Articles

FX2 – DISSE Não DISSE.

In Aérea, Aviões de Combate, Defesa, Opinião on 18/08/2010 by E.M.Pinto Marcado: , , ,

https://i2.wp.com/www.skycontrol.net/UserFiles/Image/MilitaryAviation_img/200809/200809-dassault-aviation-rafale-usa-2.jpg

Autor: Francoorp, sugestão do autor para o Plano Brasil

Respostas pessoais a algumas questões que fizeram polêmica em alguns sítios e Blogs de defesa pela internet brasileira.

Segundo alguns as declarações do Général de Brigade Aérienne Alain Silvy declarou que o Rafale é cheio de problemas, segundo outros ele nada disse contra o Rafale… vamos ver qual seria o ponto de vista estrito às palavras do Alto Oficial de l’ Armée De l’Air.

Vou colocar aqueles que no meu ponto de vista sejam os pontos mais importantes da entrevista do Gen. Silvy, e são sem dúvida os pontos que mais geraram polêmica.

A entrevista em francês, através de pagamento virtual ou compra material da revista, pode ser vista no link: http://www.dsi-presse.com/?p=2010

A mesma entrevista traduzida em inglês pode ser vista no link: http://forum.keypublishing.com/showpost.php?p=1625017&postcount=804

A mesma entrevista traduzida para o Português pode se vista no Link: http://www.aereo.jor.br/2010/08/16/entrevista-com-o-almirante-alain-silvy-sobre-o-estado-das-negociacoes-do-rafale-com-o-eau/#comments

Vamos aos pontos quentes :

Questão 1 : E sobre a exigência dos EAU de ter um radar RBE2 mais poderoso, poderia isso responder a alguma expectativa para a Força Aérea?

GDA Alain Silvy: “A Força Aérea está interessada … na poderosa antena AESA que irá equipar nosso Rafale Tranche 4. O que os Emirados estão pedindo é muito mais complexo: eles querem, além da AESA, ter novas funcionalidades no seu Rafale, como GMTT/GMTI (detecção e rastreamento de alvos móveis em terra), o entrelaçamento entre os modos ar/ar e ar/terra, etc. Mesmo que isso não seja para nós uma necessidade urgente, … a exigência fundamental dos Emirados é sobre o alcance do RBE2. E, com o mesmo diâmetro de antena, a única forma de conseguir o aumento de 10% de alcance (em comparação com o roteiro básico do AESA “F3″) pretendido pelos Emirados seria um grande impulso na potência do radar.”

Não vejo problema algum! Os Emirados querem um AESA diferente do que o RAfale tem, isso não quer dizer que o do Rafale seja um lixo, mas eles querem algo parecido com o AN/APG-80 radar AESA da Northrop Grummam, coisa que é diferente do da Thales, mas repito que isso não quer dizer que o AESA da THALES seja o pior ja construído no mundo ou até mesmo o mais fraco , quem fala isso está é desinformando, e veremos mais a frente que é uma questão de doutrina dos EAU…

Quanto ao GMTT/GMTI… o F-22 também não tem, então isso não faz dele um caça inferior ao F-16 Block 60 não é mesmo??… pode-se montar este equipamento se assim se quiser, e o General mesmo diz que a razão pela qual o Rafale não possui este sistema é: ” isso não seja para nós uma necessidade urgente”… então não era um equipamento importante para a doutrina da AdA… e o GripenNG também não terá este sistema GMTT/GMTI, pois assim como o Rafale utilizará o AESA de bordo para fazer o rastreamento no solo, coisa que os EAU não querem, eles querem um radar AESA e um GMTT/GMTI, cada um para fazer uma parte do rastreamento, AESA-AR, GMTT/GMTI-Terra!

O Gen não disse em momento algum que estes são defeitos do Rafale, basta ler, está ai na frete de todos!!

Questão 2: “Mas mais poder ao RBE2, poderia ser um risco para a geração de graves interferências eletromagnéticas (EMI) com os receptores da SPECTRA?

GDA Alain Silvy: Há de fato um risco muito real de EMIs a lidar. Este é o caso, sempre que queremos mudar os sistemas de emissão de aeronaves. Existem soluções, obviamente, mas isso exigirá o reexame da SPECTRA. Mas o maior problema que nós identificamos é na geração elétrica, que pode ser insuficiente. Para aumentar o intervalo máximo de algumas milhas náuticas, teríamos que rever profundamente todo sistema de geração elétrica da aeronave.

Em suma, para conceber o que poderia ser um “Rafale-9”, ou seja, um novo avião a afastar-se da semelhança que é de se desejar com o Rafale francês.”

Certamente se você modificar o sistema elétrico de bordo você alterará o EMI’s da máquina… isso é normal, em todos os modelos ou variantes dos F-16 ou F-15 foi necessário modificar e rever profundamente o sistema elétrico da aeronave. O que é preferível para o F-16A não é aceitável para o F-16F, e o que se faz eletricamente neste não vai bem para o F-16 Block 60, e deste para o F-16I quase nada pode ser aceitado com relação ao sistema de geração elétrico e seus derivados EMI’s, e se assim o fizer naturalmente que estes EMI’s não calculados para o modelo F-16I causarão problemas nos componentes de bordo do mesmo… assim como pode acontecer com o Spectra no Rafale caso não seja revisto o sistema elétrico para poder realizar as modificações pretendidas pelos clientes dos EAU, mas isso é até mesmo obvio e todos sabem… E até mesmo do Gripen C/D para o Gripen NG deverão ser refeitos estes sistemas elétricos e a recalcular a influência desta mudança, os EMI’s, nos componentes de bordo, como o radar AESA da SELEX,FLIR, etc…

Novamente o Gen. não disse que era um defeito, mas que para se fazer as modificações desejadas pelos clientes deverão sim ocorrer mudanças no sistema elétrico da aeronave, pois os derivados desta mudança podem influir diretamente no resultado dos componentes de bordo…e ele ainda fala textualmente do Spectra:”A SPECTRA atual está funcionando bem e muito bem mesmo.”

Questão 3: “GDA Alain Silvy: Os peritos dos Emirados que participam nas negociações estão bem cientes do problema. Mas eles (os Rafale) também são usados por terem sistemas de armas de alta qualidade. Eles querem evitar qualquer regressão com o Rafale, pelo menos no alcance do radar, em relação ao F-16 Block 60, t… Os Emirados não tem AWACS e, portanto, querem – é uma exigência fundamental – que o Rafale possa “enxergar” muito longe. Além do radar, eles estão mostrando requisitos relativamente fortes em relação ao desenvolvimento da SPECTRA como, por exemplo, a expansão de algumas bandas de frequência, um aumento da sensibilidade, a adição de funcionalidades, em suma, eles querem que nós melhoremos as tecnologias atuais. Claro que melhorar a suíte de guerra eletrônica de nosso Rafale mais rápido que o inicialmente previsto poderia ser uma vantagem operacional adicional para a Força Aérea. …. Em suma, o que nos separa, sobre o SPECTRA, é uma questão de timing e calendário […]. De um modo mais geral, partilhamos os mesmos desejos sobre capacidades, mas, às vezes, com prazos de maturidade muito diferentes no calendário. As restrições orçamentárias continuam a ser um fator de dimensionamento.”

Os peritos estão cientes do problema de integração das modificações exigidas pelos EAU, isso não diz que as atuais tecnologias do Rafale sejam um problema… Como já dito antes, em todas as modificações geram problemas derivados(efeitos colaterais), e estes vão resolvidos com o trabalho, o calculo e o tempo necessários, foi assim com todas as aeronaves do mundo que sofreram mudanças, nada de mais até aqui.

Na segunda parte do parágrafo é que voltaremos ao ponto dos AESA da Thales, e o porque os Emirados Arabes Unidos querem algo de diferente.

Os EAU vêm demonstrado que o alcance do radar Northrop Grumman AN/APG-80 radar AESA é maior que o do Rafale, mas se é assim também o é em relação ao do GripenNG e de outros que competem no FX2, F-18 incluso… Este AESA da Grumman por sua vez é uma modificação em relação ao “normal” pois os USA utilizam o AWACS, e não precisão deste alcance todo nas aeronaves de combate.

Isso pode ser visto muito bem aqui neste link: http://www.defenseindustrydaily.com/the-uaes-f-16-block-60-desert-falcon-fleet-04538/ onde diz que nem a USAF utiliza este radar, mas utiliza os AN/APG-68v9s com alcance inferios e menor indice de componentes eletronicos.

O AN/APG-80 é feito sob encomenda somente para os EAU, e atualmente é o radar que tem o MAIOR ALCANCE DO MUNDO, tudo isso pra tampar buraco na defesa dos EAU! E agora querem a mesma coisa do AESA THALES do Rafale, uma modificação realizada a DOC que aumente o alcance do radar!

E para os EAU que não tem uma aeronave AWACS esta é considerada uma “regressão”, pois pra eles é importante sempre aumentar o alcance do radar dos caças para compensar a deficiência tática de não ter um AWACS, e por isso que desejam como o pròprio Gen. Silvy disse: “querem – é uma exigência fundamental – que o Rafale possa “enxergar” muito longe”.

Não vejo isto como um problema do AESA do Rafale, certamente eles querem algo que tenha maior alcance, mas isso não quer dizer que o alcance do atual AESA THALES seja ruim… muito pelo contrário, demonstra que este AESA da THALES está em ótimo estado se você o utiliza em conjunto com os AWACS e outros, como a maioria das forças aéreas do mundo fazem e até mesmo o nosso Brasil, que possui os EMB 145 AEW&C, EMB 145 MULTI INTEL e os EMB 145 MP, mas se for pra tampar buracos de defesa aérea, vai ter que ser modificado mesmo o tal radar AESA THALES, assim como foi com o Northrop Grumman AN/APG-80 radar AESA.

E como vimos anteriormente onde o Gen. Silvy diz que “A SPECTRA atual está funcionando bem e muito bem mesmo.”, vemos que os EAU querem sim uma modificação do Spectra, para mais uma vez tampar buracos no sistema de alerta antecipado da defesa aérea do país, coisa pela qual o Spectra não foi projetado!

E para o Gen. Silvy, o que separa as pretensões dos EAU e as da França é uma questão de :” de timing e calendário”, ou seja as modificações que eles desejam podem ser todas realizadas, dependendo do tempo que eles estão dispostos a esperar. Tudo leva tempo!

E o Gripen NG e nem o F-18 SH, possuirão Spectra algum, seja o normal que o modificado!

Questão 4: “Os Emirados querem um visor HMD…

GDA Alain Silvy: “É verdade. E nós o faremos, de uma maneira ou de outra. Por várias razões nós concordamos no passado em não usá-lo inicialmente, mas este equipamento é agora um elemento quase indispensável para aviões de combate modernos. Além disso vários interessados no Rafale – os Emirados Árabes Unidos, o Brasil e a Suíça – também o querem, o que confirma esta análise.”

Precisa falar algo?? Ele mesmo diz o porque do Rafale não possuir o HMD:”nós concordamos no passado em não usá-lo inicialmente”…. e ainda diz que “será feito de uma maneira ou de outra”, ou seja, basta ter o pedido que será feito!

Num tem mistério nenhum aqui, e isso novamente nào demonstra defeito do Rafale, pois os nosso virão com o HMD se quisermos!

Questão 5: “No final, o que acontece com a eventualidade de uma ordem do Rafale pelos EAU?

GDA Alain Silvy: Muito sinceramente, do meu ponto de vista, … A única questão pertinente que se coloca é saber se a vontade de similaridade expressa pelos Emirados irá prevalecer sobre os seus requisitos de desempenho. Se o desempenho é o que importa, na verdade nós vamos ter dois Rafales completamente diferentes – … porque o Estado francês não pode ou não quer segui-los. Se a comunalidade é fundamental, os Emirados terão de reduzir suas ambições em relação ao desempenho.”

“Vamos ter dois Rafale completamente diferentes”… isso não quer dizer que o que já existe seja uma “jaca”, mas somente que o numero de modificações requeridas pelos EAU para suprir suas deficiências em outras áreas de defesa aérea, acabarão por gerar um outro Rafale, assim como o F-18A e o F-18 Super Hornet, ou o SU-27 e o SU-35!

E o Gen. Silvy já disse que algumas destas modificações não serão possíveis, e pelo que eu entendi, não é uma questão de Rafale não, é uma questão de que seria necessária uma outra aeronave mesmo para cumprir certos aspectos das modificações desejadas.

Normalìssimo, pois se fosse sempre possível modificar uma aeronave em eterno para se ter algo de “melhor”, estaríamos ainda utilizando os ME.262 modificados e modernizados, com tanto de AESA e Spectra… mas existem limites para modificações EM TODAS AS AERONAVES EXISTENTES, até os F-16, F-15, Su-27(agora estamos nos Su-35) etc… e imagina o GripenNG sendo pequeno como é, onde vão as novas características e modificações??? Teria que se fazer um avião novo logo de cara! Creio que a FAB deveria pensar neste aspecto com muita atenção, pois pelo que vejo somente o Rafale e o F-18 SH possuem capacidade de desenvolvimento elevadas.

Questão 6: “Quanto tempo seria necessário para o desenvolvimento adicional exigido pelos EAU?

GDA Alain Silvy: É difícil responder … A primeira aeronave dos EAU não seria entregue antes de 2014. Este período deverá ser suficiente para terminar de desenvolver um M-88 de 9 toneladas de empuxo. Sobre o radar, nós provavelmente não teríamos ainda, em 2014, todas as capacidades e desempenho esperado, …. O problema da geração de energia elétrica também requer tempo para ser processado. Esta será uma operação pesada para a aeronave. No caso de uma ordem assinada este ano, ainda teríamos, portanto, alguns anos para desenvolver os recursos adicionais. Esses anos não devem ser desperdiçados.”

Ele já deu até uma data: 2014 como mínimo… rápido demais até !

Sobre o M-88 o Gen. Silvy parece não saber, ou esta desinformando coisa normal em questão militares, que existem já dois modelos de desenvolvimento adicional para os M-88 da SAFRAN/SNECMA, ele fala que pode ter uma nova evolução dentro das vontades do cliente, e diz que será difícil agradar aos EAU, mas o General parece não saber que já existem duas evoluções muito parecidas com as especificações que os EAU desejam, as famosas 9.000 Kg.

Um deles é o modelo M-88-2 tem um empuxo de 17. 000 lbs (7711 Kg-7,7 Ton), e o outro modelo chama-se M-88E (E=ECO), que tem um empuxo de 20.000Lbs (9071Kg-9,07 Ton)… ambas estão no sitio oficial da Snecma : http://www.snecma.com/IMG/pdf/M88-2_ang-2.pdf , aqui pode-se ver claramente que algo de estranho o Gen está falando… como descrito antes pode estar despistando informações, coisa muito corriqueira em assuntos militares.

E ele ainda diz que vai precisar de tempo para todas as modificações e PROBLEMAS DERIVADOS destas modificações… Normal, tudo precisa de tempo mesmo, e se realmente acabar até 2014 será muito eficiente da parte dos franceses, depende se for realizar um novo modelo de turbina creio que 4 anos não bastam, mas se for utilizar um dos modelos acima descritos 4 anos podem ser razoáveis… para a Turbina se entende.

As demais modificações creio que realmente podem ser completadas em 4 anos.

Questão 7: “E sobre o Mirage 2000-9 dos EAU?

GDA Alain Silvy: As autoridades francesas têm sido muito claras sobre este assunto. Uma vez que o Rafale seja encomendado pelos Emirados Árabes Unidos, o Mirage 2000-9 será levado de volta à França, que irá enviá-los para uma agência de revogação encarregada de sua revenda para exportação. Isto significa que, nessa hipótese, não está previsto que equipem as Forças Armadas francesas.”

Certamente que os Franceses não querem os Mirage 2000 dos EAU, pois o Rafale existe para substituir toda a frota aérea do país, pouco importa se é Mirage 2000, III ou F1, todos estão sendo substituídos pelos Rafale F1, F2 e F3, e depois os F1 e F2 serão elevados ao padrão dos F3. Normal!

Não entendi o que se quer demonstrar de problema nesta parte aqui… será que nem a França quer os produtos franceses??? Seria o cumulo da manipulação da informação esta proposição interrogativa…

Questão 8: “Mas não seria interessante para o AdA, dado que estes últimos (Mirage 2000-9) são células com avançados sistemas de armas?

GDA Alain Silvy: Nós não podemos dizer que não sentimos nenhum interesse nestas máquinas, pois seu desempenho apresenta sistema de armas realmente surpreendentes. A Força Aérea poderia certamente se beneficiar. Entretanto, o indispensável trabalho para a compatibilidade com o padrão OTAN destes sistemas de armas seria muito pesado, com um custo provavelmente superior aos 700 milhões de euros previstos para a renovação dos nossos Mirage 2000D, o que é uma prioridade para nós.”

Novamente coligado à nova doutrina da AdA, que diz que todos serão substituídos pelos Rafales, e não seria uma boa idéia mudar ou modificar nada nesta aeronaves pois custara muita grana, e esta grana vai para os Rafale da Ada, ou no mínimo para os 2000D… os Mirage como dito anteriormente serão “exportados”, e creio que seria uma ótima idéia observar estes vetores tão avançados em seus sistemas aviônicos… ao meu ver seria interessante para a FAB analisar esta “exportação” dos Mirage 2000-9 dos Emirados Árabes Unidos.

Bem, acho que ficou claro que o Gen. Silvy não falou e não disse nada de defeitos no Rafale… mas existem interpretações pessoais ou lobbystas diferentes, mas combater a escuridão com a escuridão não da em nada, tem ser com a luz do pensamento livre que se combate a escuridão do doutrinamento!

Opiniões contrárias também têm o seu valor!

Abraços, Francoorp!

Anúncios

183 Respostas to “FX2 – DISSE Não DISSE.”

  1. Francoorp,

    eu concordo com suas palavras e sua análise, mas vejo a coisa de uma maneira mais simples até: foi uma entrevista de um comandante da Adla se posicionando diante de um cliente, avaliando o que o cliente quer para o Rafale. Não consigo entender o alvoroço que foi feito em cima desta entrevista (que curiosamente quase ninguém leu no original e foi feita milhões de distorções e interepretações a gosto do freguês).

    O Rafale do Brasil também terá suas especificações e adaptações e isso será ou já está sendo negociado entre a FAB e a Dassault, e é normal que assim seja. O que ocorreu nesta entrevista, a novidade que ela tem, é que as especificações requeridas pelos EUA se tornaram, digamos, públicas (algumas, pelo menos).

    mas enfim, quem quer ver chifre em cavalo (não é o seu caso e vc sabe bem), vê o que quiser e entende o que quiser.

    abração bro!

  2. ops! troquei as bolas, aonde se lê EUA, leia-se EAU.

  3. Hornet, uma coisa que passou desapercebido intencionalemnte ou não é o fato da Turbina M88-X que era prevista para estar pronta em 2018 está na eminência de ser avaliada…
    pra quem quer pode-se perguntar, ainda não tá’??????
    pra quem não quer, pode se dizer já???????
    mas como dizia um ex presidente brasileiro que deus o tenha se não tem é por que não quer… a carruagem passa…
    sds
    E.M.Pinto

  4. E. M. pinto,

    pois é…bbem observado.

    E eu diria mais: a carroça já passou para muitos.

    É a tal coisa: confundir ser crítico com ser do contra (e crítica não tem nada que ver com ser a favor ou ser contra, como sabemos) não é apenas uma atitude ingênua e boba, muitas vezes torna-se irresponsável também…mas enfim…segue o enterro…hehehe

    abração

  5. Caro Francoorp,seria interessante ter colocado toda a entrevista e não somente trechos,pois isso leva a uma imparcialidade dos fatos.Foi usado o F-22 como comparativo so que você esqueceu de mencionar que o F-22 é um caça de superioridade aerea e não um caça multifuncional como os franceses colocam o rafale e no entanto fica provado na entrevista que o rafale tem uma capacidade limitada de ataque prova disso é que no Afeganistão ele dependia do M2000 ou de um SE para iluminar o alvo.O que fica nitido e muito cristalino na entrevista é que o rafale depois de vinte anos ainda é um projeto(e não um caça pronto) inacabado.

  6. Com certeza o Rafale já tem a hora de voo mais cara que o F-18 e o Gripen, com estas modificações ficaria demais para o FX-2. Impressionante eles não terem o HMD, acredito que seja padrão para todas as aeronaves modernas atuais. Seria melhor o avião russo de 5º geração T-50. EAU é emirados arabes….

  7. Isso mesmo Hornet e Pinto, somente quem quer ver a fantasia ao invés da realidade é que esta por ai discutindo sobre o que o senhor Silvy disse… sem duvida o cliente tem sempre razão, mas vejo que os EAU estão realmente querendo que a Dassault faça uma caça completamente novo e dentro de suas especificações de operatividade, e isso é muito complicado se você parte de um projeto já ultimado e em serviço ativo… mas para outros que gostam de ver chifres, realmente segue o enterro!

    E este Pinto é um ponto escuro da entrevista do Gen. Eu vejo que tem algo que o Gen. Silvy não quis dizer a respeito da M-88X, e como você bem lembrou, os dois modelos estão na iminência de testes completos, exaustivos e quem sabe até definitivos… mas o Ge. Silvy deu a impressão de que todo este trabalho deveria começar do zero. Tem algo que ele não quis dizer para não gerar alvoroço de especulações ou quem sabe até de pedidos de informações para a Snecma e a AdlA.

    Ficamos na expectativa… M-88-2 ou M-88E? Qual será a aprovada?
    Valeu por publicar a matéria!

  8. Jakson Almeida:

    Coloquei os links onde todos poderão ler a entrevista integralmente, seja em Francês, que em Inglês ou em Português traduzido pelo Vader para o Blog do Poder Aéreo… e os relativos comentários.

    Obrigado!

  9. Viu Jakson Almeida,quando te dei o exemplo da fábrica de picoles,é a mesma coisa,o unico caça que promete tudo e não faz nada é o caça maravilha é o gripen!

  10. No mais as mesmas manipulações,muitos desinformam pra querer formar a opinião

  11. Acho que o Francoorp tem todo direito de ter a sua posição, e eu tenho a mesma convicção, mas a determinados blogs, que realmente vemos fazer certas manipulações na depreciação com relação ao Rafale. Concordo também com o Hornet, a uma diferença entre a crítica e ser do contra. FX-2 já está parecendo uma disputa por torcidas organizadas, como fla x flu. rsrsrs
    Abraços.

  12. Jakson Almeida:

    Nem mesmo o F-16 é um caça pronto e acabado… está sempre mudando as configurações, isso faz dele um projeto em evolução ou involução contínua.Assim como o Rafale.

    Citei o F-22 somente para mostrar que a falta do GMTT não faz do Rafale(Queé um multi-roll) uma aeronave inferior a uma que possua o Sistema… se é pra pensar assim, então o F-22 também seria inferior em relação à um F-16 Block 60, o que não é verdade, os equipamentos do F-22 são superiores e muito mais complexos dos instalados no F-16 Block60.

    O ser superior ou inferior depende da missão, e a aviação no caso dos Multi-Roll é usar o mesmo equipamento para realizar outras funções, economizando a capacidade elétrica, de peso e de projeto da aeronave, reduzindo as modificações constantes e melhorando a produção Standard além da manutenção!

    Valeu !!

  13. Francoorp,parabéns amigo,a velha turma mostrando a verdade mais uma vez!

  14. Cansa,ver alguns que dizem ser amante dos assuntos de defesa jogarem o nome de uma empresa como a Dassault no lixo,desmerecerem a fabricante,é muita infantilidade!

  15. Pois bem Franccorp, os Franceses não conseguirão em 2014, aquilo q ja esta disponivel nos F-16, então cancele o FX-2 e compre o F-16 que é muito melhor e mais barato.

    O F-16 é superior ao F-22 no modo ar-terra pq simplesmente essa caracteristica não esta no projeto do F-22, e agora para minha surpresa discubro que ele é superior ao TODO PODEROSO Rafale.

    Eu achava que comprar o Rafale era pagar muito caro por algo um pouco superior, agora eu descobri que comprar o Rafale é pagar muito caro por algo 10% inferior.

    Radar inferior, motor inferior e problemas de geração de energia eletrica q simplesmente impede qualquer upgrade posterior. Imagine só em 2030, o sufoco para manter essa porcaria operacional.

    Essa entrevista explica bem pq a jaca nunca venceu nenhuma concorrencia.

  16. barca se você tem dez centimetros de area livre pra colocar dois picoles e quer colocar três e simples e so você diminuir o tamanho do picole,eu trabalho com engenharia de projetos e produção e hoje qualquer planta industrial é modular justamente prevendo uma possibilidade de alteração do item produzido,o que eu duvido não ter sido feito pela Dassault em sua fabrica,o que se discute e a capacidade financeira dos franceses de manterem o projeto sem encomendas do rafale,pois pra se produzir um produto você tem de ter demanda do mercado e ai onde esta a demanda do rafale que não vende pra ninguem alem dos franceses, que ja discutem cortes financeiros em sua defesa.

  17. Francoorp :
    Jakson Almeida:
    Nem mesmo o F-16 é um caça pronto e acabado… está sempre mudando as configurações, isso faz dele um projeto em evolução ou involução contínua.Assim como o Rafale.
    Citei o F-22 somente para mostrar que a falta do GMTT não faz do Rafale(Queé um multi-roll) uma aeronave inferior a uma que possua o Sistema… se é pra pensar assim, então o F-22 também seria inferior em relação à um F-16 Block 60, o que não é verdade, os equipamentos do F-22 são superiores e muito mais complexos dos instalados no F-16 Block60.
    O ser superior ou inferior depende da missão, e a aviação no caso dos Multi-Roll é usar o mesmo equipamento para realizar outras funções, economizando a capacidade elétrica, de peso e de projeto da aeronave, reduzindo as modificações constantes e melhorando a produção Standard além da manutenção!
    Valeu !!

    E q venha os rafales, p ontem ; FAB merece e o BRASIL agradece.

  18. Rogério:

    Repito: O ser superior ou inferior depende da missão, e a aviação no caso dos Multi-Roll é usar o mesmo equipamento para realizar outras funções(AESA-Rastreamento AR/Solo), economizando a capacidade elétrica, de peso e de projeto da aeronave, reduzindo as modificações constantes e melhorando a produção Standard além da manutenção!

    Além de que nós temos os Aviões Nacionais fabricados pela Embraer para fazer o rastreamento aéreo, naval e ao solo, coisa os EAU não tem. Isso muda muito na missão e na capacidade da aeronave, ter ou não o GMTT/GMTI é relativo à doutrina da força aérea que empregará o meio militar correspondente.

    Mas isso não demonstra superioridade em relação aos outros, alias ter estes equipamentos a mais pode até ser um Handicap, pois pode ainda tirar ou reduzir as capacidades de outros sistemas da aeronave que podem ser vitais para a sobrevivência ou não no campo de batalha, ou o cumprimento ou não da missão.

    Valeu!!

  19. Francoorp:
    Um caça “acabado” como o F-16 que teve versões como a A,B,C,D,I(Israel),U(Emirados) e agora a VIPER não e um projeto inacabado.

  20. Jakson Almeida :
    Francoorp:
    Um caça “acabado” como o F-16 que teve versões como a A,B,C,D,I(Israel),U(Emirados) e agora a VIPER não e um projeto inacabado.

    Segundo este teu parâmetro o que é um caça inacabado???

  21. Um caça como o SH que tem um hmd e um radar aesa multímodo funcional e a capacidade de iluminar seus próprios alvos e um exemplo de caça acabado.
    Um caça como o rafale que não tem um hmd e nem um radar aesa multímodo e que não consegue iluminar seus alvos, dependendo de outro caça, e um exemplo de um caça inacabado ou um projeto de caça em desenvolvimento.

  22. Fica difícil acreditar no Rafale como o caça ideal para o FX-2. Ele tem 10 anos em produção e tem problemas de protótipo, como a questão elétrica. Imagino que agora fica claro porque ele não tem vendido. Não é má vontade, o problema não é o caça e seu conceito, mas o gerenciamento feito pela França. Se eles precisa de 11 caças ao ano como é que a lei militar francesa não prevê a compra de novos caças? De novo vão ter que improvisar. Não dá!!!!!

  23. Bom amigos essa conversa não vai render frutos,são um grupo que pensa com logica e outros que vivem no mundo da fantasia,no mais depois da eleição o rafale vai ser confirmado,depois que vier as propostas em público muita gente que fica falando abobrinhas não vão ter o que falar.
    E com a Dilma ganhando em primeiro turno,teremos o rafale na FAB para a nossa sorte,graças a Deus e veremos o caça maravilha indo para o saco,vai haver uma modernização dos gripens existentes,ai eu concordo com o frankcorp,e discordo do jakson,pois o gripen cd tb não é um caça acabado.

  24. Tradução feita por um gripentelho fanático de marca maior e de indole bossal bem conhecida…KKKKKK….
    Belo argumento dos gripedófilos pra atacarem agora, só pq a pulga sifuuu na India…rssss (radar deficiente!!!)
    Pode perder concorrências mas sempre disputa com os grandes caças!!!
    Agora se der Rafales na India, o bloguinho sueco ficará de luto…

    Que venham os Rafaaas!!!
    Depois de enfrentarem F-18s, F-15s, Typhoons, F-22, em breve estarão na Cruzex detonando F-16s…

  25. Jakson Almeida:

    Este contexto é tecnicamente falho… mas se pra você é assim, ta bom, sua opinião.

    Pensei que o senhor queria dizer que caças inacabados eram aqueles que ainda não eram homologados e nem operativos… que não é um conceito tecnicamente errado.

    E Jackson o HMD tem nada a ver com iluminar os alvos com o radar, é somente somente para direcionar as armas dentro do campo visual do piloto… por isso chama-se HMD, ou helmet mounted display… nem precisa de radar, e ao vivo e a cores, não precisa de outro avião iluminando não, mesmo porque vizinho assim so oponente o radar não serve mais, vai no olho mesmo! O HMD é somente para direcionar as armas para onde esta olhando o piloto, assim melhorando a pontaria do mesmo e da aeronave… num vai pela conversa daqueles pseudo entendidos de la não, podem te dar informações erradas.

    Valeu !!

    —————————————————————————————-

    BARCA:

    Valeu !! E concordo com o ponto de vista técnico que o Gripen NG não seria um caça acabado, pelo conceito de ainda não é homologado e operativo. Acho muito válido como conceito de inacabado.

    Valeu de novo!

  26. Em suma, o Rafale não é um porcaria, mas também não é aquela máquina fantástica que seus entusiastas nos queria fazer acreditar ser.
    Fica também evidente que não há nada nele que justifique o alto preço. Ou seja, há outros fatores que o faz ser o mais caro que não a “qualidade”.
    Também, não há nada que o faça ser o mais indicado para o Brasil, salvo ser ele um caça de estética invejável e ser de nosso “parceiro estratégico”. rsrsrs
    Salvo também se a FAB tiver exatamente a mesma doutrina de utilização da Armée De l’Air, o que acho difícil.
    Mas pra mim, acho qualquer um dos três candidatos ao F-X2 passando de bom e superdimensionados para nossas necessidades e dotação orçamentária. Não acredito que usaremos os F-X2, se é que um dia ele desembesta, para nada além de defesa aérea, e assim mesmo com uma quantidade mirrada de mísseis, se tornando as aves de rapina mais raquíticas e desdentadas do continente.
    Esse é um dos motivos que prefiro que se gaste o mínimo possível com o programa. Sei que nunca antes no país se “falou” tanto em Defesa, mas não acho que deixaremos de ser o que somos por pelo menos mais 100 anos. E estou sendo otimista.
    Quanto à transferência de tecnologia, não acredito nela. Acho que é apenas bravata política para que nossos governantes posem de homens sérios comprometidos com um projeto de país a longo prazo. Mentira! “Longo prazo” no Brasil, vai até 03 de outubro e não há projeto de país e sim projeto de “poder”.

  27. Mad Dog,

    na verdade a tradução foi feita pelo tradutor do Google. Com uma série de erros.

    nem pra corrigir os erros da tradução automática se deram ao trabalho, mas enfim….

    só um exemplo da péssima tradução: “No final, o que acontece com a eventualidade de uma ordem do Rafale pelos EAU?”

    O Google traduz “to order” (encomendar, fazer um pedido) por “ordem” e ficou por isso mesmo. Em português não existe isso “uma ordem do Rafale”…mas, como eu disse, nem se deram ao trabalho de corrigir.

    Gerealmente gosto de ler matérias ou comentários das pessoas minimamente inteligentes, ao menos com um mínimo de noção de mundo, e não me importo se defendem o NG, o Super Hornet ou o Rafale…mas quando o nível despenca pro vale tudo, pro “publica qualquer coisa que tá valendo”, a coisa se perde e só se tem bobagem em cima de bobagem…enfim…

    abração

  28. Francoorp:
    Eu apenas disse que o rafale “ainda não tem” um HMD incorporado,eu não descrevi seu uso.

  29. Francoorp,

    Ninguem nunca mencionou a capacidade ar-terra do Rafale pq todos achavam q ela existia, pois como pode um projeto tido como moderno não as possuir? Mais o proprio Gen. francês disse que não tinha, então o Rafale é sim inferior ao que possui essa função, e se vc não acha essa função importante? Só rindo mesmo. Quer dizer que vamos comprar um caça com radar inferior ao AN/APG-80, que já está sendo substituido pelo APG-81 do F-35, e sem possibilidade de UP e isso não é importante para vc? KKKKKKK

    Barca,

    Mundo da fantasia é o seu ,nenhum país comprou o Rafale desde 2000, quando ele já estava pronto, já o Gripen NG esta só estreando no mercado, quanto a Jaca vir para o Brasil, parabéns a Dassaulto, que conseguiu vender uma porcaria, com míssel inferior, radar inferior, motor inferior (que não dá nem energia para futuras modernizações), e sem opção de usarmos armamento nacional, pois a integração não é viavel(segundo a propria Dassauto), e tudo isso por um preço maior q dos concorrentes, KKKKKKK, e tem brasileiro que se diz patriota que fica feliz com isso, só lamento.

    Mad Dog,

    Faça uma tradução melhor.

  30. Bosco,

    desde sempre, ao menos desde quando ainda se tinha razão (no sentido de racionalidade) na discussão, que sabemos que nem um dos caças é uma porcaria e nenhumn é uma maravilha, mesmo com IRST no tanque de combustível…hehehe

    O que desvirtuou tudo, e acabou com a racionalidade, foram essas maluquices de torcedores…e quando isso se juntou com lobbies e tudo o mais, virou circo total…mas enfim…

    abração bro!!!

  31. Rogério ACHO QUE O MUNDO DA FANTASIA É O SEU,ATÉ PORQUE NÃO EXISTE NADA DE CONCRETO DESSE CAÇA,OU EXISTE,VC AFIRMA ISSO AMIGO,SE ALGO QUE NÃO É REAL,TE PERGUNTO A QUE MUNDO PERTENCE,agora vc dizer que o rafale é uma porcaria,demonstra o quanto vc está por dentro do assunto,e o quanto vc entende de caças,ou seja absolutamente nada,vc dizer que um vetor que não existe,é melhor que o segundo melhor caça em operação do ocidente,chamar o caça de jaca,não mostrar o que o caça é capaz,o que esse caça faz senhor rogerio,pare de repetir o que os outros falam,me apresente dados amigo,dados,acho que o seu mundo é o da fantasia,ou vc acredita naquela reportagem em que desmereceram o general helito,no qual disseram que a escolha do rafale não estava em boas maos,ou o senhor tem mais capacidade mental,tecnica que o MD,faça me o favor senhor rogerio.

  32. Estão pegando notícia antiga, do tempo que não existia o Damocles… é brabo! O Rafale F-3 já terá disponível o Damocles, o Rafale é Multi-role, não avião de ataque, não precisa de sistemas dedicados para tal, usará seu radar! ao contrário de suas capacidades anti-aéreas, onde o Caça, seus sistemas ópticos passíveis e a suíte SPECTRA, fazem a diferença e são fundamentais!

    Uma pergunta aos defensores do NG e SH… na verdade aos anti francêses, que parecem estar por aqui também, rsrsrs…
    Se o Rafale é ruim, por quê raios os EAU estão pressionando por melhorias, e interessado na compra já que ele é, segundo vcs, caríssimo? e isso certamente inviabilizaria até uma parceria estratégica de anos com a França…
    Na verdade o Rafale vale cada centavo, e já falei isso lá no Aereo, e, como falou o Francorp o radar do F-16B60, do qual sou fãzaço!, foi “encomendado” e tem o maior alcance dentre os radares AESA de seu porte, porém é ele mais capaz? não creio! tenho certeza de que, para fazer isso, a LM/Gruman tiveram que abdicar de outras coisas… alcance não é sinônimo de eficiência… tem Radar PESA russo que capta um caça a 300km de distância…

    O tempo dirá…

    Sds!
    Francisco

  33. Seja mais original senhor rogerio,uma vez te fiz uma indagaçao sobre alguns dados,e até hoje estou esperando,porcaria é a sua capacidade de entender o processo,os equipamentos,o que envolve,vc simplesmente pensa pelo que os outros falam,repete as mesmas infantilidades,só posso dizer amigo que é uma pena,mas se vc pensa assim,o problema é seu.

  34. Meu amigo Hornet.
    Andas sumido do outro lado…rsrrsrsr

    Francoorp
    Muito bom seu comentário, pois foi colocado de modo imparcial e não para ser usado para denegrir o caça.

  35. O Rafale têm um roadmap claro de desenvolvimento. O F18E/F apresenta falhas graves como seu grande RCS e a falta de um IRST, mas também está em desenvolvimento. Têm um roadmap. Agora eu pergunto, o Gripen NG já deslocou o trem de pouso, e colocou um tanque a mais naquela fuselagem magrela, onde o F414 toma quase todo o espaço. Para onde esta nave irá crescer???? Tanques conformais????? ou terão que utilizar pilotos baixinhos menores que 1,50m.
    O Gripen NG é uma piada de mau gosto. Por favor, a FAB nunca creditou nada a este vetor. A ficha já caiu no Oriente com o MMRCA da Índia. O que esperar mais deste pseudo projeto. Nem a Suécia o quer, mas ele têm o melhor datalink do mundo :)
    Inventam até uma versão paintshop naval do dito cujo e têm gente que acredita e reza que é o melhor dos Mundos. Qual o roadmap do Gripen NG? Para onde este projeto irá? qual o crescimento de capacidade do vetor planejada? Suas características atenderiam aos EAU? Sem AWACS? não acredito.
    Parabéns ao Francoorp pelo texto, ao blog pela imparcialidade e ao Général de Brigade Aérienne Alain Silvy que com uma entrevista claro e honesta expõe o conteúdo de desenvolvimento do Rafale e as características/requisitos pedidos no FX dos EAU. Bem diferente do espelhinho para índio e do dois pelo preço de um de um vice Ministro de Defesa Nórdico. Fazemos qualquer negócio pensou o coitado. O pior é que têm ingênuo que acrditou e acredita nesta opção para o Brasil.

  36. Rogério,
    Capacidade ar-terra o Rafale possuí e recentemente ele lançou até o míssil de cruzeiro nuclear francês, com sucesso.
    O que o rafale não possuí é o modo de detecção AR-Terra desejado pelos EAU, assim como o F-22 não possuí esse mesmo modo.
    Em momento algum foi comentado que ele não possuí modo Ar-Terra.

  37. Robson Br e Chicão,

    Sejam bem vindos.

    Robson, não ando sumido, eu sumi de verdade, perdi a paciência de vez (o Justin vai pro céu, sem escala…hehehe).

    Que bom que vc me achou aqui. Assim podemos continuar trocando umas idéias.

    abração procêis

  38. Hornet,
    Grande amigo. Saudades dos nossos diálogos.
    Como podemos ver a novela do F-X2 não acaba nunca. Vai bater o record daquela novela americana que ficou 20 anos no ar. Mas pior, o F-X2 nem no ar está. srsrsrsr

    Luiz,
    F-22 sem modo ar-terra avançado no seu radar pode porque é de superioridade aérea com capacidade ar-sup limitada, Rafale não pode porque sua propaganda oficial o coloca como sendo um dos mais, senão o mais completo “omni-role” do mundo. Na verdade o termo “omni-role” foi cunhado por ele e para ele. Os outros concorrentes são “multi-role”. rsrsrrs

    Wolf,
    Não força a barra. rssrsrsrsr
    SH com grande RCS? Falha grave porque falta um IRST?
    Sua veia cômica é ótima..rsrsrsrs

  39. Dae Hornet!
    obrigado!

  40. Nenhuma força aérea do mundo tem doutrina de usar o IRST no lugar do radar, principalmente tendo a disposição um AESA, e pior, tendo do outro lado um caça também com AESA.
    O IRST no Super Hornet está sendo cogitado para operar num teatro de operação específico, em um número limitado de unidades, em que os estrategistas americanos supõe que poderá ser comprometida a confiabilidade do radar por força do uso intensivo de ECM num futuro a médio prazo.
    O IRST hoje é de pouca serventia. Infelizmente sua tecnologia só se firmou junto com a dos radares de varredura eletrônica, e apesar de mais confiável que os primeiros exemplares das décadas de 50, 60 e 70, continuou a ser um figurante, e na imensa maiorias das vezes, dispensável.
    Poderá ocupar o lugar de ator principal num futuro a médio prazo em que a confiabilidade do radar voltará a ser questionada tendo em vista a tecnologia de redução do RCS estar generalizada.

  41. Bosco

    tá pior que a Chiquitita do SBT…hehehe

    também estou com saudades das nossas conversas insectossauricas, mas vamos retomá-las.

    abração meu amigo

  42. O que esperar de um baderneiro (Editado- menções a terceiros e outras agências de notícias blogs ou pessoas de outros bçogs devem ser feitas nas respectivas agências, críticas a estas agências nºao são permitidas no PlanoBrasil)…

    Essa tradução Googleaaation distorçida pelo senhor (editado)r pra seus fantochinhos vibrarem e semearem não merece nenhuma atenção.
    No forum Defesa Brasil foi motivo de piada.

    Rogério, não fica triste não, talvez a REVELL se interesse em produzir Kits Gripen NGs e Sea Gripens aos milhares pra que vcs montem e brinquem, cheiiiinho de bombas como naquele desenhinho tunado da Saab que vcs adoram…rsss
    Você, sim, é que está precisando acordar e sair desse mundinho de “Alice no País do Gripen Maravilha”.

    Depois do vexame do Gripen na India, a diversão deles será de lançarem notícias anti-rafas.

  43. Caros Amigos:Resumindoem partes…,(A) maioria concorda q transferencia de tec nao vai acontecer,entao teriamos q copycat como israel e china! ok ate ai? (B)Se aprendermos a fazer um modelo de aviao , saberemos como fazer qualquer um!(bom… modo de dizer) (C) O rafale nao e o melhor do mundo, isso todos concordam, mas e caro$$$. (D)Agora vou cvomplicar mais ainda…o suckoy e o melhor do mundo e seria o melhor pro Brasil. (E)Entao que tal fazer um contrato muito bem feito , tentar fazer os Gripen por um preco bem mais barato e teremos um numero bem maior de avioes por um preco bem mais barato e o motor GE parece uma tecnologia um pouco mais yankey, q apezar de tudo acho muito boa e se enquadra na nossa. Eu nao acredito muito nnessa tecnologia francesa nao! parece meio complicada como a russa mas ao menos os aparelhos russos sao melhores.Acho a tecnologia americana a melhor mas infelizmente, nem pensar!!! E nao sou contra Rafale e sei q o gripen esta meio q no papel , mas com um bom contrato assinado poderiamos tentar. E o interessante e o seguinte e quero saber se alguem concorda: NAO PRECISAMOS O MELHOR CACA DO MUNDO (NAO VAMOS A GUERRA AMANHA) MAS SIM O MAIS FACIL DE APRENDER A FAZER E TAMBEM UM NUMERO RAZOAVEL(por enquanto serao usados para policiamento doespaco aereo e nao combate),ENTAO POPR ISSO ESTOU MAIS AO LADO DO GRIPEN . MAS SE ALGUEM ACHAR Q ESTOU LOUCO , BEM , TODOS OS MODELOS OFERECIDOS TEM ALGUM TIPO DE PROBLEMA, E POR ISSO ESTA DEMORA NA ESCOLHA (fora a politicagem sem vergonha).UM grande abraco

  44. Ai Galera, fiquei sabendo agora, e vim correndo mostrar para os colegas, e como o tempo é pouco eu trouxe uma nota traduzida(Google) para os senhores.

    —————A melhoria AN/APG77 (V) foi um radar a ser instalado no Lote 5 da aeronave. Esta versão possui recursos aprimorados de ar toground. Illese são pensadas para incluir a detecção automática de destino e classificação, indicação de alvo móvel (MTI) e radar de abertura sintética (SAR) modos.

    AN/APG-77 é a designação para o radar multifunção instalado no caça F-22 Raptor. O radar foi construído pela Northrop Grumman.It é um estado sólido, varredura eletrônica ativa array (AESA) radar. Composto de ~ 2000 transmitir \ receber os módulos, cada um do tamanho de uma vara da goma, que pode realizar uma direcção do feixe quase instantânea (na ordem de dezenas de nanosegundos). O fornece AN/APG-77 120deg campo de visão em azimute e elevação. O valor mais elevado, que pode ser alcançado para o campo de visão (FOV) de uma antena de phased array é 120deg (60deg 60deg esquerda e direita. 60deg para cima e para baixo 60deg). [1] Mais de 100 radares APG-77 AESA tenham sido produzidos até à data pela Northrop Grumman (tempo / em custo) e muita da tecnologia desenvolvida para o AN/APG-77 está sendo usado no radar AN/APG-81 para a II F-35 Lightning. A APG-77v1 está agora em produção para o F-22, que inclui a funcionalidade de ar-terra cheia (de alta resolução de mapeamento por radar de abertura sintética, terra que se deslocam a indicação do alvo ea trilha (GMTI / GMTT), cueing automática e reconhecimento, combate identificação, e muitos outros recursos avançados)—————–
    OU SEJA ELES TEM DESDE A 5° SERIE DOS F-22 RAPTOR!

    O amigo Santiago do Defesa Brasil que mandou estes link sobre o GMTI/GMTT em si e o do F-22.

    O material do segundo link é esplêndido, apenas terei um tempo vou dar uma olhada profunda… mas eu não mudo em nada o que eu disse a respeito da entrevista do Gen. Silvy, mesmo por que se o F-22 tem ou não tem o GMTT/GMTI isso não muda em nada o ponto central da questão, que é os EAU querem que o Rafale tenha também, e creio que este material ajuda a compreender as insidias desta trama GMTT/GMTI!!

    Vai os links:

    Este é meio propaganda militar Yankee, ou comercial da empresa… mas é interessante dar uma olhada:

    http://www.northropgrumman.com/analysis-center/briefings/assets/Ground-Moving-Target-Indicator.pdf

    E este é o que eu gostei… Bosco, Hornet, Barca, Justin Case e todos os colegas que amam as técnicas se divirtam, e certamente tem a propaganda Yankee dentro, mas podemos relevar neste caso, hehehe, ai vai :

    http://www.es.northropgrumman.com/solutions/f22aesaradar/assets/gmti.pdf

    E este eu achei para fazer o trabalho acima mas não quis postar pois é meio complicado para o leitor comum, explica o GMTT:

    http://www.isif.org/fusion/proceedings/fusion06CD/Papers/44.pdf

    Este também é bom, mas eu vi que é um pouco superficial…:

    http://www.aiaa.org/aerospace/images/articleimages/pdf/AA_Feb06_EOE.pdf

    Bem senhores, vivendo e aprendendo… ainda bem que quase nada sei, pois assim posso aprender ainda mais!!!

    Pelo menos eu vou por informações verdadeiras e estou sempre postando links para demonstrar as minhas bases de raciocínio, ao contrario de outros por ai, que somente falam falam e falam, mas dados que é bom mesmo, nada!

    Salvem no PC, estão em PDF, sabe-se la quando é que nos lembraríamos onde estão estes links e o seu bom material.

    Valeu!!

  45. falei alguma coisa errada?

  46. Onde foi o meu comentário anterior? se for assim seria melhor so o senhor comentar e a gente so fica olhando ! Que tal?
    ***********************************************************
    Bom de briga, não foi parar em lugar nenhum, o seu comentário tal como os demais fica na fila de espera e é liberado após aprovação dos editores, talvez não estejas acostumado mas é assim que se procede no Plano Brasil.
    A medida serve para reter comentários insignificantes e ofensivos.
    A participação é bem vinda mas se o leitor se sentir ultrajado pode ficar a vontade de só ficar olhando.
    sds
    E.M.Pinto

  47. ZEITGEIST (vejam esse documentário, principalmente a parte destinada ao 9/11)… esse é o motivo pelo qual os brasileiros não podem sequer enaltecer, ou pensar em ter laços com os eua.
    Se alguns caças estados unidenses são bons, problemas deles, devemos parar de dar mais poder, à quem ja tem muito, e usa de forma errada.
    Se o Rafale tem inferioridades, os engenheiros brasileiros vão contorná-las, se tem problemas, iremos concertá-los, se faltar gasolina, a gente faz um flex…
    Comprar o Rafale, é o menos prejudicial, (em termos estratégicos) para o planeta.
    Comprar o F18 (além de ser refugo NA), seria garantir o monopólio dos eua na área. Seria acorrentar o Brasil de vez, às vontades de pessoas e entidades que não querem que alcancemos o desenvolvimento que o povo brasileiro merece, e principalmente , que tenhamos condições de nos defender….
    Acho que ja é hora de atingirmos um estado de evolução mental, digno de brasileiro,e outra por que sempre comparações com caças ou tecnologias norte americanas???
    No iraque o objetivo principal no início da invasão era destruir os astros 2 que o iraque possuia, em simulações feitas por supercomputadores, vazadas na net e mostradas por outro site de notícias na área militar, (não sei se posso dizer o nome), os Terminators russos foram muito superiores aos similares gringos…e agora o PAK 50 também se mostra muito superior aos F22 e F35….

    Que venha o Rafael, e que todos atinjam um nível melhor de “Brasileiridade”!!!

    :)

  48. 3 coisas

    1º Erros de tradução não são um pecado mortal, ocorrem e eu mesmo as vezes cometo, o que não se pode fazer é dar a interpretação que se quer a um tema e texto de forma a realçar aquilo que se defende ou quer defender.

    2º Cada um acredita no que quer e tem direito a isto, porém é preciso analisar os fatos e consequências e não factóides e pseudo realidades.

    3º A entrevista do general aponta falhas e metas no programa e vai contra muitos pontos defendidos pela fabricante do caça sim, pontos considerados críticos como a introdução do HMD entre outros, é importante que estes pontos sejam esclarecidos pela Força Aérea Brasileira e ponderados uma vez que o caça encontra-se numa concorrência aqui no nosso pais e é de nosso interesse.

    Quero só destacar um ponto que todos estão ai criticando, a introdução do HMD isto não é nada demais, como se entende nas palavras do General, foi uma opção da frança não usá-lo mas que este é um ítem a ser introduzido nos Rafale do cliente como ele mesmo diz é do desejo de todos.
    Pra quem acha que isto é algo impossível tenha em mente que a elbit-embraer já o fizeram no F-5 mike e que não seria nada de impossível.

    Não esquecer que as exigências dos EAU baseia-se nas capacidades da versão F3 do RAfale e querem a introdução e evolução de tecnologias que excedem as propostas para o rafale F4, por isso há ai um problema lógico e esperado que o fornecedor terá que resolver, ambos estão cientes disso.
    o Comparativo é o F 22 e é obvio que o rafale não está na mesma categoria, é o mesmo que exigir que querer elevar um AMX ao nível do Tornado, é necessário uma mudança estrutural completa.
    MAs o que chama a atenção é o fato do cliente final considerar o Rafale com suas debilidades e não considerar outros concorrentes, querer que o rafale tenha estas capacidades mas não exigir o mesmo de outros concorrentes diretos como o F 18 Super hornet, estou enganado? ou não o faz por acreditar que não seria possível?
    Transformar um F 15 num F22 é perfeitamente aceitável, um F18 num F22 é difícil, isto seria crédito? ou descrédito a Dassault?

    A questão ar solo, não entendo a relação M 2000 e baixa eficiência do Rafale, não vejo isto no texto e se não estou enganado a comparação é alusiva aos modos de busca ar solo entre caças de categorias diferentes, pode-se fazer o mesmo entre o radar do Su-35 e do F22 em modos ar-ar e ver-se que o russo por esta razão o Russo seria então superior?

    sinceramente ainda não li o texto original completo, vou fazê-lo e comenta-lo, ou melhor vou traduzi-lo e depois comenta-lo.
    Saudações e até segunda que vem.
    E.M.Pinto

  49. Francoorp, bravo for your suggestion to reassess the facts.

    Just one correction:

    the DSI article
    let’s give back to  Caesar  what belongs to  Caesar
    The bench marking work,scanning,display then work of translation from french to english,,all that belonged here and there to a nice french guy with the cool nickname of Olybrius.He can be read here with his other fellows too!
    http://www.militaryphotos.net/forums/showthread.php?137433-Rafale-News/page116
    I wanted to pay him tribute in order not to be ungrateful.

  50. Caro Hornet, pensei a mesma coisa, o Justin in Case vai pro céu sem escala. Abç
    A polarização do FX2 ficou irracional em alguns meios de comunicação, virou guerra santa, xiitas vs sunitas, e acredite que têm muito homem bomba que foi fazer estágio na Suécia :) e Alemanha e não aprende. Eu me acho turrão, mas têm cara por ai que faz Bin Laden ficar rubro rsrsrsrsrsrsrsrs. Abraço a todos.

  51. Bosco, amigo mas a Boeing vive tentando colocar um IRST no Super Vespão. Já tentou diversas soluções, deve existir demanda na USNavy para ele, não acha?
    Lembro que o Vespão e o Rafale jogam na mesma liga, porém têm um outro por ai que dois custa o preço de um, que é café com leite, mas teimam em colocá-lo para jogar com os grandes. [ ]s

  52. Se vierem os Rafale para a FAB, que tenham no minimo as M-88 ECO… o que não me pareceu claro, ou não foi divulgado ainda, é se o Rafale mesmo com as M-88 originais tem capacidade “super-cruise”, ou se esta capacidade será alcançada com as novas turbinas ECO, e ainda quais seriam os valores de velocidade em Mach…

  53. “POR ISSO ESTA DEMORA NA ESCOLHA (fora a politicagem sem vergonha)”
    politicagem é o que fazem os políticos fantasiados de gripeiros
    são viúvos das privatizações selvagens, da política anti-nacional bicuda
    se fantasiam de gripeiros para fazer oposição, conduta infantil.
    ——————
    “NAO PRECISAMOS O MELHOR CACA DO MUNDO (NAO VAMOS A GUERRA AMANHA)” kkkkk
    Nos últimos anos se descobriram muitas riquezas mano, se liga!
    Todos os investidores querem investir no Brasil, por que será?
    Já somos potência global e temos a responsabilidade de manter a paz numa área que vai de América Central e Caribe até Antártida e África.

    O Brasil foi potência regional durante as últimas décadas e viramos potência global nos últimos anos, mas, tem pessoal que não gosta disso.
    Acho são extrangeiros ou brasileiros apátridas que trabalham (faturando ou de graça) para governos extrangeiros.

  54. Caro E.M. Acredito que a opção dos EAU passa pela opção de troca dos Mirage 2000-9, mas não seria dificil elencar fatores políticos/econômicos da região para se optar pelo Rafale em detrimento da opção americana. Muitos dos vizinhos optaram por equipamento americano, logo a região está saturada de tecnologia americana (da Arabia Saudita a Israel, passando pelo Iraque, Kwait, Egito, Jordânia, etc…) Talvez os EAU desejam ser o diferente, ou não correr o risco de ter um equipamento “muito” similar aos dos vizinhos.
    Concordo com seus comentários. O interessante é enchergar o lado do copo cheio e não o vazio, neste sentido a entrevista do general Francês é muito didática e coloca na mesa a realidade do programa de desenvolvimento de uma aeronave. Muito longe do que as fotos de mockup de uma radar AESA Italiano em uma bancada que muitos apresentam por ai sendo a prova contundente de que este radar está em fase final de desenvolvimento.
    [ ]s

  55. Acredito em duas possibilidades:

    1ª – A França consegue entregar as modificações no prazo exigido pelos EAU. Novo motor, HMD, etc. Algumas poderiam ser aproveitadas em nossos Rafale (HMD, AESA mais potente e M-88 ECO). Os EAU começariam, paulatinamente, a trocar seus M2000-9 pelos Rafale F-4 e estes, após revisão pela França, seriam disponibilizados no mercado mundial (Índia, Argentina, Malásia, etc, poderiam ter interesse).

    2ª – Os EAU e a França não chegam a um acordo e os Emirados fecham contrato com os EUA para o fornecimento de 60 F-35A a partir de 2016, por US$ 10 bilhões. Eles então manteriam um mix hi-low entre F-35 e F-16 Block 60, substituindo paulatinamente os M2000-9 que seriam disponibilizados diretamente ao mercado mundial, sem interferência francesa.

    Não vejo aproveitamento desses M-2000 na FAB, que pretende homogeneizar a força com apenas uma aeronave multirole. Porém, nossos vizinhos (assim como a Índia e outros operadores) poderiam se interessar, já que são aviões “novos”, que podem servir por muitos anos (diria décadas) ainda…

    PS 1 – Não precisamos de um radar com 200 km de alcance… Temos AWACS, e precisaremos de mais unidades para cobrir todo o território e apoiar todos os esquadrões pretendidos pela FAB.

    PS 2 – Acho 120 caças muito pouco pela vastidão do nosso espaço aéreo (Amazônia Azul incluida), pela imensa riqueza que devemos defender e pelas pretensões do Brasil se tornar uma potência mundial (CS da ONU incluso)… Muito mais palpável seriam 180 caças multi-função (15 esquadrões) e pelo menos 60 caças de superioridade aérea (5 esquadrões), preferencialmente de 5ª geração. Somando-os aos Super Tucano, teríamos 340 aeronaves de combate. Acrescenta-se à conta pelo menos 60 treinadores M-346/T-50/Yak-130 (ataque leve) e já seriam 400 aeronaves com capacidade de combate/ataque. Nada mal se vier tudo isso até 2030… Acrescenta-se mais uma boa quantidade de cargueiros, reabastecedores e transportadores (KC-390, An-70, An-124), novos radares, satélite geo-estacionário militar e modernizados sistemas de vigilância e teríamos uma das mais poderosas Forças Aéreas do mundo…

    Merecemos, e podemos!

    BRASIL POTÊNCIA

  56. Uma questão Geopolítica.

    Apesar da banalização do uso da geopolítica para justificar parcerias, ações e até compras, para os Emirados Árabes Unidos há uma questão real a ser considerada.

    Seu planejamento de defesa é montado sobre dois pilares.
    Um deles seria, obviamente, os Estados Unidos da América.
    O outro é a República Francesa.

    Este plano de defesa preconiza que, em caso de crise ou mesmo guerra aberta, tropas americanas e francesas se deslocariam para os Emirados para lutar, lado a lado, com as tropas locais.
    Para maximizar o desempenho de tropas conjuntas é importante operar equipamentos, comunicações, armas e aviões semelhantes. Isto facilita o treinamento, a integração e, finalmente, a ação efetiva contra um possível agressor.
    Apenas como exemplo, lembro que o exército do EAU utiliza cerca de 4 (quatro) centenas de tanques franceses Leclerc (com motores alemães, é claro). Lembro ainda que o Armée de Terre tem estacionado nos Emirados os tanques de uma companhia blindada (acredito que 16 unidades), para treinamento e rápida mobilização.

    Estas duplas alianças, na verdade, é comum no Oriente Médio.
    O exemplo dos Sauditas, com americanos e ingleses, é uma clara referência. Eles usam F-15 Eagle, mas também Tornados e agora Typhoons.
    Velhas raposas, eram experientes comerciantes há mais de 2.000 anos atrás. Usar o poder de um aliado poderoso para compensar outro, próprio ou do vizinho, é algo natural e milenar para eles.

    Observem as palavras do General Alain Silvy:
    …” A única questão pertinente que se coloca é saber se a vontade de similaridade expressa pelos Emirados irá prevalecer sobre os seus requisitos de desempenho. Se o desempenho é o que importa, na verdade nós vamos ter dois Rafales completamente diferentes – como com o Mirage 2000-9 – porque o Estado francês não pode ou não quer segui-los. Se a comunalidade é fundamental, os Emirados terão de reduzir suas ambições em relação ao desempenho. A escolha está nas mãos deles.”

    A “comunalidade” que diz respeito a usar os mesmos equipamentos indistintamente pode ser ou não fundamental para a United Arab Emirates Air Force (UAEAF).
    Este é uma fator a ser considerado.

    Acredito que, mais cedo ou mais tarde, os Emirados Árabes Unidos comprarão Rafales, mesmo que em bem menor quantidade que os Desert Falcons ou mesmo os Mirage 2000-9.

    Não por que seja melhor ou pior que os aviões americanos, mas por uma necessidade estratégica, para manter o aliado francês dentro de suas fronteiras, lutando com armas semelhantes.

    Qual vai ser a versão?
    Certamente melhor que a Br… Désolé! :)

    Assim sendo, não tem sentido questionar por que os Emirados não compram os Super Hornet ou outro avião americano da mesma geração, como o F-15 Strike Eagle. Eles já operam os F-16 E/F Desert Eagle.

    Eles, os Xeques árabes, precisam de um caça francês semelhante ao usado pela Armée de L’Air, para que esta possa treinar e lutar ao lado deles.

    Abç,
    Ivan, do Recife.

  57. Francisco AMX,

    Permita-me copiar um trecho do seu comentário:
    … “Se o Rafale é ruim, por quê raios os EAU estão pressionando por melhorias, e interessado na compra já que ele é, segundo vcs, caríssimo? e isso certamente inviabilizaria até uma parceria estratégica de anos com a França…”

    O amigo pergunta e responde ao mesmo tempo.
    O Rafale NÃO é ruim, mas precisa operacionalizar as capacidades prometidas e ainda não disponíveis.
    A “pressão” dos Emirados Árabes Unidos é porque precisam operar caças semelhantes aos da França, para manter viável a “parceria estratégica de anos”. Contudo desejam que o referido caça esteja completo, com todas as capacidades prometidas e com mais potência nos motores para operar em clima quente, além de outras coisinhas básicas a mais… he he he.

    Outro ponto.
    Se a Dassault apresenta o Rafale como multirole, ou melhor, OMNIROLE, este terá que ser TAMBÉM um avião de ataque, assim sendo “ precisa de sistemas dedicados para tal”.
    Não há como fugir a esta necessidade operacional. Não dentro do que é proposto para este vetor.

    Lembre-se que um dos motivos que levou a França a sair do Eurofigther era exigência de que o projeto fosse MULTIROLE. Ataque ar-terra faz parte do multi.

    Finalmente, acusar os outros (inclusive seu amigo aqui) de “anti franceses” é coisa de Rafalete tricolor de cabeça quente… he he he.
    Lembre-se que há uma tropa de vespetes e gripetes pronta para invadir aquele prometido churrasco… ka ka ka.

    Saudações alvi-rubras do Recife,
    Ivan, seu amigo ‘Gripete’. :) :) :)

  58. Edu Nicácio,

    Os Emirados Árabes Unidos vão comprar o F-35A Lightning II assim que estiverem disponíveis para exportação.

    Isto independente de Rafale F3, F4 ou F5.

    É o outro pilar da sua defesa estratégica, os EUA, e o sucessor natural dos F-16 FighterFalcon.

    Além do que, como já expressou o Brigadeiro Saito, representa uma respeitável força de dissuasão.

    No mais, acredito que sua 1ª opção é a mais provável. Apenas as quantidades adquiridas de Rafale não serão as mesmas do Mirage 2000, bem como não creio na substituição total dos vetores.

    Abç,
    Ivan, do Recife.

  59. Prezados Editores, apreciaria se fossem dados os créditos devidos pela tradução dos trechos utilizados no post. Tradução esta que, como dito pelo Sr. E.M. Pinto, se não foi perfeita, guardou semelhança suficiente com a realidade para ser considerada verídica.

    Versão completa pode ser lida também aqui: http://vaderbrasil.blogspot.com/2010/08/entrevista-com-o-almirante-alain-silvy.html

    Atenciosamente.

    “Vader”

    Salve Vader,

    Como espaço democrático, o Plano Brasil sempre desponibiliza espaço para a publicação de matérias de nossos próprios leitores, sendo assim, todo o crédito pela tradução deve obrigatóriamente ser de responsabilidade do autor, entretanto, no próprio corpo da matéria foram publicados 3 links que contam com a versão original em Francês, uma versão em Ingles e por final, uma versão em Portugues.
    Caso queira mais informações, sugiro entrar em contato com o autor da mesma.

    Grande Abraço, Lucasu.

  60. Acho que um trecho importante da entrevista do General Silvy que não tem sido devidamente comentado é o que fala da necessidade da Dassault de conseguir um cliente externo para manter a quantidade mínima de aviões produzidos por ano:

    “As entregas para as Forças Armadas francesas devem ser reduzidas para duas ou três máquinas/ano por um tempo, com a exportação trazendo assim o complemento para atingir o limiar de 11 Rafales produzidos por ano. Em caso de ausência de ordem de exportação, a situação seria, obviamente, complicada. […] Nós teríamos que encontrar um financiamento substancial de várias centenas de milhões de euros. […]”

    Pela declaração do general, fica claro que numa eventual exportação do Rafale, os aviões seriam, no máximo, montados no país comprador, pois a Dassault precisa dessas unidades extras produzidas em sua linha de montagem para mante-la economicamente viável.
    Isso contrasta radicalmente com a proposta da SAAB, onde teriamos uma parte da fabricação de todos os Gripen NG produzidos no mundo (com a correspondente geração de empregos e divisas).

    Um abraço.

  61. Esqueci de um fato que pode ter motivado os EAU a optarem pelo Rafale. Al Dhafra.
    Imagens valem mais que mil palavras… Isso tudo motivou o sorriso do Sarko :)






  62. Gunsalmo, não de novo não… Escala de produção denovo… E dai alguém irá perguntar a escala de produção do Gripen NG e por ai segue o enterro…

  63. E.M.Pinto em 19/08/2010 às 07:32

    “MAs o que chama a atenção é o fato do cliente final considerar o Rafale com suas debilidades e não considerar outros concorrentes, querer que o rafale tenha estas capacidades mas não exigir o mesmo de outros concorrentes diretos como o F 18 Super hornet, estou enganado? ou não o faz por acreditar que não seria possível?”

    Pinto, acho que a insistência com o Rafale se dá mais pela possibilidade de incluir a devolução dos Mirage 2000-9 como parte do negócio (coisa que seria impensável no caso dos americanos ou mesmo suécos). Lembrando que os EAU já operam aviões de ambas as procedências (EUA e França), portanto uma eventual aquisição do Rafale não impediria a compra de mais aviões F-16.

    Um abraço.

  64. VADER:

    A menção ao seu nome e créditos à autoria da tradução e reconhecido na matéria, com a inclusão do link para consulta por parte do leitor, através do blog do Poder Aéreo, http://www.aereo.jor.br/2010/08/16/entrevista-com-o-almirante-alain-silvy-sobre-o-estado-das-negociacoes-do-rafale-com-o-eau/#comments, sugiro maior atenção com a leitura da parte de introdução da matéria.

    Os trabalhos à sua tradução para o português estão expressos nesta matéria assim como o está no Blog do Poder Aéreo, sem alguma modificação.

    Blog este que é o Link de referencia para o leitor entrar em contato com o respectivo trabalho de tradução ao senhor reconhecido, e que é de domínio publico uma vez que fora publicado em meio de circulação de massa como é reconhecida a rede internet.

    Grato.

  65. Wolfpack :
    Esqueci de um fato que pode ter motivado os EAU a optarem pelo Rafale. Al Dhafra.
    Imagens valem mais que mil palavras… Isso tudo motivou o sorriso do Sarko
    http://img7.hostingpics.net/pics/2924114188188719_3dd3267620.jpg
    http://img641.imageshack.us/img641/7910/capture1kb.jpg
    http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2009/12/Typhoon-no-HUD-do-Rafale1.JPG
    http://forum.keypublishing.co.uk/attachment.php?attachmentid=119833.jpeg
    http://img99.imageshack.us/img99/1221/capture2ak.jpg
    http://kovy.free.fr/temp/rafale/rafale-BAF6.jpg
    http://cache.daylife.com/imageserve/009Meum0zOgNJ/610x.jpg

    Belas fotos e bons argumentos Wolfpack!
    Em todo o caso, acho que as críticas feitas por alguns aqui de que “o Rafale é uma avião ainda inacabado” procedem, pois, em nenhuma das fotos acima que tu indicaste, consegui ver os sensores do Rafale, mirando o “superior” “GripenNG”! Claro, o fato de este ainda NÃO EXISTIR, não deveria ter nenhuma relação com isso… (Risos).
    [ ]s
    Intruder

  66. E. M. Pinto

    vc está correto em suas observações. E se o PB traduzir (do francês) o texto e publicar seria ótimo. Pois não se tratam de meros erros de tradução como o que apontei acima (só pra exemplificar ao Mad Dog), que são normais e aceitáveis (esses não mudam o sentido, apenas indicam a pressa em se publicar algo, sem a devida correção do português), mas tem erro mais sério, já apontado por quem leu na versão original. Como já apontado em outro Forum, que cito aqui:

    “Há um erro gritante de tradução no material publicado pelo Poder Aéreo sobre as negociações com os EAU. Em sua entrevista original, em francês, ele fala de abrir “três ou quatro slots para os outros países de maneira a manter um mínimo de 11 aviões”. Ou seja, a França permaneceria com 7 a 8 aviões/ano (a produção atual de Gripen C/D para a Suécia é de UM avião/ano).”

    isso já muda o sentido, pois na tradução para o português publicada está assim:

    “As entregas para as Forças Armadas francesas devem ser reduzidas para duas ou três máquinas/ano por um tempo, com a exportação trazendo assim o complemento para atingir o limiar de 11 Rafales produzidos por ano.”

    Ou seja, não se trata de redução, mas de ampliação, via exportação.

    Eu não li a versão francesa, estou apenas apontando o que foi dito por quem a leu. Estou vendendo da forma que comprei. Mas acho que vale a pena checar, pois aonde tem um erro assim, podem existir outros da mesma natureza.

    Como eu acho que a pressa é sempre a inimiga da perfeição, uma tradução cautelosa (o Thierry pode ajudar) seria ótimo para entendermos melhor essa entrevista, que até aqui está parecendo a Bíblia (com o devido respeito), cada um acha o que quer nela….hehehe

    abração

  67. Para mim, o importante são as implicações das falas desse General Francês sobre o futuro do Rafale no Brasil.

    O Rafale, na sua versão F-3+ é um bom caça? É sem dúvidas. Mas:

    – O Radar RBE-2 AESA, vai demorar para ter todas as capacidades de seus concorrentes americanos. O alcance estendido não se resolverá, até a chegada do novos materias(GaN), previsto para 2020. Portanto, antecipar para 2014 exigirá bastante da Thales.

    – O motor M-88 X que entregará 9 tons(+20%) se desenvolvido, não será tão simples integra-lo(será que as inlets atuais são suficientes? e as dimensões das naceles?). Por outro lado, como bem disse o General, poderá encarecer spare parts de outras versões inclusive a que está sendo oferecido ao Brasil.

    Será que os experts dos EAU querem o Rafale ou estão exigindo demais dos franceses para “pular fora”???

    []’s

  68. Ivan,

    sobre a questão da Geopolítica vc está duplamente certo. Está certo quando chama a atenção para este dado (que é um definidor, não só nos EAU, mas em qualquer lugar), e está certo no que se refere aos EAU especificamente.

    A França tem Bases navais nos EAU e tem um contigente relativo na região. A proximidade geopolítica (e histórica) entre os dois países é muito grande e é um tanto quanto “natural” que ocorra uma negociação entre eles, envolvendo caças e demais equipamentos. Ou outro parceiro geopolítico dos EAU, como vc bem disse, são os EUA. É isso mesmo!

    abração

  69. Nick :
    Para mim, o importante são as implicações das falas desse General Francês sobre o futuro do Rafale no Brasil.
    O Rafale, na sua versão F-3+ é um bom caça? É sem dúvidas. Mas:
    – O Radar RBE-2 AESA, vai demorar para ter todas as capacidades de seus concorrentes americanos. O alcance estendido não se resolverá, até a chegada do novos materias(GaN), previsto para 2020. Portanto, antecipar para 2014 exigirá bastante da Thales.
    – O motor M-88 X que entregará 9 tons(+20%) se desenvolvido, não será tão simples integra-lo(será que as inlets atuais são suficientes? e as dimensões das naceles?). Por outro lado, como bem disse o General, poderá encarecer spare parts de outras versões inclusive a que está sendo oferecido ao Brasil.
    Será que os experts dos EAU querem o Rafale ou estão exigindo demais dos franceses para “pular fora”???
    []‘s

    Nick o senhor leu a matéria acima?

    O motores estão quase prontos, e o AESA do Rafale vai muito bem obrigado, não precisa ter o alcance do outro não, são doutrinas aéreas diferentes!

    Mas tenha em mente que se for difícil para modificar o Rafale que tem espaço para isso, modificar o Gripen seria uma verdadeira epopéia!

  70. Intruder :

    Wolfpack :Esqueci de um fato que pode ter motivado os EAU a optarem pelo Rafale. Al Dhafra.Imagens valem mais que mil palavras… Isso tudo motivou o sorriso do Sarkohttp://img7.hostingpics.net/pics/2924114188188719_3dd3267620.jpghttp://img641.imageshack.us/img641/7910/capture1kb.jpghttp://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2009/12/Typhoon-no-HUD-do-Rafale1.JPGhttp://forum.keypublishing.co.uk/attachment.php?attachmentid=119833.jpeghttp://img99.imageshack.us/img99/1221/capture2ak.jpghttp://kovy.free.fr/temp/rafale/rafale-BAF6.jpghttp://cache.daylife.com/imageserve/009Meum0zOgNJ/610x.jpg

    Belas fotos e bons argumentos Wolfpack!Em todo o caso, acho que as críticas feitas por alguns aqui de que “o Rafale é uma avião ainda inacabado” procedem, pois, em nenhuma das fotos acima que tu indicaste, consegui ver os sensores do Rafale, mirando o “superior” “GripenNG”! Claro, o fato de este ainda NÃO EXISTIR, não deveria ter nenhuma relação com isso… (Risos).[ ]sIntruder

    Boa INTRUDER… rsrsrsrs, mas tenho que admitir que as condições reais de combate difere em muito das simulações e eventos como Red Flag, Iron Flag, CRUZEX, etc…
    As fotos dos Raptores é mais jogo de marketing, admito, pois o coitado está voltando pra casa descuidado e quase que posando para o IRST do Rafale (watch the bird ehehehehehe) mas é a mensagem por trás desta brincadeira que pesa, sim, se um caça através de jammers, ECM, AWACS chegar próximo o bastante para um IRST grudar nele, este terá problemas. Quem vê primeiro leva vantagens. O negócio é ver primeiro contra esta fantástica máquina Raptora eheheheheh. Agora, contra os Typhoons eu acredito nas imagens. É bem possível assim como foi possível tempos atrás os Alemães e seus Fantasmas decadentes :O pegarem os Rafales em exercícios similares. Das três máquinas presentes no FX2 eu acredito na superioridade do Rafale frente aos demais, e colado nele os F18 Super Vespão. O Gripen NG deve brigar em outra categoria como já colocado pelo E.M. isso quando ele ficar operacional, hoje não passa de uma plataforma de testes para o JAS39 MLU.
    [ ]s

  71. Francoorp, o Gripen NG, o magrelo é tomado pelo F414 e pelos tanques de combustível para dar autonomia a uma aeronave que não foi concebida para grandes ranges. Seu habitat é a Suécia e sua área de atuação não excede muito além de suas fronteiras. Foi concebido para defesa de ponto, resposta rápida a uma invasão de seu espaço aéreo. Fica dificil imaginar para onde crescerá este vetor. [ ]s

  72. Wolfpack em 19/08/2010 às 16:16

    “Gunsalmo, não de novo não… Escala de produção denovo… E dai alguém irá perguntar a escala de produção do Gripen NG e por ai segue o enterro…”

    Não adianta, Wolfpack, esse problema de escala de produção é algo que acompanhará o Rafale até o final de sua vida. É o preço que os franceses estão pagando por quererem fabricar tudo localmente.

    Já o Gripen emprega uma solução muito mais inteligente, usando componentes já consagrados no mercado internacional e com grande escala de produção.

    Aliás, o modelo industrial que a SAAB propõem para o NG é muito semelhante ao que a Embraer quer usar no KC-390: motores e aviônica já consagrada e produção compartilhada entre outros países, cada um fabricando determinadas partes para todos os aviões produzidos.

    Um abraço.

  73. Olha que esta cada vez saindo mais informações a respeito deste GMTT/I do Rafale… parece que já tem , e faz rastreamento aéreo e terrestre em conjunto, mas atacar em conjunto não, tem que escolher se vai na terra ou no ar.

    Traduções do Francês com o Google:

    ————On-board radar Thales Dassault Electronique (agora incorporada pela Thales Airborne Systems) RBE2 (Phased Array Radar dois tiros) de 270 kg pode acompanhar vários alvos simultaneamente com a sua antena eletrônica passiva (Passive electronicamente ou digitalizados Array PESA) não está mais limitado pela velocidade de [varredura mecânica 64]:

    * Na fase de mudança de sinais, a onda do feixe móvel pode rastrear até 40 faixas são muito distantes uns dos outros (8 reforçada com a 100 km de distância) com identificação Friend or Foe (IFF) e do sistema quase em simultâneo, interruptor de modo ar-solo de modo ar-ar;
    * Evitar o chão, é capaz 10 km a montante e 120 °, para implementar as funções de navegação, mapas em 2D e 3D, de busca e ataque a alvos em terra ou mar, fixas ou móveis.
    * A DGA ordenou a Thales em 2006/2007 para desenvolver uma antena de radar de quinta geração com um ativo (Active Array digitalizados ou eletronicamente AESA). Ela espera para integrar o último (RBE2-AA) em 2012 em uma configuração pós-Rafale F3.————

    http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:cBGeNFACMKIJ:www.defense.gouv.fr/layout/set/popup/content/download/14076/127626/file/cahier_2.pdf+Thales+rbe2+suivi+de+cible+terrestre&cd=9&hl=en&ct=clnk

    ——————Os modos de RBE2 ar-solo incluem: Doppler Beam Sharpening (DBS), mapeamento, mapeamento SAR; Fixed Target Track (FTT); da Superfície do Mar Search and Track Enquanto Scan; Ground Moving Target Identificação e Track (GMTI / T), alvo de aquisição e ar-terra vão. Terrain following and avoidance modes can be combined to generate 3-D radar maps, thus enabling full automatic terrain following flights using the radar only. Terreno seguintes modos de prevenção e podem ser combinados para gerar mapas de radar 3-D, permitindo assim que o terreno totalmente automático seguintes voos usando o radar só..————————–

    http://www.aviationtoday.com/av/categories/military/Serious-Squall_32315.html

    Valeu e vamos continuando a informar…

  74. Não sei por que tantas criticas sobre o motor do Rafale. Vejam só isso:

    EF-2000
    FICHA TÉCNICA
    Velocidade de cruzeiro: mach 1,3
    Velocidade máxima: mach 2
    Razão de subida: 15240m/min
    Teto de serviço 18.290m
    Potencia: 1.15 (!!!!!!!!! AQUI !!!!!!!!!!!!)
    Fator de carga: 9 Gs
    Taxa de giro: 31º/s
    Razão de rolamento: 240º/s
    Raio de ação/ alcance: 1390km/ 2780km (3706 km (Utilizando 2 tanques externos) e aproximadamente 4150 km (Utilizando 3 tanques externos).
    Alcance do radar: 175km
    Empuxo: 2X EJ-200 com 9200kgf cada
    DIMENSÕES
    Comprimento: 15,96m
    Envergadura: 10,95m
    Altura: 5,28m
    Peso vazio: 11000kg
    Peso máximo de decolagem: 23.500 kg

    F/A-18E/F
    FICHA TÉCNICA
    Velocidade de cruzeiro: Mach 1
    Velocidade máxima: Mach 1.8
    Potencia:1.01 (!!!!!!!!! AQUI !!!!!!!!!!!!)
    Fator de carga:7.5Gs
    Taxa de giro: 22º/s
    Taxa de rolamento: 240º/s
    Raio de ação/ alcance: 1400 km/ 2800km
    Alcance do Radar: 160 km (RCS 5m2)
    Empuxo: 2 X F-414 GE-400 com 9800 kgf (22000 lbf) cada
    DIMENSÕES
    Comprimento: 18,31 m
    Envergadura: 13,62 m
    Altura: 4,88 m
    Peso vazio: 13387 Kg
    Peso máximo de decolagem: 29932 Kg
    F-16E
    FICHA TÉCNICA
    Velocidade máxima: 1.89
    Potencia: 1.1 – F100-PW-229 A e 1.2 – F110-GE-132
    Razão de subida: 15240m/min
    Fator de carga: 9Gs
    Taxa de giro: 24º/s
    Taxa de rolamento: 270º/s
    Raio de ação/ alcance: 925km/ 1850km
    Alcance do Radar: 160 km
    Empuxo: 1 General Electric F110-GE-132 com 85 kn (19.000 lbf) a seco e 146 kn (32.500 lbf) com pós combustor ou 1 Pratt Whitney F100-PW-229 A com 79,1 kn (17.800 lbf) a seco e 129,6 kn (29.160 lbf) com pós combustor.

    F-15E
    FICHA TÉCNICA DE DESEMPEMPENHO
    Velocidade de cruzeiro: 1000 km/h
    Velocidade máxima: 2650 km/h
    Razão de subida: 15240 m/ min
    Potência: 0.87 (!!!!!!!!! AQUI !!!!!!!!!!!!)
    Fator de carga: 9 Gs
    Taxa de giro: 16,5º/s
    Razão de rolamento: 240º/s
    Raio de ação/alcance: 1270 km/ 2540km
    Alcance do radar: 160 Km
    Empuxo: 2 X Pratt and Whitney F-100 PW 229 de 14500 kgf de empuxo
    DIMENSÕES
    Comprimento: 19,45 m
    Envergadura: 13.5 m
    Altura: 5,64 m
    Peso vazio: 20411 kg (vazio)

    Gripen C
    FICHA TÉCNICA DE DESEMPENHO
    Velocidade de cruzeiro: mach 0.9
    Velocidade máxima: mach 2.0
    Razão de subida: *15240 m/min
    Potência: 0,83 (!!!!!!!!! AQUI !!!!!!!!!!!!)
    Fator de carga: 9 Gs
    Taxa de giro: 30º/s
    Razão de rolamento: 220º/s
    Teto de serviço: 15240 m
    Raio de ação/ alcance: 800km/ 1600km
    Alcance do radar: 90 Km
    Empuxo: Um motor Volvo RM-12 com 8050 kgf de empuxo máximo.
    DIMENSÕES
    Comprimento: 14,1 m
    Envergadura: 8,4 m
    Altura: 4,5 m
    Peso: 6622 kg

    Su-35
    FICHA TÉCNICA DE DESEMPENHO (SU 35 SUPER FLANKER)
    Velocidade de cruzeiro: mach 0.99
    Velocidade máxima: mach 2,35
    Razão de subida: 13800m/mim
    Potência: 1.01 (!!!!!!!!! AQUI !!!!!!!!!!!!)
    Taxa de giro: 30º/s
    Razão de rolamento: 240º/s
    Raio de ação/ alcance: 1900km/ 3800km
    Alcance do radar: 190km
    Empuxo: 2X 14000kgf
    DIMENSÕES
    Comprimento: 22,19m
    Envergadura: 14,70m
    Altura: 6,43m
    Peso: 18400kg
    ARMAMENTO
    Ar Ar: Mísseis R27 de radar semi-ativo, R77 de radar ativo, AKS172 Anti AWACS,R73 Guiado a infravermelho.
    Ar terra: KH31 Anti-radar, KH59M, KH65, Alpha, Bombas guiadas a laser.
    Interno: 1 Canhão GCH-301 de 30 mm.

    Rafale F2
    FICHA TÉCNICA DE DESEMPENHO
    Velocidade de cruzeiro: mach 1
    Velocidade máxima: mach 2
    Razão de subida: 18000 m/min
    Potencia: 1.15 (!!!!!!!!!! AQUI !!!!!!!!!!!)
    Fator de carga: 9 Gs
    Taxa de giro: 30º/s
    Taxa de rolamento: 270º/s
    Raio de ação/ alcance: 1850km/ 3335km
    Alcance do Radar: 130km
    Empuxo: 2 X M-88-2 com 7439 kgf de empuxo maximo cada
    DIMENSÕES
    Comprimento: 15,30 m
    Envergadura: 10,90 m
    altura: 5,34 m
    Peso vazio: 9060kg

    O Rafale tem um motor relativamente potente e uma relação peso potencia muito boa (1.15). Estão dizendo que o Rafale é inferior ao F-16E no modo ar-terra, mas e no modo ar-ar quem vcs acham quem tem mais possibilidade de vencer um combate um contra um…Já sei vão falar que o radar do Rafale é inferior 10% por isso o F-16E tem mais possibilidade, é o RCS o Rafale não conta? Já sei vão falar dos mísseis que o Rafale é equipado como “lixo” MICA, vcs conhecem os dados do MICA:
    PESO: 112 kg.
    OGIVA: 12 kg fragmentada.
    ALCANCE: 60 km.
    GUIAGEM: Radar ativo ou IR.
    FATOR DE CARGA: 50 g.

    e o AIM-120
    PESO: 157 kg.
    OGIVA: 23 kg pré-fragmentada WDU 41/B.
    ALCANCE: 70 km.
    GUIAGEM: radar ativo e INS de meio curso.
    FATOR DE CARGA: 28 g.

    A diferença não é tão grande assim né? * (lembrete são apenas dados estimados, feitos com base em pesquisa na internet)

    Quanto a historia de se inferior ao F-16E para missões de ataque devido seu radar, ainda bem que temos o R-99B que tem um radar muito melhor que os dois somados para essas missões…
    Por ultimo a proposta do Rafale não é tão cara como se dizem por aí está saído por volta e 6,2 bilhões de dólares o SH 5,7 bilhões e o NG 4,7 bilhões (sem armas, ou seja, deve ficar muito próximo ou igual ao SH mesmo sendo monomotor). Levando em conta que envolve real transferência de tecnologia He, He, He e as fotos que o Wolfpack colocou (muito boas!!). Já a tão falada hora e vôo do Rafale US$12,500… SH US$11,000… NG US$8.000/10.000… Realmente o Rafale é mais caro, mas não é tanto assim e é o mais capaz que o FX-2 oferece desde o começo “talvez, mas só talvez comparável ao Su-35BM já que a transferência de tecnologia conta assim como o RCS, e combate a culto alcance pelos números encontrados na internet o Su-35 não é tão bom assim como os fanáticos dizem, confiram”.

    Fonte:
    Campo de batalha aérea
    Plano Brasil
    Defesa aérea

  75. BARCA :
    Seja mais original senhor rogerio,uma vez te fiz uma indagaçao sobre alguns dados,e até hoje estou esperando,porcaria é a sua capacidade de entender o processo,os equipamentos,o que envolve,vc simplesmente pensa pelo que os outros falam,repete as mesmas infantilidades,só posso dizer amigo que é uma pena,mas se vc pensa assim,o problema é seu.

    Não te devo nada, vê se cresce, me ataca,que nem torcedor de clube de futebol, por eu criticar a porcaria francesa, quando o próprio general de alto escalão francês critica o mesmo, então discuta com o Sr. Aérienne Alain Silvy.

    Opinião da revista suiça Cockpit sobre o Rafale(eles acham que é fria):

    http://www.defesanet.com.br/10_07/100707_10_ckp_decolagem.html

    Opinião dos parlamentares do Kuwait, eles tb acham q é fria:

    http://www.thenational.ae/apps/pbcs.dll/article?AID=/20100414/FOREIGN/704139960&SearchID=7340048626749

    Opinião do Gen françês:

    Prezados senhores,

    Peço a gentileza de pararam com as discuções, caso contrário, terei de editar ou até mesmo excluir os comentários de vocês 2, pelas regras do Plano Brasil, fica proibido a agressão mútua entre leitores/comentaristas.

    Lucasu.

  76. Francoorp, o objetivo do programa ECO/TCO foi atingido, é o nome dele é M88-4E.

    Dê uma olhada nesses links:
    https://pbrasil.wordpress.com/2010/05/07/rafale-voa-com-novo-motor-de-testes-m88-4e/

    http://www.aereo.jor.br/tag/snecma/

    Esse motor que está em testes, teve como objetivo principal a redução do TCO, Total Costs of Ownership. Não há aumento de potência, e sim durabilidade, confiabilidade. Esse é o motor que será padrão para o F-3, F3+ tanto para a França, como para o Brasil. Segundo seu link, no último parágrafo, diz claramente: “Desenvolvimentos subsequentes poderão aumentar a potência do M-88 até 20.000lbs” (9 tons). Isso não está financiado e de fato a AdlA não está interessada. Se os EAU querem, que paguem, e não será barato, tanto no desenvolvimento como na integração ao Rafale.

    Sobre o fato de radar RBE2 AESA ainda não estar no mesmo nível do AN-APG/80(que não é radar mais poderoso do mundo…) ou do AN/APG-79 esse fato me surpreendeu. Mas.. é compreensível visto que ele foi lançado recentemente. Possivelmente em 2014 ele contará com o GMTT/GMTI se o cliente assim o quiser. Agora a questão do alcance é mais complicado. Aumentar o alcance via aumento de potência é muito complicado, como o Justin explicou. Os franceses contam com uso de novos materiais(GaN) para atingir isso…mas em um prazo mais longo(2020). Antecipar para 2014, será um desafio mas não digo que impossível. É pagar para ver.

    Sim, o Gripen é um caça pequeno! hehehe :) mas pense que as modificações que eram necessárias foram/estão sendo feitas no NG em relação ao C. Tecnologias como Swashplate visam diminuir essas limitações de alcance, conjugados com a capacidade de datalink do caça sueco. Os suecos não veem um Gripen isoladamente, mas sim atuando em rede. Essa é a filosofia deles.

    No mais, o Rafale é um bom caça, ninguém nega isso. Do meu ponto de vista, a relação custo/benefício dele não justifica o valor a maior que estamos pagando, quando comparado ao F-18 E e até mesmo em relação ao caça photoshop …

    Entendo assim,e acredito que você não irá discordar:A filosofia desse governo e do próximo será um distanciamento dos Estados Unidos; visando independência de posições no cenário Geopolítico Internacional? Deveriam ter optado pela dupla Su-35Bm+PAKFA.
    O Gripen eu vejo como um excelente caça tático que comporia a quantidade da frota da FAB. Su-35BM /PAKFA fariam as missões de superioridade aérea/interdição de longo alcance.

    []’s

  77. Nick, isso que é um comentário sensato.

    []s

  78. Carl94,
    Também acho injustificada a “birra” com o motor do Rafale, já que o que conta é a razão peso/empuxo e esta é plenamente adequada no caça francês.
    Já quanto ao alcance do AIM-120, você postou o da versão “A”. A versão C-7 oferecida ao Brasil tem seguramente pelo menos mais 50% de alcance nominal, o que o deixa com mais ou menos o dobro do alcance do MICA.
    Um abraço.

  79. Gunsalmo, concordo que o formato de desenvolvimento e produção da Embraer seja modular o bastante para lidar com subcontratantes de risco. Isso é fantástico em uma mercado de aviação civil e de transporte cada vez mais competitivo, selvagem. Lembro que hoje a Embraer já não têm apenas a Bombardier como concorrente, entrando neste mercado seu fornecedor Mitsubishi, sócios Chineses e a Sukhoi, além do renascimento da Fokker. Agora a aviação de combate, militar, envolve estratégias que muitas vezes não é interessante compartilhar com muitos clientes. Acredito que vc acompanha a novela da venda dos F35 Lightning II a Israel. Sabe que parte da fuselagem do F35 é montada na Turquia? que este país é um dos financiadores do programa? A mesma Turquia que quase foi a Guerra com Israel pelo incidente de Gaza e ataque a um navio com sua bandeira por comandos de Israel. Bem, é de se supor que Israel deseja colocar nestes brinquetos sua aviônica, seus “spectras” rsrsrs, mas que os Estados Unidos negaram para as câmeras, mas pode ter deixado por trás das cortinas (muito provável). O desenvolvimento de um vetor de caça não pode ser feito pegando grandes commodities de terceiros. Isso qualquer um faz, integrar é a assinatura da Embraer. Portanto, quando a França, contra tudo e contra todos, contra seu apertado orçamento, mantém um programa nuclear, mísseis balísticos, submarinos nucleares e o desenvolvimento de uma aviação de caça moderna, ela deve ter seus motivos. A História provou que eles devem ter esta autonomia, custe o que custar. Seus brinquedinhos apresentam segredos que nunca serão exportados, que lhes garante uma autonomia produtiva de armas suficiente para mantê-los protegidos. A Suécia tercerizou isso. O Motor F414 nem é o problema maior, mas um radar AESA Raven sim. São visões diferente de mundo. A Suécia já não vê uma ameaça avizinhar-se como durante a Guerra Fria. Produzia MBTs e hoje nõa produz mais, importa Leopards (excelentes, os melhores), Patrias da vizinha Finlândia (no berço de Volvo e SAAB Scania). Eles cairam na real, por isso deram a luz a um LEGO chamado Gripen NG. A única forma de se materem ativos neste mercado de gigantes. Não convencem, pois seu NG não emplaca nem entre seus vizinhos. O Rafale tem um roadmap definido pelo Governo Francês independente de encomendas externas. Assim, como o Estado Russo irá bancar o SU50. É estratégia de cada estado. Torço que realmente saia o FX2, seja o vencedor o Rafale, o Super Hornet ou o Gripen NG. Não quero ver a FAB nesta penúria de hoje.
    Eu na minha ingenuidade penso que deveríamos comprar um dos três e colocar um RFQ para a Embraer desenvolver algo, nem que seja um UCAVs. Crítica construtiva, a Embraer já conseguiu muito dindim do BNDES e poderia entregar mais pesquisa e desenvolvimento para o Brasil. Sabe, pesquisa a fundo perdido (claro com objetivos e metas). A única notícia que recebi recentemente neste campo foi o Ipanema movido a biocombustível. Quero mais rsrsrsrsrsrsrs.
    Forte abraço. Boa Noite procê Gunsalmo.

  80. Algumas observações.

    O Rafale deverá ser o primeiro caça Europeu Ocidentel a ter um Radar AESA operacional. Nos EUA só existem 02 radares AESA operacionais, no F-22 e em alguns F-15, todos os F-16 da USAF usar radar comum. o SU-30, 27 ou SU-35 BM não tem radar AESA operacional. Nenhuma caça no Oriente tem AESA, Coréia do Sul, Japão, China, Formosa não tem, a Austrália está recebendo agora seus F-18F. Quem não tem HMD operacional ainda.

    Nas Américas, se os nossos Rafales chegarem em 2014, seremos o SEGUNDO país a ter um radar AESA operacional em um caça.

    Quanto ao modos de operação de radar, pelo que entendi é isso:

    O que ser quer é um radar capaz de acompanhar qualquer alvo, em qualquer lugar de modo simultâneo ar-ar e ar superfície. Isso o RBE PESA já faz, o que ele não consegue fazer é traquear em modo simultâneo, quer dizer ou faz designação de alvos aereos ou de superfície, não consegue acompanhar e designar alvo alvos simultâneos no ar e na superfície.

    Me parece evidente que existe um claro complicador em designar ao mesmo tempo alvo móveis e fixos no ar e na superfície, dado que o efeito doppler no caso, vai perder o sentido, ou só poderá ser usado em determinados alvos, eu não sei como seria isso, me parece algo muito complexo. Porque radar AEW não faz designação de alvo para ataque de mísseis. Em regra, apenas acompanham os alvos.

    Vejam que o Rafale F3 já tem capacidade de ataque ao mesmo tempo de alvos na superfície e aéreos enquanto rastreia, porém, no caso, os alvos terrestres são atacados com armamento guiado sem auxílio direto do radar, quer dizer bombas GPS, IR, Laser, etc.. Devidamente marcados pelo o OSF ou pelo POD sub-alar.

    []´s

  81. Para aqueles que não viram, ai estão três vídeos didáticos do Rafale. O francês é de fácil entendimento…

  82. Caras, Não adianta ter um radar 10% de alcance superior (F-16 DF) e ter uma assinatura de radar 30% maior…

    Quem vai ver primeiro?

  83. Bem, porque é didático. Neste mesmo primeiro vídeo vcs podem ver um Rafale M1 sendo catapultado do Foch com uma considerável carga de combate. Diferente do famoso vídeo com tanques subalares e misseis mica e magic. Colocando por terra mais uma vez que o Rafale não pode operar no São Paulo. Não é a toa que a Marinha foi consultado sobre o FX2. [ ]s

  84. Wolfpack em 20/08/2010 às 00:05

    Wolfpack, não vejo tanta diferença entre o mercado de aviação civil e militar. O primeiro tem como clientes, empresas de aviação, enquanto o segundo, governos. Independente disso, nos dois mercados existe a concorrência e nos dois mercados produtos ruins não vendem. Alem do mais, devo lembra-lo que o KC-390 será, como Rafale e Gripen, um avião militar. Menos complexo, é verdade, mas sujeito as mesmas leis de mercado. Terá que ter um custo condizente com seu desempenho ou então não venderá. Sendo assim, seu modo de fabricação seguirá um modelo que tem se tornado cada vez mais frequente: o de parcerias. É isso que fará dele um produto competitivo, assim como o será também o Gripen NG.

    Se vc olhar o nEUROn, verá que até mesmo os franceses já pensam em seguir esse caminho. Pena que não tenham feito isso com o Rafale, pois não estariam passando esse sufoco para mante-lo vivo.

    No futuro, só os americanos conseguirão arcar sozinhos com os custos de desenvolver um caça moderno. Isso devido ao seu grande mercado cativo: suas forças armadas, que gastam sozinhas metade do orçamento mundial de defesa.

    Os franceses sempre justificaram o alto custo do Rafale apregoando que ele era superior aos outros caças de 4a geração. Essa entrevista do Gen Silvy mostra que essa suposta superioridade não passa de propaganda enganosa, pois, em alguns aspectos, ele é até inferior a caças americanos de 10 anos atrás.

    Um abraço.

  85. Bosco

    Realmente apresentei dados dos AIM mais antigos, considerando +/- a época de atuação ou um combate hoje, para o futuro eu compararia o AIM-120D ao METEOR…

    sds grande Bosco

  86. Gunsalmo, o FX2 visa substituir todos os aviões de combate A1, F5EM, Mirage2000 que a a FAB opera. Sinceramente dou a mínima importância de a Bolívia, ou o Equador, ou a República Tcheca irão comprar o Rafale. Se a França continuar seu roadmap de desenvolvimento do Rafale estaremos com um excelente avião de combate. Quero ter superioridade em um Teatro de Operação no Sul do Mundo. Não quero que ninguém mais tenha acesso as mesmas tecnologias disponíveis na FAB. Isso são aspectos estratégicos de defesa de uma nação, que não devemos confundir com a linha de montagem de uma avião comercial. Esta história de escala de produção não se sustenta quando falamos do fantástico F22 Raptor, por exemplo, nem por isso os Americanos irão abandoná-lo ou deixar de mantê-lo atualizado.A escala de produção é importante para o Board da Dassault e SAAB, mas não para a FAB. A FAB irá operar poucas unidades do FX2, logo este têm que ser o melhor. Não teremos 1000 unidades de F16 ou MIG21. Teremos poucas unidades do FX2. Ele deverá fazer milagre, portanto o melhor vetor é o Rafale. [ ]s

  87. Querem ver de verdade diferenças na construção de um caça? observem, nos detalhes, o Rafale e depois um Gripen… vcs começarão e entender o pq da diferença de preço entre eles… e não estou falando apenas em tamanho e motorização… amplie! veja com seus próprios olhos e vc perceberá que o primeiro seria como uma mercedes top, o segundo seria um gol com equipamentos de uma mercedes de entrada… seria mais ou menos isso… não vou entrar no mérito de que se o gol bem equipado nos serveria… só lembro que a construção de um caça é muito importante! por isso vemos gol com 10 anos de uso caindo aos pedaços… e isso não acontece com uma Mercedes… vemos caças da Dassault voando mundo afora, com pouca ou nenhuma atualização, por mais de 30 anos… em alguns casos até mais… lembro que nossos MIII voaram com praticamente nada de investimento em melhorias significativas por décadas… e, no final dos anos 80 até a entrada dos F-5M em operação, eram tão disponíveis quanto os Mike, apesar de serem de outra categoria e muito mais complexos.
    posso estar errado, mas os caças suécos tem esta mesma longevidade? acho que não… foram aprovados por outros países como foram os Mirages? não!
    Gostaria de ver em que estado se encontravam os Viggens e Drakens quando foram retirados de serviço… e como eles se comparavam com seus pares franceses em termos de desempenho e atualizações…
    Teria tido, por exemplo, o Draken a mesma evolução de um MirageIII? teria tido o Viggen a mesma evolução do Mirage F-1? o Gripen A/B/C/D me parece que foi o único a acompanhar o Mirage 2000 em evolução, porém sendo este praticamente 10 anos mais novo… o M2000 vem evoluindo, até o último ser entregue para a Grécia, desde o início dos anos 80… e isso com o projeto do Rafale andando… o Rafale é uma evolução de conceito e doutrina, nítida e notória, do M2000! é um caça realmente novo em tudo! o NG seria uma versão “melhorada” do Gripen, mas é um gripen, e tudo que se fizer nele ou poderá ser acertado mas será uma adaptação… e, ao meu ver, um enjambre na maioria dos casos…

    Sds!

  88. Fazendo uma comparação do SH com o NG, o SH é uma máquina de guerra! ele compensa suas deficiência como caça, com um belo radar e armas no estado da arte, robustez comprovada, soma-se isso ao “nourau”, rsrsrsrs, dos americanos em armas e temos um produto muito aceitável, e com preço competitivo. pena que seu futuro já foi definido… e não haverá espaço para aviões, digamos, ao estilo do SH, em moderna FAs fora dos USA, e mesmo lá, ele logo deverá ficar obsoleto frente as ameaças futuras, onde caças como o SU-50 e SU-35 poderão estar voando na China e quem sabe, se o Irã continuar vivo… nos confins da Persia… o que poderia fazer um SH daqui a 20 anos, frente a estes? já existe uma dúvida clara do SH frente aos SU-35, imaginem frente ao SU-50… lembremos que o F-18 C/D e SH eram e são as pontas de lança da Flotilha mais poderosa do mundo, que mesmo nas guerras “fáceis” dos anos 90 e 2003 seu papel foi secundário, pois os NAes americanos tinham que manter uma certa distância no GP… quem fez o trabalho pesado lá foi a USAF… porém, contra uma encrenca contra China/Russia/CoreiaN os USA poderiam contar com a USAF da mesma forma? penso que não, e se fará muito necessária que a USN venha a ter o papel principal e “enquadrar” o inimigo… e faria isso como? com um avião de RCS convencional, que na minha opinião e de muitos, tem um RCS dos maiores dentre os caças concorrentes no mercado?
    Amigo o bom SH não poderá ser fabricado depois de 2015, não há lógica! isso deixaria o F-35 ainda mais caro… e, na minha opinião, o F-35 veio para ficar! ele fará o trabalho do SH com mais discrição e eficiência, principalmente nas mãos dos americanos… logo, terá futuro garantidíssimo, claro conto com a comprovação das propaladas eficiências… e veremos isso nos próximos 5 anos… ou o F-35 será um fracasso ou um sucesso arrebatador… voto no segundo…

    Sds!

  89. Acho a Saab tem caras fazendo propaganda nos blogs, marketing muito infantil se tratando de um caça. Mas depois, lembrando que os ‘gripeiros’ misturavam seus comentários do gripe com ataques ao governo, concluo, que não, não é a Saab, são aqueles caras do ‘cansei’ que agora estão obrigados a falar de radares etc, para manter certa coerência. Haja paciência!

    A Dassault “tá pasando sufoco para manter vivo o Rafale”, kkkkk, pelo menos o Rafale está vivo! kkk um pouco mais ao norte tem uma parteira esperando o gripe quando ainda a Saab nem ficou grávida. rsrs

  90. Eu li a entrevista original em inglês e lamento que a “síndrome do capacho” impeça certas pessoas de fazerem um julgamento adequado a respeito das informações que recebem. O General Francês admitiu que o Rafale é um avião caro, mas está orgulhos e tranquilo quanto a opção tomada pela nação francesa e indica que as solicitações dos EAU, podem ser atendidas dentro de um contexto de evolução do Rafale.

  91. Chicão,

    e só pra lembrar que nos anos 90, era o Tomcat o caça de primeira linha da US Navy.

    Com todo respeito ao Super Hornet e ao Hornet, mas nenhum deles, mesmo os dois juntos, não chegam nem aos pés do Tomcat.

    na minha modesta visão, o F-14 e o F-15 foram de fato caças espetaculares (em sua época, mas mesmo hoje). Já o F-18…

    O Super Hornet, pra mim, tem cara de fim de guerra fria. Os EUA se colocaram como hegemonia absoluta por uns 20 anos, e o Super Hornet (desenvolvido nesta época) dava conta do recado com folga (China atrasada, URSS quebrada, Europa parada, terceiro mundo inerte etc.). A situação hoje mudou muito. E a projeção para os próximos 20 ou 30 anos é de uma paridade muito maior entre as potências mundiais e os blocos de poder regionais e é neste sentido que a luta pela liderança do poder mundial dos EUA não deverá ser feita com Super Hornet e afins (a não ser que os EUA queiram entregar a rapadura, o que acho difícil de acontecer tão cedo)…até porque, o Super Hornet contra um caça de quinta geração não tem chances quase nenhuma…e as potências bélicas do mundo terão caças de quinta geração, desde os EUA até a India, passando pela Russia, China e muito provavelmente Europa e Japão (entre outros possiveis).

    nesse sentido que penso no FX2 como algo transitório, pois o Brasil estará em breve lutando por lugar ao sol de maior destaque no mundo e terá que seguir a tecnologia de ponta para isso. E aqui, mais um vez, me importa mais a parceria que o caça.

    Se fossemos pensar no caça apenas, o melhor para o Brasil seria o SU-35…não fosse por nada, seria pelo PAK-FA.

    Como essa possibilidade está fora de questão (ao menos por enquanto), então estrategicamente a França é mais negócio, pois não fosse por nada, lidera o nEUROn e não cria caso para TT.

    Não acho de verdade que ficaremos apenas com o FX2. Até porque já foi falado mil vezes pelo Jobim e Saito que o Fx2 é uma capacitação tecnológica e não uma compra de caças. E para que ocorra esta capacitação tecnológica, precisamos estar afinados com o parceiro. E isso está se dando com a França, pois o leque tecnológico que estamos desenvolvendo aqui no Brasil com a França é amplo: vai de construção de submarinos a desenvolvimento de C&T nos centros de pesquisa e universidades.

    abração bro!

  92. Um pergunta simples,se o rafale é esse super caça então porque ele em vinte anos ainda não tem uma venda internacional?

  93. Jackson,

    e quem disse que ele é um super-caça?

    E quem disse que ele já não tem uma venda certa? Ao menos uma é certa. As demais, aguardemos.

    abraços

  94. Jackson,

    O Rafale é melhor que o Gripen, mas ser melhor que o Gripen não transforma nenhum avião em super-caça….simplesmente não faz mais que a obrigação….hehehe

    abraços

  95. Wolfpack em 20/08/2010 às 11:20

    Wolfpack, vc está se contradizendo pois uma hora diz que “o FX2 visa substituir todos os aviões de combate A1, F5EM, Mirage2000 que a a FAB opera” e mais a frente fala que a FAB operará poucas unidades do FX-2 e “logo este têm que ser o melhor (sic)”.

    Primeiro, já vimos que o Rafale está muito longe de ser o melhor. Nem próximo do melhor ele está, na verdade. Segundo, se a FAB adquirir esse caça, nem em sonho ela poderá substituir todos os modelos que vc citou. Serão os 36 iniciais e olhe lá, pois esses já serão suficientes para afundar a FAB de vez. Além do seu exorbitante preço de aquisição e manutenção, que já eram conhecidos, essa entrevista mostra que o Rafale será também o mais caro de ser modernizado.

    Quanto as tecnologias que vc não quer que ninguem mais tenha acesso, não se preocupe, pois essas tecnologias estão muito longe do estado da arte. O Rafale não inova em nenhum campo da aviação militar: não inova no campo dos radares, nem da furtividade, nem da fusão de dados e muito menos no de datalink. Tudo que ele usa, é copiado de caças americanos, em alguns casos com 10 anos de defasagem.
    E tudo isso por preço escorchante que até agora afastou qualquer potencial comprador.

    Um abraço.

  96. Esse assunto já rendeu,não sei porque esse desespero todo da turma do gripen,mas digo uma coisa a essa turma,um puxão para a realidade,se a Saab colocou em contrato metade dessas promessas dela,mais a fábrica de caças que ela vai,os 40% de peças insignificantes para o projeto do gripen,pois 30% do gripen é sueco,vamos ter 40% de 30%…rsrsrs,vamos fazer parte da fuselagem,capacetes,coisa que já fazemos,mas vamos continuar,como um caça que custa mais que um F-18,e que é inferior ao Rafale e ao F-18 vai se tornar um sucesso de exportação?.
    Mas a eleição parece que vai ser decidida em primeiro turno,e logo depois o rafale vai chegar,e o gripen,super gripen ,vai para o saco,pois se a índia ou o brasil não comprarem,eles vão modernizar os cd´s que existem,e vão colocar o nome de gripen e/f,essa é a realidade que está sobre o processo da Saab,outra coisa que já disse antes,eles nem começaram a desenvolver o caça,a fuselagem,sistemas,é tudo uma incognita,como vão entragar um caça novo em 4 anos,pois já estamos terminando o ano,os testes,do caça como ficam?.
    No mais cad um é livre pra acreditar no que quiser,mas essa do gripen smurf é d+,e pior a turma do gripen smurf só se preocupa com o rafale,parecem até os maniacos do rafale.
    Podem preparar o lenço,pois a choradeira vai ser grande depois das eleições volto para ler a choradeira e as bobices que essa turma vai escrever!

  97. Ah esqueci uns vão dizer que já existe o bico do gripen ng,rssr,é ele apereceu o bico do ng,nossaaaaaaa,mas não é o bico unica e exclusivamente do caça ng,esse bico pode ser adpatado aos gripen cd´s que terão uma modernização do radar,ou seja nem bico exclusivo é,mais uma gambiara,quem tiver duvidando é só procurar em sities no exterior!

  98. Ah desculpe aonde está escrito bico troquem por nariz,o suposto nariz do ng,parece até com aquele brinquedo da grow,o senhor cara de batata,no qual,tinha o nariz,os olhos,e outras peças!

  99. Nick:

    Segundo o Poder Aereo que o senhor trouxe o Link, falando do m88.2 TCO: “Esse motor que está em testes, teve como objetivo principal a redução do TCO, Total Costs of Ownership. Não há aumento de potência, e sim durabilidade, confiabilidade.” Não fala do ECO mas do M88-2… tem mais a seguir…

    Este link do Plano Brasil diz claramente que :”O primeiro teste de vôo de avião equipado com um Rafale M88-4E ( “Pack CGP” o M88-2) Snecma (Grupo Safran)”, ou seja este é o M88-2, e não o ECO. Aquele “E” neste caso não está para o programa ECO,estes nomes que o senhor vê são nomes para protótipos e não do programa em si, o nome do programa está dentro do parênteses:(“Pack CGP” o M88-2), é o M88-2 que está fazendo o TCO, e o link do poder aéreo que o senhor postou diz isso claramente: “Já o programa M88 TCO (Total Cost of Ownership), lançado em 2008 a partir dos resultados do projeto ECO, busca melhorar ainda mais a durabilidade do motor e baixar os custos de apoio. ” Ele é um derivado do programa ECO, mas não é coligado a este… e aqui não fala que o program ECO acabou, mas diz que o TCO: “busca melhorar ainda mais a durabilidade do motor e baixar os custos de apoio.”

    E sempre no Poder Aéreo que o senhor trouxe o link está escrito:”Desde que entrou em serviço, o motor vem sofrendo atualizações, de forma que o modelo mais recente sendo entregue é o M88-2 Stage 4″, viu tem nada a ver com o ECO, é M88-2 Stage 4(M88-4E)!!

    E depois o link do Plano Brasil ainda confirma o interesse da AdlA nos programas de desenvolvimento dos motores M88-2 e ECO: “Projetado para o avião de combate Rafale, o M88 é o primeiro de uma família de motores de nova geração para a propulsão dos aviões de caça e de treinamneto avançada do século XXI.” primeiro de uma familia…

    Os resultados do programa ECO ainda estão em desenvolvimento, ainda não se chegou às conclusões, o objetivo são sempre as 9Ton com durabilidade, confiabilidade e baixos custos…

    O link do Poder Aéreo disse:” O programa M88 ECO, entre 2003 e 2007, testou novas tecnologias para demonstrar que a vida útil de alguns componentes poderia ser ampliada, diminuindo custos de operação. O motor registrou mais de 4.000 TACs (Total Accumulated Cycles) durante testes de durabilidade, e também demonstrou que o empuxo de 20.000 libras poderia ser atingido com uma pequena quantidade de modificações.”, Não vejo onde foi dito que o programa foi encerrado, disse que foi testado e esta sendo ainda muito testado, mas não foi encerrado!

    E eu ainda não ouvi dizer que a AdlA não esteja interessada no programa ECO, mesmo porque seria contra a lógica militar… seria a primeira vez que vejo uma Força Aérea não ter interesse em um programa que torna a tecnologia atual em algo mais potente, mais forte, mais resistente e com maior capacidade de carga bélica para aumentar as chances perante um inimigo, e custos de manutenção contidos… seria ir contra a mentalidade militar se a AdlA não estivesse interessada no programa ECO.

    E quanto ao que o senhor disse sobre “Se os EAU querem, que paguem, e não será barato, tanto no desenvolvimento como na integração ao Rafale.”, bem, o link do Poder Aéreo diz diversamente deste problema de integração do motor:”o M88 é o único motor do seu tipo que pode voltar ao serviço, após a troca de módulos, sem necessitar de um teste de aceitação em solo, o que levou a Força Aérea Francesa (Armée de l´air) à decisão de não encomendar nenhuma bancada de testes para o M88.”–Isso demonstra grande capacidade de desenvolvimento e integração destes novos motores M88-2 e ECO(9Ton), que são sempre os M88 so que mais “Turbinados” e “Econômicos”!

    E quanto ao financiamento… a França é um país várias vezes mais rico que os EAU, Grécia, Suíça,Espanha, Itália e até mesmo da Suécia,hehe, e se quiser realmente fazer a coisa encontra sim os financiamentos, basta querer que os banco liberam a grana na hora e sem estória… Já com a Grécia seria uma outra historia.

    E eu não disse que o AN-APG/80 é mais potente do mundo, mas “que tem o maior alcance do mundo”… ser potente é muito relativo, poderia ser a maior potência de energia interna ou gerada, ou que ilumina um grande numero de objetivos, ou que conseguiria engajar mais alvos, ou ainda que consegue engajar guiar as armas contemporaneamente… mas sem duvida ter o maior alcance não faz dele o mais potente do mundo!

    Valeu!!

  100. Simples responder,porque ele é um pepino cadente e se não vederem pra nós ou pra mais alguem simplesmente este vetor corre o risco de ficar restrito a França que por serem muito patriotas e nacionalistas morrerão com ele.

  101. Jakson Almeida :
    Um pergunta simples,se o rafale é esse super caça então porque ele em vinte anos ainda não tem uma venda internacional?

    E o F-14 vendeu pra muitos clientes internacionais né… somente para o Irã devido aos custos de manutenção!

    E com o Brasil utilizando o Rafale empata com o F-14, uma encomenda internacional!!

  102. Francoorp,

    bem lembrado do F-14.

    E só pra reafirmar o que eu disse acima: o Tomcat era o cara. Portanto, vender ou não é muito relativo e envolve muito mais questões que meramente preço ou qualidade.

    O F-5 vendeu como pão fresco…compara o F-14 com o F-5, vê se dá jogo?! O juiz mal apita o início e o F-5 já está sendo goleado…hehehe

    abração

  103. Francoorp, o F-14 só foi oferecido pro Irã, assim como os gringos não estão oferecendo o f-22 pra ninguém. Agora um caça que esta há vinte anos no mercado e é recusado em toda compra militar que participa alguma coisa realmente não presta, serão as forças aéreas e não o caça.
    Uma analise sobre a questão política nos colocará o seguinte panorama:
    Se a candidata do governo ganhar e se considerando que o presidente não ficou contente com a França em relação às negociações iranianas e o forte apoio que o gripen ng vem obtendo dos sindicados do ABC será que ela vai escolher outra opção e se “queimar” entre os sindicalistas.
    Se o candidato da oposição ganhar eu tenho a impressão de que ele vai querer ter um bom relacionamento com a FAB deixando a questão coma escolha da própria FAB.

  104. Caro Francoorp,

    Eu entendo que o M-88 X só será desenvolvido SE algum usuário externo quiser. A AdlA está satisfeita, com seu Rafale F3+ com o motor atual de 7,5 tons que inclusive ainda não atingiu um nível de maturidade operacional para evoluir como o próprio General disse. Se vier um motor com mais potência ótimo, mas eles estão SATISFEITOS com o que TEM. Tanto o programa ECO como o TCO visavam a melhoria do M-88 2 com vistas à durabilidade e economia, como frisei. A Snecma tem condições tecnicas de desenvolver um motor mais potente? SIM, mas não é uma necessidade francesa.

    Palavras do General:
    “Very clearly, in my opinion, the M88-X is not for the Air force an immediate need. In order to sell the Rafale to the UAE, the Defense may ultimately be asked to acquire the M88-X in a quantity and on terms still to define. And we’ll maybe even happy to use it. But today we have no technical or operational reasons to make it available for us.The gain expected from the arrival of a more powerful engine is lower than the risks we would go with the technical immaturity of new modules and the management in parallel – so complicated in terms of logistics and operational employment of aircraft with different performances –of two relatively different parks of M88. All this must be thorough.”

    Sobre o AN-APG/80 , perdões, realmente me expressei mal. Mas gostaria saber de uma fonte onde diz que esse radar tem o maior alcance do mundo… Claro, especificamente sobre radares embarcados em caças. A princípio não seria o radar do F-22? o AN-APG77 tem capacidade de detectar um alvo de 5m2 à 360km de distância. E o IRBIS-E PESA do SU-35BM vai além (400km de alcance).

    Sobre a França ter capacidade de financiar seus programas, claro que têm, mas lembre-se que o orçamento deles não é infinito e tem prioridades. Aliás é bem controlado, ao contrário daqui. E o momento atual não é exatamente de vacas gordas….

    []’s

  105. Gunsalmo :Wolfpack em 20/08/2010 às 11:20
    Wolfpack, vc está se contradizendo pois uma hora diz que “o FX2 visa substituir todos os aviões de combate A1, F5EM, Mirage2000 que a a FAB opera” e mais a frente fala que a FAB operará poucas unidades do FX-2 e “logo este têm que ser o melhor (sic)”.
    Primeiro, já vimos que o Rafale está muito longe de ser o melhor. Nem próximo do melhor ele está, na verdade. Segundo, se a FAB adquirir esse caça, nem em sonho ela poderá substituir todos os modelos que vc citou. Serão os 36 iniciais e olhe lá, pois esses já serão suficientes para afundar a FAB de vez. Além do seu exorbitante preço de aquisição e manutenção, que já eram conhecidos, essa entrevista mostra que o Rafale será também o mais caro de ser modernizado.
    Quanto as tecnologias que vc não quer que ninguem mais tenha acesso, não se preocupe, pois essas tecnologias estão muito longe do estado da arte. O Rafale não inova em nenhum campo da aviação militar: não inova no campo dos radares, nem da furtividade, nem da fusão de dados e muito menos no de datalink. Tudo que ele usa, é copiado de caças americanos, em alguns casos com 10 anos de defasagem.E tudo isso por preço escorchante que até agora afastou qualquer potencial comprador.
    Um abraço.

    Olá Gunsalmo, não estou me contradizendo não… Olhe, digo e afirmo, consta que teremos 120 aeronaves FX2 para substituir os A1, F5EM e Mirage2000. Eu acredito que o número de 120 unidades é pouco para um Estado como o Brasil. Você não acha? Agora exemplos acima foram dados contrário a sua teoria sobre escala de produção. Aviação militar não pode ser comparada a aviação civil. O F14 Tomcat foi exportado para o Iran e até hoje os americanos se arrependem disso. O F22 Raptor não é exportado nem para os maiores aliados americanos, os mais ricos ou em perigo, como Israel, Japão, Coréia do Sul, Austrália, Inglaterra e Canadá. Isso não o torna um fracasso de vetor. Entenda que sendo ou não exportado, o Rafale é o melhor vetor concorrendo no FX2. Olhe os vídeos que postei. Verá que é a escolha certa e mais econômica pois um fará o papel de dois Gripens MLU. Abraço

  106. Francoorp em 20/08/2010 às 20:05

    Hornet em 20/08/2010 às 21:09

    “E o F-14 vendeu pra muitos clientes internacionais né… somente para o Irã devido aos custos de manutenção!”

    Caros Francoorp e Hornet
    O F-14 era uma máquina formidável, além de um dos mais belos aviões já feitos, porem, foi criado tendo em mente apenas uma função: abater bombardeiros russos antes que estes pudessem disparar seus mísseis de cruzeiro contra os porta-aviões americanos. Para isso ele precisava ser muito veloz, levar uma boa quantidade de mísseis de muito longo alcance (os AIM-54 Phoenix) e possuir um radar que pudesse detectar e acompanhar a maior quantidade possível de alvos a uma grande distância. Tudo isso custava caro, sem dúvida, mas levando em conta o valor estratégico de um super porta-aviões nuclear, o preço compensava. Sendo assim, apesar de não fazer feio num “dogfigth”, e ter alguma capacidade ar-terra (Bombcat), pode-se dizer que a função principal do F-14 era a de interceptador. Isso explica a falta de compradores externos, afinal, não existiam e nem existem atualmente, outros países com super porta-aviões para serem protegidos.

    Sendo assim, a analogia Rafale – F-14 não faz muito sentido.

    Um abraço.

  107. Hornet :
    Jackson,
    O Rafale é melhor que o Gripen, mas ser melhor que o Gripen não transforma nenhum avião em super-caça….simplesmente não faz mais que a obrigação….hehehe
    abraços

    HAHAHA… essa foi forte!

    Verdade, o F-14 era “o cara” realmente, mas vendeu pouco internacionalmente né!

  108. Gunsalmo,

    mas eu não fiz analogia nenhuma entre o F-14 e o Rafale. E nem tem como fazer isso, como vc bem disse, são caças com funções diferentes, épocas diferentes etc.

    O que eu disse é que o F-14 era o cara (em sua época) e não foi vendido pra ninguém…mas continuou sendo o cara. Na verdade só foi vendido para o Irã, como sabemos. O Super Hornet também só tem uma venda até hoje (Austrália), mas não é o cara.

    forte abraço

  109. O F-14 os gringos so venderam pro Irã.
    O f-22 os gringos não vendem pra ninguem.
    O rafale os franceses ESTÃO DESESPERADOS pra vender pra qualquer um,mas ninguem quer comprar.Ha vinte anos!
    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!!!!!!!!!!!

  110. Ah esqueci uns vão dizer que já existe o bico do gripen ng,rssr,é ele apereceu o bico do ng,nossaaaaaaa,mas não é o bico unica e exclusivamente do caça ng,esse bico pode ser adpatado aos gripen cd´s que terão uma modernização do radar,ou seja nem bico exclusivo é,mais uma gambiara,quem tiver duvidando é só procurar em sities no exterior!
    CARA TU VIAJA DE MAIS,RESPEITA A OPINIAO DOS OUTROS,PORQUER Q TU NAO VAI JUNTO COM A TUA TUMA DA JAKA MORAR NA FRANÇA,VIRA LOGO FRANCES….TUDO PRA TE TEM Q SER FRANÇES….

  111. NICK:

    Então o senhor não leu a matéria acima, pois a fonte esta nela!

    “Mas gostaria saber de uma fonte onde diz que esse radar tem o maior alcance do mundo… o AN-APG77 tem capacidade de detectar um alvo de 5m2 à 360km de distância. E o IRBIS-E PESA do SU-35BM vai além (400km de alcance).”

    A fonte esta no link que postei na matéria, vendo pelo preço que comprei, pose ser propaganda Yankee, mas eles disseram que não existe outro radar melhor que este fabricado nos USA:

    http://www.defenseindustrydaily.com/the-uaes-f-16-block-60-desert-falcon-fleet-04538/ é um sitio do diário da indústria de defesa, uma espécie de diário oficial das indústrias de armamentos.

    E que eles(AdlA) estejam satisfeitos sobre o que tem(M88) não quer dizer devem ficar parados encima dos “louros”, muito pelo contrário, no mundo militar quem para corre o risco de não andar mais… e prova disso é que os dois programas continuam em fase de testes e implementações de soluções técnicas, nada acabou ou ficou por isso mesmo, o M88ECO vai sair e se brincar a gente ainda pega até ele no Rafale…hehehe

    Jackson:

    Num somente questão de ser oferecido não meu, dinheiro é dinheiro, e se vendeu pra um vende pra qualquer um, basta que de conta dê pagar e manter, e os candidatos para isso não faltavam na Europa sob o risco da invasão da URSS, mas foram vender para um país de 3° mundo!!

    Já o F-22 é outro caso pois não se vende pra ninguém ainda, e se fizer isso não será para um país do 3° mundo como foi o caso do F-14, mas será para um país da OTAN!

    Isso já demonstra tudo, os da OTAN nem quiseram saber e tiveram que vender pra um ditador Megalomaníaco como era o Xá, que eles mesmo(Yankees)colocaram no poder através de um golpe militar derrubando o presidente eleito do Irã… e ainda se aproveitaram das fraquezas do ditador, o sólito EGO…. mas pra os aliados e ricos países da OTAN não né, eles não ofereceram… quem eles pensam que enganam com este papinho eu não sei!

    Sobre o resto que disseste que é sobre política e partidos não me interessa nada, estou aqui pra falar de armar e sistemas de armas, a política fica de lado agora!

    Gunlsamo:

    “foi criado tendo em mente apenas uma função: abater bombardeiros russos antes que estes pudessem disparar seus mísseis de cruzeiro contra os porta-aviões americanos.”

    NUNCA ouvi falar isso Gulsamo, o F-14 era a ponta de diamante de TODA A DEFESA AÉREA DOS USA e não somente para abater bombardeiros… ele tinha extrema mobilidade para o Dogfighter, tinha misseis Amraam para o combate a média distancia, capacidade de ataque ao solo(Tripoli anos 80 -Bagdad nos 90) e ainda os Phoenix para o BVR, que estava ainda engatinhando, era pau pra toda obra o F-14, e não somente para abater bombardeiros como o senhor diz.

    E o avião que foi criado especificamente para abater bombardeiros foi o MIG-25, este sim foi feito pra isso… e vendeu bastante para o exterior.

    “Sendo assim, a analogia Rafale – F-14 não faz muito sentido.”

    Faz todo sentido sim, pois o F-14 era uma aeronave esplêndida e foi um fracasso internacional, teve somente um cliente para a exportação, e se o Rafale vier para o Brasil o jogo empata, e isso prova mais uma vez que sucesso internacional não quer dizer que sej bom ou ruim, não prova nada!

    Valeu Pessoal!

    E felizmente vou viajar amanhã e vou ficar uns 15-20 dias longe de computadores, TV, familia, parente, transito, Noticias, FX2 e tudo mais, se vá a pesca no estado do Pará, no alto Araguaia, de barraca, canoa e vara… ninguém em volta, Paz Finalmente!!

  112. Uma foto que vale mais que 1000 textos.

  113. perguntas aos amigos ?

    1) Como saber se não há superfaturamento nos preços dos caças, uma vez que, nunca antes na história deste planeta, salvo a França, ninguém comprou um caça Rafale?

    2)Qual o custo real da hora de voo do rafale .

    3)Quantos aviões serão construídos aqui no Brasil?

    4)E a parceria com a Embraer ? que frutos nos daram ?

  114. Qualquer um dos tres sao bons, avançados e tals. O negocio é operar bem o avião, montar uma estrátegia de defesa, manutenção, treinamento. Contra um oponente sul americano qualquer um dos tres sobram, o negocio é lutar contra os americanos ou contra caças como o F-22 o PAK-FA. Ai sem duvida os tres estão em desvantagem… E pelo preço que estamos pagando eles deveriam vir com tudo que tem direito, menos a dificil deteççao por radar, pois nao foram projetados para tal…

  115. Concordo com vc Latino! Tem muita gente apaixonada pelo Rafale e nao sei porque.Talvez o fusquinha de todos seriam os avioes americanos , mas nao seria a melhor opcao pro Brasil. Sao os melhores para o seu proprio pais q tem muitos e muitas bases. MaSPRA NOS OS RUSSOS seriam as melhores opcoes mas tambem estao fora de cogitacao.Entao eu ficaria com o preco dos gripen e a propria oferta: “completo desenvolvimento ” . E claro com um contrato super bem feito tipo “toma la da ca ” . e tambem q tipo de vetor usaremos ? nao vejo nada errado em basearmos num GE pois repito q seria o mais adepto a nossa tecnologia e tambem o mais usado no mundo. Os russos e franceses ja seriam um pouco mais excêntricos e nao quero dizer ruim mas so excentricos.Entao de volta ao fusquinha , os gripem sao mais pra fusquinha do que pra PEUGEOT OU RENAULT !Putz agora falei tudo , desculpa a inteligencia ……

  116. E tem mais : Esta seria a ultima cartada da SAAB. Entao nao creio q eles estariam dispostos a perder ! Qual as suas opinioes ? E por favor nao me venha com essa febre louca de RAFALE.Vejam bem : o unico comprovadamnente melhor seria o sukhoi e isso acho q toodos concordam . O resto seria especulacao ,inclusive de minha parte sobre o gripen . Grande abraco

  117. BARCA :Uma foto que vale mais que 1000 textos.
     http://img51.imageshack.us/img51/5931/linhatiger.jpg

    Barca, meu caro, está foto mostra um menininho querendo entrar em festa de gente grande, é de chorar de rir… Como alguém pode desejar esta criança na FAB… O piloto do Gripen não precisa de escada para subir no cockpit, ele pula lá pra dentro como se faz em um conversível. Meu Deus, olhem as dimensões dos equipamentos, nem com todo jogo de espelhos da SAAB, mais lobby dentro do COPAC, mais compra de articulistas em Blogs e Imprensa conseguem passar este mico pra frente. Isso ai não briga nem com MIG21, F16C, F18C/D, F5E…
    Cara neste mundo onde conflitos entre estados está cada vez mais raro, uma imagem faz a diferença.
    [ ]s Valeu pela foto.

  118. Latino :perguntas aos amigos ?
    1) Como saber se não há superfaturamento nos preços dos caças, uma vez que, nunca antes na história deste planeta, salvo a França, ninguém comprou um caça Rafale?
    2)Qual o custo real da hora de voo do rafale .
    3)Quantos aviões serão construídos aqui no Brasil?
    4)E a parceria com a Embraer ? que frutos nos daram ?

    Latino, podemos fazer a mesma pergunta para o Gripen NG? Você não acha que a SAAB e o Govenro Sueco estão pedindo muito por este arremedo de caça?
    [ ]s

  119. Wolfpack em 20/08/2010 às 22:35

    “Eu acredito que o número de 120 unidades é pouco para um Estado como o Brasil. ”

    Wolfpack, se vc acha que 120 é pouco, fique sabendo que teremos que nos contentar com apenas 36. Pelo preço de manutenção/hora de vôo do Rafale, nunca teremos condições de manter mais do que essas três duzias de vetores operando.
    E estou falando do F3+ da força aérea francesa (com todas as suas limitações), pois se formos com uma versão como essa do EAU, a situação será pior ainda.

    Um abraço.

  120. Jakson Almeida acho bom vc rever o seu conceito de desespero,pois mesmo que o Rafale não venda pra ninguém,ele tem seu desenvolvimento garantido,já o gripen se não vender pra nínguém vai pro saco!
    Acorda,como vc ri de um caça sendo que o outro está em situação bem pior.
    Segundo não se mede um caça por numeros de vendas,afinal amigo é artigo importante de defesa,e não item de supermercado,se for assim vamos de mig 21 o caça mais venido de todos os tempo,com mais de 2500 unidades,outra amigo que caça gripen ng a Saab vendeu,segundo a Saab já vendeu o mais ou mais mesmo numero de caças que a frança comprou e já encomendou,cara não quero saber de um caça que seja campeão de vendas,quero saber se ele é o mais capaz,porque se formos usar ele em uma situação real,o numero de vendas não vai adiantar muito.
    Troca a fita,apresente algo do çaca e não se vendeu ou não.isso prova o quanto esse caça é ruin se os defensores dele só usam vendas,outra qual é a proposta fantatisca que a saab tem,vc sabe ou só repete por osmose!

  121. Francoorp em 21/08/2010 às 00:41

    “NUNCA ouvi falar isso Gulsamo, o F-14 era a ponta de diamante de TODA A DEFESA AÉREA DOS USA e não somente para abater bombardeiros… ”

    Francoorp, o F-14 foi concebido para a Marinha Americana com a função principal de defender os porta-aviões nucleares dos bombardeiros russos portando mísseis de cruzeiro. É óbvio que podendo abater bombardeiros a grandes distâncias, podia abater também outros aviões e, como citei, não fazia feio num “dogfight”.

    Todavia, o F-14 NÃO ERA a “ponta de diamante de TODA A DEFESA AÉREA DOS USA” pois nem era usado na defesa aérea do território americano. A USAF não usava o modelo, só a marinha. Se vc “NUNCA ouviu falar disso”, então meu conselho é que vc leia mais.

    Volto a dizer que a analogia entre as vendas dos dois não faz sentido, pois o F-14 não vendeu mais por ser um avião com propósito muito específico, enquanto que o Rafale não vende porque não vale aquilo que pedem por ele.

  122. Hornet em 20/08/2010 às 23:43

    “mas eu não fiz analogia nenhuma entre o F-14 e o Rafale. E nem tem como fazer isso, como vc bem disse, são caças com funções diferentes, épocas diferentes etc.”

    Caro Hornet, como vi vc comentando o post do Francoorp, achei que concordava com a analogia feita por ele. Se não é o caso, me perdoe.

    Um abraço.

  123. Jakson Almeida :O F-14 os gringos so venderam pro Irã.O f-22 os gringos não vendem pra ninguem.O rafale os franceses ESTÃO DESESPERADOS pra vender pra qualquer um,mas ninguem quer comprar.Ha vinte anos!HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!!!!!!!!!!!

    Faltou: E o Gripen NeverGoing nunca existirá.

  124. ROBERTO CIRQUEIRA :Ah esqueci uns vão dizer que já existe o bico do gripen ng,rssr,é ele apereceu o bico do ng,nossaaaaaaa,mas não é o bico unica e exclusivamente do caça ng,esse bico pode ser adpatado aos gripen cd´s que terão uma modernização do radar,ou seja nem bico exclusivo é,mais uma gambiara,quem tiver duvidando é só procurar em sities no exterior!CARA TU VIAJA DE MAIS,RESPEITA A OPINIAO DOS OUTROS,PORQUER Q TU NAO VAI JUNTO COM A TUA TUMA DA JAKA MORAR NA FRANÇA,VIRA LOGO FRANCES….TUDO PRA TE TEM Q SER FRANÇES….

    Depois de ver quem está na frente nas pesquisas eleitorais e mais o tiroteio hoje no INTERCONTINENTAL no Rio, acho que não é má idéia migrar pra França.

  125. Pessoal, uma coisa tem de ser certa.

    Não se pode considerar em nenhuma hipótese o preço dos caças junto com seu custo de operação quando falamos de Segurança Nacional, simplesmente o melhor tem de ser escolhido e ponto final, não podemos deixar esta segurança nas mãos do mais barato.

    Particularmente, não entendo o Gripen NG, hora ele existe e hora ele é oferecido como projeto.Quando acusa-se os “gripados” que o avião não existe, eles correm e mostram o novíssimo e poderoso radar com 90km de alcance do NG, ou mostram aquele Gripen Demo, que não passa de uma gambiarra da pior qualidade, que nem a Índia aceitou como plataforma de testes no seu FX.

    Porém, a proposta que todos adoram no NG é poder projetá-lo, mas caramba, ele já não estava quase pronto, então, vamos projetar o que neste avião, às vezes, realmente fico em dúvida com a proposta da SAAB, pois quando se oferece um projeto, ele deveria única e exclusivamente estar na prancheta, pois se já existe uma plataforma DEMO, alguma coisa já foi desenvolvida e ficaremos de fora.

    Além do mais, digo e volto a repetir, o gripen é um bom avião sim, mas para países pequenos,como Paraguai, Bolívia, Equador, agora, não para o Brasil com seus 8 milhões e meio de quilômetros quadrados, é um absurdo deixar toda a frota aérea de defesa de um país continental na mão de um avião monomotor, pequeno, com o pior alcance de radar dos 3 concorrentes, com menor alcance, e por aí vai.

    Minha opinião verdadeira sobre o assunto, a maioria já sabe, gostaria de ver os SU-35BM aliados ao PAK-FA, porém como isto é apenas um sonho, é melhor ficar com o melhor dos 3 aviões do FX-2, o Rafale.

    Lanterna Verde.

  126. Wolfpack :

    BARCA :Uma foto que vale mais que 1000 textos.
     http://img51.imageshack.us/img51/5931/linhatiger.jpg

    Barca, meu caro, está foto mostra um menininho querendo entrar em festa de gente grande, é de chorar de rir… Como alguém pode desejar esta criança na FAB… O piloto do Gripen não precisa de escada para subir no cockpit, ele pula lá pra dentro como se faz em um conversível. Meu Deus, olhem as dimensões dos equipamentos, nem com todo jogo de espelhos da SAAB, mais lobby dentro do COPAC, mais compra de articulistas em Blogs e Imprensa conseguem passar este mico pra frente. Isso ai não briga nem com MIG21, F16C, F18C/D, F5E…
    Cara neste mundo onde conflitos entre estados está cada vez mais raro, uma imagem faz a diferença.
    [ ]s Valeu pela foto.

    É de chorar de rir mesmo, o único que não que não conseguiram empurrar para ninguem, nessa foto, é o Rafale.

  127. Gunsalmo :Wolfpack em 20/08/2010 às 22:35
    “Eu acredito que o número de 120 unidades é pouco para um Estado como o Brasil. ”
    Wolfpack, se vc acha que 120 é pouco, fique sabendo que teremos que nos contentar com apenas 36. Pelo preço de manutenção/hora de vôo do Rafale, nunca teremos condições de manter mais do que essas três duzias de vetores operando.E estou falando do F3+ da força aérea francesa (com todas as suas limitações), pois se formos com uma versão como essa do EAU, a situação será pior ainda.
    Um abraço.

    Gunsalmo, vc não entendeu o objetivo do FX2? Meu caro, o FX2 visa durante os próximos 20 anos substituir toda a aviação baseada hoje nos A1, F5EM e Mirage 2000 pelo vencedor do FX2. Hoje já temos mais que 120 aeronaves Mirage 2000 + F5EM + A1.
    Logo, não é absurdo em se falar em 120x aeronaves, uma vez que esta meta já está definida pela FAB + Ministério da Defesa. O Rafale e o Super Hornet brigam na mesma liga mundial dos caças de 4,5 gerações, mas o Gripen precisa se decidir se permanece como o JAS39 MLU ou é o Gripen Demo, ou o Gripen NG, ou o Gripen C/D ou o Gripen E/F, etc… Este projeto perdeu a identidade. Não tem rumo, nem a Suécia o quer em suas linhas. Se utiliza do DEMO para facilitar o JAS39 MLU. Nada mais que isso, se existir um Estado que queira bancar este desenvolvimento para a Suécia, eles agradecem, mesmo assim não colocam uma Coroa Sueca no negócio.
    O Rafale está hoje muito a frente dos seus concorrentes no FX2. O desespero está no lado Sueco que teve que correr atrás de um desenho de radar AESA para preencher o furo deixado pela Thales, quanda esta retirou seu EB2 do portifolio “amplo” de fornecedores Suecos. O Rafale é caro, claro que é caro, com Spectra, OSF, EB2 com dois M88, você desejava o que???? Agora me diga o Gripen NG apresentando valores de aquisição maiores que o F18E/F Super Hornet é justo, está correto? Os nórdicos não estão superfaturando encima de uma aeronave pequena e sem perspectiva de vencer nenhuma concorrência relevante?
    [ ]s

  128. Cirqueira,

    Mude você pra Suécia de mãos dadas com o Jaka, já que os dois são babão pelo Gripim banana, ou então, chorem lá no blog dos gripentelhos frustrados…
    Esse radarzinho porcaria não convenceu os indianos…
    E em breve, os Tchecos vão devolver seus poucos Gripens leasing pq eles não estão nada satisfeitos…

  129. O rafale convenceu quem? Pois ele foi e é recusado em qualquer licitação atual de compra, a Suiça não o quer o mesmo se aplica ao Kwait,India,Libia e ate no brasil onde era dado como certo a compra ele esta sendo questionado pelo governo(traição do sarkosy ao acordo iraniano).O rafale esta se tornando um abacaxi ate para os franceses que estudam suspender a produção por dois anos.

  130. Tomara que saia esta decisão do FX-2. Senão será o maior desperdício de tempo em debates virtuais da história do país…

  131. Rogério vc por acaso viu o gripen ng,já que vc é tão bom com os numoros assim,me mostre as vendas do gripen NG ?,pra quem ele foi vendido amigo?

    Espero a sua resposta ?

  132. Wolfpack em 21/08/2010 às 16:01

    “Gunsalmo, vc não entendeu o objetivo do FX2? Meu caro, o FX2 visa durante os próximos 20 anos substituir toda a aviação baseada hoje nos A1, F5EM e Mirage 2000 pelo vencedor do FX2. Hoje já temos mais que 120 aeronaves Mirage 2000 + F5EM + A1.”

    Wolfpack, vc é que não entendeu que com o assalto à mão armada que os franceses querem fazer conosco, nunca poderemos cumprir o que a FAB deseja, que é trocar todos os 120 caças atuais, padronizando a frota.
    Com o custo de manutenção do Rafale e sua hora de vôo absurda (mesmo subsidiada), simplesmente não tem como custear 120 aviões caros de manter como esses. Os que defendem o Rafale acham que quando as despesas aumentarem, o governo vai se sensibilizar com o baixo orçamento da FAB e liberar mais dinheiro. Isso não vai acontecer!!! A corda arrebenta sempre do lado mais fraco. É assim hoje, e será assim ainda por muito tempo. O Brasil pode até se tornar o país mais rico do mundo que, ainda assim, vai faltar comida no rancho de nossos recrutas. Isso porque a Defesa não é e nunca será prioridade para nenhum governo. Os aviões vão ficar no chão mesmo, não se engane. E tudo isso por um caça inacabado, com tecnologias defasadas em 10 anos, que será complicadíssimo para upgradear no futuro e que ninguem alem da França quer. Seremos os otários que pagarão o custo da independência francesa.

    Eu apoio o Gripen pois acho que será o melhor avião para a FAB e proporcionará para a industria aeronáutica brasileira uma oportunidade que não teríamos com os outros concorrentes. Contudo, se viesse o Super Hornet, não ficaria desapontado, pois é um excelente avião também. O que não tem cabimento é pagar os olhos da cara por esse avião francês meia-bomba.

    Um abraço.

  133. Rogério :

    Wolfpack :

    BARCA :Uma foto que vale mais que 1000 textos. http://img51.imageshack.us/img51/5931/linhatiger.jpg

    Barca, meu caro, está foto mostra um menininho querendo entrar em festa de gente grande, é de chorar de rir… Como alguém pode desejar esta criança na FAB… O piloto do Gripen não precisa de escada para subir no cockpit, ele pula lá pra dentro como se faz em um conversível. Meu Deus, olhem as dimensões dos equipamentos, nem com todo jogo de espelhos da SAAB, mais lobby dentro do COPAC, mais compra de articulistas em Blogs e Imprensa conseguem passar este mico pra frente. Isso ai não briga nem com MIG21, F16C, F18C/D, F5E…Cara neste mundo onde conflitos entre estados está cada vez mais raro, uma imagem faz a diferença.[ ]s Valeu pela foto.

    É de chorar de rir mesmo, o único que não que não conseguiram empurrar para ninguem, nessa foto, é o Rafale.

    Empurrar é fácil, olhe os Gripen C/D alugados a Hungria e República Tcheca, agora quero ver vender o Gripen MLU, digo, Gripen Demo, digo, Gripen NG, ai sim o negocio se complica. Mesmo assim continua sendo um peso pena que joga em ligas amadoras. Vamos dizer uma aeronave de entrada no seguimento de aviação de caça. Parece um filhote perto dos grandes nesta foto rsrsrsrsrs.

  134. BARCA :
    Rogério vc por acaso viu o gripen ng,já que vc é tão bom com os numoros assim,me mostre as vendas do gripen NG ?,pra quem ele foi vendido amigo?
    Espero a sua resposta ?

    Como o Rafale, ele não foi vendido, a diferença é que o NG voou pela primeira vez em 2008, já o Rafale tem 10 anos de estrada(como caça pronto), e desde o seu primeiro voou ha 24 anos atrás ele só tem 82 aviões produzidos, e no atual ritmo de 11 aviões /ano, rsss , o quadro não mudará tão cedo.

    1º vôo do Gripen foi em1988, unidades fabricadas: 236

    1º vôo do Rafale foi em 1986 unidades fabricadas: 82

    O primeiro vôo do NG foi em 2.008, logo ele tem até 2032 para produzir 82

  135. Francisco AMX :
    Gostaria de parabenizar o Nick, apesar de não concordar com a maioria de suas previsões sobre o NG/Rafale, vejo que ele tem muito em comum com o Ivan (recife) um grande Ngete! rsrsrs! pessoas como estas sempre farão a diferença nos debates!
    Parabéns Nick, pela postura educada!
    Francisco AMX

    Salve FranciscoAMX! :)

    Podemos não concordar com nossas visões sobre esses caças, mas imagine como seria chato se todos dissessem que preferem o mesmo caça! :D Onde existiria o debate??
    E claro, você lendo a opinião dos Gripeiros sobre o Rafale, permite que você tenha uma visão mais crítica sobre o mesmo. Não que vá mudar suas convicções, mas é sempre bom ver o outro lado. Do mesmo modo as Rafaletes apontando os pontos fracos do Gripen Ng. Mas tudo isso, mantendo o nível e com argumentos sustentáveis. Se não vira torcida mesmo….

    Abraços !

  136. Rogério :

    BARCA :Rogério vc por acaso viu o gripen ng,já que vc é tão bom com os numoros assim,me mostre as vendas do gripen NG ?,pra quem ele foi vendido amigo?Espero a sua resposta ?

    Como o Rafale, ele não foi vendido, a diferença é que o NG voou pela primeira vez em 2008, já o Rafale tem 10 anos de estrada(como caça pronto), e desde o seu primeiro voou ha 24 anos atrás ele só tem 82 aviões produzidos, e no atual ritmo de 11 aviões /ano, rsss , o quadro não mudará tão cedo.
    1º vôo do Gripen foi em1988, unidades fabricadas: 236
    1º vôo do Rafale foi em 1986 unidades fabricadas: 82
    O primeiro vôo do NG foi em 2.008, logo ele tem até 2032 para produzir 82

    Rogério, sabe o jogo dos sete erros, vc poderia brincar com ele e apontar as sete diferenças entre o Gripen C/D e o Gripen NG. Comparar dois caças de categorias diferentes é injusto, o Gripen foi desenvolvido para ser concorrente do F16C/D e mesmo assim não consegue concorrer com ele. A foto postada pelo Barca mostra a diferença absurda de tamanho entre o Gripen e seus irmãos mais velhos. Não pode comparar um Gol com um Jetta. Por favor. Mesmo frente o F16 da foto ele ficou pequeno. É um caça Nano, desculpe, mas foi concebido para a Suécia. Querer anabolisar o peso Pena e colocá-lo na turma da foto é forçar a barra. [ ]s

  137. Rogério,

    na verdade p NG tem duias chances de ser produzido, não 82, mas um que seja. As chances são: a India comprar este caça, e/ou a Suécia resolver bbancar o caça e produzí-lo para sua própria força aérea. Caso cntrário, nem em 3025 teremos algum NG voando.

    No meu modo de ver só faz sentido comparar a produção do Gripen (versões A/B e C/D) com a do Rafale, se compararmos o Gripen C/D com o caça Rafale. Neste sentido, o Gripen C/D é um fusquinha e o Rafale uma Ferrari, e é claro que fusquinhas vendem mais (e aqui a comparação é válida, pois o C/D não chega nem perto do Rafale, e nem recisa ser o Rafale F-3…a começar com o alcance e a capacidade de carga, que no C/D é quase zero). Carros populares são baratos e vendem bem, ao contrário de um Ferrari, mais qualificado.

    No entanto, o Gripen C/D seria melhor comparado ao Mirage 2000-5, pois são da mesma geração tecnológica, e não é à toa que ambos estavam no FX1 e não estão no FX2.

    forte abraço

  138. Rogerio,

    eu escrevi um tanto rápido e não fiz correção…desculpa pelos erros de digitação, mas acho que dá pra ler…enfim…

    abração

  139. Compra do Brasil mais a encomenda da França, já ultrapassam.
    E se Rafale ganhar na India e confirmar nos Emirados, bota o Gripinico lá embaixo.

    E o que voou em 2008 foi um gripen D recauchutado com gambiarras, nada de caça novo…não cansam de insistir numa mentira não ??

    NG não vai existir, pq nenhum país otário, nem Suécia, interessam por este mico, vide, Holanda, Noruega, Dinamarca, Romênia, e agora India.
    Gripen NG agora só em pc junto com F-20!!!
    Gripens suecos serão atualizados por mais 20 anos até caírem aos pedaços.

    E sem falar nos leasing de gripens que poderão ser devolvidos em 2 países!!

    Chega de dizer o mesmo lenga-lenga Rogério, não convence ninguém aqui!!

  140. Hornet :
    Rogério,
    na verdade p NG tem duias chances de ser produzido, não 82, mas um que seja. As chances são: a India comprar este caça, e/ou a Suécia resolver bbancar o caça e produzí-lo para sua própria força aérea. Caso cntrário, nem em 3025 teremos algum NG voando.
    No meu modo de ver só faz sentido comparar a produção do Gripen (versões A/B e C/D) com a do Rafale, se compararmos o Gripen C/D com o caça Rafale. Neste sentido, o Gripen C/D é um fusquinha e o Rafale uma Ferrari, e é claro que fusquinhas vendem mais (e aqui a comparação é válida, pois o C/D não chega nem perto do Rafale, e nem recisa ser o Rafale F-3…a começar com o alcance e a capacidade de carga, que no C/D é quase zero). Carros populares são baratos e vendem bem, ao contrário de um Ferrari, mais qualificado.
    No entanto, o Gripen C/D seria melhor comparado ao Mirage 2000-5, pois são da mesma geração tecnológica, e não é à toa que ambos estavam no FX1 e não estão no FX2.
    forte abraço

    A questão não é Ferrari vs Fusca, é custo beneficio, e nesse realmente eles não estão no mesmo patamar.

  141. Kojak,

    KKKK não tenho essa pretensão, convencer vc de alguma coisa é o mesmo que ensinar caminho pra cego.

  142. Rogério :

    Hornet :Rogério,na verdade p NG tem duias chances de ser produzido, não 82, mas um que seja. As chances são: a India comprar este caça, e/ou a Suécia resolver bbancar o caça e produzí-lo para sua própria força aérea. Caso cntrário, nem em 3025 teremos algum NG voando.No meu modo de ver só faz sentido comparar a produção do Gripen (versões A/B e C/D) com a do Rafale, se compararmos o Gripen C/D com o caça Rafale. Neste sentido, o Gripen C/D é um fusquinha e o Rafale uma Ferrari, e é claro que fusquinhas vendem mais (e aqui a comparação é válida, pois o C/D não chega nem perto do Rafale, e nem recisa ser o Rafale F-3…a começar com o alcance e a capacidade de carga, que no C/D é quase zero). Carros populares são baratos e vendem bem, ao contrário de um Ferrari, mais qualificado.No entanto, o Gripen C/D seria melhor comparado ao Mirage 2000-5, pois são da mesma geração tecnológica, e não é à toa que ambos estavam no FX1 e não estão no FX2.forte abraço

    A questão não é Ferrari vs Fusca, é custo beneficio, e nesse realmente eles não estão no mesmo patamar.

    Custo&Benefício, parei, bom final de semana… No seu ponto de vista Rogério o Brasil precisa de mais F5EM, o melhor custo benefício existente atualmente.

  143. Rogério,

    não estão mesmo. O custo benefício do Gripen NG é de altíssimo risco. Por sorte, não entramos nessa.

    abraços

  144. Rogério,amigo Rogério,vou te mostrar alguns fatos que vc talvez não conheça,não quero que vc leve pelo lado pessoal,é apenas para colocar um pouco de luz nesse debate!

    Rogerio disse :
    1
    “o NG voou pela primeira vez em 2008”

    Errado,mostro pra vc :

    O Gripen NG é um avião de combate?

    NÃO. O Gripen NG ou ‘Next Generation’ é o nome do programa que possui duas metas básicas: gerar uma nova versão do conhecido caça da Saab e desenvolver novas tecnologias que possam ser incorporadas à atual frota de caças Gripen.

    Gripen NG e Gripen Demo são a mesma coisa?

    NÃO, embora estejam relacionados. O Gripen NG é um programa e o Gripen Demo (demonstrador) é aeronave deste programa. O Gripen Demo era originalmente um JAS 39B biplace (matrícula 39-803) que foi convertido para o padrão 39D e agora foi parcialmente reconstruído para testar novas melhorias estruturais, novas tecnologias e novos conceitos.

    O que te falei cara,esse caça não existe da onde vc tirou que esse caça voou em 2008,o que voou em 2008 foi o demonstrador que nem prototipo é.

    Muitos daqui já estão cansados de dizer isso,pergunte ao WOLFPACK,AO HORNET,AO MAD DOG.

    Eu te mostrei com dados que o caça não voou em 2008 mas como sou uma pessoa democratica,espero o contraditorio !

    Fonte:

    http://www.aereo.jor.br/2010/07/28/perguntas-e-respostas-sobre-o-programa-gripen-ng/#comments

    28 de julho de 2010, em Análise, por Guilherme Poggio

    A Dassault está a beira da falencia,segundo alguns:

    Errado,argumento:

    A Dassault Aviation anunciou seus resultados do primeiro semestre, segundo nota do jornal francês La Tribune desta manhã de quinta-feira, 29 de julho. O lucro operacional foi de 104% (248 milhões de euros) e o lucro líquido foi de 37% (170 milhões de euros). O volume de negócios aumentou 44%, indo a 1,9 bilhão de euros. A companhia informou duas novas encomendas de aeronaves Falcon, assim como a entrega de 45 desses jatos executivos, além de cinco aviões de combate Rafale (no primeiro semestre do ano passado foram entregues sete Rafale).

    Rogerio duas perguntas de onde vc tirou que o gripen ng voou em 2008,de onde vc tirou que o ng existe!

  145. Olha essa foto do gripen

    O velho e bom Mirage 2000

    F-18 a vespa americana

    Dassault rafale

  146. Quem foi o maluco que disse que o motor do rafale não é bom,olha essa.

  147. Olha a manobra que o caça faz com essa carga toda.

  148. Rogerio me mostra agora porque esse caça é uma porcaria como vc disse:

    Configuração da criança:

    Nas fotos, a configuração para ataques a alvos de grande valor e bem defendidos, a grandes distâncias: dois mísseis de cruzeiro Scalp, quatro mísseis ar-ar Mica e três tanques externos de combustível de 2.000 litros de capacidade cada (cuja aerodinâmica é indicada para voo subsônico). Segundo a revista, o Scalp pode ser disparado pelo Rafale a altitudes muito baixas, aproveitando o modo de acompanhamento do terreno da aeronave para evitar detecção.

    O que a porcaria do rafale segundo Rogerio aguenta

  149. Rogerio aguardo seus dados,caso vc tenha a planinha de venda do gripen,eu gostaria de ler,pois no aspecto tecnico dos caças não há o que comparar!

  150. Mais fotos da fera :

  151. Pra finalizar,acho que alguns deveriam separar sua antipatia pelo atual presidente,e pelo jobim,e ver que a escolha foi acertada,essas pessoas tem que reconhecer um trabalho bem feito,e não desmerecer só porque não é de sua preferencia política ou ideologica.

    Eu fico com um pensamento chines,que por sinal é muito sábio,e espero que ajude alguns a mudarem suas convicções.

    “Não importa se o gato é preto ou branco, desde que ele pegue os ratos”.

    (Deng Xiaoping)

    Outro pensamento importante:

    Se demonstras força, todos
    querem ser teus aliados.

    Ao contrário, se mostras fraqueza,
    ninguém te dará importância.

    E, se tendo riquezas, não demonstras
    força, atrairás sobre tua cabeça
    todas as ambições do mundo.
    (Ciro, Rei da Pérsia)

  152. Outra coisa que me lembrei,e que os tolos francofobicos não desmerecer,o Jobim está cuidando no programa Cobra(Combatente Brasileiro),que terá como base o FELIN (Fantassin à Équipement et Liaisons Intégrés, Equipamento Integrado e Comunicações para o Infante),parece que foi assinado ano passado,e que alguns militares iriam a frança testar o sistema,e a frança faria uma parceria com transferencia de tecnologia.

    Pra quem quiser ler mais sobre o programa Felin
    http://sistemadearmas.sites.uol.com.br/sof/soffelin.html

    Fotos
    http://www.army-technology.com/projects/felin/felin1.html

    Eu fico impressionado como as pessoas criticam algo sem ter a mínima noção do processo!

  153. Documentário Francês sobre o Rafale. Posição dos canards diferentes do Typhoon, porque a França optou por abandonar o projeto conjunto com Grã-Bretanha, Itália e Alemanha?…
    http://www.tudou.com/programs/view/hCy4V-uQqXg/

  154. BARCA,

    Essa frase foi dita pelo Gen. françês, observe a palavra REGRESSÃO, heheheheh:

    “……Eles querem evitar qualquer regressão com o Rafale, pelo menos no alcance do radar, em relação ao F-16 Block 60….”

    ou seja, não consegue superar o F-16 mesmo sendo muito mais novo e caro que o mesmo, no mais é o que ja disse: Radar inferior, motor inferior e problemas de geração de energia eletrica q simplesmente impedem qualquer modernização posterior. Imagine só em 2030, o sufoco para mante-lo operacional. Mais fique com a sua própria crença, cansei desse assunto.

    Custo não é importante? Escala não é importante? Embargo ianque!!! SH é o mesmo projeto do Hornet ,mais o NG que deriva do C/D, não existe !!!! Parceria estrategica e transferencia de tecnologia(essa é a melhor de todas,rsss), julgar um projeto pelo tamanho ou quantidade de motores mostra o quanto vc entende de engenharia (me esbaldo toda vez que leio isso).

    O Rafale é o 2º melhor do ocidente? K K K K, diga isso pro Sr Alain Silvy, ele acaba de dizer que o F-16 é melhor, sem contar que ele é o único que não vende. Escreva o que vc quiser, cansei dessas rafalices, religião e futebol não se discute, e isso pra vc virou os dois.
    O Rafale já ganhou o FX-2? Parabéns pra Dassaulto, fomos roubados mais uma vez.

    Daqui a 2 semanas fará 1 ano desde que o Lula anunciou a vitoria do Rafale. Só pra se ter um ideia da lisura do processo.

    Opinião da revista suiça Cockpit sobre o Rafale:

    http://www.defesanet.com.br/10_07/100707_10_ckp_decolagem.html

    Opinião dos parlamentares do Kuwait:

    http://www.thenational.ae/apps/pbcs.dll/article?AID=/20100414/FOREIGN/704139960&SearchID=7340048626749

    Opinião do Gen. Alain Silvy:

    http://www.aereo.jor.br/2010/08/16/entrevista-com-o-almirante-alain-silvy-sobre-o-estado-das-negociacoes-do-rafale-com-o-eau/#comments

    Documento do senado francês, que menciona o custo da hora de vôo:

    http://www.senat.fr/rap/r07-352/r07-35210.html

    Rafale vs Phanton:

    http://www.aviamagazine.com/scripts/PhotoHandler.ashx?ID=3417529531

  155. Em homenagem, por ter sido ridicularizado na India…
    O Gripenado pousando, que maraviiiilha…KKKKKKKKKKK

  156. Apenas disse e me disse quero dados concretos,e não fofocas intrigas,quero saber o que o gripen faz,afinal vc defende uma compra e não sabe o que o caça faz,dados cara dados e não disse me disse!
    Quero saber de vc já que vc defende a compra o que esse caça faz,te mostrei o que o caça faz,se eu quisesse poderia listar aqui as supostas vendas do gripen que muito de vcs dizem,mas que em alguns casos foram Leasing,poderia colocar o que aconteceu numa concorrenria em que o país preferiu f-16 do que gripens.
    Quero saber de vc o que esse caça faz,sua capidade,é isso!

  157. Vc viu a foto do raquitico gripen,perto do F-18,perto do Rafale.

  158. Situação Hipotetica de conflito,uma esquadra inimiga invadindo o nosso mar territorial,uma esquadrilha de rafales,17 rafales,com aquelas configurações de tanque de combustivel,7 rafales com aquela configuração de mica com misseis ante navios,10 rafales na cobertura para confronto aereo,7 rafales armados com mísseis ante navio,daria 14 misseis contando 2 para cada rafale armando com essa configuração,com sobre de combustível,e dois micas para autodefesa,os outros 10 rafales armados para combate aereo,se falhasse na sua defasa seria varrida do mar.
    Agora vc rogerio falaria pra essa esquadra inimiga que vc tem um caça que vendeu,que fulano disse e beltrano falo,esse seria o poder de dissuasão do caça gripen.
    Olha vc nunca vai me ver falando mal da Saab,respeito a Saab,mas apenas acho que esse caça não serve para ser o principal vetor do Brasil,pelo que te mostrei nas fotos,pelo fato dele não existir,está mais do que provado,e pelo fato dele ser caro,pelo que ele faz,a relação custo beneficio dele não é boa!

    Entendeu agora Rogerio que esse caça não existeeeeeeeeee!,o que existe é o gripen cd,se esse projeto não vingar vamos pegar um caça a meia boca,seria mais negocio pegar alguns f-16 modernizados,pois sairiam mais baratos,Rafale,F-18,SÃO CAÇAS DE UMA CLASSE SUPERIOR AO gripen.
    É isso que eu quero que vc entenda amigo,respeito sua opinião,mas na hora do pau comer,disse e me disse,não vale nada,vale que manda mais YOGA FLAME,lembrando o velho e bom street figther

  159. BARCA, me de vc, dados concretos do que justifica o Rafale ser mais caro que o Gripen, ah ele tem 2 motores né!!! Entao me diz o que faz dele ser mais caro que o Super Hornet. O que ele faz, o alcance de seus fabulosos misseis, seu radar raquitico 10% inferior em alcance ao APG-80. Quanta criancisse. Estou fora!!!!!

  160. Kojak :
    Em homenagem, por ter sido ridicularizado na India…
    O Gripenado pousando, que maraviiiilha…KKKKKKKKKKK

    Quem caiu mais?

    http://www.aereo.jor.br/2010/01/22/quem-caiu-mais/

    Existe 3 vezes mais Gripens e mesmo assim o numero de quedas são iguais,

    Existem 5 vezes mais F-18 SH e o numero de acidentes é a metade, detalhe a USN luta em varias guerras, piada

  161. Caro gripedófilo,

    Pra sua ignorância, tem muitos (dezenas) gripens suecos estocados e parados, ou seja, com pouquíssimas horas de vôo. Logo, essa sua estatística furada já era…

    E pra atualizar, caiu um Hornet canadense, em julho, com pane de motor (o mesmo do Gripen).

    Não vejo a hora da India revelar pro mundo as deficiências do Gripinho e seu radar brochante…isso sim é piada!!!

  162. Kojak a Argumentação não necessita de ofensas, peço que respeite os demais participantes do blog do contrário seus comentários serão editados ou mesmo excluídos sem prévio aviso.
    sds
    E.M.Pinto

  163. E.M.Pinto

    O cara é um troll do Poder Aéreo e trás as expressões típicas de lá pra provocar como…. rafalice, jaca, dassaulto,etc
    Tratamento na mesma moeda!!!

  164. Kojak estou diariamente em contato com editores do Poder Aéreo a quem diga-se de passagem são meus amigos.
    Como já disse antes as críticas aquele site ou outro qualquer devem ser feitas neles e não no Plano Brasil.
    Os termos usados pelo senhor em questão não estão corretas e também são ofensivas em certos casos, porém não posso permitir que se propague um evento maior por conta de criancices alguns.
    Acho que a argumentação deve se ater aos fundamentos e não a réplica de idiotices, se esta é prática do senhor em questão sugiro que o ignore simplesmente.
    espero que entenda meu ponto de vista.
    Sds
    E.M.Pinto

  165. E pra atualizar cairam dois rafales navais em 2009.hahahahahahahahaha!!!

  166. Thanks Olybrius!
    http://www.militaryphotos.net/forums/showthread.php?137433-Rafale-News/page118

    Kuwait Tests Rafale
    Middle East Newsline , August 17

    ABU DHABI [MENL] — For the first time, Kuwait has conducted trials of an advanced French fighter-jet. The Kuwait Air Force and Defense Ministry oversaw flights of the Rafale F3 fighter in the sheikdom’s air space in July 2010.
    Officials said the multi-role combat aircraft flew for 15 hours in what they termed the start of an exhaustive examination of the Rafale’s capabilities.
    “The main goal is to see how Rafale operates in the difficult conditions of our region,” an official said.
    France and Kuwait have been negotiating for more than three years over Rafale. Both countries have asserted that a procurement decision of up to 20 Rafales would take place in 2010.
    “I think Kuwait will buy Rafale,” said Sami Al Faraj, president of the Kuwait Center for Strategic Studies.
    The July flights included Kuwait pilots and were monitored by parliament. Officials said parliament had demanded that Rafale be demonstrated in Kuwait before any decision. Officials said the July tests included noontime flights of Rafale to
    determine its performance in the searing Gulf heat of 50 degree Centigrade.
    They said the Defense Ministry was satisfied with the Rafale’s performance but plans an additional round of trials later in 2010.
    “The assessment is that there will be another round of some 15 to 20 hours of flights,” the official said. “Then, the Defense Ministry will prepare its final recommendation.”
    […]

    http://menewsline.com/article-20532-.aspx

    http://www.kuniv.edu/ku/Centers/Cent…dies/index.htm

  167. Não meu caro Jaka,

    Os dois rafales navais de 2009 já estão inclusos no total de aeronaves perdidas…
    Como sempre desinformado.

  168. puxa eu podia jurar que foi dois rafales que cairam em 2009.Repetindo a pergunta do Rogério:Quem caiu mais?
    http://www.aereo.jor.br/2010/01/22/quem-caiu-mais/

  169. ROBERTO CIRQUEIRA :Ah esqueci uns vão dizer que já existe o bico do gripen ng,rssr,é ele apereceu o bico do ng,nossaaaaaaa,mas não é o bico unica e exclusivamente do caça ng,esse bico pode ser adpatado aos gripen cd´s que terão uma modernização do radar,ou seja nem bico exclusivo é,mais uma gambiara,quem tiver duvidando é só procurar em sities no exterior!CARA TU VIAJA DE MAIS,RESPEITA A OPINIAO DOS OUTROS,PORQUER Q TU NAO VAI JUNTO COM A TUA TUMA DA JAKA MORAR NA FRANÇA,VIRA LOGO FRANCES….TUDO PRA TE TEM Q SER FRANÇES….

    Depois de ver quem está na frente nas pesquisas eleitorais e mais o tiroteio hoje no INTERCONTINENTAL no Rio, acho que não é má idéia migrar pra França.
    JÁ VAI TARDE, JAKA…..

  170. Futuro vetor de combate omnirole da FAB… A Bela e a Fera, não existe ñada mais elegante que este desenho do Rafale.
    Em breve nos céus do Brasil.

  171. Então foi aqui que a Brigada dos Mártires de Al Rafah veio se esconder, destilando a pleno vapor seu nacionalismo tosco e antiamericanismo infantil. Infelizmente não conseguem justificar as graves deficiências do seu vetor preferido, inaceitáveis especialmente em relação ao preço do mesmo (US$ 157 milhões conforme proposta constante do FX-2). A título de comparação recentemente os EUA ofereceram novos F-15 à Israel por US$ 100 milhões a unidade. Isso levando 11.000 kg de carga, com um alcance de 5.000 km, com o novo radar APG-82 que possui os modos GMTI/GMTT e agora co um RCS menor que o do gaulês.

  172. Ninguém veio se esconder aqui…
    Simplesmente não podemos mais postar lá no seu Clubinho Banana NG Maravilha!!!

  173. Então tá. Mas agora tente explicar por que motivo o Rafale, mesmo custando US$ 57 milhões de dólares a mais, consegue ser inferior ao F-15SE?

  174. Hms- tireless o Rafale não custa mais que um F 15 SE.
    o custo do SE é estimado em 120-150 milhões o do Rafale 89 milhões o custo de horas de voo é quase o mesmo, 15 mil para o F 15 e 12,3 para o Rafale.
    O Rafale é de uma categoria inferior ao F 15 pois é um super mid o F 15 é High.
    sds
    E.M.Pinto

  175. Amigo E.M

    O F-15SE foi oferecido a 100 milhões de dólares a unidade para Israel:

    “Israel would like to buy the JSF fifthgeneration fighter jet manufactured by Lockheed Martin, but is concerned with expected delays and the soaring price of the plane, now estimated at close to $150 million. In comparison, the F-15SE will reportedly cost around $100m.”

    http://www.jpost.com/International/Article.aspx?id=181134

    Por seu turno, pelo FX-2 a proposta francesa envolve 36 aviões a 5.7 bilhões de dólares. Isso dá 157 milhões por aeronave e, convenhamos, o F-15SE é muito superior ao Rafale.

  176. Tiriless, Israel goza de um status de apoio militar do USA
    as Últimas versões do F 15 EF adquiridas pela usaf ficaram na casa de 125 milhões, não crio que o SE tendo mais tecnologias incorporadas seja mais barato.
    Quanto ao custo rafale exposto não condiz com a verdade.
    sugiro a leitura.
    https://pbrasil.wordpress.com/2010/02/07/guerra-nos-ceus-qual-o-real-custo-dos-cacas/

    Sds
    E.M.Pinto

  177. Amigo E.M

    Para piorar, parece muito evidente que o Rafale é incompativel com atuais sistemas e armas em uso atualmente pela FAB tais como o Pod Litening, o HMD DASH, sem falar nas novas bombas desenvolvidas pela Britanite ou seja, ficariamos dependentes dos sistemas franceses que, no caso do Damocles, é inferior ao Litening

  178. Gunsalmo:

    Creio que eu já li o bastante em relação ao F-14 na minha vida, alias eu tinha até poster dele no meu quarto nos belos tempos idos… o FATO é que a marinha não se pode dar ao luxo de ter uma aeronave embarcada realizada para missão específica como o senhor diz, abater bombardeiros é coisa mais direcionada para a supremacia aérea, que sejam bombardeiros em missão de ataque terrestre ou naval. Certamente o F-14 também realizava esta missão em caso de ataque de bombardeiros a objetivos navais Yankee, mas nào era pra isso que ele foi realizado.

    Mas resta o fato que o F-14 não foi concebido para uma missão especifica, mas para “Missões” variadas. A aeronave embarcada não pode sempre ser modificada de acordo com a missão especifica, ela está embarcada em um navio, não esta em uma base aérea onde peças e coisas varias podem chegar para modificar a aeronave de acordo com a missão quando se quiser.

    Por esta razão o F-14 foi concebido para realizar missões de vários tipos, supremacia aérea como já dissemos em forma de proteção naval e aérea em caso de áreas costeiras,como foi com os F-4 embarcados no Vietnam que muito fizeram a missão de supremacia aérea no continente em proteção às regiões conquistadas pelos marines.E o resto das missões para as quais o F-14 foi projetado são as sólitas, ataques a terra, escolta, etc.

    Pode-se definir o F-14 um Multi-Roll embarcado, e isso tudo fez dele a ponta de diamante da defesa aérea Yankee sim senhor, pois para combater os F-15 no continente,na supremacia aérea, primeiro deveria-se passar pelos F-14 embarcados em porta-aviões em defesa do mar territorial, da ZEE e da costa dos USA.
    ————————————————————————————-
    hms tireless:

    De onde o senhor tirou estes 157 milhões pelo Rafale??? O diário oficial do Brasil já deu o preço?? E o TCU já confirmou estes números?? Não especule meu caro senhor.

    Alias se Israel compra de prateleira F-15E por 100 milhões, sem saber obviamente se usaram armas Yankees ou farão o F-15 ficar compatível com as próprias armas, e ainda contando que a manutenção deste modelo é ainda mais cara do que a do Rafale(Que será incluída no preço final do FX2 :wink: ) e não esta incluída no preço da compra de prateleira, creio que mesmo assim, o Rafale com ToT, manutenção por 157 milhões seria um bom preço, e quem sabe um pacote de armas da MBDA pra fazer volume junto com as que nós integraremos aqui, creio que ficaria ainda de bom preço.

    Se o Rafale é incompatível far-se-o compatível. Basta ter capacidade técnica para isso, veja que os israelenses fizeram isso por muito tempo em seus equipamentos, não vejo por que nós não podemos fazer também, e se ficar difícil, eles(Elbit) seriam contratados para isso.O que foi produzido pelo homem pode ser modificado pelo homem… mas as coisas feitas pelos deuses fica mais difícil, e os únicos deuses estão no céu, na terra não tem não!

    Valeu e ninguém aqui esta se escondendo não, é que muitos de nós fomos censurados na Trilogia, ou serão se falarem as coisas como estão realmente, e a primeira desculpa era o bastante, la ta tudo dominado, perderam credibilidade para muitos aficcionados!!

    Vè se aprende a debater ao invés de bater, valeu!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: