Articles

Mísseis ar-ar AIM-120C7 AMRAAM para o Chile

In Defesa, Mísseis, Sistemas de Armas on 09/09/2010 by konner7 Marcado: , ,

https://i0.wp.com/cimg2.163.com/cnews/2007/3/6/2007030615395172131.jpg

A Força Aérea do Chile (FACh) receberá um lote de treze mísseis ar-ar Raytheon AIM-120C7 AMRAAM All-Up-Round para equipar seus aviões de combate Lockheed Martin F-16C/D.

O fornecimento será realizado via FMS (Foreign Military Sales), operação na qual a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) atuará como intermediária entre a fabricante Raytheon e o destinatário dos mísseis.

A variante C7 do AMRAAM entrou em operação no ano de 2006 e é a mais avançada existente, tendo capacidade de alcançar alvos posicionados além do alcance visual, entre 120 e 140 km de distância.

Fonte:Tcenologia&Defesa

Anúncios

37 Respostas to “Mísseis ar-ar AIM-120C7 AMRAAM para o Chile”

  1. Quem sabe um dia nosso piranha será uma rã (amraam) heheh, não poderia deixar de passar esta!

  2. Olha só agora fiquei de queixo caído.O chile comprou 18 unidades do F-16 MLU e só vai receber 13 AIM-120C7 isso dá menos de um míssel por caça.Pra ser sincero acredito que seja um tímido avanço em relação aos ianks mas resta saber porque os F-16 chilenos não podem operar os mísseis anti-radiação AGM-88 HARM, bem como dos mais antigos AGM-45 Shrike.É por isso que não confio nos ianks.

  3. Caramba, o Chile ñ está p brincadeira,eles, e os Venezuelanos…e no BRASIL e o jogo de empurra empurra o FX 2 zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz.

  4. Se os EUA são assim tão “legais” verdadeiros amigos do Brasil então eu faço uma sugestão vendam ou façam a proposta de venda dos mísseis AIM-120C7 e AIM-120D mesmo o Brasil escolhendo o Rafale, vamos não querem um voto de confiança, não querem se aproximar do Brasil façam a proposta ao governo do Brasil e eu engulo cada palavra que disse sobre eles.

  5. Sem dúvida nenhuma a FA do Chile é a mais poderosa da américa latina.
    Que inveja!!!

  6. Paulo 10/09/2010 às 03:48 | #5 Citar Sem dúvida nenhuma a FA do Chile é a mais poderosa da américa latina.
    Que inveja!!!
    Cara esses paises da america latina não aguenta três meses de porrada com o nosso maravilhoso “Brasilllll”….Salve BRASIL……

  7. Eles receberam um lote de alguns lotes ou o unico lote?

  8. Parece que adquiriram 100 mísseis C7. Esse seria só o primeiro lote.

    Uma coisa interessante é que até onde eu sei os F-16 do Chile não têm capacidade de operar um C7 em sua plenitude, já que o alcance cinético do míssil equivale ao alcance máximo do radar, ou até o supera dependendo do RCS do alvo.
    Das duas, uma. Ou eles irão operar o C7 contra alvos de grande RCS como cargueiros e aviões radar, ou irão operá-los em conjunto com um avião radar.
    O Amraam C7 para um F-16C, mesmo Block 52, é como ter um fuzil de precisão sem a mira telescópica.

  9. Bem lembrado Bosco, uma outra questão. Um mísseis apresenta prazo de validade correto? Como ter um imobilizado tão alto em sua Força Aérea? 100x BVR misseis não seria demais para um país que não está em conflito?
    [ ]s

  10. carl94fn :Se os EUA são assim tão “legais” verdadeiros amigos do Brasil então eu faço uma sugestão vendam ou façam a proposta de venda dos mísseis AIM-120C7 e AIM-120D mesmo o Brasil escolhendo o Rafale, vamos não querem um voto de confiança, não querem se aproximar do Brasil façam a proposta ao governo do Brasil e eu engulo cada palavra que disse sobre eles.

    O problema é que o Rafale aceita APENAS armas e sistemas franceses. Basta ver que caso seja consumada a escolha do vetor francês pelo GF o mesmo não poderá usar as bombas lizzard e o designador LITENING sendo a FAB obrigada a adquirir as AASM e o DAMOCLES caso não queira ver os caríssimos caças com performance ar-solo inferior aos F-5EM e aos A-1M. Se perigar a integração ao A-DARTER não vai rolar…

  11. De toda sorte, parece que não é tão ruim adquirir armas “duzamericanú feio e bobo”

  12. Hms Tireless, esta informação não procede, pois todos os 3 concorrentes apresentaram em suas proposta os custos de integração de armametos exigidos pela FAB.
    Manutenção, treinamento e integração de armas 40,4 55,0 40,0 milhões de dólares
    Segundo as informações que temos ficaram assim respectivamente para Rafale, F 18 e Gripen.
    Pessoalmente acho que não será assim tão barato mas os pacotes apresnetados prevêem a integraçãod as armas exigidas pela FAB para todos os concorrentes.
    sds
    E.M.Pinto

  13. Bosco então estariamos melhor armados do que eles se o SH vencesse o FX porque se não me engano o radar do SH tem alcanse maior.

  14. “Se perigar a integração ao A-DARTER não vai rolar…”

    Enquanto isso, a África do Sul está usando seus Gripen C/D para o desenvolvimento do A-Darter, nosso futuro míssil de 5ª geração de curto alcance… Além disso, a Suécia já está integrando o Meteor nos seus Gripen C/D…

    Apenas curiosidades…

    PS – Gripen E/F: US$ 4,5 bilhões, 8 anos de carência e 15 anos para pagar. Proposta: sermos co-proprietários do projeto, tendo peças fabricadas exclusivamente no Brasil para qualquer Gripen E/F construido. Falem a verdade: por esse preço, é pechincha…

  15. Amigo E.M!
    E se afirmarem que é possível integrar as armas e sistemas exigidos pela FAB no Rafale mas que tal empreitada seria economicamente inviável? como ficaria? o cerne da questão é que tanto o Gripen quanto o Super Hornet podem ter a integração de outros sistemas com muito mais facilidade e a preços mais baixos que o Rafale.

  16. Edu Nicácio :“Se perigar a integração ao A-DARTER não vai rolar…”
    Enquanto isso, a África do Sul está usando seus Gripen C/D para o desenvolvimento do A-Darter, nosso futuro míssil de 5ª geração de curto alcance… Além disso, a Suécia já está integrando o Meteor nos seus Gripen C/D…
    Apenas curiosidades…
    PS – Gripen E/F: US$ 4,5 bilhões, 8 anos de carência e 15 anos para pagar. Proposta: sermos co-proprietários do projeto, tendo peças fabricadas exclusivamente no Brasil para qualquer Gripen E/F construido. Falem a verdade: por esse preço, é pechincha…

    POde esquecer meu amigo. A histeria de que o Gripen é uma colcha de retalhos sujeita a toda sorte de embargos “duzamericanú feio e bobo” já entranhou de tal forma da cabeça dos alucinados ideólogos e defensores do “novo brasil grande” que a mera possibilidade do francesinho não ganhar já deixa essa turma doida.

  17. Edu Inácio, a proposta publicada pela Folha de São Paulo é de 6 bilhões de dolares para 36x gripen NG, 7,5 bilhões de dolares para 36x super hornets e 10 bi pelos 36x Rafales. O Gripen NG não são assim tão “baratinho” quanto os Suecos dizem e alguns acreditam. O Gripen C/D é a plataforma oficial de testes do Meteor, mas este será integrado aos Typhoons, e Rafales em breve.
    Poderiam ter utilizado os Phantom da Alemanha mas optaram pelos Gripen C/D. Os motivos reais eu não sei, mas como dizem que o Gripen é uma plataforma aberta e leve, deve ser mais fácil o desenvolvimento do missil neste vetor.
    [ ]s

  18. Tireless, quem garante isso, eu? você? a Elaine Cantanhede?
    Creio que isso tenha passado no crivo da COPAC pois ela quem fez os requisitos indicando os modelos de armas, não acho que integrar o Derby, A-darter, o MAR-1 e as bombas Britanite será algo que os acéfalos francóides ou os demais participantes não poderiam fazer.
    quanto aos custos, eu vejo assim, quem assina que cobre, cláusulas estão nos contratos, é certo que um ou outro sistema dará mais trabalho e problemas e isto não se restringe a ser europeu ou francês.
    Ouvia esta conversa de que a incopatibilidade de sistemas, já viu os equipamentos indianos de origem russa que embarcam todo tipo de parafernalha ocidental? será que seriam tão diferentes assim que inviabilizariam?
    Na minha modesta opinião os 3 são capazes de o fazer e sem problemas, custos variam e vão variar mediante cada um, os americanos estariam em vantagem por serem mais preparados para isto, mas não vejo nada de absurdo para os demais nem mesmo para a Embraer se quisesse o fazer.
    Um dado pelo que sei todo o cockpit do FX 2 seja quem for o vencedor (se houver) será produzido pela ELBIT, ou seja isto de mandará modificações na aeronave.
    sds
    E.M.Pinto

  19. Amigo E.M!

    Mas foi justamente os integrantes do COPAC, encarregados de analisar os 03 caças, que colocaram o Rafale em último lugar e em que pese as tentativas de desqualificar o trabalho do COPAC eles foram muito minuciosos, tanto que o relatório produzidos por eles possuía 25.000 paáginas.

  20. Bosco, como fica o RCS dos Frogfoot´s peruanos totalmente armados???????

  21. hms_tireless

    Amigo isso de não poder colocar armas de outras nacionalidades no Rafale é balela pura de uns blogs por aí, veja bem o míssil Meteor vai se usado no EF-2000, Gripen e no Rafale então como essa aeronave não aceita armas de outras nacionalidades (só francesas), além do mais pra que código fonte se não vai servi para instala nem mesmo bombas guiadas “lizzard”, os franceses já estalaram mísseis até nos MIG-21 iraquianos, e não vamos poder instala A-DARTER nos aviões deles você realmente acredita nisso?? Se é mais caro ou mais barato de instala do que nos outros eu não sei, e quem vai saber com certeza, mas que pode, claro que pode.

    Mas minha critica era sobre o tal desejo de aproximação dos EUA com o Brasil, o tal voto de confiança, eu acreditaria nessa proposta se eles nos oferecessem seus mísseis AIM-120D ou mesmo os seus AIM-120C7 independente da escolha do FX como um sinal de amizade entre as nações.

    sds

  22. Quanto a esse relatório vazado de 25.000 páginas eu nem ninguém deste ou de qualquer blog viu, mas assim mesmo é tomado como a mais absoluta verdade e se foi um farsa? Por que não existe nenhuma página divulgada na net ou em jornal impresso… talvez porque seja uma mentira deslavada feita pra vender jornais ou mesmo para favorecer um empresa quem sabe até um certo candidato a presidência… Se todos podem especular eu também vou especular um pouquinho.

  23. Michel,
    Eu creio que sim. Se adotarmos qualquer um dos concorrentes ao F-X2, seja um Gripen NG com AIM-120 C7 ou Meteor, um F-18E/F com Amraam C7 ou um Rafale com Meteor (??), estaremos melhor que os F-16C do Chile com Amraam C7, pelo simples fato de qualquer um destes ser dotado de um radar AESA de alto desempenho, que em geral é no mínimo 2 x melhor em alcance que o radar de varredura mecânica do F-16C Block 52 chileno.
    Só não vale um Rafale com AESA e armado com o Mica, que é o mesmo que ter um revólver calibre .22 dotado de mira telescópica de rifle de precisão.

  24. hms_tireless :Amigo E.M!
    Mas foi justamente os integrantes do COPAC, encarregados de analisar os 03 caças, que colocaram o Rafale em último lugar e em que pese as tentativas de desqualificar o trabalho do COPAC eles foram muito minuciosos, tanto que o relatório produzidos por eles possuía 25.000 paáginas.

    Desculpe, hms_tireless, onde foi publicado este relatório colocando o Rafale em último lugar, pode nos fornecer uma cópia ou indicar onde podemos encontrá-lo?
    Obrigado [ ]s

  25. Dados retirados da Internet relativos ao alcance do radar APG-68 do F-16C Block 50/52 como os do Chile.

    APG-68 V9(F-16 C/D/I):

    For RCS 0.0001 m2 class target: 4~5 km+
    For RCS 0.001 m2 class target: 8~9 km+
    For RCS 0.1 m2 class target: 25~30 km+
    For RCS 1.0 m2 class target: 46~54 km+
    For RCS 5.0 m2 class target: 66~80 km+
    For RCS 10.0 m2 class target: 78~95 km+

  26. Idem para o Rafale com AESA

    RBE-2 AESA(Rafale F4, post-2012):

    For RCS 0.0001 m2 class target: 11~13 km+
    For RCS 0.001 m2 class target: 20~23 km+
    For RCS 0.1 m2 class target: 62~73 km+
    For RCS 1.0 m2 class target: 110~130 km+
    For RCS 5.0 m2 class target: 165~195 km+
    For RCS 10.0 m2 class target: 195~230 km+

  27. HMS tiriless, prove-me que há algo disso afirmado no comando da fab.
    se não serei obrigado a descordar de você ede todos que defendem isso, e sabes porque?
    porque o próprio comamandante da FAb negou isso,.
    ok vc acredita na copac, ok eu accredito no camandante da FAB…

  28. Um comentário meu não saiu.
    Ele era antes desse das 00:31

    Repito:
    Alcance do AESA do Super Hornet de acordo com algumas fontes da Internet.

    APG-79 AESA(F/A-18E/F and EA-18G, Block 2 and 3):
    For RCS 0.0001 m2 class target: 13 km+
    For RCS 0.001 m2 class target: 22 km+
    For RCS 0.1 m2 class target: 72 km+
    For RCS 1.0 m2 class target: 128 km+
    For RCS 5.0 m2 class target: 192 km+
    For RCS 10.0 m2 class target: 228 km+

    Em seguida, o alcance do radar do F-16C do Chile:

    APG-68 V9(F-16 C/D/I)and RDY-2(M2000-5MK2 and -9):
    For RCS 0.0001 m2 class target: 4~5 km+
    For RCS 0.001 m2 class target: 8~9 km+
    For RCS 0.1 m2 class target: 25~30 km+
    For RCS 1.0 m2 class target: 46~54 km+
    For RCS 5.0 m2 class target: 66~80 km+
    For RCS 10.0 m2 class target: 78~95 km+

  29. Fábio,
    O RCS de um Frogfoot completamente armado deve ser respeitável.rsrssr
    Algo em torno de 20 a 30 m2 seria razoável. O negócio é usar táticas de baixa altitude e ter muitos flares e chaffs. Além de operar onde há superioridade aérea.
    Se o inimigo tiver um sistema de defesa aérea minimamente competente, a utilização desse tipo de aeronave fica muito comprometida.
    Em guerra assimétrica é ótimo, mas não é de se estranhar que o A-10 será substituído pelo F-35 em cenários de alta intensidade.
    Um abraço.

  30. O Problema Tireless é que toda a origem deste suposto relátorio está no ar, toda a informação advinda dele, é sigilosa das fontes que a senhora Cantanhede se quer se deu trabalho de defender e que nem é respaldado pelo próprio comandante da Força Aérea.
    Algo que me gera muita dúvida e que está no ar, muito semelhante a provável vitória dos do Typhoon e Rafale no MMRCA.
    Esta suposta classificação tem uma origem, a matéria da FSP que ficou assim, no ar, tanto que a própria autora nada escreve sobre ela e sua defesa a pelo menos 4 mêses, seria vital que estas “fontes” de alta patente continuassem a fornecer detalhes, mas pelo visto pararam alí no suposto relatório.
    Tenho minhas dúvidas quanto ao conteúdo deste relatório. e até mesmo do seu interesse, que pode ter sido simplesmente enviado para pressionar os participantes e assim garimpar novas vantagens.
    Mas como disse antes, neste ano foi aprovada uma lei que institui o direito ao cidadão de averiguar todo trabalho da Câmara e senado nos permite ter acesso ao conteúdo deste relatório e seu histórico, não teremos detalhes técnicos e sigilosos do processo, mas poderemos sim averiguar a veracidade deste processo, e espero que as notícias até agora veiculadas estejam corretas do contrário, muita gente vai jogar a sua credibilidade no lixo.
    sds
    E.M.Pinto

  31. E.M.Pinto :
    HMS tiriless, prove-me que há algo disso afirmado no comando da fab.
    se não serei obrigado a descordar de você ede todos que defendem isso, e sabes porque?
    porque o próprio comamandante da FAb negou isso,.
    ok vc acredita na copac, ok eu accredito no camandante da FAB…

    Amigo E.M!
    Aqui vai um trecho interessante de uma matéria do Aéreo:

    “A intenção de Jobim, conforme disse à Folha em janeiro, era reavaliar pessoalmente os critérios no relatório técnico da FAB e, após redistribuir o sistema de pesos para cada um, o que poderia mudar o resultado final, levar o relatório próprio ao presidente. A ideia não evoluiu porque o formato do relatório da FAB era muito rígido, e o Rafale não foi o melhor em nenhum dos critérios. Assim, Jobim estudou o relatório, elaborado em mais de dez meses pela Copac (Comissão Coordenadora do Programa Aeronaves de Combate), e fez, anteontem, uma exposição a Lula para justificar a escolha do Rafale, decidida há meses.”

    Como se vê, o próprio Jobim alterou o relatório com o fim de justificar a escolha política em detrimento das demais. Outro trecho interessante:

    “A base da justificativa vai ser que o F-18 é americano e o Gripen NG tem componentes dos EUA, como o motor, e ambos deixariam o Brasil vulnerável -os EUA já impediram a Embraer de vender os aviões Super Tucano à Venezuela por terem peças americanas.”

    Como também se vê, o que norteia a decisão é o puro antiamericanismo tosco, aquela implicância com o que vem “duzamericanú feio e bobo que num deixaram a gente vendê avião pro cumpanhêro Chávez”

    http://www.aereo.jor.br/tag/f-x2/page/11/

  32. hms tireless:

    Tu ainda não largou o Aéreo de mão???
    Eu desisti faz tempo…
    Um blogueiro que vai paa Suécia custeado pela SAAB deve ser extremamente imparcial…

  33. Tales :
    hms tireless:
    Tu ainda não largou o Aéreo de mão???
    Eu desisti faz tempo…
    Um blogueiro que vai paa Suécia custeado pela SAAB deve ser extremamente imparcial…

    Desculpe Tales mas não dápara desqualificar o Aéreo apenas pelo fato de os editores do blog serem ferrenhos opositores à compra do Rafale afinal, o debate é necessário você não concorda?

  34. Perfeito Tireless, então vamos por partes.
    Se de fato esta alteração foi feita de forma a beneficiar o Rafale, temos aqui algumas incongruências, pois pontuar a TT para dar vantagens ao Rafale significa que a proposta da Dassault é melhor estou certo? ou de outra forma seria dar um tiro no pé pois se a Boeing tinha a melhor proposta o F 18 ia disparado para cima.
    Em suma melhor proposta então estava sendo subvalorizada pelos critérios anteriores.
    de outra forma se o governo queria o Rafale desde o início (o que eu discordo) porque elegeu 4 ministros da defesa que defensores ferrenhos do SU 30 e SU 35, que acabaram caindo ejetados todos eles em pendengas com a FAB ou afins?
    Na minha opinião tem boi na linha ai, e creio que as coisas ainda não estão claras espero que clarifiquem.
    Minha visão é que a FAB está errada na sua escolha os requisitos de um caça para defesa do país deveriam levar em consideração a potencialidade dos adversários e não é isto que está sendo levado em consideração, o governo quer um amigo pra vender tecnologia a FAB quer qualquer coisa que voe e dispare o derby e a indústria quer uma oportunidade pra ganhar de graça (pago pelo governo ) a tecnologia que ela deveria ter investido e desenvolvido.
    Caça é para defender os céus do Brasil, não é pra dar incentivo pra fiesp e CUT, fazer afago pro Sarkozy ou seja lá quem for. Nem pra embraer aprender a desenvolver avião de 4ª geração coisa que todos faziam na década de 80, pior ainda se for pra aplicar na aviação comercial pois ai sim estamos entrando numa furada, pois pra desenvolver avião supersônico não precisávamos gastar tanto, o Mirage 2000 já é supersônico o Mirage 3 já era eo F5, não precisávamos do FX.
    Posso estar equivocado mas o FX de nada servirá em termos tecnológicos nem mesmo estratégicos e isto tem seu dedo de culpa no governo mas também na própria FAB, pois tudo está na origem de qual, pra que e porque querem um caça.
    sds
    E.M.Pinto

  35. Quanto fogo por aqui!

    Eu gosto muito do AMRAAM, acho um armamento fantástico mas por sorte não é um armamento único no mundo, o Bosco está aí para não me deixar mentir se for o caso, temos o Meteor, o R-77 e até opções japonesas ou sul-africanas.

    Uma coisa que aprendi é que essa questão de sistemas de armas é uma grande tentativa de fidelizar o cliente, exemplo é que aviões americanos voam com armamento diferente do americano só em Israel, e ainda que eles tenham o Derby salvo não me engano eles utilizam também o AMRAAM, mas os Israelenses estão em outro patamar não são compradores comuns como o resto do mundo.

    Ao que ouvi aqui em Brasília é que todas as empresas se comprometeram a integrar sistemas novos em seus vetores e isso é ponto primário da escolha inclusive tendo vistas aos projetos em andamento (A-DARTER e MAN-1) além de englobar os já existentes como MAA-1B (eu fiquei pasmo) e o MAR-1. E o que sei também é que a Boeing para evitar o gasto ofereceu descontos sobre armamentos, mas isso foi “rádio corredor”.

    Negócios como o F-X2 não são fechados todo o dia e dado o valor e questões políticas envolvidas esse tipo de barreira certamente pode ser transposta com o palavra certa (Dólar ou Euro) na dose correta.

    Independemente do vencedor do F-X2 (se algum dia ele chegar) eu só espero profundamente que tenhamos um bom contrato fechado de forma correta e bem amarrada e as condições necessárias para a boa utilização da máquina e seus equipamentos.
    Mesmo que seja para usar algum míssil chinês se preciso for!

  36. 12/09/2010 às 19:29
    hms tireless:

    “Desculpe Tales mas não dápara desqualificar o Aéreo apenas pelo fato de os editores do blog serem ferrenhos opositores à compra do Rafale afinal, o debate é necessário você não concorda?”

    Concordo que deva haver “debate”, mas usando os teus termos “ferrenha oposição” não me parece racional, quando os três finalistas da short list atenderam os requisitos operacionais e logísticos exigidos pela FAB.
    Isso, somada à questão da isenção e imparcialidade que êxpus, fizeram com que eu deixasse de comentar por lá (e olha que eu fui assinante do blog por um período, no período pago). Aliás, muitos deixaram (como o Hornet, que anda por essas bandas), outros diminuiram o número de comentários (como o Bosco e o Wolfpack) e o nível dos comentários baixou muito…
    Melhor para o Plano Brasil, que têm se firmado como uma alternativa à altura ou mesmo superior…

  37. Obrigado Bosco.

    O que eu quiz dizer é que talvez sejam os Pés de Sapo os alvos dos chilenos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: