Articles

Após retirada, EUA devem dobrar terceirizados no Iraque

In Conflitos, Defesa, Geopolítica on 20/08/2010 by konner7 Marcado: , ,

https://pbrasil.files.wordpress.com/2010/08/mercenarios2.jpg?w=300

O Departamento de Estado americano pretende aumentar o número de seguranças terceirizados no Iraque para seis mil ou sete mil, o dobro do atual, após a retirada de suas tropas do país asiático, informou nesta quinta-feira o jornal The New York Times.

Os Estados Unidos deram o primeiro passo nessa direção ao retirar a última brigada de combate do Iraque e deixar em 56 mil o número de soldados no país.

Deles, seis mil sairão do Iraque até o final do mês, e os outros 50 mil darão início à chamada operação “Novo Amanhecer”, na qual participarão de tarefas de estabilidade, assessoria, formação e apoio às Forças de Segurança iraquianas até deixar completamente o país no final de 2011.

O Departamento de Estado assumirá em outubro de 2011 a responsabilidade de treinar a Polícia iraquiana, um trabalho que será executado principalmente pelos seguranças.

Sem a presença de soldados que possam reduzir as tensões sectárias no norte do Iraque, serão os diplomatas americanos destinados a dois novos consulados e dois escritórios temporários dependentes da Embaixada os responsáveis por prevenir potenciais confrontos, diz o New York Times.

Os EUA abrirão um consulado na província de Basra, no sul do Iraque, e outro em Ebril, no Curdistão iraquiano, no norte, enquanto os dois escritórios temporários da Embaixada ficarão na cidade de Kirkuk, no norte do país, e em Mossul, capital da província de Ninawa, também no norte.

Ao mesmo tempo, o governo americano está impulsionando um grande esforço civil no qual dependerá, no entanto, de um pequeno Exército de seguranças contratados para preencher o vazio deixado pelos soldados.

O contingente de seguranças particulares terá como principal função garantir a segurança dos cinco complexos diplomáticos dos EUA no Iraque, com destaque para a prevenção de ataques.

A Casa Branca demonstrou confiar que a transferência das tropas para pessoal civil – cerca de 2,5 mil pessoas trabalhariam na embaixada de Bagdá e em outros postos diplomáticos – ocorrerá no tempo previsto, aponta o New York Times.

Segundo o jornal, mais de 1,2 mil tarefas efetuadas pelo Exército americano no Iraque serão transferidas para pessoal civil, aos iraquianos ou eliminadas de forma progressiva.

O Departamento de Estado prevê também adquirir do Pentágono 60 veículos especialmente protegidos para resistir ataques com minas e emboscadas, aumentar sua frota de carros blindados e criar uma pequena frota de três aviões.

Sua frota de helicópteros, que será pilotada por civis contratados, aumentará de 17 para 29 aeronaves.

A decisão de terceirizar mais seguranças poderia criar um conflito com o Iraque, que teve inúmeros problemas com algumas destas companhias por incidentes que provocaram mortes de civis.

Os agentes não gozarão de nenhuma imunidade especial e terão que se registrar no Iraque para que Bagdá tenha certo controle sobre o número e as empresas que operarão no país.

Além disso, funcionários regionais de segurança do Departamento de Estado terão que aprovar e acompanhar todas as caravanas civis, fazendo assim uma supervisão adicional.

Fonte: Terra


Anúncios

15 Respostas to “Após retirada, EUA devem dobrar terceirizados no Iraque”

  1. Puts, os americanos não aprendem com a história. Quando estes caras da Blackwater sairem do controle, eles irão se arrepender… [ ]s isso tudo em uma região explosiva como o Iraque… A máfia russa vai parecer coisa de criança perto destes caras. Escrevam o que estou dizendo…

  2. Vão privatizar os “soldados”, e em q regime e leis eles estarão sujeitos, vão matar inocentes como aqueles 17 aSSaSSinados; e até agr ninguém foi preso . Qdo começam a pagar indenizações de guerra as vítimas Irakianas e ao Estado Irakiano? Qdo a ONU vai prender os resposáveis pela invasão criminosa do Irak? Eu sei o nome de dois: bush e o tal tonyblair…pode prender os dois. Quando?

  3. Os mercenários estrangeiros ficarão lá pra continuar a matança..É triste ver uma situação como essas..

  4. Comete um erro grande o Iraq quando permite mercenarios operarem no pais. Podem chamar de tercerizados na visao do State Dept mas na realidade sao mercenarios.

  5. Lógica anglo-saxonica, mudar o nome das coisas par poder falar em livre hipocrisia…

  6. carlos :
    Comete um erro grande o Iraq quando permite mercenarios operarem no pais. Podem chamar de tercerizados na visao do State Dept mas na realidade sao mercenarios.

    O Irak é um país invadido, sem soberania, por isso q está sendo obrigado à aceitar esses cães, a Alcaída e os Iranianos tem de armar os insurgentes p q tenham meios de atacar os ianks q estão dentro do páis, p q eles queiram sair de lá; causar a > baixas entre os invasores, e mt.

  7. -ERRÁ UMA VEZ É NATURAL,DUAS VEZES É COISA DE BURRO.

    Esse filme já aconteceu do Bin Ladem;o resutado,bem vocês sabem.
    Quando o contrato acabar essa rapaziada irá trabalhar para qualquer um,afinal eles são bandidos patrocinando pelo governo americano.
    Como os governo americano sempre foi hipócrita;mecenário são os bandidos que trabalha para eles;terrorista,são bandidos que trabalham contra eles.
    Como eles tem o moral de condenar ou criticar este ou aquele país,como o Irã que apoia terrorista,se eles abertamente sustentam um.
    Coitado do governo do Iraque,pois esses “soldados da liberdade”,podem se torná mais um grupo de mafiosos na região.

  8. e locura minha ou esse cara da foto tem jeito de ter um dedo… digamos pessado.
    : )

  9. O Dia da Mentira deveria ser mudado de 1 de abril para 18 de agosto.

  10. Temos que considerar a cumplicidade dos dirigentes do IRAQUE, que na realidade pagarão esses mercenários. Vislumbro um futuro sombrio no Iraque. Essa nova realidade que se apresenta, só vai dar mais munição e legitimidade a resistência iraquiana que vai partir pra cima do governo e dos cães-de-guarda mercenários. Gostaria de saber quem vai julgá-los, a que leis estarão subordinados, e quem serão os seus chefes superiores?

  11. LOBO DO MAR :
    Temos que considerar a cumplicidade dos dirigentes do IRAQUE, que na realidade pagarão esses mercenários. Vislumbro um futuro sombrio no Iraque. Essa nova realidade que se apresenta, só vai dar mais munição e legitimidade a resistência iraquiana que vai partir pra cima do governo e dos cães-de-guarda mercenários. Gostaria de saber quem vai julgá-los, a que leis estarão subordinados, e quem serão os seus chefes superiores?

    Essa pgt eu as tenho feito,quais as leis q os mesmos estão sobre os mesmo?As dos ianks,dos Iraquianos( os vencidos ?)ou as leis de guerra internacionais ?Sds.

  12. O pior, os caras estão mal equipados como mostra a foto acima. As empresas seguradoras desta turma terá trabalho. Pois contra IEDs e Dragunov SVD aquele bonesinho ali não será suficiente. E tem brasileiro nesta turma ai… Depois volta chorando por pensão do Governo Federal que eu com os impostos exorbitantes que pago neste país terei que bancar. [ ]s

  13. Pergunta, estes caras da Blackwater podem trabalhar no Rio de Janeiro? Seria uma boa trazerem seu profissionalismo para esta zona de Guerra, não? Seriam classificados como Milícias? Mas tem que vir melhor equipado, assim não dá.

  14. Tipico da CIA… Mercenarios!!!

    Incrivel como a mentalidade yankee nao evolui!

  15. The New York Times

    “O novo rumo do governo americano converte a CIA, a agência de espionagem americana, em algo cada vez mais parecido com uma organização paramilitar, indicou nesta sexta-feira o jornal americano The New York Times.
    Da mesma maneira, o Departamento de Defesa se assemelha cada vez mais à CIA, porque o Pentágono tem efetuado muito mais missões de espionagem, por exemplo, no Oriente Médio, agregou o jornal.”

    “O que começou como guerra secreta sob o governo de George W. Bush, foi ampliado sob o presidente Obama”, indica, criticando a postura da administração Barack Obama em relação à condução de operações obscuras realizadas pela agência de espionagem americana.

    Praticamente, nenhum dos novos passos agressivos do governo dos Estados Unidos foi admitido publicamente.

    De forma concreta, a Casa Branca incrementou os ataques com aviões não tripulados no Paquistão, autorizou ataques contra membros da al-Qaida na Somália e deu luz verde para operações secretas a partir do Quênia. Junto com os aliados europeus, foram descobertos grupos guerrilheiros no norte da África, indicou o diário.

    O Pentágono reuniu além disso informações classificadas sobre refúgios de militantes extremistas no Paquistão, com a ajuda de empresas de mercenários. No Iêmen, foi colocada em operação uma campanha militar que jamais foi confirmada oficialmente, agregou o jornal.

    O periódico cita também funcionários do governo que assinalam as “vantagens de uma guerra secreta contra a al-Qaida e outros grupos militantes”.

    “As experiências no Afeganistão e no Iraque são decepcionantes para políticos e eleitores em relação a custos. No lugar de um ‘martelo’ agora apostamos em um ‘bisturi'”, disse o assessor de Obama para a “guerra ao terror”, John Brennan.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: