Articles

MMRCA – Novas informações e dúvidas

In Aviões de Combate, Defesa, Negócios e serviços on 11/08/2010 by E.M.Pinto Marcado: , ,

https://i1.wp.com/www.armedforces-int.com/upload/image_files/corporate_policy/images/projects/29/eurofighter-typhoon.jpg

Sujestão: Justin case (Brasil) e Thierry Vareilles (França)

Texto: E.M.Pinto – Plano Brasil

Segundo informações não confirmadas de fontes indianas, no início deste mês a Força Aérea Indiana  teria sinalizado ao governo seus favoritos na concorrência MMRCA (Medium Multi-Role Combat Aircraft) a aquisição de 126 caças.

A informação aqui postada tem como fonte o site Indiano Live Fist mas também confirmado pelo Defense Update, e pelo site Defense Profissionals. Porém desmentida pela Janes.

Segundo o Life fist, numa classificação não oficial, a Força Aérea Indiana já teria estabelecido quais aeronaves passariam para a fase seguinte no processo de escolha do MMRCA e quais já teriam sido desclassificadas.

Segundo uma fonte do Live Fiste que classificou a situação dos caças mediante a cores de forma a ilustrar melhor a situação algumas aeronaves ditas como favoritas já teriam sido

https://i2.wp.com/www.mamboccv.com/Mig35_154_090214-5.jpg

Sendo assim segundo o periódico  teriam recebido a luz vermelha os caças MiG-35, F-16 e Gripen, que por sua vez estariam fora da concorrência, as razões seriam de que o  caça russo (MiG-35) perdera posições  por não ser ” ocidental” e nem “moderno” e também pelo fato de sua turbina não ter demonstrado um bom desempenho nos testes.

https://pbrasil.files.wordpress.com/2010/08/f-16inblock70_lockheedmartin.jpg?w=300

Por sua vez o caça o americano (F-16 IN) estaria fora por não ser moderno e não vislumbrar futuras evoluções por estar no limiar do seu desenvolvimento. Estas acusações foram rebatidas pela Lockheed Martin, fabricante do F 16 IN e a matéria foi também postada no Live Fist.

O Sueco Gripen NG IN, muito semelhante ao que está sendo oferecido à Força Aérea Brasileira no interminável FX-2, foi descartado por apresentar problemas no radar e por não preencher as necessidades indianas, segundo a fonte, outro argumento pesou contra o Gripen NG IN, o fato dele ter sido considerado uma plataforma muito similar ao Tejas aeronave de caça leve indiana que se encontra em desenvolvimento o que segundo a nota inviabilizaria a sua aquisição.

https://i0.wp.com/cavok.com.br/blog/wp-contents/uploads/2010/04/gripen_india.jpg

Recebeu a luz amarela o  caça F/A-18E/F Super Hornet,que segundo a fonte correria por fora apesar de estar em desvantagem técnicas perante os demais concorrentes o F 18 EF conta com o apoio político, uma vez que a Índia procura uma aproximação com os EUA, desta forma a escolha política e não técnica daria vitória ao F 18EF.

https://i2.wp.com/www.imotion.com.br/imagens/data/media/81/237F18.jpg

Fontes afirmam que o F 18 EF teria tido problemas em operar a grande altitude em Leh  e que seus confiáveis motores TF 414 teriam apresentados sucessivos problemas, o mesmo fora relatado para o Mig 35, curiosamente as duas aeronaves consideradas mais robustas.

Teriam recibido então a luz verde o caças Eurofighter Typhoon e Dassault Rafale por preencherem todos os requisitos operacionais desejados pela  Força Aérea Indiana,As aeronaves teriam sido muito bem avaliadas em todas as provas reais de operação e sem apresentarem problemas.

Pesa ainda a favor de ambos o fator político, é de conhecimento geral, uma vez que a Índia procura uma aproximação com o ocidente.

Não há confirmação oficial destas informações entretanto muito do que está apresentado aqui  já vem sendo divulgado por outros meios de comunicação. O  relatório oficial  da Força Aérea Indiana pode demorar ainda algumas semanas para ser entregue até lá vamos aguardar por mais  informações.

https://i1.wp.com/picture-photo.net/wp-content/uploads/2010/03/Eurofighter_Typhoon_savas_ucaklari_2-e1267566896827.jpg

Uma informação adicional é de que de fato a Força Aérea Indiana poderia adquirir mais de 200 aeronaves e não apenas 126 como previsto anteriormente.

https://i0.wp.com/www.ar.admin.ch/internet/armasuisse/en/home/aktuell/evaluation_tte/rafale/fotos/test_rafale.parsys.16357.downloadList.36668.DownloadFile.tmp/rafale0809.jpg

Curiosidade: o periódico apresenta a foto dos respectivos comandantes das marinhas Indiana e Brasileira  os almirantes General VK Singh e Júlio d eMoura Neto, e sugere a seguinte pergunta:

“Alguém pode sugerir algo para a legenda da figura?”

https://pbrasil.files.wordpress.com/2010/08/army-718279.jpg?w=300

As fontes estão citadas no texto

Anúncios

33 Respostas to “MMRCA – Novas informações e dúvidas”

  1. Fizeram td os testes no rafale por nós, então q agr deem logo a decisão do Fx 2..a FAB precisa a segurança do BRASIL ñ pode + esperar.Sds.

  2. A saida do MIG-35 era obvia, os indianos diversificam seus fornecedores pra dificultar um eventual embargo.
    Quanto a falha do radar me parece um erro de tradução ja que os indianos argumentam que o gripen esta fora de seu “radar ou seja interesse” como o texto argumenta ja existe o tejas como caça leve que esta sendo repotencializado com a provavel instalção de uma turbina GE F-414 ou ERJ-200,curioso esse ponto ja que a India não se interessou pela SNECMA M-88 tendo ja adquirido cerca de 40 turbinas GE F-404 para o tejas ao que tudo indica parecer uma manobra comercial para o Super Hornet.

  3. O próprio editor confirmou as falhas no Raven, naturais uma vez que está em desenvolvimento, porém não foi o único aapresentar problemas no modo ar-solo o Eurofighter teve dificuldades em localizar certos alvos e cumprir as missões, superando no modo ar-ar.
    O Rafale e o F 18 cumpriram superiormente as missões SEAD.
    Quanto aos motores procede, os indianos se interessam pela F 414.
    sds
    E.M.Pinto

  4. http://www.janes.com/news/defence/jdi/jdi100811_1_n.shtml

    start of the political interference….too much truth can be dangerous at this stage

  5. Nem vou entrar no mérito se é a informação é “quente” ou mais especulação ou lobby.

    Comentar sobre os motivos das eliminações:

    MIG-35: Não ser ocidental: Então porque a Índia enviou um RFI para a Rússia??!??
    Não ser moderno: Em termos de tecnologia embarcada, está no mesmo nível dos caças europeus/americanos de 4.5ª geração. Sobre o design, nenhum caça do MRCA é 5ª geração puro, portanto, nenhum deles pode ser considerado um design de ponta.

    F-16: Esse design já se mostrou muito mais felxível e com capacidade de modernizações do que outros caças. Lembram-se do F-16 XL? Ou do F-16 Stealth? E seus sistemas internos na versão block 60 estão no mesmo nível que outros concorrentes.

    Gripen NG:
    É claro que pode apresentar problemas no radar visto que o mesmo é um protótipo. Por outro lado, outro caça nem apresentaram seus radares AESA (Typhoon).

    Sobre ter um porte parecido de Tejas MK2: concordo 100%. Nesse caso nem deveriam ter enviado um RFI para a SAAB. o Tejas MK2 motorizado com GE-414 ou um EJ-220 teria desempenho igual Gripen C, ao menos.

    F-18 E : Acredito que exista mais coisa do que simplesmente não ter passado na avaliação em LEH. Algo como liberar algumas tecnologias que existem no Super Hornet, como o radar AESA AN-APG79.

    Sobre o Rafale e Typhoon, duas excelentes aeronaves, mas que em termos de desempenho, se aproximam do SU-30MKI. O que deixa a seguinte pergunta: eles precisam realmente de um Medium ?? Ou é apenas um forma de conseguir tecnologias ocidentais? Ou menos dependencia dos russos??

    Para nós resta torcer para que o Rafale leve essa, para termos uma fonte alternativa de suprimentos.

    []’s

  6. Belíssima análise Nick, concordo plenamente com o que está escrito.
    Para mim a nnotícia faz parte de um lobbie do grupo Eurofighter e Rafale de forma a favorecer-lhes e retirar a vantagem política que goza o Super Hornet.
    Quanto aos ensaios em Leh eles confirmam a tal matéria, porém não são decisivos para se concluir a aquisição do caça, fazem parte dos quesitos mas não são os determinantes.
    O MRCA será decidido politicamente e isto esta claro.
    Sds
    E.M.Pinto

  7. Curioso, a India leva muito mais em conta o fator político do que nós levamos.

  8. F 16 eo mais DINO de todos me asusta ver ele nessa concorecia eles nao tao erado em dizer que o tempo dele ja se foi coisa que o F 18 tbm nao escapa nem na versao silent .quanto MIG excelente jato mais a india ja tem duzias deles
    GRIPEN e UM JATO TREINADOR NA INGLATERRA
    quanto Eurofighter Typhoon e Dassault Rafale estao no caminho de desenvolvimento
    mais a Industria Francesa tem um passo na frente da Britanica coisa que favorece o Rafale como uma boa OPICAO
    no caso do BRASIL eo ideal
    que venha os RAFALES

  9. Se sair Rafale para India barateia o custo para nós, visto que aumenta a produção em massa?

  10. Márcio, Teóricamente não barateia custos de aquisição, mas aumenta a disponibilidade de sobressalentes no mercado dada a produção em maior escala o que em si barateia os custos operacionais.
    Sds
    E.M.Pinto

  11. Nick and Edilson,100% em acordo
    read this guy,Avid,who writes more or less your comments
    http://forums.bharat-rakshak.com/viewtopic.php?f=3&t=5390&start=3280…Inadvertent slip perhaps but definite resignation — “would” instead of “will” — doubt/uncertainty?

    Rafale’s merits have been discussed again and again, but EF/SH fanboys have been doing too much flight sim games

    Here’s the rehash of age old arguments in favor of Rafale:
    – Range without refuel
    – Payload and Number of hard points
    – Backwards compatibility with much of the ordinance
    – With M2K upgrade, this transition is much more smooth
    – Except for EF and Rafale, all others are M2K gen aircraft (gripen, as discussed is not really MMRCA, and the gripen-NG is not ready so there is little or no scope of it being awarded based on a prototype that is not yet certified)
    – Only aircraft in the MMRCA competition that was designed with intent of multi-role from the beginning

    EF is designed as an air superiority bird with cold war hangover and has been really hard-selling its strike capabilities, SH has no air superiority beyond that enabled by AWACS and BVR, Mig-29/35 is upgrade of an air-superiority fighter with identical hard-sell as EF. If we accept Mig-35 to be new gen then F-16IN is also, but kidding aside neither are. All said and done —

    Multi-role ranking: Rafale, (EF/SH tied), F-16IN, Mig-35

    Design recency ranking: Rafale, EF, SH, (F-16IN/Mig-35 tied — common timing in roots and evolution)

    Tech Levels: EF/Rafale (tied because of AESA), Mig-35/SH/F-16IN (trade-offs. Mig-35 would provide undiluted radar, but SH/F-16 clearly are not going to provide latest).

    Tech Transfer possibilities: Rafale and Mig-35 tied (least inhibited by US — note russians do not have a good track record in ToT) , EF (based on Jag experience, but still beholden to US), F-16IN/SH (least likely, and considering the risk from experience with LM, Boeing, and GE partnership offers in LCA — if consulting participation is not cleared, there is no likelihood of tech transfer)

    This has been summarized over and over and over.

    All considered, we end up logical choice from IAF perspective (not including ToT abilities, political maneuvering, bargains, etc.):
    SH/F-16IN/Mig-35 can be eliminated on technical grounds as not meeting the requirements.
    Also, IAF is savvy — it cannot eliminate Mig-35 and keep F-16IN in running. Both SH and F16-IN were fielding “export-versions” of AESA radar that are significantly poor.

    Logical choices will end up as: Rafale and EF.

    Leaves out both big guys out of the competition also, and is going to set off regional rivalry to compete. This also is going to eliminate currency-level and other economic disparities in negotiations.

  12. Alguém pode sugerir algo para a legenda da figura?

    “Há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que sonha a nossa vã filosofia.”
    (William Shakespeare)

  13. BRAHMOS!!!!!!!!!!!!

  14. Estou rindo de orelha a orelha daqueles que colocaram em check a qualidade e escolha do Governo Federal pelo Dassault Rafale. Têm muita gente que diz ser entendida do riscado apostando em um projeto de alto risco e inviável para países continentais como Brasil e Índia, chamado Gripen NG. Uma fraude sueca que baseia suas qualidades em lobbies e propaganda e em mandar políticos, jornalistas, lobistas e foristas de blog para a Suécia. [ ]s

  15. Ah esqueci de um fato muito importante. Até para os olhos do Mundo a Marinha do Brasil é quem dá as cartas, inclusive na escolha do FX2. Fato inusitado e de fazer o COPAC/FAB para para pensar e analisar seus problemas de comunicação e segurança da informação. Esta demora na divulgação do FX2 é um puxão de orelhas no pessoal da FAB pelo vazamento de um pseudo relatório ocorrido no final do ano passado. O Ministro Nelson Jobim não engoliu este fato e colocou a FAB de castigo. [ ]s

  16. Excelente ministro da defesa que em nome de seu “brio pessoal” coloca a defesa do Brasil em risco.Quanto a capacidade da MB operar caças é muito curioso porque ate hoje ela depende da FAB pra treinar seus pilotos navais então como ela vai decidir o FX-2.

  17. legenda para a foto: ohh François me passa mais 163 jacas aí!
    huahauhauhauhauahuahauhauhah

  18. Seja qual for a empresa vencedora, o programa MMRCA envolve condições rígidas de transferência de tecnologia, com os 18 primeiros aviões liberados até 2012 (produzidos externamente), e os 108 restantes serão construídos na Índia pela HAL, empresa aeronáutica domésica com participação governamental.

    Dessa forma, a empresa escolhida deverá reinvestir dentro da economia indiana pelo menos metade do montante do contrato, com geração de empregos e renda, além de permitir a flexibilidade na integração com a aeronave de futuros sistemas de armas desenvolvidos pela própria India. Possivelmente a necessidade de abertura dos códigos-fonte.

    Ou seja, essa questão deve ser definida fortemente pelos Offsets e a futura disponibilidade operacional q a aeronave terá.

    Agora, não enendi por que o Gripen foi colocado numa concorrência de vetores peso-médio e médio porte, não existia um programa q buscava um light multi-role?

  19. Jakson,
    Peso político da Marinha está muito a frente do que a FAB sonha em ter no momento.
    A Marinha aprendeu os caminhos dentro da política para demonstrar o que ela precisa e como ela precisa e ter a aprovação para isso, além demonstrar ter um comando forte e postura coesa, coisa que se vê também no Exército, mas na FAB sobram reticências.

    Portanto a Marinha entrar e balançar o projeto não é nada tão absurdo e nem sequer impossível.

    Sobre treinamento de pilotos, eu realmente não tenho certeza quanto as asas rotativas, mas sobre asas fixas é importansíssimo ressaltar que essa ala da marinha é extremamente nova, vale ressaltar que nos tempos do NAe Minas Gerais os aviões embarcados eram da FAB.

    Sobre o Ministro Nelson Jobim é importante ter cuidado com a consideração de que seus “brios” colocam o país em risco, dado que não sabe-se até que ponto o problema no F-X2 é ele, ou é a FAB, ou é Lobby ou o próprio Governo Federal, creio que mais consciente é dizer que todos estão agindo de forma deliberadamente pouco responsável (o que é diferente de irresponsável) dada a importância do projeto e a necessidade do vetor, e as evidências para que todos sejam colocados na “mesma bacia” são óbvias e públicas pelos meios de imprensa, sobre o Lobby então é melhor nem falar.

  20. Venha o que vier, o importante é que venha para “ontem” e em quantidades suficientes (120, pra mim, é pouco; 240 já seria um número próximo do ideal – 1 esquadrão em cada uma das 20 bases aéreas).

    Até 2025, espero ver FAB e MB operando um vetor único, participando de treinamentos em conjunto e em conjunto com outros países, independente de termos Rafale, F-18 ou Gripen.

  21. Caro Carcará eu respeito a sua opinião mas eu discordo dela,pra mim das tres forças a com maior capacidade tecnico-operacional e a FAB.A MB e o EB engoliram a decisão do GF ja a FAB não.

  22. Se a decisão ficar mesmo entre o Typhoon e o Rafale, vai ter site por ai sendo obrigado a fechar as portas, ou passar um óleo de peroba no rosto e continuar a vida.

  23. Jakson Almeida :Caro Carcará eu respeito a sua opinião mas eu discordo dela,pra mim das tres forças a com maior capacidade tecnico-operacional e a FAB.A MB e o EB engoliram a decisão do GF ja a FAB não.

    Jackson, o que leva voc6e a crer que a Marinha e o Exército engoliram o que o GF decidiu?
    Todos os projetos de ambas as Forças Eb e MB está de acordo com o que pensam estrategicamente seus oficiais e comandantes. O projeto nuclear da Marinha é o que significa mais para o Brasil hoje, e a prioridade dentro da MB é o SNBR. No Exército a cada dia se apresenta um projeto novo como o Carro de Combate sobre rodas Guarani – Iveco, Missil anti tanque, e agora o promissor IMBEL IA2 e Tavor para algumas unidades. Não procuram holofotes e a imprensa para colocar em votação seus projetos. Diferente da Aeronautica que patina a anos com o VLS, um fracasso de deixar rubro qualquer estudante do ITA e pesquisador do CTA. Uma vergonha.
    Os Mil Mi 35 foram empurrados para a FAB pelo GF também?
    Logo exemplos de sucesso existem na MB e EB, mas a FAB pensa mais em seus custos orgânicos de manter um efetivo perto de 70.000 homens e depois reclama de recursos. Não vou falar no controle do trafego aéreo no Brasil que seria covardia, mas a FAB no projeto SIVAM conseguiu qual transferência de tecnologia da RAYTHEON?
    Portanto, a MB e o EB estão dando um banho de resultados comparado com a FAB.

  24. Segundo o site da Janes um representante do ministerio da India desmentiu o anuncio da escolha do EF e do Rafale.
    http://www.janes.com/news/defence/jdi/jdi100811_1_n.shtml

  25. Correto Jackson, está citado no próprio texto com o link para a Janes.
    como disse, não acredito neste tipo de furos, eles sempre encobrem interesses dos lobistas, nada diferente do que se vê no Brasil.
    Sds
    E.M.Pinto

  26. A ultima fresquinha da conta de que o rafale,o gripen ng e o super hornet estão fora do MMRCA.

    After Times NOW’s report on the MMRCA a few days ago, try this next one on for size. The latest edition of India’s STRATEGIC AFFAIRS magazine has the piece above, which has sources telling it that the Viper, Fulcrum and Typhoon are in, while the Hornet, Gripen and Rafale are finito in India’s MMRCA competition. If you can ignore the proof-reading, what technical parameters could possibly put the F-16, MiG-35 and Typhoon above the other three? Any theories? I got nothing.

    http://livefist.blogspot.com/2010/08/mag-report-f-16-mig-35-typhoon-make-cut.html

  27. Claro que vão desmentir, pra não prejudicar o processo de decisão, como foi aqui.
    Só cego que não vê a morte do gripenado gambiarra…..rsss

  28. ..é q venha os rafales,p ontem.

  29. q venhao as jakas do kojak……

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: