Articles

Proposta de participação Brasileira no Gripen NG

In Aviões de Combate, Defesa, Negócios e serviços on 10/08/2010 by E.M.Pinto Marcado: , ,

https://i1.wp.com/i267.photobucket.com/albums/ii309/akivrx78/gripen_ng_br.jpgSugestão: Willian Nakamura

Anúncios

35 Respostas to “Proposta de participação Brasileira no Gripen NG”

  1. Verdadeiro milk-shake, colcha de retalhos, new gambiarra, jpeg recauchutado, radar deficiente, ou seja, projeto morto, que a India, Holanda,Noruega,Dinamarca, se recusaram.
    Portanto nem Brasil topa este angu com caroço…rsss

  2. E considero q a EMBRAER está apta a produzir um gripen sózinha,talvez , um aviônicos de um ou outro páis;e as turbinas q temos + ñ produzimos por considerar as mesmas anti econômicas..nem tentamos.

  3. E=eu

  4. hummmm,interessante…vamos ver o q vai dá….

  5. Trata-se de um folder de ficção, porque essa caça não será mais construído.

  6. O brasil que vai se danar todo como sempre kkkkkkaaaaaaaaaaa

  7. Vai ser mais nacional do que o Rafale.

  8. O processador do Rafale é fabricado pela Intel e o GPS e de quem mesmo dos gringos ou da França.Agora faltou inserir o Rafale e seus fornecedores estrangeiros, fica ai a sugestão Pinto.

  9. Uma so bandeirinha americana..fincada no coracao do projeto como um punhal; MOTOR. Sem essa bandeirinha a geringonca nao voa.
    Haviam mais bandeirinhas mas foram sendo retiradas toda vez que a SAAB faz sua progandinha pelo Brasil; e foram adicionando bandeiras brasileiras como se o Brasil teria toda essa parafernalia disponivel.

  10. de que pais e a bandeira azul solida? Euro?..que pais e este.

  11. Jackson, sobre o tal processador e ao contrário do que se diz,a França produz sim, A alcatel é capaz de produzir estes sistemas sem menores problemas e pode substituir o tal intel se assim o desejar quanto ao GPS volto a frisar a Europa tem um sistema equivalente o Galileu do qual a França também faz parte e assim como a Suécia pode a qualquer operar em duplicidade o que de fato é mais uma segurança.
    Portanto não é deficiência é vantagem, dois sistemas de orientação de armas.
    sds
    E.M.Pinto

  12. Não produzimos as turbinas ainda, porque não dominamos o processo de manufatura dos mesmos. O Governo deveria dar o suporte inicial pois faz muito estardalhaço, mas investe pouco em ciência, tecnologia e inovação.
    Existe um projeto pioneiro da empresa brasileira Polaris Engenharia que desenvolveu um primeiro protótipo de turbina com engenheiros do Centro Tecnológico de Aeronáutica (CTA),são necessários pelo menos R$ 117 milhões até 2014 para outros protótipos, com outras potências – a primeira tem potência de 1.300 HP. O senador Augusto Botelho (PT-RR) pediu o apoio do governo para o projeto. Eu gostaria de saber dos amigos, se alguém sabe se essa verba foi liberada para esse fim, ou continua tudo na mesma enrolação !!!!

  13. Este é o famoso “GRIPENSTEIM”, uma mescla de Gripen com Frankenstein. Logo o coração vem dos EUA…tô fora!

  14. E.M.Pinto me permita fazer uma correção ao Jakson,primeiro que o processador do Rafale não é um X86,ou seja arquitetura Intel ou AMD,e sim um IBM com arquitetura Risc,que ao contrário do X86 tem uma ampla gama de fornecedores,Alcatel,Hitachi,Nec,tanto na Asia,europa,e até no brasil,me parece que existe uma fábrica que era da motorola e que o governo comprou,e fica situada no RS,cara,em vez de vc ficar falando,o rafale não faz isso,o rafale não faz aquilo,mostra cara o que o gripen faz,segurança nacional não é brincadeira,ou coisa de torcida,o gripen é um caça da classe do F-16,não tem o que comparar com o RAFALE ou o F-18,cara se eu fosse infantil a esse ponto de sair caçando noticias ruins do gripen eu teria muitas a apresentar,acho que seria bem mais construtivo vc gastar o seu tempo e energia mostrando dados do gripen,do que ficar nessa de fofoqueira,ah o rafale não faz isso,o sukkoi faz,se tive isso e se tivesse aquilo,cara não confunda politica com segurança nacional,não é porque o lula fez e vc tenha outra preferencia que invalida o que foi feito por ele,até porque se formos por esse lado teriamos muito o que reclamar do atual candidato da oposição,volto a repetir são essas coisas que não deixam o país avançar,por fanatismo ou burrice as pessoas tendem a desprezar ou até mesmo a descontinuar algo bom,só porque o outro não era da situação.
    Conselho amigo procura algo sobre o gripen,pra enriquecer o debate,olha como seria bom se vc chegasse e dissese:
    “O gripen faz isso,o gripen é superior ao rafale nisso”,olha a diferença!
    Melhor do que

    “O Rafale não faz isso,o rafale não faz aquilo,o rafale tem peças americanas,e tal”
    Cara as peças do rafale que são americanas,podem ser substituidas,o clico de produção do caça,software,engenharia da célula,turbinas,canhão,misseis,são franceses.

    Por favor não me venha daqui a pouco dizendo que o Rafale usa sistema da Microsoft,porque será d+.

  15. Tem outra a bateria dos nossos submarinos será feita no brasil,com a transferencia francesa,já existe até a empresa no qual a transferencia já se encontra bem avançada,agora só falta aparecer alguém dizendo que é a mesma coisa que uma bateria de carro!
    Adianto é algo extremamente completo,e poucas empresas no mundoooooooo tem essa capacidade,e teremos uma dessas poucas no brasil.

    Vamos lá :

    – No início das discussões, imaginou-se, por exemplo, que não seria possível produzir um aço especial sem costura para tubos de torpedo, um dos armamentos que vão equipar os submarinos. Mas depois provou-se que é possível fazer esse aço no Brasil. Eduardo Fantin, diretor da Bardella Indústrias Mecânicas, disse que o Prosub poderá oferecer oportunidades para a indústria nacional na fabricação de componentes para os submarinos.

    Isso é transferencia de tecnologia e não conversa de vendedor!

    -A Jaraguá tem interesse em produzir partes estruturais dos submarinos e participar na construção do estaleiro. Umberto Gobbato, diretor superintendente da WEG Automação, afirmou que a empresa mantém entendimentos com a Marinha para fornecer sistemas de propulsão elétrica para os submarinos. “A WEG foi consultada pela Marinha para aumentar índices de nacionalização de sistemas de propulsão elétrica”, disse Gobbato.O mais difícil a ser feito no Brasil é o sistema de armas, reconhece o almirante. Segundo Fragelli, o processo de transferência de tecnologia está em andamento.

    Esse é o resultado do trabalho do Lobim,que sengundo alguns pseudos especialistas não sabe nada de defesa!

    -Este mês a Marinha vai mandar 26 engenheiros navais para a França, onde ficarão um ano e meio participando de curso da Marinha francesa para aprender a projetar um submarino nuclear. Em 2011, irão mais 20 engenheiros e, em 2012, outros 20. “Esse será o núcleo que vai receber toda a transferência de tecnologia que os franceses vão passar para o Brasil.”Um exemplo de parceria na área de transferência de tecnologia é o da Saturnia Sistemas de Energia, com fábrica em Sorocaba (SP).

    A diferença da Marinha para a FAB:

    Para o almirante Fragelli, é importante que a Saturnia obtenha a transferência de tecnologia da Sunlight.Fragelli disse que o contrato de transferência de tecnologia é o mais importante (entre os acordos assinados com a França) porque, depois de capacitado, o Brasil não vai depender de outro país para fazer submarinos convencionais e nucleares.

    Obs,aprendendo com o que existeeeeeeeeeeee,sem riscos,se os defensores do caça maravilha defendem tanto o baixo preço em detrimento de um caça superior,como querem se arriscar a bancar algo que não se sabe quanto vai custar!

    É muita infantilidade,num assunto sério!

  16. Geração de empregos para os nossos irmãos de SP,tb será gerados empregos no RJ e no RS.

    Segundo ele, a empresa terá de investir entre US$ 1,5 milhão e US$ 2 milhões para ampliar a fábrica de Sorocaba e produzir as baterias dos novos submarinos. No passado, a Saturnia produziu as baterias para os submarinos convencionais do tipo IKL-209, desenvolvidos no Brasil a partir da importação de uma unidade da Alemanha. No acordo com a Alemanha, houve transferência de tecnologia e as baterias foram feitas no Brasil. Procurada, a DCNS disse que não iria comentar o assunto. Para o almirante Fragelli, é importante que a Saturnia obtenha a transferência de tecnologia da Sunlight.

  17. Olha essa figura aqui,vc vai ver o que tem de compontende de cada país em cada caça,olha a diferença entre componente critico e não critico,jakson.

    http://www.alide.com.br/wforum/viewtopic.php?f=3&t=1765&start=4290

    Segundo Jakson como te falei o processador do Rafale não é um intel,de onde vc tirou isso:

    OS processadores utilizados nos MDPU dos Rafale são de tecnologia PowerPC(arquitetura RISC)

  18. Barca,o processador de fato é um IBM,falha minha.Produzir um processador não e tão facil como você afirma do contrario a França ja teria um.

    “Cara as peças do rafale que são americanas,podem ser substituidas”.
    As do Gripen tambem, inclusive a turbina(a Saab estuda o uso da EJ-200).Quando são as peças da santa jaca elas podem ser substituidas,ja as do gripen nao.
    Se o rafale é tudo isso como você afirma então porque em vinte anos ele não foi vendido pra nenhum outro pais alem da frança.
    Quer saber sobre escolhas erradas,estude o F-111 na USAF.

  19. Jakson vender ou não vender,não desqualifica um vetor,se fosse assim o F-22,seria um lixo de caça.

  20. Jkson vou te fazer uma pergunta,vamos supor que haja um conflito com o titio chavez,coisa que acho improvavel,mas vamos por hipotese imaginar,e vc sendo piloto da FAB,qual caça vc iria escolher pra bater de frente com um SUKKOI um gripen,ou um Rafale dotado de Spcetra,pra cegar o bom radar do SUKKOI,caso não conseguisse,seria uma luta de igual pra igual,diferentemente do gripen,vc encararia um Sukkoi com um gripen de frente,num dogfight classico,vc não acha que nessas horas a suposta economia sairia caro!

  21. No mais um abraço amigo!

  22. Sei que as vezes batemos de frente,mas quero dizer que é só sobre os caças,respeito vc e considero vc como amigo de blog,nunca atacaria vc seja de forma direta ou indireta.

    Um abraço!!!

  23. Somos o Flamengo e Vasco do Blog,ou Corinthias e Palmeiras…rsrs

  24. BARCA :Jakson vender ou não vender,não desqualifica um vetor,se fosse assim o F-22,seria um lixo de caça.

    Cara BARCA ai devemos lembar que o F-22 não foi vendido e nem sera vendido a nenhum pais .por escolha dos americanos já o rafale foi oferecido a DEUS eo mundo e ninguem comprou ;só um pais tem intessões de comprar o rafale de fato e é …..

  25. Pra quem os gringos ofereceram o F-22,ao que consta pra ninguem.olha uma opinião tecnica.

    Caça francês Rafale é ´´grande mico“, afirma analista
    http://www.band.com.br/jornalismo/brasil/conteudo.asp?ID=252959

  26. BARCA em 10/08/2010 às 22:21

    “Jakson vender ou não vender,não desqualifica um vetor,se fosse assim o F-22,seria um lixo de caça.”

    Barca, a diferença é que o F-22 não vende porque a sua exportação é vetada pelo governo americano. Senão já teria sido adquirido pelo Japão, Israel e possivelmente Australia (mesmo custando os olhos da cara).

    Já o Rafale não vende porque é um elefante branco, ninguem quer :-)

  27. Jaka Troll,

    Rafale é essencialmente francês, principalmente aviônicos, sensores, motor, radar…
    o que não acontece com o gripim milk-shake, o essencial é de outros países.
    Até o meu porteiro entende isso, tá difícil??

  28. Engine/APU – Esse é o chifre do “demo”, é o grande problema para o Brasil, sem ele a porqueira não voa e nas cores da FAB, vai ter muito pano pra manga. Não tá dificil de entender, mas infelizmente tem bloquista que é tapado. EJ-200 é inglesa, e não vai ser aplicada em nada que contrarie os EUA.

  29. Mad Dog :
    Jaka Troll,
    Rafale é essencialmente francês, principalmente aviônicos, sensores, motor, radar…
    o que não acontece com o gripim milk-shake, o essencial é de outros países.
    Até o meu porteiro entende isso, tá difícil??

    Ja se vacinou cachorro doido,estamos no mes do cachorro doido.

  30. E ninguém quer o projetinho Gripen NG…vide Suíça, Romênia, Dinamarca, Holanda, Noruega, India e muito menos o Brasil…
    Suécia vai de gripens C atualizados por mais uns 20 anos…até lá Saab estará ainda viva??…sei não hein…

    Daqui a pouco o leasing de Hungria e Rep.Tcheca termina e poderão devolvê-los…rsss
    Só vai sobrar Tailandia e Africa do Sul com essa banana….
    Torça pra India não comprar os Rafas pq a compra deles mais a nossa chegarão a quase 300…

  31. Sobre esse quadro, que já foi divulgado à um bom tempo, reflete bem a filosofia que norteou o desenvolvimento do Gripen. NÂO REINVENTAR A RODA. FOCO no custo de desenvolvimento, FOCO no custo de manutenção, entregando uma aeronave capaz de bater de frente com um SU-27/30 (lembrar que esse caça foi desenvolvido na época da guerra fria).

    Destacaria o retângulo abaixo do desenho do caça, que entre outros itens, me chama a atenção esses:(Radar Cross Section, Design Authority, Aerodinamics e EletronicWarfare) esses itens a SAAB tem capacidade de entregar e seriam os itens mais interessantes. Fora o aspecto de engenharia que eu gostaria de ver os nossos quebrando a cabeça para resolver, não apenas assimilar o produto feito.

    Mas isso é história agora, aguardemos o produto francês.

    []’s

  32. Nick quanto ao domínio de tecnologia de redução do RCS todos os 3 dominam.
    Nem preciso falar da Boeing, mas veja, a França foi a primeira nação a lançar no mar um navio de guerra Stealth as Fragatas La Faiete.
    O mesmo se diz da Dassault no programa Rafale D e Neuron e sem contar no ATD-X(japonês) cujos desenvolvimentos e ensaios em câmaras anecóicas foram efetuados na França.
    A questão que concordo com você é esta, quanto e o que estará disponível e será efetivamente transferido para o Brasil? seja quem for o vencedor.
    Sds
    E.M. Pinto

  33. Caro Edilson,

    Os 3 tem essa competência e conhecimentos sobre tecnolgia de furtividade, inclusive a proposta da Dassault contempla esse item. Estava apenas destacando que a proposta da SAAB também contempla esse item, que para mim é importante em um eventual pacote de offsets para a Embraer.
    Se nós temos realmente a ambição de no futuro participarmos no desenvolvimento de um caça de 5/5.5ª geração, esse OffSets do FX-2 seria extremamente importante nisso:

    Aerodinâmica Supersonica
    Materiais compostos
    Tecnologia de furtividade

    Com a Embraer e outras adquirindo esses conhecimentos, ela poderia projetar um caça furtivo, se o GF e FAB assim o quise$$e. Claro, tem a questão dos sistemas embarcados como o radar e motores, mas sou bem mais cético que alguma empresa nacional seja capaz de absorver essas tecnologias a curto/médio prazo. Resumindo, em um horizonte não muito longo, a Embraer seria capaz de desenvolver conjuntamente com outra empresa um caça de 5ª geração. Mas este não teria 100% dos sistemas nacionais. Seria algo como o SuperTucano, ou o KC390. Por isso não vejo a questão do offsets de componentes do Gripen serem tão importantes. Queremos um radar AESA nacional? Faça-mos um programa específico, algo como o programa do A-Darter. Minha visão.

    []’s

  34. Nick estamos 100% de acordo.
    sem tirar nem por.
    Sds
    E.M.Pinto

  35. BARCA VC QUER DIZER Q A FAB É BURRA,ENTÃO PORQUER A FAB COLOCOU O GRIPEN NO FX-2 JÁ Q VC DIZ Q NÃO PRESTA PARA O NOSSO PAÍS?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: