Articles

Índia adquire mísseis Harpoon Block II

In Defesa, Mísseis, Negócios e serviços on 04/09/2010 by konner7 Marcado: , ,

https://i0.wp.com/www.arab-eng.org/vb/uploaded1/44829/1215288529.jpg

A Índia firmou  acordo com o governo dos Estados Unidos para a compra de 24 mísseis AGM-84 Harpoon Block II com a finalidade de  integrá-los aos aviões de combate Jaguar do esquadrão marítimo da Força Aérea do país. O objetivo é aumentar a sua capacidade de guerra aeronaval.

https://i1.wp.com/upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/71/Jaguar_DF-SD-05-05511.JPEG

O negócio foi realizado por meio do FMS (Foreign Military Sales) no final de agosto, com a Boeing no papel de principal contratada. O valor anunciado do contrato é de US$ 170 milhões e estava sendo negociado desde 2008 com o governo dos Estados Unidos, ocasião que foi emitida uma notificação ao Congresso estadunidense sobre o interesse indiano no Harpoon.

O Harpoon Block II é a última versão do conhecido míssil subsônico e tem capacidade de ataque contra navios e alvos baseados em terra. É um míssil para ser usado em qualquer condição meteorológica, contra objetivos posicionados além da linha do horizonte. Ele foi desenvolvido para ser lançado de plataformas marítimas de superfície, submarinos e aeronaves.

Indagado durante uma entrevista, o chefe da Divisão de Defesa, Espaço e Segurança da Boeing da Índia, Vivek Lall, disse que nenhum acordo foi firmado até o momento para a integração dos mísseis Harpoon nos aviões de patrulha e luta anti-submarina Boeing P-8I encomendados para a Marinha da Índia. Esses P-8I estão programados para serem incorporados em 2013 e o pacote final de armas para as aeronaves ainda não está definido.

Fonte: Tecnologia&Defesa

Anúncios

15 Respostas to “Índia adquire mísseis Harpoon Block II”

  1. Interessante….eu achava que o Jaguar já tivesse sido retirado de serviço na Índia…

    porque não adquiriram o Kh-35E “Uran” ?

  2. Ou mesmo o Exocet???
    sds
    E.M.Pinto

  3. Parece que não temem o embarco americano nem que o Paquistão fique de “beiço torcido” com os EUA.
    Estranho pois a Índia é um bom cliente da Rússia.

  4. embarco = embargo

  5. Acho que os Russos andaram pisando na bola, ou ainda sentiram que numa eventual confrontação Paquistão India (leia Paquistão-China) a Rússia não os apoiaria.
    O que se passa é que a Índia está buscando um novo parceiro, as razões ainda não sei mas não apostaria na questão do equipamento, pois mais do que nunca os Russos estão lhes dando o que pedem…
    sds
    E.M.Pinto

  6. O BRASIL está ou estava produzindo, em teste, um missil melhor ou = ao Harpoon ? Que fim levou essas pesquisas?Quem sabe?

  7. O Harpoon e muito superior ao exocet por isso os indianos optaram por ele.

  8. Concordo que há vantagens mas não é muuuuuuuuuuuuuuito superior, sugiro fazer uma pesquisa rápida na internt e se surpreenderá com a taxa de acerto do Harpoon.
    Aliás diga-se de passagem o fator de acerto do exocet também surpreende.
    sds
    E.M.Pinto

  9. Será que o Uran já está integrado ao leque de armamentos do Jaguar???????

  10. O raio de ação do Harpoon é bem maior do que o Exocet.

  11. E.M.Pinto,
    O que degradou a taxa de acerto do Harpoon é que o mesmo foi usado de forma incorreta na maioria das vezes em que houve erro, contra barcos patrulha e equivalentes.
    Mísseis desse porte, principalmente as versões iniciais, eram indicados para navios de maiores dimensões, de corveta pra cima. Navios rápidos (acima de 30 nós) e de pequena tonelagem (menos de 500 t), são melhor atingidos por mísseis específicos. Hoje isso é nítido e todas as forças buscam equilibrar seus meios. Antes era menos óbvio e havia menos opções, aí, usavam o que tinha disponível.
    A quantidade de Harpoons foi muito reduzida no âmbito das forças armadas americanas devido à ênfase na guerra assimétrica. Muitas escoltas americanas levam como armas antinavios apenas seus mísseis sup-ar (Standard e ESSM) e canhões e os helicópteros os Hellfire. Os caças F-18 preferem os Maverick F aos Harpoons, e os submarinos hoje usam apenas os torpedos Mk48.
    Um abraço.

  12. Navio não é tão fácil de atingir por mísseis com orientação por radar, como podemos imaginar à princípio, principalmente se for pequeno.
    Ele é rápido demais para ser fixo e lento demais para ser móvel.
    Sem falar que o mar ao redor também pode causar um ruído de fundo, apesar dos avanços relativos a isso.
    Geralmente navios são os alvos mais rápidos que existem na superfície já que veículos de terra em geral nunca estão a mais de 40 km/h. Navios podem chegar fácil a 60 km/h, com outra vantagem por serem maiores e de terem ao redor um relevo mais homogênio.
    A diferença é que contra veículos em terra não se usa um radar centimétrico e sim lasers, IIR, Tv, radar milimétrico, etc.
    Já contra navios, muitos mísseis, como o Harpoon, o Exocet, etc, usam um radar centimétrico que basicamente trabalha no modo GMTI (indicador de alvos móveis).
    Contra um avião, ele se move a centenas de quilômetros por hora, e contra helicópteros, ele detecta a rotação do rotor principal, dando maior consistência na detecção.
    Navios estão a baixa velocidade se comparado a estes.
    Quanto maior o alvo maior será seu RCS e melhor será para o míssil. Um navio grande (com grande RCS) é menos problemático de ser atingido, podendo sê-lo até mesmo estando estático. Já um pequeno navio é mais difícil e sua velocidade, embora possa ser alta se comparada a veículos de terra, é pequena em relação a alvos aéreos, dificultando a detecção.
    É mais ou menos isso. Existe uma relação de RCC x velocidade. Grande RCS pode estar lento (ou estático) que é atingido, pequeno RCS deve estar mais rápido para ser atingido. O problema é que um barco veloz, estando rápido e manobrando, um míssil como o Harpoon teria dificuldades de implementar manobras mais eficazes. Por isso mísseis antinavios costuma ter espoleta de proximidade.
    Contra pequenas embarcações o melhor é usar as mesmas técnicas que se usa para os veículos em terra, ou seja, laser, IIR, TV, radar milimétrico, ladar, etc.
    Um abraço.

  13. Exagerei! Quis dizer “50 km/h” e não “60 km/h”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: