça que apenas utiliza armamento francês, sem qualquer ganho tecnológico e político. O FX-2 deve ser cancelado imediatamente e devíamos entrar em algum projeto de um caça furtivo, os mais óbvios são o PAK e o caça KFX (Coreia do Sul e Indonésia). Como os Mirage 2000 estão perto do fim uma solução mais obvia é adquirir outro caça tampão, como Sukhoi, Mig ou F-16.

  32. De tempos e tempos surge uma nota que está para ser anunciado, ou que já foi cancelado o Fx-2. Sinceramente quem tem acesso direto ao que Jobin está pensando ou o Lula? Se tudo estivesse tranquilo o Rafale já estava com contrato assinado.

    Nessa altura do campeonato, se vier alguma coisa é lucro. Por outro lado, iniciar um novo processo mais transparente, que amarre a compra de um lote de 4.5ª geração com participação em um 5ª em parceria, ou mesmo em um projeto pronto como PAKFA, podendo ao menos “personaliza-lo” para a FAB. Seria um projeto melhor na minha visão.

    []’s

  33. Bruno W., somente minha opinião, mas eu acho que o MRCA está pouco se lixando para miseros 36x aeronaves para a FAB. O que poderia impactar realmente seria um desenvolvimento conjunto entre Brasil e Índia de uma aeronave leve como o Tejas (por exemplo).
    O FX2 luta contra si mesmo, contra os adiamentos seguidos, vazamentos seguidos, lobbies dentro do COPAC, GF e FAB. Se transformou em um balaio de gatos onde, como tudo neste país, um monte de gente deseja tirar uma casquinha, como abutres na carniça. E tem muito blog inclusive ganhando viagens pra fora para especular sobre um ou outro aparelho do FX2. Na verdade, não se pensa na Força, mas nos ganhos pessoais como tudo neste país. Quem levar mais vanatgens, quem for mais esperto, ganha. [ ]s

  34. helioc2000

    Vou mais longe… Acho que o PAK-FA terá alguma tecnologia francesa e que a França futuramente poderá ópera esse avião, mas quem quiser me chamar de paranóico pode se sentir a vontade, também to considerando essa possibilidade rsrsrsrs

    sds

  35. Pessoal, esse tão falado relatório que teria vazado, dando o primeiro lugar para o Gripen, alguém viu isso de verdade, existe para download? Rs…
    Até que eu veja o dito relatório para mim isso é tudo falácia, alguma autoridade de alto escalão comentou o vazamento do relatório dando veracidade ao fato? Gostaria de ter esses questionamentos respondidos…

    Abçs

  36. Xiiiiii!! Começou a terceira temporada da série FX-2. E o que é pior: como os mesmos atores e os enredos repetidos. Nem a série Arquivo X tinha mais suspense.

  37. Novela méxicana com autor canastrão e plagiador…

  38. uma pouca vergonha,falta de responsabilidade,a força aérea esta sucateada,em fim o brasil não tem uma defesa a altura desta nação,o rafale já esta ultrapassado os outros nem falar,caça agora é não tripulado,submarinos e porta aviões de medio porte marinha não temos e o governo não ta nem ai que se expluda.

  39. Tambemacho Helio a Russia jamais desistiu e acho que talvez eles tenho trabalhado melhor nos bastidores a tanto a Aliança deles quantos suas maquinas nos preencheriam bem.

  40. Entrega 12x de cada e fecha pra balanço… a FAB já opera uma coleção de helicopteros, poderá operar uma coleção de aeronaves de combate também… Vai sair mais barato e não deixa ninguém de bico, nenhum lobista ou blogueiro. Como é compra direta, o preço sai mais em conta, e dai encomenda um projeto de aeronave de 5a geração a Embraer/CTA/ITA etc. Eles que corram atrás da tecnologia e conhecimento lá fora e se virem… Pois, afinal para que serve o dinheiro público investido nestas entidades? Para projetar Aeromodelo como este protótipo mediocre de UAV? Desculpe, mas as vezes penso que somos muito tolerantes a falta de pesquisa e resultado destes Centros de Pesquisa e Ensino no país. [ ]s

  41. Guga dificilmente ele ainda existe ja deve ter sido triturado.Mas quem sabe mais pra frente algo venha a tona.Seria bom,pra acabar de vez com esse negocio de que foi a FAB que descartou o SU entre outras coisas.A aliança com a França é benvinda e oportuna mas um bom reforço de prateleira é extremamente necessario e urgente.

  42. Vamos ser realistas, o Brasil nunca vai ver o SU-35BM nas cores da FAB, muito menos o PAK-FA. Os russófilos deviam se contentar com o que sobrou, ainda é muito melhor do que parar tudo para um possível FX-3 (imagina o dano de credibilidade que isto iria causar) e ficar voando F5 até lá.

  43. Que houve vazamento, nao tenho a menor duvida e se isso nao tivesse ocorrido, a FAB prontamente iria negar que houve, mas isso nao ocorreu!!!!Isso ocorreu quando a avaliacao ainda estava em poder da FAB e nao do MD.
    Quanto ao reequipamento da FAB, acho que foi muito mal planejado, desde o inicio. Dada a urgencia de necessidade e para se promover um reequipamento de tamanha envergadura, deveriamos primeiramente fazermos uma compra de prateleira, comprando logo o que havia de melhor no mercado de cacas, que fossemos atendidos rapidamentte e com o melhor possivel – 20 SU 35BM e 16 SU 34, em sua versao naval. Com certeza, conseguiriamos muito bom precos, uma vez que os cacas russos sao consideravelmente mais em conta que os seus concorrentes e de inquestionavel qualidade. Os precos poderiam ser ainda mais atrativos, tendo em vista o fato de que concomitantemente abririamos a concorrencia do atual FX-02, em conformidade com a END. Isso com certeza, nos daria o folego para calmamente, de forma bastante criteriosa, racional, implementarmos o reequipamento da FAB. Lembrndo que, como bem disse o 1maluquinho: – “A aliança com a França é benvinda e oportuna mas um bom reforço de prateleira é extremamente necessario e urgente.”
    Sds.

  44. Cuidado pra não queimar a lingua HENRIQUE…Os Russos jamais desistirão do FX-2 e trabalham e muito nos bastidores e seus argumentos são sedutores e suas maquinas magnificas.

  45. 1maluquinho,
    As máquinas dos russos verdadeiramente são magníficas, o esforço político existe, porém…
    Seus argumentos não são tão sedutores assim, se o fossem o assunto já teria sido resolvido ou a situação do Su-35 teria sido revertida.
    Os argumentos políticos e estratégicos dos russos aos olhos do planalto não são suficientemente interessantes e nem mesmo sedutores.
    Me excluo de opnião sobre os mesmos, somente me atenho a estes fatos.

  46. São sim Carcara nossos politicos manipulam-se a si proprios numa intrigante rede de desencontros.Os Ursos mesmo descartados a todo tempo tem trabalhado nos bastidores da politica e do lobby.Eles dizem que a tt é total,a fabricação do zero e o que mais querem é nossa extrategica parceria.Ai entra em cena o medo.A realidade se evidencia,estamos citiados e a qualquer momento o cerco entra em ação.Não mais seremos serviçais coadjuvantes e eles ja entenderam isso.Na verdade todos precisam de nossas materias e energias.Ou conversamos de igual ou batemos logo de frente.O sonho de pilotos e amantes do Flanker pode se tornar realidade e surpresa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: