Articles

Venezuela atrasa pagamentos e afugenta empresas brasileiras

In Geopolítica on 06/08/2010 by Lucasu Marcado:

https://i1.wp.com/g1.globo.com/Noticias/Politica/foto/0,,14323938,00.jpg

A vida das empresas brasileiras na Venezuela não está fácil e pode piorar. A Braskem, que havia fechado duas joint ventures com a estatal venezuelana Pequiven, para dois projetos no valor de US$ 3,5 bilhões, mudou seus planos. Das 30 pessoas que a empresa mantinha em Caracas para tocar o projeto, só sobrarão 5. A maioria dos executivos está voltando para o Brasil ou indo para outras filiais da Braskem.

“O governo venezuelano não cumpriu sua parte nos investimentos”, disse ao Estado uma fonte próxima ao projeto. A Braskem e a estatal venezuelana haviam assinado um memorando, em 2007, para criar duas companhias. O projeto da Propilsur foi adiado por um ano, enquanto o da Polimérica, de capital misto, teve o investimento reduzido pela metade.

Empreiteiras brasileiras, como Odebrecht, Andrade Gutierrez e Camargo Correa, que têm bilhões em negócios na Venezuela, também estão prestes a sofrer um duro golpe do governo chavista com a Reforma da Lei de Contratações. A Assembleia Nacional venezuelana aprovou, na quarta-feira, uma lei que permite ao governo confiscar máquinas ou se apoderar de obras públicas que estejam paralisadas ou atrasadas.

Muitas empreiteiras brasileiras estão tocando seus projetos aos poucos ou deixando-os paralisados. A nova lei ainda precisa ser aprovada em segunda turno, mas, como há maioria chavista, deve passar. “Se for aprovada, a lei pode ser um enorme problema para as construtoras brasileiras”, disse Fernando Portela, diretor executivo da Cavenbra, Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Venezuela.

A fuga de investimentos e de executivos do país já é aparente nas escolas onde estudam os filhos dos expatriados. Na Escola americana Campo Alegre, na escola britânica e na Hebraica de Caracas, dezenas de alunos estão indo embora. A escola britânica passou a exigir pagamento anual, em vez de semestral, por causa do êxodo de alunos.

Empresas brasileiras que importam seus insumos sofrem com o controle cambial. Em maio, o governo fechou as casas de câmbio e proibiu as empresas de recorrer ao chamado câmbio permuta. Como pelo câmbio oficial têm prioridade produtos essenciais, importadores de produtos, como cosméticos, perfumes e têxteis, correm risco de desabastecimento. Empresas como Boticário, Alpargatas e Hering estariam sendo afetadas, diz ele. No ano passado, a Natura, maior fabricante de cosméticos do Brasil, deixou a Venezuela alegando risco cambial e “desequilíbrio” de instituições.

Crescimento. Segundo José Francisco Marcondes, presidente da Federação de Câmaras de Comércio e Indústria Venezuela-Brasil, a situação no país é delicada. “A Venezuela está em recessão, há questões pré-eleitorais, mas o comércio bilateral cresceu este ano”, ressalva.

As exportações do Brasil para o país crescem graças, principalmente, ao comércio de alimentos, que não é tão afetado pelo câmbio. Nos primeiros seis meses do ano, as exportações aumentaram 7% em relação ao mesmo período de 2009. Já as importações brasileiras da Venezuela, aumentaram 135,4% no primeiro semestre. Passaram de US$ 197 milhões para US$ 465 milhões.

Invasão brasileira. O intercâmbio comercial durante o primeiro semestre deste ano totalizou US$ 2,243 bilhões, aumento de 20,7%. A venda de carne bovina desossada e congelada do Brasil cresceu 672%; de bovinos vivos, 84% e de ovos de galinha para incubação, 144%.

Nos “mercales”, os supermercados conveniados ao governo, muitos dos alimentos são brasileiros. “Não tem mais frango da Venezuela. Só do Brasil, que vem congelado e não tem gosto de nada”, diz Xiomara Pinto, que mora em um barraco em Antímano, bairro de Caracas.

Fonte: Estadão

Anúncios

43 Respostas to “Venezuela atrasa pagamentos e afugenta empresas brasileiras”

  1. Pois olha: Eu tirava era todo o nosso pessoal de lá, não vai ainda o Chavez usar os brasileiros que lá ainda se encontram como reféns políticos, a exemplo do que quase fez o Equador há pouco tempo atrás.

    O Chavez, não merece confiança e, depois de tantos desatinos cometidos a “Republica Bolivariana” está mais quebrada do que Cuba. Nada temos a ganhar, ficando lá!

    Regra básica de sobrevivencia: De louco, se mantém distância…

  2. Ofereça uma equipe brasileira focada em administração pública voltada para eficiência da máquina (por ex. montar banco de dados e informatização, métodos gerenciais, etc…) e responsabilidade fiscal.

    A mesma coisa que fez a antiga URSS com o filho pródigo rebelde, Cuba.

    São ótimos para gastar mais são péssimos em arrecadar e administrar.

    Abs.

  3. Intruder…

    A intenção é evitar grandes movimentos de pessoas entre países, através do desenvolvimento local.

    Temos problemas sérios de imigração ilegal relacionados a trabalhos em situação análoga a escravidão. Em São Paulo, os Bolivianos são as grandes vítimas (“é melhor ser escravo aqui do que ficar lá”).

    Abs.

  4. Esse xamego Brasiliense vai nos custar um bom calote.

  5. Raptor eles são ilegais e se sujeitam.Embora isso não justifique mas nossa sociedade não tem culpa.Esse problema ainda vai se agravar muito mais.Espere nossa Copa e veras um exodo latino pra ca.

  6. Essa visão de nosso governo que deveriamos ajudar economicamente nossos vizinhos para termos amigos estabilizados sem nos invejarem so cabe mesmo no coração de uma pessoa de boa indole como o Lula

  7. A Venezuela tem ótimos administradores .. não precisa que os ensinem … agora o atual governo … partidarizou tudo.. corrupção, inépcia, clientelismo… são e continuarão a ser a moeda corrente por lá…

    Parabéns Ditador Chaves… conseguiu destruir a economia e a credibilidade da Venezuela…

  8. Lula esta na Venezuela dando todo apoio necessário para o Hugo Chave, colocando no português mais fácil, din din.

  9. 1maluquinho:

    Perguntem aos Europeus o grave problema em termos de saúde, educação e segurança que causa imigração descontrolada.

    Nem vigiando ao máximo a fronteira… diriam os americanos.

    Abraços.

  10. xtreme,

    Discordo, com o controle cada vez maior do Estado pelo governo (já era esperado), a administração pública venezuelana vai ladeira a baixo…

    Abraços

  11. Hugo Chaves é muito radical, ele deveria comer pelas beiradas, manter negócios para conseguir sustentar a economia, qualquer atrito ele corta relações que aos poucos a população começa a sentir, uma pena.

  12. Quanto aos atrasos de pagamento aos exportadores, que aconteram em 06 e retornaram agora, tem relação diretea com as restrições impostas pelo Cadiv (Cadastro de Administração de Divisas), órgão que define, na Venezuela, quais empresas são autorizadas a operar com o dólar pelo câmbio oficial, dificultando pagamentos de importações.

    Só que os US$ 15 milhões (pendentes), referentes ao mes de abril não chegam a ser catastróficos, porque se trata de um valor muito pequeno em comparação com a dimensão do comércio bilateral, da ordem de US$ 5 bilhões, dos quais US$ 4,5 bilhões em exportações brasileiras.

    O problema maior é a centralização burocrática venezuelana, que impõe às partes negociantes uma sequência de 18 procedimentos, com a empresa venezuelana tendo de se cadastrar no registro de usuários de sist. de adm. de divisas (rusad) que solicita um calhamaço em documentos e atrapalha muito os processos de intercâmbio.

    Inclusive o truncamento institucional que há algum tempo tenho falado que ia se refletir num desenvolvimento assimétrico do mercado interno, além de ser anti-estratégico pros acordos de integração produtiva entre os dois países, poia tende a caminhar lentamente, em relação às operações de empreendimento latino-americanas.

    No caso, até o Itamaraty colocou numa reunião em abril desse ano, a pauta de discussões em que estavam programas de cooperação bilateral nas áreas de indústria, agricultura, desenvolvimento urbano, universalização de serviços bancários e integração fronteiriça e medidas para estimular o compartilhamento de experiências sobre programas sociais.

    Isso ocorre, exatamente como o amigo Raptor colocou aí em cima, para evitar o grande fluxo indesejável de mão de obra imigrante, a partir do momento em que existem disparidades na dinâmica econômica de dois países membros de um bloco importante, tentando levar o mercado de trabalho venezuelano a unificação e maior qualificação profissional, introduzindo projetos brasileiros de inovação agrícola que elevem o aumento de produtividade no campo, e evitem uma dependência extrema na segurança alimentar do país em relação principalmente ao gado de corte, pois em grãos a venezuela conseguiu atingir boa sustentabilidade e as primeiras metas perante o PNUD da onu, em calorias consumidas por cidadãos.

    O problema das joint-ventures se referem as questões legais estabelecidas pelos acordos venezuelanos, que não priorizam o cumprimento dos investimentos caso ocorram problemas de caixa mesmo mínimos, isso segundo uma revista de contabilidade recente.

    Na verdade, os contratos são respeitados, mas os prazos são dilatados à revelia, o que prejudica o investment grade (grau de IDE) no país externo, mas é compensado pelo retorno lucrativo (muito lucrativo) que as companhias brasileiras mantém com as aquisições de insumos básicos e maquinarias, pela parte do negócio venezuelano, além dos emprestimos e rolagem dos mesmos que continuam a nos render superavits no balanço de pagamentos do Brasil com a Venezuela, de forma desproporcional ao potencial de produção e abastecimento do território venezuelano.

    Valeu

  13. Raptor :
    Intruder…
    A intenção é evitar grandes movimentos de pessoas entre países, através do desenvolvimento local.
    Temos problemas sérios de imigração ilegal relacionados a trabalhos em situação análoga a escravidão. Em São Paulo, os Bolivianos são as grandes vítimas (“é melhor ser escravo aqui do que ficar lá”).
    Abs.

    Raptor:
    Sei perfeitamente que essa é a visão do nosso Governo, mas creio que isso é grande equívoco:
    1 – Em primeiro lugar somos o único País nas Américas do Sul e Central que falam o PORTUGUÊS. Os demais falam o Espanhol;

    2 -Em segundo lugar, nossa Sociedade é muito dinâmica, ao contrário da maioria dos demais Países de ambas as Américas citadas, que possuem sociedades estáticas, muito ligadas a culturas indígenas milenares;

    3 -Em terceiro lugar, como somos de longe o maior País da Região, mais ricos e com maior Parque industrial, somos invejados e cobiçados.

    Em resumo: Não adianta bancarmos os “bons samaritanos”, que sempre seremos (como já somos) tachados de “Imperialistas”, como são os Ianques.

    Não quero, com isso dizer, que devemos adotar o modelo repressor dos EUA, mas também, não precisamos bancar os otários e desperdiçar recursos finaceiros e econômicos com os demais, quando, até de dinheiro para o rancho os nossos soladados têm tido falta, atualmente.
    Só mais uma coisa: A imigração de Bolivianos e demais Países, vai, nos próximos anos se agravar, com a invasão Chinesa que se aproxima e, isso independe do que fizermos, pois não existem condições de competição nesses Países para os produtos chineses e, aliás mesmo no nosso a coisa vai ficar muito feia.

    []s
    Intruder

  14. Sem o deus grana nada é possível.

  15. Mais um abacaxi do Lula que vai ser encoberto se a Dilma ganhar. MUNDO INTEIRO sabe que comunista tem um sistema fundido e eles nao geram dinheiro economicamante para manter o pais no crescimento.
    Na Venezuela o Chavez usa a PDVSA como um Ministerio do Interior, gastando como louco. Venezuela vai ter muita sorte se conseguir fabricar papel higienico dentro de 4 anos…tem duvidas? ver o “fine” exemplo cubano. me diga porque pedir ajuda a economista cubano se a propia Cuba nao tem economia..o que eles tem por la e uma briga constante do povo cubano procurando comida o dia inteiro, andando pelas ruas com uma sacola debaixo dios bracos, porque um mercado aqui ou acola esta vendendo 40 batatas..

  16. Não é questão de falta de verbas, mas de desorganização cambial e embarreiramentos no sistema burocrático comercial, mantendo o regime de câmbio fixo e avaliando em dois parâmetros diferentes o preço da moeda doméstica em relação a estrangeira o país através de seus órgãos fazendários e auditores tem a obrigação violenta de manipular as divisas para atingir o exigido pelo banco central.

    O problema é que no atual século, de movimentação rápida dos capitais, isso se torna escorchante para a livre atuação de exportadores e importadores, além de investidores estrangeiros em obras físicas que necessitam da rápida conversão da moeda e sua aplicação evitando extravios de valor.

    Na questão burocrática, é necessário a Venezuela desconcentrar os instrumentos de consolidação e avaliação de projetos, criando sistemas com maior informatização e gerenciamento integrado de dados no âmbito do Planejamento e da Fazenda, e exigindo condições de responsabilidade fiscal das empresas negociantes sem restringir os contratos ao rusad, mas apenas às centrais de custódia vinculadas ao banco central venez. que deve avaliar imediatamente às conversões para os investimentos.

    O 3º eixo é diversificar a carteira de investimentos em setores produtivos privados nacionais, que possam ampliar seus próprios meios de expansão através do reinvestimento por lançamento de ações e debêntures no mercado financeiro interno, utilizando os bancos de fomento e incentivo regionais, para capitalizarem o sistema inter-bancário e trazer segurança econômica para a consolidação de programas privados em conjunto com o Brasil.

    Se adicionarmos ao montante das reservas internacionais venezuelanas, em aprox. 40 bilhões a todos os haveres do Estado venezuelano no exterior, estimado entre US$ 16 e 22 bi, o total poderia permitir o pagamento de parte da dívida externa e toda as obrigações nas joint-ventures estatais. Desse modo, o Estado pode enfrentar o impacto de uma eventual queda nos preços do petróleo (ou, mais provavelmente, a sua estagnação) sobre os gastos públicos e ainda assim manter a tendência crescente dos gastos sociais.

    Gestão e planejamento é a alma da coisa. Abraços

  17. É gente,nunca na estoria desse país, houve um brasileiro tão bonzinho como o nosso presidente é para o camarada inescrupuloso Hugo Chaves,fazer o que o BNDS está ai para bancar os desmando inlúcido deste cidadão pra ser muito gentil.pena que o dinheiro que está indo,jamais voltara, enquanto os nossos empresarios ficam chorando e lastimando-se para adquirir um misero emprestimo no tal banco.

  18. Raptor :
    xtreme,
    Discordo, com o controle cada vez maior do Estado pelo governo (já era esperado), a administração pública venezuelana vai ladeira a baixo…
    Abraços

    ????? … você quis dizer ..concordo, não ?

  19. No fim ainda creio que seremos nós a sair ganhando, pois estes investimentos pesam e muito nas relações entre os dois países e ainda mais quando se fala em levar um mínimo de melhoria ao sistema que esta quebrando, pois investimentos externos são sempre bem vindos em época de crise…

    Mas Chavez foi estúpido, deveria ter copiado a nossa lei de responsabilidade fiscal, a 101 de 2000, feita por técnicos da máquina burocrática brasileira e ainda a lei do emprego público, a 8.112 de 1990, outra lei feita por técnicos, e a melhor de todas, a 8.666 de 1993, a de contratos e licitações… e os partidos tiveram que engulir todas, pois recusar daria problemas graves de imagem e na justificação perante o povo, lembrando que quem vota no congresso nacional são todos os partidos eleitos.

    Viver assim como o Brasil viveu nos anos 80 e 90 não da, o país quebra mesmo com este tanto de parentes comissionados em todos os ângulos do governo, num tem saída não, tem que copiar as nossas regras pois se não a casa cai, e vamos cobrar a conta depois… e com juros!

    O socialismo neste caso aqui não tem nada a ver, é so propaganda, pois o líder populista sabe que o povo quer medidas sociais do governo, como hospitais públicos, escolas, universidades, garantias trabalhistas etc, Socialismo em soma, e nestes países sofridos que nem hospitais públicos tinha antes, agora acreditam nestas manobras do populista, e o populista usa isso contra eles mesmos, mas no fim de socialismo como tem no Brasil, la eles estão é sonhando…

  20. Sobre a importância da relação comercial do Brasil com a Venezuela:
    .
    ……………………………………….
    BOLETIM Câmara
    de Comércio
    e Indústria
    Brasil-Venezuela

    Integração é desenvolvimento
    no 28 – 2a Quinzena de Julho de 2010
    .

    “No primeiro semestre, o comércio exterior bra-
    sileiro foi bastante prejudicado pela sobrevalori-
    zação do real. Uma simples análise da evolução
    da taxa de câmbio do Brasil permite observar não
    somente esta sobrevalorização, mas também for-
    tes oscilações nos valores da moeda estaduniden-
    se…”
    .
    Mesmo assim:
    .
    “…No primeiro semestre, o comércio do Brasil
    com a América do Sul chegou a 28,1 bilhões, sen-
    do maior do que as trocas com a China e os Esta-
    dos Unidos. O saldo comercial com a região cres-
    ceu 64%, alcançando US$ 4,4 bilhões.
    …”
    .
    (Observar que: Os 4,4 bilhões, obtidos no comercio com a América do Sul, são 55,6% do total do superavit no comercio global exterior brasileiro, no 1º semestre de 2010.)
    .
    (E destes 4,4 bilhões de superavit, obtidos no comercio com a América do Sul no 1º semestre de 2010; 1 bilhão e 68 milhões, são do superavit com a Venezuela (até Maio), 25% do total do superavit brasileiro no comercio sul americano)
    .

    “Há outros elementos que precisam ser obser-
    vados com atenção. Tem ocorrido um marcado
    aumento das exportações brasileiras de baixo va-
    lor agregado, especialmente para Estados Unidos
    e China. Em 2010, se fortaleceu a tendência brasi-
    leira de ser um fornecedor de manufaturados para
    a América do Sul e de produtos básicos para o
    resto do mundo. Mais de 85,5% das exportações
    regionais são de produtos manufaturados e somen-
    te 10,8% são de produtos primários. No caso das
    vendas para o resto do mundo, 43,4% são de pro-
    dutos primários e somente 40,5% são de manufa-
    turados.”
    .
    (São as exportações de manufaturados que mais geram empregos.)
    ……………………………………………

    A Braskem já agora a noite desmentiu que esteja tendo problemas na Venezuela.

    E os empresários tanto brasileiros, como venezuelanos( destes, muitos na oposição à Chavez..), estão ganhando dinheiro com os negócios entre os dois países e desejam continuar com eles, nada a ver com esta bobagem que o estadão está divulgando.

    Esta “noticia” do estadão é mera publicidade enganosa contra a Venezuela, visando sabotar as relações comerciais e políticas entre os países sul americanos, o velho dividir para reinar que o EUA tanto emprega.

    Muita gente fica apegado as demagogias ideológicas, sejam pró, ou anti comunistas e com isto tornam-se presas fáceis destas manipulações midiáticas.

    Felizmente, o empresariado brasileiro já entendeu isto e age com pragmatismo.

  21. A mentira do Estadão tem perna curta:

    http://www.conversaafiada.com.br/mundo/2010/08/07/estadao-expulsa-braskem-da-venezuela-mas-ela-volta/

    Estadão expulsa Braskem da Venezuela, mas ela volta

    Na primeira página de ontem, o Estadão expulsou as empresas brasileiras da Venezuela, porque Chavez dava calote.

    Na CBN, o comentarista de raciocínios obscuros, gastou 59 minutos para demonstrar que as empresas brasileiras eram sistematicamente escorraçadas pelo caloteiro venezuelano.

    Hoje, na página A18, o Estadão esconde a fraude.

    Na página A18 da Folha (*), o presidente Lula assina com Chávez 27 acordos bilaterais que envolvem a OAS, Andrade, Queiroz Galvão e os burros das Braskem.

    Em seguida, os burros das Braskem informam que continuarão na Venezuela e ainda comprarão mais nafta do Chávez.

    A Braskem é uma empresa que não resiste a qualidade do Estadão e da CBN.

    A Braskem, como se sabe, é uma microempresa brasileira, ludibriada pelo Chavez.

    (*) Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que avacalha o Presidente Lula por causa de um comercial de TV; que publica artigo sórdido de ex-militante do PT; e que é o que é, porque o dono é o que é; nos anos militares, a Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.

  22. Devo no negarlo y me pago cuando puder.La garantia soy jo.

  23. Voces ainda não perceberam que o lunatico Chavez toda noite que adormece sonha que é Bolivar é que esta libertando os Indios dos Imperialistas.Na cabeça de uma besta demente que inflama descamizados pois esse argumento gera interesse da maioria dos que sofrem.Pra levar seu devaneio adiante gasta a grana do pais com armas e articulações e assim que conseguir um conflito inflama o patriotismo adormecendo as necessidades.Se demorar so mais um pouquinho e não conseguir uma peleja começara a revolta popular e probleminhas ele tera….Hugo Chavez bom é Hugo Chavez deposto ou morto.

  24. Tem muita gente que condena o comercio e relações entre Brasil e países latino americanos, especialmente se forem bolivarianos (esquecendo que dinheiro não tem ideologia).

    E ao mesmo tempo e contraditoriamente, quer ser independente do EUA, ora o caminho para ser mais independente e portanto soberano, passa pela independência financeira e esta só pode ser obtida com a diversificação do comercio exterior.

    Cortar relações ou mesmo menosprezar, as relações com países vizinhos é fazer exatamente o que os iankes querem, assim eles podem ocupar os espaços vazios deixados por nós, por causa desta esta atitude burra, que foi açulada por eles mesmos, através de sua mídia infiltrada…

  25. Dinheiro so tem dois caminhos,o bolso e o caixa…Mas ideologias quando nos colocam como Imperialistas são nocivas a nossa Patria e tudo que é nocivo ao Brasil deve por todos nós ser descartado…Bordunada neles todos minha Cobrada…

  26. “Não tem mais frango da Venezuela. Só do Brasil, que vem congelado e não tem gosto de nada”, diz Xiomara Pinto, que mora em um barraco em Antímano, bairro de Caracas.

    POIS O QUE COMEMOS TAMBÉM É CONGELADO E TEM GOSTO DE DEMOCRACIA. (espero que dure)

  27. Esta “noticia” do estadão é mera publicidade enganosa contra a Venezuela, visando sabotar as relações comerciais e políticas entre os países sul americanos, o velho dividir para reinar que o EUA tanto emprega.

    Wi, vc não é da tropa de choque do PT que anda por aí defendendo o governo em tudo quanto é blog, é??

  28. Francoop, essas leis realmente ajudaram a alavancar o país, pena q as msm estão correndo perigos…temos de ficar atentos.

  29. WI,FOI MUITO BOA ESSA SUA EXPLICAÇAO,GOSTEI POIS FIQUEI COM UMA OUTRA VISAO SOBRE O ASSUNTO.ABS..ROBERTO

  30. Francisco :

    Wi, vc não é da tropa de choque do PT que anda por aí defendendo o governo em tudo quanto é blog, é??

    Francisco,

    não sou não, penso com munha própria cabeça.

    E você? é da tropa de choque do PSDB/EUA? rsrs

  31. Roberto,

    saudações

  32. carlos : me diga porque pedir ajuda a economista cubano se a propia Cuba nao tem economia..o que eles tem por la e uma briga constante do povo cubano procurando comida o dia inteiro, andando pelas ruas com uma sacola debaixo dios bracos, porque um mercado aqui ou acola esta vendendo 40 batatas..

    Se teu pais sofresse um bloqueio economico de 30 anos voce entenderia porque o povo Cubano tem vida precaria mas mesmo assim se destacam em medicina,ciencia,entre outras coisas.

  33. Wi :

    Francisco :
    Wi, vc não é da tropa de choque do PT que anda por aí defendendo o governo em tudo quanto é blog, é??

    Francisco,
    não sou não, penso com munha própria cabeça.
    E você? é da tropa de choque do PSDB/EUA? rsrs

    Wi
    Sou oposição a qualquer governo. Posso até votar em alguém, porem no outro dia já sou oposição. PSDB Deus ma livre. Se os governos não tivessem oposição o que seria de nós??

  34. Wi :

    Francisco :
    Wi, vc não é da tropa de choque do PT que anda por aí defendendo o governo em tudo quanto é blog, é??

    Francisco,
    não sou não, penso com minha própria cabeça.
    E você? é da tropa de choque do PSDB/EUA? rsrs

    Wi
    Sou oposição a qualquer governo. Posso até votar em alguém, porem no outro dia já sou oposição. PSDB Deus me livre. Se os governos não tivessem oposição o que seria de nós??

  35. Pensando ca com meus botões que humnidade louca heim…Um Monarca nasce recebendo ensinamento economico,geopolitico e militar e se prepara assim por toda vida.Ja em nosso mundo Republicano qualquer um pode chegar ate a Presidencia.Seria esse ultimo um correto raciocineo ou politicos deveriam se prepararem em todos os assuntos pertinentes da area e aceitos se aprovados?Voce entregaria a gerencia de seus bens a uma pessoa não capacitada?

  36. Realmente eu não esperava que fosse mentira esse tipo de informação passada pelo Estadão, ainda por cima presente no seu caderno de economia, mesmo que com cunho politizado.

    Só ressaltando que como havia colocado no primeiro comentário, achava estranho que os contratos não tivessem sendo cumpridos nos objetivos finais, já que normalmente seus problemas se encontram nos cronogramas (prazo dilatado insperadamente) e no financiamento do crédito interno venezuelano, que na sua maioria pesa sobre as novatas agências de fomento, dadas as criações recentes de muitas de suas atividades.

    Sintetizando, os projetos não se estagnam ou param imediatamente, mas continuam com menor intensidade, com a readequação de recursos à garantia orçamentária lastreada ao Tesouro venezuelano, reavaliando custos, ou então reduzindo a participação nos investimentos em prol da ampliação brasileira no projeto final, dentro do contrato.

    Foi extamente o que aconteceu, com os acordos entre a Abimaq e Eisa brasileiras com suas partes venezuelanas e o governo, não romperam ou desonraram a integridade contratual, mas reavaliaram encomendas e escala de produção aceitando a readequação dos custos globais que favoreceram ainda mais a posição do negócio brasileiro, quanto a benefícios de mercado.

  37. Agora, vou tentar resumir os 7 pilares de atuação do Estado venezuelano atualmente, mesmo que tenham aprentado deficiências operacionais ao longo da implantação, apresentam forte influência nas questões contratuais de comércio atualmente.

    1)modificação da lei de hidrocarbonetos e aumento dos royalties cobrados das
    transnacionais petroleiras pelo governo;

    2) adoção do “controle de câmbio” no inicio de 2003, que aumento em dois anos as reservas internacionais de dólares de 15 milhões para 30 milhões, agora tendo se mostrado de difícil manutenção frente a movimentação de divisas

    3)Nova lei do Banco Central e a criação do Fondo Nacional de Desarrollo (FONDEN), que já conta com um montante de quase US$ 11 bilhões, destinados para o financiamento de planos estratégicos de desenvolvimento em setores como: indústrias básicas, petróleo, gás, infraestrutura, transportes, habitação.

    Dentro destas linhas se criam empresas e se desenvolvem projetos como a nova siderúrgia venezuelana para a produção de aços especiais, uma fábrica de tubos petroleiros sem costura, três novas refinarias de petróleo, produção de madeira,
    as fábricas de cimento, de concentração de mineral de ferro, de laminação de alumínio, de papel e celulose, entre outros.

    4) Novo enfoque do órgão máximo de arrecadação de tributos,
    o SENIAT, que aumentou este ano em 60% a arrecadação de impostos –
    sobretudo das grandes empresas nacionais e transnacionais, historicamente
    morosas e evasoras;

    5) ampliação do plano de investimentos públicos na
    plataforma de industriais básicas e conseqüente efeito multiplicador e
    acelerador dos investimentos privados (com empecilhos na centralização burocrática) no setor de transformador de insumos
    básicos em produtos de maior valor agregado;

    6) aporte de US$ 5 bilhões em 2005 nas missões sociais, como mecanismos de emergência para pagar a imensa dívida social acumulada, diminuir o desemprego e combater a inflação;

    7) O trabalho do Ministério da Agricultura e Terras (MAT) para
    resgatar e ativar produtivamente um milhão e meio de hectares de latifúndios
    improdutivos, fortalecendo o Plan Siembra 2006 e incorporando milhares de
    camponeses e trabalhadores ao processo produtivo.

    Outra coisa, é que o fato das missões não serem vinculadas diretamente a nenhum ministério, atentando contra os “bons manuais da administração pública”, é explicado pela apropriação das repartições públicas e pela resistência partidária a mudanças que os funcionários ligados a velha burocracia de Punto Fijo têm em relação ao governo Chávez.
    Tanto que as lições da greve patronal-petroleira de 2002-2003, não surpreendeu o fato dos novos programas sociais serem ligados diretamente à presidência da república.

  38. Donatelo,que maravilhoso o mundo Venezuelano né mesmo.As poucas noticias da realidade daquele povo nos chegam com dificuldade quando conseguem escapar da repressão de Hugo Chavez…Tudo vai bem para nós com todas deficiencias e problemas que temos,mas abraçar Hugo Chavez é ser tolo.Entenda que a otica dele é que nosso pais é IMPERIALISTA REGIONAL e ele com essa doutrina faz nossos vizinhos ainda mais nos invejarem do que ja nos invejavam.Politicos sem carater existem em todo o mundo,mas o modelo politico que temos agora deveria aproveitar e focar no nosso desenvolvimento e assim se fazer querido pelo povo ao invez de bancarem governos externos,se meterem em problemas externos.”SE UNIR COM QUEM NÃO TEM NADA AOFERECER E SOMENTE IRA USUFRUIR É ASSUMIR PARA SI PROPRIO OS PROBLEMAS DOS OUTROS’.Pela primeira vez em nossa historia temos a oportunidade de realmente sermos uma Nação de primeiro mundo mas ao invez disso a classica retorica revolucionaria comunista onde existe somente reciprocidade e interesses comuns aos mesmos.Socialismo é perfeito em essencia como a Democracia tambem mas não existe.Comunista não tem patria,é um Internacional movimento.

  39. Chavez pode ser um populista, personalista e falastrão que gosta de cantar de galo, más por mais que não se goste dele, ditador ele não é …

    tampouco a Venezuela é uma ditadura, pois lá existe liberdade de opinião, de ir e vir, as eleições são democráticas e nunca se verificou irregularidades nelas,.

    Nenhum político na america latina passou por tantas eleições nos últimos anos como chaves e sendo semnpre aprovado pelo povo de lá.

    Se Chavez está no poder é porque o povo Venezuelano escolheu que fosse assim.

  40. E aí Maluqinho,

    Se vc realmente analisou meus comentários anteriores, não elogiei Chavez e muito menos falei que ele era maravilhoso.

    Não vivemos num mundo maravilhoso, muito menos a Venezuela, esse país ainda sofre com pobreza e violencia urbana, tem crianças afastadas das escolas, tem profissionais precisando serem reinseridos no mercado de trabalho, tem problemas imensos do tamanho do desafio latino-americano e da maior parte dos países subdesenvolvidos no mundo.

    Chega a ser desrespeitoso afirmar q eu abraço chavez, pois a última coisa q quero ser é panfletista para alguma figura política especialmente se ela é truculenta, controversa e tem pouca habilidade para o jogo de cintura para as correlações de forças internas e externas q existem em um país.

    Mas, antes de mais nada, sou pragmático socio-economicamente falando, e é fato comprovado por diversos organismos internacionais ligados à questão do desenvolvimento, que a venezuela tem apresentado melhoras significativas na sua infra-estrutua de serviços públicos, logósticos regionais e especialmente nos indicadores sociais.

    O país venezuelano, está longe de ser desenvolvido ou plenamente democrático, mas tem caminhado para uma nova abordagem estratégica nacional, tentando se utilizar de suas vantagens iniciais no ramo petrolífero, para sofisticar e ampliar seus investimentos ganhando vantagens comparativas no próprio cenário sul-americano, em setores q antes sequer recebiam prioridade da política pública oficial.

    Seus erros, graças a Chavez ainda são muitos, como todas as falhas de sistema e estrutura política e administrativa que já enumerei acima, além da sua tentativa forçada em ideologizar com o Comunismo as instituiçoes coisas q Bolivar, não aprovaria se estivesse vivo.

    Aliás, muita hipocrisia é desferida pelas palavras desse senhor, já q o socialismo do séc.XXI não alterou o status quo de tudo, e ainda por cima não tem um fundo de atuação que seja realmente socialista.
    Todas as medidas até hoje, menos suas roupas, são de caráter capitalista combinando formas de intervencionismo estatal e alianças privadas, misturando algumas nuances partidárias.

    Mas, como passamos pela guerra fria sem uma hecatombe nuclear, e com isso uma nova ordem mundial de diferentes polos de poder cada vez mais passam a surgir, apresentam-se também os acertos ,na minha opinião, de Chavez.

    Ao diversificar suas parcerias comerciais e tecnológicas, formando pólos de interiorização do crecimento econômico, com incipientes polos de pesquisa e apicação cientifica, elevando a função do Instituto nacional de estatisticas venezuelanos a funçoes de mapeamento do territorio para prospectar futuros projetos de investimento, e com isso puxando os APLs (arranjos produtivos locais) em q se utilizando dos potenciais (naturais e humanos) das diferentes regioes nacionais, cria-se parques para a industria de bens de produção, com destaque para participação dos acordos com a Abimaq, e buscando fechar o circuito, mesmo sofrendo grandes gargalos logísticos, que tentam ser compensados por outras iniciativas de menor porte.

    Abraços

  41. Desculpe-me amigo…A Venezuela é o 5 maior produtor de petroleo e vende seu petroleo para alimentar a maquina Americana e o que rola la é um lunatico que sonha ser Bolivar libertador de oprimidos contra Imperialistas e como sempre afirmei,na otica dele nós somos imperialistas.Espero que a Venezuela resolva seus problemas assim como a Colombia,so não aceito é que nos metamos nos problemas dos outros.Assim como tambem não aceito que nosso pais sendo o maior produtor e exportador de grãos e carnes do mundo tenha filhos que morrem de fome.Ate mesmo aquilo que não se fazia e agora se faz com a distribuição de cestas basicas não atinge a grande maioria que realmente necessita.Quanto a Latinos como ja escrevi de mim não receberião nada.Sempre lucraram muito as nossas custas e sempre compramos a maior parte das porcarias que eles produzem,mas bastou começarmos a lhes vender mais,não aceitaram.No começo se inflamaram por Chavez contra nós,agora com a 4 frota no Atlantico Sul e Anglos tambem,ate Argentinos que a muito tempo se pudessem ja teriam bebido nosso sangue,sorriem para nós e veem em nós sua unica proteção frente a Inglaterra.Muitas vezes prestamos mais atenção com nosso olhar Cristão a todo aquele inferior e a ele nos prontificamos a ajudar.Sou contra que se ajude a esses invejosos e sou a favor que se ajude a Africa que agoniza e sofre com fome e doente e o mundo Ocidental pouco se importa.Se caminharmos por nossas proprias pernas teremos muito mais a ganhar que nos unirmos com trairas.

  42. Caro Maluquinho, respeito tua opinião, mas a questão é justamente essa, não pelo fato de precisarem de alguma “ajuda” ou algo parecido, mas atuamos porque fazemos parte e extensão territorial da placa continetal sul-americana da mesma forma que todo projeto visando a integração é um meio a mais para que nós mesmos tenhamos acesso estratégico as saídas marítimas e fluviais diversificadas na região, dando oportunidade de escoamento da nossa produção de bens e serviços de maneira coesa com nossa proposta de crecimento econômico dentro de um continente que se for um bagaço logistico, vai criar defasagens para os nossos próprios interesses de desenvolvimento e expansão industrial-comercial.

    Temos a nossa volta, historicamente o mais direto mercado para a internacionalização das empresas e negócios financeiros, sendo responsáveis pelos maiores supervits na balança comercial e de pagamentos em termos relativos, pois são etruturalmente o porto seguro de muitas das pré-estratégias empreendedoras de capilarização, ou ganho de rede em clientes e fornecedores pelo mundo. O território e os países latino-americanos não são apenas aqueles q olhamos com visão de bom samaritano, mas aonde podemos ganhar inúmeros contratos e fechar importantes parcerias tecnológicas e até científicas, agregando conhecimento de prospecção com investimentos externos corporativos-governamentais, além de criar uma esfera mínima de influência política favorável, q por mais q possa ser confrontada jamais é totalmente quebrada e reduz os riscos de intervencionismos internacionais no âmbito de estados-satélite.

    Aos exemplos históricos, a Argentina nos quis afundar e nós o mesmo dela até a Guerra das Malvinas e as assinaturas dos protocolos do Mercosul, que troxeram o bom senso para a mesa de negociações sem eliminar assimetrias políticas e ideológicas, mas reduzindo animmosidades belicosas e posteriormente mostrando a lucratividade tanto humana quanto econômica, q era aumentar os fluxos de investimento mútuo em serviços de infra-estrutura e na capacidade produtiva diretamente ligada ao estoque de capital, aonde o Brasil ganhou vantagens competitivas para suportar a concorrência global dos industrializados e importados, no médio e longo-prazo.

    Não estou dizendo q a Argentina foi boazinha nessa permissão, não estou dizendo isso até mesmo pq até hoje eles tem pretensões hegemônicas como qualquer outra nação de grandes potenciais. Mas houve a necessidade da convergência de interesses num dado momento aonde o jogo em conjunto aumentaria os poderes de barganha individuais frente a outros grandes blocos, uma vez q o jogo seria de mão dupla aonde há penetrações também há concessões, sendo atrente para o fortalecimento da oferta e demanda internas argentina participar da dinâmica econômica brasileira e vice-versa, desenvolvendo suas potencialidades em conjunto mesmo que bem desequilibradamente.

    Abraços

  43. Meu caro amigo te compreendo em tudo e acho que se a maioria das pessoas pensassem com voce teriamos um mundo melhor…Mas apesar de habitar-mos a mesma placa tectonica e estarmos no mesmo continente somos outro povo com outra cultura e historia…Sempre buscamos ajuda-los e sempre menosprezaram nossa ajuda e sempre tambem nos invejaram muito.Porque justamente agora que poderemos ter a possibilidade de acabar-mos com nossas desigualdades sociais e nossa nação eles sorriem pra nós e muitos de nós se influenciam por eles?O Governo Brasileiro sempre ajudou ate monetariamente alguns governos latinos ex: Suriname,Bolivia,Paraguai,Equador entre outros.Sempre ajudamos.Somos continente de povos simples,humildes e com grandes dificuldades.Voce acha que se abrir-mos nossos cofres a eles resolveremos seus problemas ou ficaremos sem nada e na mesma situação?Por laços diretos sanguineos somos muito mais proximos de Africanos do que deles.Temos 190 milhões de bocas a alimentar e cuidar.Sempre ouvi a oposição usar nossos descamizados como argumento politico e agora os vejo na situação muito mais interessados nos assuntos externos que nos nossos.A situação é seria.No maior produtor de Carnes e grãos do mundo pessos ainda morrem de fome e isso é muito injusto.Cuidemos primeiro dos nossos e depois pensemos nos demais…Abraços grande amigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: