Articles

BRASIL – Usinas de urânio receberão R$ 348 mi

In Energia, Geopolítica, tecnologia on 11/08/2010 by Comandante.Melk Marcado: , ,

Matéria-prima. País precisa enriquecer urânio para abastecer nove usinas nucleares até 2034, entre as quais está a de Angra

Brasil é um dos poucos países que tem reserva de urânio e sabem enriquecê-lo

Para o País poder exportar urânio enriquecido até o fim da década e superar o atraso no plano de dominar o ciclo do combustível nuclear em escala industrial, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou a inclusão no Orçamento do ano que vem, o primeiro de seu sucessor, de um investimento de R$ 127 milhões, informou o ministro Sérgio Rezende (Ciência e Tecnologia).

O programa nuclear brasileiro foi assunto de reunião reservada de Lula com um grupo de ministros há duas semanas. A autossuficiência no ciclo do combustível nuclear, planejada inicialmente para 2013, foi descartada na reunião. A meta agora é atingir esse objetivo no ano seguinte, mas isso depende de investimentos no primeiro ano de governo do sucessor de Lula, contou o ministro.

Os R$ 127 milhões da conta apresentada por Rezende no encontro com Lula são a primeira parcela do dinheiro necessário para ampliar a escala de conversão do concentrado de urânio em gás, numa etapa intermediária do enriquecimento do urânio ainda feita totalmente no exterior, e também para aumentar a fabricação de ultracentrífugas. O custo total das novas fábricas é de R$ 348 milhões em três anos.

“O valor necessário durante o primeiro ano é pequeno, e o presidente determinou que seja colocado no Orçamento para que o programa nuclear não atrase mais”, relatou Sergio Rezende ao Estado.

As necessidades de consumo de urânio enriquecido foram estabelecidas com base na expansão no número de usinas nucleares no País. Além de retomar as obras de Angra 3, cuja construção ficou interrompida desde 1986, o governo estuda a construção de pelo menos mais quatro usinas, de 1.000 MW (megawatts) cada, até 2034. As duas primeiras são projetadas para o Nordeste, provavelmente às margens do rio São Francisco.

Embora polêmico, o enriquecimento de urânio é positivo porque agrega valor ao minério. O Brasil é um poucos países que detêm grandes reservas e também sabe enriquecê-lo.

Nove usinas. Projeções levadas a Lula mostram que o País precisa enriquecer urânio para abastecer nove usinas nucleares até 2034. Mas as mesmas projeções indicam a produção de excedentes de concentrado de urânio, gás hexafluoreto e urânio enriquecido, respectivamente, a partir de 2012, 2014 e 2018.

“A exportação de excedentes é uma possibilidade”, diz o ministro de Ciência e Tecnologia. Dados levados a Lula defendem o enriquecimento do urânio no País: “A tecnologia da ultracentrifugação é dominada por um pequeno número de países e não está disponível para a compra, agrega substancial valor ao urânio pois representa 35% do custo de produção do combustível para as usinas nucleares”, argumenta o documento.

No mês que vem, deverá ser inaugurada no interior de São Paulo a primeira fábrica piloto de conversão de concentrado de urânio em gás hexafluoreto. A unidade construída na área da Marinha, em Aramar, tem capacidade de produção de 40 toneladas por ano. Mas a meta é multiplicar a produção para 1.500 toneladas por ano.

A nova fábrica de ultracentrífugas também ficará na área da Marinha. As ultracentrífugas serão montadas em Resende (RJ), onde já operam três cascatas de enriquecimento de urânio a 3,5%, porcentual usado no combustível nuclear. Cerca de 90% do enriquecimento do urânio consumido nas usinas de Angra dos Reis ainda é feito na Europa.

PONTOS-CHAVE

Prazo
A autossuficiência no ciclo de combustível nuclear, planejada inicialmente para 2013, deve ser atingida no ano seguinte. Mas isso depende dos investimentos do próximo governo.

Demanda
As necessidades de consumo de urânio enriquecido foram estabelecidas com base na expansão no número de usinas nucleares no País. A projeção é de nove usinas até 2034.

Fábrica piloto
No mês que vem, deverá ser inaugurada no interior de São Paulo, a primeira fábrica
piloto de conversão de concentrado de urânio em gás hexafluoreto.

Capacidade
40 toneladas
por ano é a previsão da capacidade de produção da fábrica piloto que será construída na área da Marinha, em Aramar,

Dependência
As novas ultracentrífugas serão montadas em Resende, onde operam três cascatas de enriquecimento. Cerca de 90% do urânio consumido nas usinas de Angra é feito na Europa.

Fonte: Estadão

Anúncios

9 Respostas to “BRASIL – Usinas de urânio receberão R$ 348 mi”

  1. o reator do sub nuclear brasileiro ..precisara de enriquecimento do urânio a que porcentagem ???

  2. Xtrem em outra oportunidade falei sobre isso.
    Apenas 7%, o que a Marinha busca é uma usina geradora de energia para alimentar as baterias portanto não precisa de muita percentagem de enriquecimento.
    a 20% seria ariscado de mais para um submarino
    sds
    E.M.Pinto

  3. thanks ;)

    E.M.Pinto.. não tem como colocar plugin para procura e editar comentário(s) ???

  4. E.M.Pinto, como ficou aquele projeto da quarta usina nuclear que seria executado no centro oeste. faltou averba ficou pro proximo GF ou foi extinto protelado como tantos outros projetos importante para o pais? abraços

  5. Calheiros, de que sei a planos para 50 nucleares, mas não vou te confirmar, perguntarei ao nosso acessor no tema energia, Edu Nicácio.
    em breve ele te responde essa.
    Sds
    E.M.Pinto

  6. E q esse ciclo seja o + rápidamente dominado, td cuidado é pouco, o silêncio vale ouro(urânio enriquecido ).Sds.

  7. E.M.Pinto :
    Calheiros, de que sei a planos para 50 nucleares, mas não vou te confirmar, perguntarei ao nosso acessor no tema energia, Edu Nicácio.
    em breve ele te responde essa.
    Sds
    E.M.Pinto

    E q as mesmas sejam espalhadas pelo pais, seriam alvos facil se em um único lugar.

  8. Como colocado no artigo que escrevi, há duas possibilidades para o futuro da energia nuclear no país:

    1º – O Brasil, crescendo à taxa de 5% ao ano pelos próximos 20 anos, demandará mais energia do que temos hoje, e, provavelmente, teremos essa taxa de crescimento e mais 8 novas usinas, construidas com tecnologia nacional, até 2030. Há hoje um projeto para a próxima central nuclear, que ficará no Nordeste, e contará, de início, com duas novas usinas com aprox. 1 GWe de capacidade de geração. Uma entra em operação em 2019 e a outra, em 2021. Se a demanda continuar subindo, provavelmente o Governo Federal construirá mais duas unidades, totalizando 4 GWe até 2030.

    Segundo as informações do ministério de minas e energia, o GF também estuda a instalação de uma nova central nuclear no Sudeste, nos mesmos moldes da Central Nuclear do Nordeste, em área ainda a ser definida (como o projeto original com a Alemanha, que previa a construção de uma centrao nuclear em Iguape, litotal sul paulista). Uma possibilidade ainda não comentada para o Centro-Oeste seria a instalação de usinas de biomassa, que aproveitaria palha e bagaços de soja, milho, cana, etc, para a geração de energia.

    2º – Segundo o Ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, o país demandará, até o ano 2060, de aprox. 500 GWe de capacidade instalada (ou 4 vezes, aproximadamente, o que temos hoje). Seguindo a lógica de que o GF quer que 10% da energia produzida e consumida no país venha de fonte nuclear, podemos prever, para o horizonte de 50 anos (2010 [retomada de Angra III] até 2060 [Brasil como a 3ª maior economia mundial]) um parque instalado de 50 novas usinas nucleares, com capacidade média de geração de 1 GWe, todas de projeto e construção nacionais, totalizando 50 GWe, ou aprox. 37% de toda energia que é produzida no país hoje.

    A se confirmarem esses números, podemos prever milhares de empregos diretos gerados nos próximos 50 anos somente no setor nuclear brasileiro, que empregará mão de obra especializada (e bem remunerada) em minas, unidades de beneficiamento de minério, unidades de conversão em gás, unidades de enriquecimento, unidades de montagem do combustível, usinas nucleares, logística de material combustível, controle de usinas, etc. Podemos prever que, em breve, haverá novos e melhores cursos, nas universidades e escolas técnicas, voltados à energia nuclear (Engenharia Nuclear, Tecnólogo em Energia Nuclear, Técnico em Energia Nuclear, etc) e petróleo, com o advento do pré-sal.

    Para tudo isso, volto a repetir, falta vontade política para investimentos em pesquisa e desenvolvimento, pois a capacidade de “fazer” já mostramos que temos!

    Para saber mais:

    •Ministério de Minas e Energia:
    http://www.mme.gov.br/mme

    Brasil deve ter até oito usinas nucleares até 2030:
    http://www.mme.gov.br/mme/noticias/destaque2/destaque_0074.html

    •Eletronuclear:
    http://www.eletronuclear.gov.br/

    Novas centrais nucleares:
    http://www.eletronuclear.gov.br/cnn/centrais.php

    Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (Angra):
    http://www.eletronuclear.gov.br/tecnologia/index.php

    Abraço.

  9. Edu; mandou bem, com as estalações destes estaleiros por todo o nordeste, a Chesf não dará conta no fornecimento de toda a energia necessaria ao consumo efetivo.Haja visto que so em pernambuco serão dois estaleiros,um em Alagoas e outro no Ceará, imaginem todos trabalhando e produzindo, a quantidade de mão de obra empregado todo mundo gastando naquele calor danado haja energia será tudo de bom para o nosso tão esquecido pais tupiniquin.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: