Articles

EUA criticam ‘segredo’ em expansão militar da China

In Defesa, Geopolítica on 17/08/2010 by E.M.Pinto Marcado: ,

https://i2.wp.com/news.xinhuanet.com/english/2009-04/24/xin_242040623192750095809.jpg

Um novo relatório do Departamento de Defesa dos Estados Unidos afirma que a China está reforçando seu Exército em segredo.

Para o Pentágono, esta situação é perigosa, por dar margem a interpretações erradas e aumentar os riscos de conflitos.

O relatório anual observa ainda que a China aumentou sua vantagem militar sobre Taiwan.

O documento não traz nenhum dado surpreendente, mas confirma as preocupações do governo americano sobre o crescimento acelerado do poderio militar chinês.https://i1.wp.com/www.china-defense-mashup.com/wp-content/uploads/2010/06/airforce-capability-4.jpg

Segundo o relatório do Pentágono, a China vem renovando seu arsenal de mísseis baseados em terra, expandindo sua força submarina e modernizando suas forças nucleares.

O documento diz que a China tem 1.150 mísseis balísticos de curto alcance e um número desconhecido de mísseis de médio alcance.

Segundo o relatório, bilhões de dólares em gastos militares foram feitos longe dos olhos do público.

“A transparência limitada nas questões militares e de segurança na China aumenta a incerteza e eleva o potencial de mal-entendidos e de má interpretação”, diz o texto.

Exercícios militares

Comentários recentes de comandantes militares chineses reclamam sobre exercícios militares de larga escala conduzidos em conjunto pelos Estados Unidos e pela Coreia do Sul.

Eles questionaram uma suposta política americana de “cerco” que ameaçaria os interesses principais da China.

Desfile em parada militar em PequimOrçamento militar dos EUA é 10 vezes maior do que o chinês

As autoridades chinesas também criticaram o que consideram uma interferência indevida dos Estados Unidos em um desses interesses principais do país, a reivindicação chinesa sobre grande parte do Mar da China Meridional.

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, recentemente declarou em uma cúpula regional no Vietnã que apoiava as reivindicações não-Chinesas sobre a região marítima.

Os Estados Unidos também realizaram recentemente uma semana de visitas e exercícios de treinamento conjunto com o Vietnã.

Os Estados Unidos estão ainda iniciando uma nova rodada de exercícios conjuntos com a Coreia do Sul, descritos como “puramente defensivos”.

Os contatos militares entre os Estados Unidos e a China foram suspensos, e as autoridades chinesas se negam a encontrar o secretário da Defesa americano, Robert Gates.

https://i1.wp.com/inapcache.boston.com/universal/site_graphics/blogs/bigpicture/china60_10_01/c04_20571383.jpg

Alcance crescente

O Pentágono sugere que as compras militares chinesas mostram um crescente aumento do alcance chinês para além de suas fronteiras e para além de Taiwan.

“O balanço das forças militares no estreito (de Taiwan) continua a se alterar em favor do continente (a China)”, diz o relatório, observando que isso ocorre apesar da melhoria das relações econômicas da China com Taiwan.

Segundo o documento, a China “já está olhando para situações além de Taiwan”, citando as obras de desenvolvimento para mísseis de longo alcance que poderiam atingir o Pacífico.

“As atuais tendências nas capacidades militares da China são um grande fator de mudança para o balanço militar do Leste Asiático e podem dar à China uma força capaz de conduzir uma variedade de operações militares na Ásia muito além de Taiwan”, diz o relatório.

https://i0.wp.com/www.armybase.us/wp-content/uploads/2010/07/Chinese-Peoples-Liberation-Army-PLA-soldiers-Tiananmen-Square-during-the-National-Day-parade.jpg

O texto afirma que esse alcance poderia ir além dos limites tradicionais de Okinawa, no Japão, e do Mar da China Meridional, até Guam, Japão e Filipinas.

Em março deste ano, a China disse que aumentaria seu orçamento de defesa em 7,5%, para 532,1 bilhões de yuans (cerca de R$ 138 bilhões), menos do que o usual aumento anual de dois dígitos.

O orçamento militar anual dos Estados Unidos é de US$ 700 bilhões (cerca de R$ 1,23 trilhão).

O Pentágono diz querer manter um diálogo com a China para evitar “más interpretações” entre os dois países no campo militar.

Fonte: BBC Brasil

Anúncios

45 Respostas to “EUA criticam ‘segredo’ em expansão militar da China”

  1. OS EUA não querem ser alcançados nunca. A China já é uma realidade. Em breve, será segundo em potência militar do mundo.

  2. A nível económico eles já ultrapassaram o Japão, estão agora em segundo atrás dos EUA.
    A nível militar… muito segredo tem aquelas forças chinesas. E claro, quantificar é difícil.
    Embora reconheça que têm muito material bélico, ainda acho que a parte tecnológica ainda fica a quem. Mas numa guerra a quantidade muitas das vezes supera a qualidade ou supremacia tecnológica; tenho o costume de dizer que numa guerra contra a um outro país a China poderá tirar vantagem no que chamo de fogo de saturação… é tipo mandar tudo que tem á mão para tirar vantagem.

  3. Ebenezer :
    OS EUA não querem ser alcançados nunca. A China já é uma realidade. Em breve, será segundo em potência militar do mundo.

    Em bem menos tempo, a China será a maior potência militar do planeta, os ianks sabem disso, e ficam regulando , querendo, os cHineses, q se cuidem, serão atropelados se ficarem na frente .

  4. Pois é, o orçamento militar dos EUA é 10 vezes maior do que o chinês, mas os custos chineses com a produção de armamentos é 10 vezes menor do que nos EUA e a China não está atolada no Iraque e no Afeganistão jogando dinheiro pela janela.

  5. Ok. É segunda economia em termos de PIB. Mas muito disso graças à enormidade de sua população.
    Tem gente aqui q acha q a China só terá problemas com os EUA. Ela tem problemas fronteiriços com a Rússia. Um movimento mal entendido ali pode acarretar problemas sérios. Claro q o inimigo maior são os EUA.
    Caso a China de fato alcance a hegemonia mundial, o q eu não acredito a princípio, tem gente q vai sentir saudades do “império yanke”. Acha q só eles serão atropelados. Aliás, eles não serão atropelados, serão no máximo ultrapassados. Atropelados serão os “café-pequeno”, e até os alguns “café-médio” q pousarem de antiamericanos e não usufruirem de sua proteção.

  6. Bem, os EUA se metem em tudo…..
    Eu torço para a China, vamos China!!!

  7. E vc sabe a realidade da geopolítica mundial para dizer se a China não se mete em tudo? Tibet. Taiwan, Africa…
    Fora sua desonestidade no q tange a produtos falsificados.
    Vc preferiria morar na China ou nos EUA?

  8. eu também prefiro os EUA do que a China, esses sim não respeitam ninguém, se puderam invadir, invadirão (Taiwan, África, como o anticomunista citou), se puderem copiar e contrabandear, também o farão.

  9. Tanto os EUA como a China promovem a violência, assassinatos, torturas e uma serie de outros crimes a humanidade… O Brasil deve estar preparado para os novos tempos onde haverá mais um “grane assassino no mundo”, mas não seja tão inocente de imaginar que os EUA são melhores que os chineses tanto um como o outro são impérios do medo, apenas os americanos conseguem disfarçar melhor nada mais que isso.
    Sim, “anticomunista” o mundo sentirá saudades quando a china tiver te pé de igualdade com os EUA mas só porque haverá mais merd… neste mundo, já que dois cagam mais que só um.

  10. Hummm…Lado A e Lado B Norte Contra Sul intereçante…

  11. EUA UK Israel Russia Inglaterra França Alemanha Holanda e etc contra a Plebe do mundo e mais os Ling Lings…

  12. Eu posso tudo, mas vocês não.Os Estados Unidos é a desgraça do mundo.

  13. anticomunista :
    Ok. É segunda economia em termos de PIB. Mas muito disso graças à enormidade de sua população.
    Tem gente aqui q acha q a China só terá problemas com os EUA. Ela tem problemas fronteiriços com a Rússia. Um movimento mal entendido ali pode acarretar problemas sérios. Claro q o inimigo maior são os EUA.
    Caso a China de fato alcance a hegemonia mundial, o q eu não acredito a princípio, tem gente q vai sentir saudades do “império yanke”. Acha q só eles serão atropelados. Aliás, eles não serão atropelados, serão no máximo ultrapassados. Atropelados serão os “café-pequeno”, e até os alguns “café-médio” q pousarem de antiamericanos e não usufruirem de sua proteção.

    A China cresce muito e não quer confronto com os EUA por um bom motivo, são o principal credor da dívida americana. Mesmo motivo pelo qual os EUA não querem entreveros com os chineses.

    Mas a China que cresce muito só é assim porque possui o maior estoque de mão de obra do mundo. É dependente das exportações e por isso investe quase tudo em dólares, tornando-se os principais credores da dívida americana.

    Contudo, o crescimento da classe média chinesa acabará impulsionando o mercado interno e determinará o limite da utilização da mão de obra barata. As plantas industriais se deslocarão para outros países que detenham preços mais baixos para contratação de pessoal e o mercado interno e de serviços substituirá a pauta de exportações de bens como principal fator econômico.

    Mesmo com o crescimento do mercado interno continuarão a dependência de matéria prima (aço, petróleo e alimentos) que a China, embora rica em matérias primas, não produz em velocidade suficiente. O consumo chinês é de cerca de 80% do aço mundial, metade da soja produzida no mundo e só ficam atrás dos americanos no consumo de petróleo.

    Haverá outro gargalo, os EUA são os maiores consumidores e esbanjadores do mundo, não haverá espaço para uma população 5 vezes maior consumir tanto quanto os yankees nem produzir tanto lixo. Simplesmente não há e não haverá, com a tecnologia atual e prevista, recursos minerais e vegetais suficientes.

    Eis nesse último tópico o problema da guerra, um dos dois poderá decidir quem vai sobreviver.

    Há previsão de igualdade do PIB americano com o Chinês em 2025 (daqui há 15 anos), e ultrapassar em termos per capita (medida mais apurada para a riqueza) em 2050.

    Com o mesmo nível de riqueza em 2050, é certo que teremos bem antes problemas de encontrar fornecedores e matéria primas suficientes. Há uma só terra para uma população que consome, no mesmo nível, 5 vezes maior que a americana.

    Até lá esperemos que marte ou a lua estejam colonizados, ou mesmo o leito dos oceanos, pois, como nos faroestes, não haverá lugar para dois na mesma cidade.

  14. Ling Ling ja leva Comercio e muito em breve Economia.India vai e Brasil vai tambem.O porem de toda essa harmonia natural é o Vampiro Anglo.

  15. Tupynambá adorava carne Holandesa,Inglesa.Se provasse a Americana acharia suculenta e nutritiva tambem.So a carne Burduéga que nçao comiam.

  16. em termos de tecnologia bélica… a China não chega perto dos EUA … e dificilmente chegara …

  17. Dificilmente, pode ser, mas acho um termo demasiado forte, até porque, para os ingleses do final do século 19, os EUA não passavam de uma terra de índios e saqueadores assaltantes de banco.
    Creio que continuam assaltando os bancos, ou melhor o sistema financeiro mundial, só que agora maior potência, enquanto que a Inglaterra passou de maior potência para a mais fiel e dependente serviçal em menos de 50 anos, dificilmente algum inglês seria capaz de prevê o destino.
    Sds
    Em tempo, antes que pensem, julguem ou acusem de eu defender a China, e ser anti americano, reafirmo, não morro de amores por nenhum dos dois, apenas constato os fatos nada mais, a história tem suas versões mas contadas ou não, só que ainda sim é construída por fatos e não suposições.

    E.M.Pinto

  18. Em vez de ficar torcendo por vencedor entre EUA ou China, o negócio é torcer por um empate que diminua o poder de influencia de ambos sobre o resto do mundo.

    E aí, aproveitar a brecha para continuarmos nos desenvolvendo , fortalecendo nossa economia, FA, educação,ciência e tecnologia, enfim… nossa soberania de fato, sobre o Brasil.

  19. A politica de um filho por casal e so para ingles ver. A China cresce um Brasil a cada dois anos de natalidade. Bangladesh tem 4 pessoas por m2. Classe media arabe, 3 esposas 20 filhos. Nao sei onde isso vai parar.

  20. Deus me livre se a China for a potência preponderante do mundo. Já pensaram o que vai ocorrer conosco. Se ela escravissa o seu próprio povo imaginem o que fará com os outros povos. Pelo menos os yanques não escravissam o seu próprio povo. Existe democracia e não uma ditadura capitalista!

  21. Hahaha… E o Pentágono queria o que? Que a China anunciasse aos quatro ventos cada programa militar que está levando a cabo?

    Uma das vantagens em uma guerra é a surpresa…

  22. Parece que os yanks querem brigar com o mundo inteiro, e o próximo da lista é a China. Para um país que investe uma fortuna em armamento, é necessário colocá-los em prática, se não é inviável tanto recurso. O problema é se essa revolta americana resultar na terceira guerra mundial.

    “Para o Pentágono, esta situação é perigosa, por dar margem a interpretações erradas e aumentar os riscos de conflitos”. O techo em destaque respauda minha preocupação com mais uma guerra global, ja que as interpretações dos “esteites” são sempre erradas, resultando no aumento do risco de conflitos. É quase como se dissecem: se o primeiro lugar no mundo não for meu, não será de mais ninguém.

    Pena que a nível de Brasil, a duplicação da frota submarina e alguns nucleares na frota á médio e longo prazo, pode ser tarde de mais para uma nação sempre atrazada, apesar do lema “progresso” em nossa bandeira.

  23. anticomunista :
    E vc sabe a realidade da geopolítica mundial para dizer se a China não se mete em tudo? Tibet. Taiwan, Africa…
    Fora sua desonestidade no q tange a produtos falsificados.
    Vc preferiria morar na China ou nos EUA?

    O Tibet e taiwuan sempre foram china, a africa e influência pelo poder da grana, por causa dos seus lideres corruptos. Sds.

  24. A visão ai é pertubadora, e tenho a impressão que logo, logo o Uncle Sam vai precisar de ajuda, e dessa vez não vai ser só ajuda dos puxa sacos de plantão, eles vão ter que contar com ajuda de todas as nações “amigas”, ai vamos incluir o gigante dorminhoco.

  25. carlos argus :

    anticomunista :
    E vc sabe a realidade da geopolítica mundial para dizer se a China não se mete em tudo? Tibet. Taiwan, Africa…
    Fora sua desonestidade no q tange a produtos falsificados.
    Vc preferiria morar na China ou nos EUA?

    O Tibet e taiwuan sempre foram china, a africa e influência pelo poder da grana, por causa dos seus lideres corruptos. Sds.

    O Tibet foi invadido pela China em 1950.
    Taiwan tem historia de autonomia há muito tempo. Com o regime comunista seus dirigentes foram obrigados a abandonar o continente.
    Ela nunca foi como uma província comum.
    Um grau de autonomia tão antigo deveria caminhar para a independencia, o q nao ocorre por pressoes da Chia.
    Cite a África para mostrar o imperialismo chinês.

  26. Pois é Carlos!
    E esse Gigante ai, parece cada vez mais acordado!

    E eles tem uns “Brinquedos” Tão legais!

  27. carl94fn :
    Tanto os EUA como a China promovem a violência, assassinatos, torturas e uma serie de outros crimes a humanidade… O Brasil deve estar preparado para os novos tempos onde haverá mais um “grane assassino no mundo”, mas não seja tão inocente de imaginar que os EUA são melhores que os chineses tanto um como o outro são impérios do medo, apenas os americanos conseguem disfarçar melhor nada mais que isso.
    Sim, “anticomunista” o mundo sentirá saudades quando a china tiver te pé de igualdade com os EUA mas só porque haverá mais merd… neste mundo, já que dois cagam mais que só um.

    Gostei desta de que “dois cagam mais que um só”, eu creio que os chineses sejam menos agressivos que os Yankees, vejam quando foi que a CHina invadiu alguém na história, estamos là no 1 ou 100 A.C…. na Coréia foi intervenção , não uma invasão!

  28. Guerra Fria 2 – A Missao Continua….

  29. O Gigante dorminhoco desperta indolente…Ate que comer macarrão de palitinho é boa gastronomia,resta saber se a digestão se daria normal…

  30. O bom do progresso da China e” que esta’ ajudando o Brasil..so’ depois da China crescer e’ que o Brasil esta’ dando uma guinada avante, com forc,a..
    Os EUA alem de sabotarem nosso VLS,tecnologia nuclear,estarem de olho na nossa Amazonia, apoiarem o golpe militar , Plano Condor…vou parar por aqui porque a lista de coisas contra o Brasil e’ grande..
    Resumindo a China crescendo e’ bom pro Brasil..entao que a China va’ bem para puxar o Brasil pra frente..
    Brasil em primeiro lugar..

  31. de Boston :
    O bom do progresso da China e” que esta’ ajudando o Brasil..so’ depois da China crescer e’ que o Brasil esta’ dando uma guinada avante, com forc,a..
    Os EUA alem de sabotarem nosso VLS,tecnologia nuclear,estarem de olho na nossa Amazonia, apoiarem o golpe militar , Plano Condor…vou parar por aqui porque a lista de coisas contra o Brasil e’ grande..
    Resumindo a China crescendo e’ bom pro Brasil..entao que a China va’ bem para puxar o Brasil pra frente..
    Brasil em primeiro lugar..

    Entenderam pq ela tem q ficar “Rica” ?está levando o mundo nas costa miúdas, ou gigante, deles.é fica os idiotas do ianks querendo, querendo e só, controlar o seu salvador ; a China. Babacas. Já vão tarde.

  32. Essa conjuctura que se desenha ja foi leste oeste e agora ta mais pra norte sul.A nós somente nos restaria uma aproximação com a China ja que não podemos mais confiarmos na Europa e EUA.Mas ate onde e aonde podemos confiar nos Chineses?Quem dera eles tivessem um vetor moderno e confiavel,dispostos a nos venderem a tecnologia.Teremos problemas tanto com EUA,Suecia e França.Deviamos buscar uma alternativa pra deslançar o FX.Especulações não oficiais dizem estarmos construindo com eles NAe em segredo.Somos parceiros aeroespaciais.

  33. As pessoas olham uns dez anos para trás na história e acham q o mundo é o que se passou de lá para cá.

    A China, até o seu crescimento econômico, não tinha como exercer uma certo imperalismo com o Brasil, no sentido de dominar. Ela necessita das nossas matérias para atingir um estágio tal de crescimento.
    Os objetivos imperialistas virão depois.

    Chineses mais confiáveis que americanos e europeus? Isso é uma piada?

    Aliás, o Brasil já foi traído: reconheceu-os como economia de mercado e eles não vão apoiar a vaga permnente no CS da ONU (mais um delírio do Stalinácio). Se fosse os EUA que fizessem ia ter gente aqui xingando até os fundadores daquele país.

    Para Francoorp, que afirmou que a China nunca invadiu ninguem: no meu post acima citei um caso bem recente: o Tibet. Foi tanto invasão militar qto cultural, o q está desfigurando o Tibet.

  34. Francoorp :

    carl94fn :
    Tanto os EUA como a China promovem a violência, assassinatos, torturas e uma serie de outros crimes a humanidade… O Brasil deve estar preparado para os novos tempos onde haverá mais um “grane assassino no mundo”, mas não seja tão inocente de imaginar que os EUA são melhores que os chineses tanto um como o outro são impérios do medo, apenas os americanos conseguem disfarçar melhor nada mais que isso.
    Sim, “anticomunista” o mundo sentirá saudades quando a china tiver te pé de igualdade com os EUA mas só porque haverá mais merd… neste mundo, já que dois cagam mais que só um.

    Gostei desta de que “dois cagam mais que um só”, eu creio que os chineses sejam menos agressivos que os Yankees, vejam quando foi que a CHina invadiu alguém na história, estamos là no 1 ou 100 A.C…. na Coréia foi intervenção , não uma invasão!

    Falou , amigo. Só q uma fato, o TIBET sempre foi China,uma província esquecida é um fato histórico, assim como Taiwuan, pf verifique , até a lingua falada e de tribos q forma a China, quiçá o mandarim.Sds.

  35. carlos argus :

    Francoorp :

    carl94fn :
    Tanto os EUA como a China promovem a violência, assassinatos, torturas e uma serie de outros crimes a humanidade… O Brasil deve estar preparado para os novos tempos onde haverá mais um “grane assassino no mundo”, mas não seja tão inocente de imaginar que os EUA são melhores que os chineses tanto um como o outro são impérios do medo, apenas os americanos conseguem disfarçar melhor nada mais que isso.
    Sim, “anticomunista” o mundo sentirá saudades quando a china tiver te pé de igualdade com os EUA mas só porque haverá mais merd… neste mundo, já que dois cagam mais que só um.

    Gostei desta de que “dois cagam mais que um só”, eu creio que os chineses sejam menos agressivos que os Yankees, vejam quando foi que a CHina invadiu alguém na história, estamos là no 1 ou 100 A.C…. na Coréia foi intervenção , não uma invasão!

    Falou , amigo. Só q uma fato, o TIBET sempre foi China,uma província esquecida é um fato histórico, assim como Taiwuan, pf verifique , até a lingua falada e de tribos q forma a China, quiçá o mandarim.Sds.

    Repito o que disse: o Tibet foi ocupado pela china comunista em 1950. A China é q achava q o Tibet lhe pertence, coisa que os tibetanos nunca aceitaram.
    Sobre Taiwan também repito: tem histórico de autonomia em relação à China. Nunca foi uma mera província.

  36. Taiwan,nos ultimos 2.000 anos sempre foi considerado território chinês, autônomo ou não…

    Taiwan se separou da China continental partir de 1949, quando Chiang Kai-shek foi derrotado pelos comunistas e foi forçado a recuar seu governo para Taiwan, onde apoiado pelos estadunidenses, continuou atuando, agora como presidente da recém-formada, nessa ilha, República da China, .

  37. “O Tibet foi invadido pela China em 1950.”

    “Repito o que disse: o Tibet foi ocupado pela china comunista em 1950. ”
    …………………………..

    Verdade, o Tibet foi ocupado pelas forças militares chinesas como reação a um movimento de insurgência, más já fazia parte da China nesta ocasião, embora gozasse de relativa autõnomia.

    O Tibet era um território autônomo com língua e costumes próprios, más como vários outros na China, com as mesmas características , historicamente esteve subordinado e fez parte do império chinês e da china moderna do século XX.

    Descontadas as diferenças: Algo parecido com os territórios indígenas no Brasil, que possui índios com idiomas e cultura diferentes da maioria dos brasileiros, más as terras que ocupam são parte inseparável do território brasileiro.

    Um pouco sobre a insurgência tibetana dos anos 50:

    Em obras elaboradas por prestigiosos investigadores dos Estados Unidos, foi divulgado o acontecido no território chinês do Tibete.

    No livro “ A guerra secreta da CIA no Tibete”, de Kenneth Conboy ―University Press, de Kansas―, é descrita a suja entranha da conspiração. William Leary o define como “um estudo excelente e impressionante sobre uma das operações secretas da CIA mais importantes durante a guerra-fria”.

    No decurso de dois séculos, nem um só país no mundo tinha reconhecido o Tibete como nação independente. Era considerado parte integrante da China. Em 1950 a Índia o conceituava dessa forma, após a vitória da revolução comunista. Inglaterra adoptou a mesma conduta. Os Estados Unidos até a Segunda Guerra Mundial o considerava parte da China, e inclusive pressionava Inglaterra nesse sentido. Depois da guerra, no entanto, viram-no como um baluarte religioso contra o comunismo.

    Quando a República Popular da China aplicou a reforma agrária nos territórios tibetanos, a sua elite social não aceitou que as suas propriedades e interesses fossem afectados. Isto conduziu para um levantamento armado em 1959.

    A rebelião armada no Tibete foi preparada durante anos pelos serviços secretos dos Estados Unidos, segundo consta das investigações mencionadas anteriormente.

    Outro livro ―que é apologético neste caso da CIA―, “Os guerreiros de Buda”, cujo autor é Mikel Dunshun, conta como a instituição levou centenas de tibetanos para os Estados Unidos, conduziu a rebelião, apetrechou-a, enviou pára-quedas com armamentos, formou-os na utilização dos mesmos, ao tempo que se movimentavam de cavalo como o faziam os guerrilheiros árabes.

  38. Lembro que uma ocasião conversei com uma chinesa nascida em Taiwan , radicada no Brasil e neta de um general chinês que liderou tropas do exercito de Chiang Kai-shek contra os comunistas de Mao Tse tung. Este general após a derrota, foi com toda sua familia para Taiwan , acompanhando Chiang Kai-shek…

    Nesta conversa mencionei o que na época achava ser verdade: Que o Tibet era um país independente e que tinha sido invadido e tomado pela China em 1959. A chinesa, uma ferrenha anticomunista, ficou furiosa , só faltou me bater…

    Resumindo, ela disse que o Tibet era parte integrante e indissociável da China a muito tempo.

    Na ocasião não aceitei, más hoje reconheço que ela tinha razão.

  39. Wi :
    Taiwan,nos ultimos 2.000 anos sempre foi considerado território chinês, autônomo ou não…
    Taiwan se separou da China continental partir de 1949, quando Chiang Kai-shek foi derrotado pelos comunistas e foi forçado a recuar seu governo para Taiwan, onde apoiado pelos estadunidenses, continuou atuando, agora como presidente da recém-formada, nessa ilha, República da China, .

    Se é uma região autônoma é há uma ruptura total (e para muito pior), conforme hovue na China com a revolução comunista , há toda a legitimidade para Taiwan se separar. A China deveria respeitar, mas eles não sabem o que é isso.

  40. Wi :
    “O Tibet foi invadido pela China em 1950.”
    “Repito o que disse: o Tibet foi ocupado pela china comunista em 1950. ”
    …………………………..
    Verdade, o Tibet foi ocupado pelas forças militares chinesas como reação a um movimento de insurgência, más já fazia parte da China nesta ocasião, embora gozasse de relativa autõnomia.
    O Tibet era um território autônomo com língua e costumes próprios, más como vários outros na China, com as mesmas características , historicamente esteve subordinado e fez parte do império chinês e da china moderna do século XX.
    Descontadas as diferenças: Algo parecido com os territórios indígenas no Brasil, que possui índios com idiomas e cultura diferentes da maioria dos brasileiros, más as terras que ocupam são parte inseparável do território brasileiro.
    Um pouco sobre a insurgência tibetana dos anos 50:
    Em obras elaboradas por prestigiosos investigadores dos Estados Unidos, foi divulgado o acontecido no território chinês do Tibete.
    No livro “ A guerra secreta da CIA no Tibete”, de Kenneth Conboy ―University Press, de Kansas―, é descrita a suja entranha da conspiração. William Leary o define como “um estudo excelente e impressionante sobre uma das operações secretas da CIA mais importantes durante a guerra-fria”.
    No decurso de dois séculos, nem um só país no mundo tinha reconhecido o Tibete como nação independente. Era considerado parte integrante da China. Em 1950 a Índia o conceituava dessa forma, após a vitória da revolução comunista. Inglaterra adoptou a mesma conduta. Os Estados Unidos até a Segunda Guerra Mundial o considerava parte da China, e inclusive pressionava Inglaterra nesse sentido. Depois da guerra, no entanto, viram-no como um baluarte religioso contra o comunismo.
    Quando a República Popular da China aplicou a reforma agrária nos territórios tibetanos, a sua elite social não aceitou que as suas propriedades e interesses fossem afectados. Isto conduziu para um levantamento armado em 1959.
    A rebelião armada no Tibete foi preparada durante anos pelos serviços secretos dos Estados Unidos, segundo consta das investigações mencionadas anteriormente.
    Outro livro ―que é apologético neste caso da CIA―, “Os guerreiros de Buda”, cujo autor é Mikel Dunshun, conta como a instituição levou centenas de tibetanos para os Estados Unidos, conduziu a rebelião, apetrechou-a, enviou pára-quedas com armamentos, formou-os na utilização dos mesmos, ao tempo que se movimentavam de cavalo como o faziam os guerrilheiros árabes.

    Quando a China comunista invadiu o Tibet, esse era independente, por conta de tratado assinado em 1912, com participação da China e desrespeitado por eles próprios.
    Portanto, em 1950 a China promoveu uma invasão.
    Contudo, provavelmente vai ficar por isso mesmo. O proprio Dalai Lama já fala somente em autonomia e não soberania. Pelo menos é o que ele fala.

  41. Você se refere ao acordo de Shimla”, que foi assinado quando corroido por japoneses, russos e britânicos , bem como pela avassaladora “epidemia do ópio”, se deu a queda e ruína do sistema imperial chinês,

    Em 1913, o 13º Dalai Lama proclamou a independência do Tibet, mesmo sem ter o reconhecimento das autoridades chinesas.

    Porém, o acordo de Shimla nunca foi ratificado pelos chineses, que continuaram a alegar que todo o Tibet pertencia à China. Por conta disto, em 1918, houve um um conflito armado entre o Tibet e a China.

    Estes são fatos históricos, o Tibet esteve incorporado ao império chinês desde os principios do século 18 e nunca foi independente de fato neste período.

    Por isto, não se pode classificar como “invasão” a ação militar chinesa no Tibet, foi sim, uma ação de contra-insurgencia (insurgência que foi incentivada e apoiada pela CIA…).

    Más ressalvo que não concordo em absoluto, com os métodos que os chineses empregaram com os tibetanos.

  42. O Tibet, mesmo sob o domínio chinês, agiu muitas vezes com soberania.

    Olha que interessante o texto que achei, para corroborar a afirmativa:

    “De acordo com registros oficiais do governo da Índia, o Tibete gozava a seguinte condição desde o século XVII: “Durante os 300 anos anteriores a 1950 o Tibete, qualquer que tenha sido seu status, teve o direito de assinar tratados e negociar questões de fronteira diretamente com seus vizinhos. Os tratados assinados pelo Tibete com Ladakh em 1684 e 1842, e o tratado assinado com o Nepal em 1856 confirmam o fato de que o Tibete estava em posição de, por si próprio, conduzir negociações com potências estrangeiras. O Tratado Nepal-Tibete de 1856 esteve em vigor por todo um século até ser explicitamente revogado pelo Tratado Sino-Nepalês de 1956. Em 1890 o governo tibetano protestou contra a conclusão de um tratado entre Grã-Bretanha e China concernente ao Tibete e sucessivamente desafiou seu cumprimento. Assim, a Grã-Bretanha viu-se obrigada a assinar um acordo com o Tibete em 1904. Longe de se opor a todas essas negociações diretas empreendidas pelo Tibete, a China prestou ajuda nas transações. Também é bem conhecido o fato de que, em 1911, o Tibete emitiu uma Declaração de Independência. Tudo isso mostra que, qualquer que seja o conceito teórico da relação da China com o Tibete, houve períodos recorrentes em que o Tibete desfrutou plenos poderes para tratar com outros países”.

    Segundo o texto, a China prestou nas negociações empreendidas diretamene pelos tibetanos, reconhecendo uma quase-soberania.

    O Tibet, pensou eu, tem todos os requisitos para ser considerado nação, inclusive a consciência de sua nacionalidade.

    Sou capaz de afirmar que se não tivesse vingado o comunismo na China, talvez hoje o Tibet fosse não soberana de fato.

    Nesse tratado aí os chineses chegaram a concordar, mas não ratificaram.

    Se fosse ligado a um país menos poderoso, o Tibet hoje seria, provavelmente, independente de fato e de direito.

  43. Leandro Mendes :
    eu também prefiro os EUA do que a China, esses sim não respeitam ninguém, se puderam invadir, invadirão (Taiwan, África, como o anticomunista citou), se puderem copiar e contrabandear, também o farão.

    Invadir taiwan o tibet?!,se estos dois pertenencem a china,taiwan é como fosse fernando de noronha pedindo independência,que faria brasil se fosse com ele e tibet como fosse rio grande do sul tambem pedindo independência,eu penso os asuntos internos de um pais ninguêm deve se meter.

  44. Wi :
    Você se refere ao acordo de Shimla”, que foi assinado quando corroido por japoneses, russos e britânicos , bem como pela avassaladora “epidemia do ópio”, se deu a queda e ruína do sistema imperial chinês,
    Em 1913, o 13º Dalai Lama proclamou a independência do Tibet, mesmo sem ter o reconhecimento das autoridades chinesas.
    Porém, o acordo de Shimla nunca foi ratificado pelos chineses, que continuaram a alegar que todo o Tibet pertencia à China. Por conta disto, em 1918, houve um um conflito armado entre o Tibet e a China.
    Estes são fatos históricos, o Tibet esteve incorporado ao império chinês desde os principios do século 18 e nunca foi independente de fato neste período.
    Por isto, não se pode classificar como “invasão” a ação militar chinesa no Tibet, foi sim, uma ação de contra-insurgencia (insurgência que foi incentivada e apoiada pela CIA…).
    Más ressalvo que não concordo em absoluto, com os métodos que os chineses empregaram com os tibetanos.

    Claro amigo,se fosse assim ,o brasil tinha de devolcer territorio a argentina,paraguai,bolivia,etc…,ya que muitos territorio o brasil ganho com as guerra que teve com essas nações,e USA tinha que devolver o novo mexico a mexico ,já que conceguio o territorio por uma conkista,entre outros fatos da historia sobre conkistas,todos os paises forão formados a base de conkistas.

  45. É isso aí Camilo, você está certo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: