Articles

Jobim não quer Otan agindo no Atlântico Sul

In Defesa, Geopolítica on 14/09/2010 by E.M.Pinto Marcado: ,

https://i2.wp.com/www.defesanet.com.br/yy/uk/md_9dez09.jpg

Roberto Godoy

O ministro da Defesa, Nelson jobim, disse ontem, em Lisboa, em palestra no Instituto Nacional de Defesa, que vê “com reservas, quaisquer iniciativas que procurem, de alguma forma, associar o Norte do Atlântico ao Atlântico Sul – sendo o sul, área geoestratégica de interesse vital para o Brasil”.

Segundo ele, “as questões de segurança das duas metades desse oceano são distintas”. Para jobim, depois da Guerra Fria, a Otan “passou a servir de instrumento de seu membro exponencial, os EUA, e dos aliados europeus”.

Por meio do novo conceito da aliança, divulgado em 1999, a força pode intervir em qualquer parte do mundo a pretexto de ações antiterror ou humanitárias, e de contenção às ameaças à democracia ou nas agressões ambientais.

Fonte: O Estado de São Paulo via Notimp

Anúncios

42 Respostas to “Jobim não quer Otan agindo no Atlântico Sul”

  1. É peitudo este Jobim… resta saber o que vai fazer no caso de uma incursão da OTAN nesta parte do Atlântico… vai correr e pegar o estilingue… Sub’s e novos navios de guerra já

  2. ito :
    É peitudo este Jobim… resta saber o que vai fazer no caso de uma incursão da OTAN nesta parte do Atlântico… vai correr e pegar o estilingue… Sub’s e novos navios de guerra já

    É agr, esse sr.filho da elites reacionário desta grande latifundio, chamado BRASIL, vê q ñ podemos aceitar a presença da OTAN em n mares, a polica do planeta, cito ianks/ingleses.Mais, como reafirmar n autoridade nessas águas? Com quais navios e subs podemos contar p defender n interesses primeiro e depois “ajudar” no pliciamento destas águas? ^n temos nem p nos protegermos qto + p ajuda-los..Quem são os culpádos por essa situação de sucateamento das n FAS ? é dizer q já tivemos a 8 > indústria b´lica do mundo, a q ponto chegamos. Vcs são os culpados. Sds.

  3. Se ele não quer, tem que correr rápido atrás dos meios para NEGAR.

  4. Parabens ao senhor Ministro Jobim

    a otan nao passa de uma ferramenta do EUA pra dita o que quer
    coisa que China,e Russia mostrarao a seculos que nao so afim desa ORGANIZACAO que se usa do interese Americano pra fazer que eles querem

    Otan “passou a servir de instrumento de seu membro exponencial, os EUA, e dos aliados europeus”.

  5. Só a IV Frota americana já detona toda a Marinha Oceânica Brasileira. É.. temos de apertar as mãos dos chineses mesmo…

  6. Jonnas :
    Só a IV Frota americana já detona toda a Marinha Oceânica Brasileira. É.. temos de apertar as mãos dos chineses mesmo…

    Temos de ampliar n frota de Subs SSKs convencional de 4 para no m´pinimo uns 27 subs e mt bem armados, nada de meia boca, poderá custar a vidas dos n Bravos.Aí então, com o número ampliados de Subs convencinal .poderemos dizer-lhes :Aqui não, srs. aqui nós temos meios e maneiras de defender mesmo, efetivamente, o q ñ é o caso atual.Quem são os culpados desta situação atual das n FAs?Sds.

  7. Não estamos em guerra, mas temos que mostrar que não são bem vindos!!
    Tá certo o Jobim… temos que fazer pelo menos alarme… digo falar,
    se ficar quieto é pior…
    Queria falar mal, mas não consigo, o governo esta pelo menos tentando
    fazer alguma coisa, coisa que os outros não fizeram nada…
    Pelo menos estamos comprando algumas helis, encomendando algumas fragatas, sub,
    só ta faltando avião…rs
    E um sistema de defesa aerea moderno…

  8. Apertar a mão dos chineses e deixar o caminho aberto para que eles façam com o brasil o que tantos lunáticos vituperaram ao longo dos anos que os EUA iriam fazer conosco. QUem conhece os chineses sabe bem do que eles são capazes para fazer valer seus interesses e não irá demorar muito tempo para eles desencadearem uma política expansionista baseada na invasão e conquista de territórios, voltada para a obtenção de terras agriculturáveis e escoamento do excedente populacional.

  9. Se os alemães vão desativar vários submarinos com tempo de vida 2020 e os navios Mistral por que não investir nisto para reforço da nossa armada e do geito que vai, termina sendo nós sendo invadido, como fica esta indecisão do governo sobre a nossa soberania nacional.

  10. carlos argus, considero que sejam mesmo os governos pós-democratização até o de hoje, somente agora! estão abrindo os olhos, quando que poderíamos já possuir um artefato nuclear, iniciado pelo governo militar. E com ele, nem que não só a OTAN mas todo o universo estivesse com interesses escusos, pensariam 2,3,4 vezes antes de atracarem no pré-sal como a IV frota já fez uma época.

  11. ow o jobim ta ficandolouco ow teremos forças armadas decentes em breve…

  12. Genivaldo so submarinos desativados são os U 206 velhacos, nos emos os U 209 .
    não nos serviriam por n razões uma delas incompatibilidades, mas vale a pena construir nem que seja o hélice do navio que comprar escedente extrangeiro.
    o que temos é que acelerar o que está em andamentio, nãopodemos voltar pra traz a Mainha não merece o títulod e rainha da sucata…
    chega de sucata.
    Sds
    E.M.Pinto

  13. Se tiver que defender o nosso país eu pego no estilingue sim…chega dos desmandos dos eua…chamem o bim ladem…

  14. ahahahah manda o lobim armado de estilingue….peitar a otan

  15. Bom, eu quando li o titulo, imaginava uma especie de ‘entrada brasileira’ na Otan, já que apesar do nome ‘atlântico norte’, os Ingleses tem centenas de ilhotas no sul, que fazem parte ao “Império” britânico e os franceses tem a Guiana Francesa.

    Será que a negação do Brasil à presença da OTAN no Atlântico Sul tem haver com as recentes negociações com a China?

    Lembrando que a China e Rússia, são países chaves da SCO (Organização de Cooperação de Xangai), que é um contra peso da OTAN e tem a Índia como observadora constante, se o Brasil entrasse, seria uma parceria militar conjunta entre os BRIC.

    Cade o Chavez para dizer que isso é mais uma conspiração sionista para tirar ele do poder na Venezuela? aoskaosas !

  16. A Africa voltará a ser o centro das atenções, assim como foi disputada por países europeus, hoje, porém são os chineses que querem parte daquela riquesa, os brasileiros também procuram investir na africa que fala o português, no entanto, se os ingleses quiserem atrapalhar os negócios brasileiros, poderão faze-los, tendo em vista estas ilhas que poderão ser um obstáculo aos investimentos brasileiros, não acredito que teríamos problemas de invasão, mas de escoamento de nossas mercadorias através do atlântico sul, abraço a todos.

  17. hms_tireless :
    Apertar a mão dos chineses e deixar o caminho aberto para que eles façam com o brasil o que tantos lunáticos vituperaram ao longo dos anos que os EUA iriam fazer conosco. QUem conhece os chineses sabe bem do que eles são capazes para fazer valer seus interesses e não irá demorar muito tempo para eles desencadearem uma política expansionista baseada na invasão e conquista de territórios, voltada para a obtenção de terras agriculturáveis e escoamento do excedente populacional.

    A sibéria faz fronteira com eles,assim como a mongólia, q nem armas tem, pq aqui na AS? Espero q vc esteja mt errado, Sds.

  18. O que o Brasil , ou mesmo a AS toda pode fazer se a OTAN quiser fazer incursões no Altantico Sul? Nada. Protestar quando muito. não seria melhor antes de falar “grosso”, termos meios reais de dissuação??

    []’s

  19. Não é uma manobra de confrontação, mas de afirmação, uma vez que é conhecida a presença rotineira de embarcações, navios e submarinos militares pertencentes à OTAN em especial ao Reino Unido através da sua cadeia de ilhas-território no Atlântico Sul, que auxiliam geoestrategicamente na projeção de poder naval e deslocamento sobre o continente Antartico e parte do seu Circulo Polar.

    Não é proselitismo, mas u ma questão de soberania e início de plataformas de influência sobre determinados pólos de interesse regionais ou nesse caso costeiros, aonde vislumbramos a estabilização de fluxos comerciais e meios bélicos de acordo com nossa defesa, formando por extensão, um mar seguro para a expansão dos meios nacionais, e por tabela, de muitos países sul-americanos.

    Aliás, acho que esse é o maior problema atualmente, Marinhas Mercante e Armadas do nosso continente que são banhadas pelo Atlântico, passam por uma forte depreciação de seus quadros operacionais e sucateamento, na melhor das hipóteses tendo estratégia restrita ao controle e patrulhamento costeiro. Poucos são os meios e recursos que essas forças dispõe para uma negação do mar. Um início importante, seria o estímulo de seus países para o início de projeção dentro da ZEE + plataforma continental mantidas por cada um especificamente.

    A Venezuela do Chavez maluco, que é maluco mas não é burro, já demonstrou alternativas de aquisição de uma nova classe de SSK’s, os quais partiriam do TO do Caribe Sul, onde ilhas-base como Curaçao e Antilhas holandesas foram confirmadas para assitencia logística a futura IV frota, além de manterem operações aéreas de longo-alcance.

    A Argentina que fala em soberania sobre as Malvinas, mas desde Menem passando pelos Kirchner não consegue reaparelhar a defesa e marinha, cria um vácuo de presença sobre os trechos oceâncios que vão desde Sandwich do Sul até sua base de pesquisas científicas antartica.

    Um bom início, seria o estabelecimento junto ao Chile de um maior regime de cooperação para a vigilância conjunta de corredores oceânicos que possam alcançar Beagle, no extremo-sul do país e ponto importantíssimo de passagem para o Pacífico, o que traria imensa mobilidade na integração de frotas parceiras da Unasul defesa, para cobertura em bloco além de saturação.

    Abraços

  20. A COBRA VAI FUMAR DE NOVO.

    Em algum momento bem próximo,o governo brasileiro terá que mostrar para os europeus e americano que aqui na América do Sul, não é o quintal da casa deles.
    Nos confundir com a região do Oriente Médio onde eles deitam e bordam!
    O atlântico sul pode ser um paraíso ,más também pode ser um inferno.
    Está mais do que na hora de deixar a retórica sobre as armas nuclear e passa para o verbo.
    Para mim o governo Brasileiro está dando sinais que a retórica de armas nuclear já está perto de findar,e passará para a ação;mostrando para qualquer um, que nós sabemos nos defender muito bem; contra qualquer “vagabundo” de fora.

  21. hms_tireless é um mal necessário!… claro.. não antes mais que sob controle!.. até erguermos a soberania marítima que pretende o estado. Ao meu ver… pensaram nisto antes de apoiarem ações conjuntas com a china. sem falar no que enconomicamente interfere nisto. Nossa relação Brasil-China também é muito importante. Nisto eu apoio o governo. Diversificação de idéias.. mostras de um comprometimento do Brasil como um país de todos.

  22. CUIDADO COM AS NOTÍCIAS!

    Agora, leio em um artigo de jornal (reuters),que o Brasil irá comprar do Reino Unido,navios patrulha.
    Será que algumas informações que a nós é “revelada”,tem algum propósito mercantilista?
    No Canadá,falasse da mesma idéia,usam a questão do ártico,para tirar uns trocados do contribuinte.
    Não custa nada estarmos atento as informações que aparecem,e também não custa nada termos um bom porrete em mãos,também.

  23. A SCO tem como alvo problemas de segurança na Ásia Central. O Brasil entrar nela, seria como a China entrar na União Europeia.

  24. Bem, falou o que tinha que falar.

    Agora, a Marinha terá os meios para NEGARMOS o Atlântico Sul para quem por aqui se aventurar?

    Precisamos rever esses cronogramas e começar a antecipar os meios. SN-BR para 2022? NAe para 2025?

    Fala sério…

  25. Como diz o ditado americano.. ” If you are going to talk the talk you gotta walk the walk” Se vai falar tem que caminhar. Nao adianta falar jobin, compra os porta avioes, submarinos e patrulhas e mande a patrulhar

  26. E que tal serem amiguinhos dos EUA? humm…

    Daquele tipo de amigos que recebem em troca AEGIS, porta-aviões ligeiros (tipo TARAWA), Aviões ás centenas, Tanques, etc…

    Se eles tivessem uns amigos desses na América do Sul, de certeza que não precisariam da IV frota…

    Digo eu…

  27. Pra mim é um comentário populista, de um cara que está quase saindo. Jobin para mim não cheira e não fede, não vejo a hora dele sair deste cargo, aliás, de qualquer outro cargo que possa existir na área pública.

  28. Nick :
    O que o Brasil , ou mesmo a AS toda pode fazer se a OTAN quiser fazer incursões no Altantico Sul? Nada. Protestar quando muito. não seria melhor antes de falar “grosso”, termos meios reais de dissuação??
    []‘s

  29. carlos argus :

    Nick :
    O que o Brasil , ou mesmo a AS toda pode fazer se a OTAN quiser fazer incursões no Altantico Sul? Nada. Protestar quando muito. não seria melhor antes de falar “grosso”, termos meios reais de dissuação??
    []‘s

    Já tivemos a 3 > M.Guerra do mundo, agr estamos nessa penúria, antes de + nada devemos nos armar, e depois, é depois…

  30. Pois é! Infelizmente, na Política e nos meios militares, querer NÃO é poder…

  31. tem esse comentario do prof. Sampaio

    o q eu não entendo é:

    Se você toma medidas p/ ocupar um vácuo de poder, é porque acha que existe ALGUÉM COBIÇANDO esse espaço, esse vácuo; esse que é o prob. , quem ou o que poderia ser ??

  32. A sibéria faz fronteira com eles,assim como a mongólia, q nem armas tem, pq aqui na AS? Espero q vc esteja mt errado, Sds.

    Bem observado argus,

    esta ideia de que o Brasil vai ser invadido militarmente pela China, me parece uma pintura de salvador dali, totalmente surrealista…

    Agora, se falarmos de uma invasão econômica, infiltração de 5ªs colunas no executivo, judiciário e legislativo do país, compra de terras e ativos nacionais e migração descontrolada, aí sim, concordo que é preciso tomar cuidado com os chineses.

    Más no caso deste tipo de “invasão”, não se deve tomar cuidado só com os chineses, mas especialmente com os anglo/saxões e sionistas e também com europeus, árabes,judeus, etc…

    E este tipo de “invasão” deve ser contida através do combate a corrupção, do fortalecimento das instituições democráticas e republicanas e de serviços de inteligencia
    eficientes.

    Uma mídia brasileira e independente também é de fundamental importância, coisa que não temos… pois todos as grandes empresas de comunicação “nacionais”, organizações globo,FSP, estadão veja, etc…não passam de meros instrumentos do loby anglo/sionista/saxão, neste sentido, já fomos invadidos a muito tempo e somente nos últimos anos houve uma reação a este estado de “colonização das sombras”, não ostensiva…

  33. O Brasil quando compra sertos armamentos, alem de serem muito caros ,são já ultrapasados, pois Estados Unidos e inglaterra , não venderão tecnologia de ponta para o Brasil , vemos istó quando eles inglêses , avisam que não repartirão seu novo porta aviões .
    O Brasil deve formar seus proprios tecnicos, engenheiros, etc ,aplicar mais recurso na educação, só asim não dependera de minguem..

  34. PEITUDO OU FALASTRÃO…Eu continuo achando que ele é FALASTÃO…Com quem poderiamos formar uma aliança no Atlantico sul nos moldes da OTAN???.Com a Argentina,Uruguai,Namibia,Angola???.A unica nação alem da nossa seria a Africa do Sul e os demais seriam coadjuvantes…Deveriamos ter uma numerosa Marinha moderna e sofisticada para defender-mos e patrulharmos nossos interesses geopoliticos,o pré-sal pagara a conta…Gostaria de ver uma pessoa inteligente,austuta e ousada como o Mangabeira no lugar do Visconde de Sabugosa Falastrão.

  35. eh fogo.. mas sem bomba, sem respeito… nao adianta pensar diferente…

  36. Se ele não quer a presença da Otan no Atlântico Sul, então porque não adquire os caças da Rússia que são os melhores do mundo? Porque não reaparelha melhor nossa Marinha e o Exército? Falar lá fora que não quer a presença deles por aqui é fácil. É preciso atitudes.

  37. Não sendo possível pelo meio convencional, que seja investindo em artefato nuclear, e por aquela aeronave supersônica do CTA pra funcionar como um vant, carregando um brahmos. temos capacidade intelectual para isto, só não há apoio PRÁTICO à questão.

  38. Concordo com vc Jonnas, qdo. não dá pra dissuadir de igual p/ igual, e isso nunca vai acontecer, o jeito é apelar, os mísseis Mosquit russos, carregados com ogivas nucleares, imporiam respeito a qualquer frota estrangeira que quizesse se aventurar por aqui, bom, mas da idéia à realidade, existe uma grande distância, nada acontece se não houver vontade.

  39. OLHEM BEM PARA A FIGURA DA MATERIA EM QUESTÃO E VEJAM O CINTURÃO QUE ESTÃO FORMANDO COM AS BASES NAS ILHAS,COM A BASE MOVEL QUARTA FROTA E NO CONTINENTE COM BASES E CABEÇAS DE PONTE EM TERRITORIOS DE NOSSOS VIZINHOS.E O ALVO DE TODA ESSA ENGENHOSA MAQUINA DE GUERRA NÃO É HUGO CHAVEZ MAS SIM O BRASIL.

  40. carlos argus :

    carlos argus :

    Nick :O que o Brasil , ou mesmo a AS toda pode fazer se a OTAN quiser fazer incursões no Altantico Sul? Nada. Protestar quando muito. não seria melhor antes de falar “grosso”, termos meios reais de dissuação??[]‘s

    Já tivemos a 3 > M.Guerra do mundo, agr estamos nessa penúria, antes de + nada devemos nos armar, e depois, é depois…

    Nunca aconteceu. É mito nacionalista, puro e simples.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: