Articles

Chávez adverte que triunfo eleitoral de opositores seria ruína da ”revolução’

In Geopolítica on 20/09/2010 by E.M.Pinto Marcado:

https://pbrasil.files.wordpress.com/2010/09/hugochavez.jpg?w=300

Sugestão: Gérsio Mutti

Apenas uma semana separa a Venezuela da eleição parlamentar que pode dar novo fôlego ao presidente Hugo Chávez ou precipitar a decadência do venezuelano, que está há 11 anos ininterruptos no poder. Na história recente da América do Sul, apenas dois líderes governaram por tanto tempo: o chileno Augusto Pinochet (1973-1990) e o paraguaio Alfredo Stroessner (1954-1989) – dois ditadores.

ReutersReuters
Campanha. Chávez discursa em ato eleitoral em Caracas

Mais do que escolher os 167 novos membros da Assembleia Nacional – única instância parlamentar de um país que extinguiu o Senado, em 1999 -, os venezuelanos devem mostrar o grau de polarização da vida política do país até as eleições presidenciais de 2012, às quais Chávez já se lançou como candidato, apesar de sua popularidade, que já foi de 75% em 2006, não passar hoje de de 44%, segundo o Datanálisis.

Atualmente, quase todos os parlamentares venezuelanos são chavistas. A oposição boicotou as eleições legislativas, há cinco anos, pregando a abstenção e acusando a Justiça eleitoral do país de fraude. Agora, mudou sua estratégia e espera conquistar entre 57 e 50 cadeiras. Um avanço como esse tiraria de Chávez a maioria de dois terços e o obrigaria a negociar ou apostar ainda mais na radicalização.

O líder venezuelano sabe que, se perder o controle do Legislativo, seu plano socialista “começará a desmoronar”, como ele mesmo disse na sexta-feira, em um comício eleitoral em Caracas. “É preciso manter a hegemonia para, assim, garantir a continuidade da gloriosa revolução bolivariana”, disse Chávez.

O teste eleitoral que se aproxima voltou a polarizar as opiniões de analistas e eleitores. Os que veem em Chávez um líder socialista e carismático ressaltam o fato de ele ter participado e vencido três eleições presidenciais. Líder de uma tentativa de golpe de Estado, em 1992, ele resistiu a outro movimento golpista em 2002.

Vitórias. Seu partido saiu vitorioso em duas eleições regionais, controla 17 dos 24 Estados venezuelanos e governa 80% das cidades do país. Até mesmo o direito de disputar um número ilimitado de eleições foi garantido por plebiscito, nas urnas, sob a chancela de observadores internacionais independentes (mais informações na página 21).

No entanto, o extenso currículo eleitoral não é, por si só, garantia de que exista uma democracia plena na Venezuela. Ao contrário, a oposição acusa Chávez de afastar-se cada vez mais do modelo democrático, atacando a liberdade de imprensa e a independência dos poderes, perseguindo juízes, prendendo opositores e sindicalistas, arruinando a economia e permitindo que o país bata todos os recordes de insegurança – o número de assassinatos pulou de 4 mil, em 1999, para 16 mil, em 2009.

“Eleições não são o único termômetro da democracia. É preciso saber como Chávez construiu o cenário que permitiu que ele garantisse todas essas vitórias”, disse ao Estado Carlos Correa, do Centro de Direitos Humanos e Liberdade de Expressão da Universidade Andrés Bello, de Caracas. “Por outro lado, não se pode dizer que atitudes, como a tomada pela oposição há cinco anos, boicotando uma eleição parlamentar, seja algo correto sob o que consideramos uma democracia saudável.”

Na Venezuela, não há debates eleitorais televisionados nem horário eleitoral gratuito. Como ferramenta de propaganda, o governo usa o fato de parte da imprensa privada ter apoiado o golpe de 2002 para cassar concessões, criar leis que impedem a publicação de notícias negativas e negar entrevistas aos jornalistas locais ou estrangeiros.

Nas raras vezes em que é confrontado por uma pergunta crítica, Chávez esquece o assunto em debate e passa a atacar a imprensa de forma geral e, invariavelmente, o jornalista com quem está falando.

“Qualquer um que fale contra o governo é imediatamente classificado como traidor e lacaio do império americano. A estratégia do governo tem sido a de radicalizar cada vez mais, criminalizando a oposição, como se não houvesse alternativa honesta ao que temos hoje”, disse Correa.

Fonte: Estadão

Anúncios

24 Respostas to “Chávez adverte que triunfo eleitoral de opositores seria ruína da ”revolução’”

  1. Chavito pode se achar o Luís XIV, mas morre de medo da oposição, mesmo essa sendo pequena perante a força do seu governo.

  2. É incrível como Hugo Chávez é criminalizado pelo simples fato de ser um socialista. A imprensa venezuelana é bem pior que a globo, ela manipula notícias de forma a sempre desacreditar o governo. Parece que têm gente que vive sobre a saia dos EUA, aessas pessoas que tanto amam esse país porque não vão para lá, já que dizem que é um exemplo de democracia. Agora cuidado com os extremistas de direita, neonazistas, eles adoram espancar um imigrante.
    Se existisse mais governantes como Chávez, o mundo não se ajoelharia perante os EUA.

  3. David :
    É incrível como Hugo Chávez é criminalizado pelo simples fato de ser um socialista. A imprensa venezuelana é bem pior que a globo, ela manipula notícias de forma a sempre desacreditar o governo. Parece que têm gente que vive sobre a saia dos EUA, aessas pessoas que tanto amam esse país porque não vão para lá, já que dizem que é um exemplo de democracia. Agora cuidado com os extremistas de direita, neonazistas, eles adoram espancar um imigrante.
    Se existisse mais governantes como Chávez, o mundo não se ajoelharia perante os EUA.

    Chaves é um ditador que usou a democracia para subir ao poder e se consolidar eternamente no governo venezuelano.

    Eu tenho medo dessas pessoas que defendem o cara como esse. Esse socialismo é a maior ameaça a democracia brasileira, espero nunca ver um lider adotando esse tipo de ideologia no Brasil.

  4. é incrível como o Chavez destruiu a Venezuela nestes anos de governo … e ainda tem gente que o acha esse ditador um estadistas…

    ps. prefiro um FHC-02 que uma fantoche stalinista…rsrsrs… o Cameron (cinesta) devia filmar a continuação de Avatar em Brasília se a cetácea levar…hahahahha

  5. Essa reportagem é a maior prova de que a Venezuela é uma democracia de fato. Fosse uma ditadura não haveria essa discussão. Desde quando um ditador tem medo das urnas.???..E tem outra coisa: “TODO PODER EMANA DO POVO E EM SEU NOME DEVE SER EXERCIDO”..Bravatas não melhoram a vida do povo, competência sim…É isso que algumas pessoas deveriam compreender em relação ao que ocorre no Brasil atualmente..

  6. Viu so, de ditador o cara não tem nada, é somente mais um populista… se perder eleições para presidente ou a renovação que acontece de 2 em 2 anos ele vai embora do poder e basta, e se perder eleições para o parlamento ele fica com o poder reduzido… tendo diminuídas as chances de vencer a próxima eleição presidencial.

    Mas infelizmente para a nossa cultura e busca da verdade, existem os velhos “Peões” que acreditam em tudo o que a mídia ocidental diz, sendo usados psicologicamente no jogo pelo consenso político internacional, onde a verdade nunca aparece na mídia, somente as manipulações.

    O cara esta vacilando, fracassou em todos os sentidos, e a vida de seu povo não melhorou. Ja falei isso antes, ele deveria ter copiado e implantado de fato algumas nossas leis, tais como a 8666 para as compras e licitações do governo sem ter que fazer tudo por via de “amizades” empresariais e corrupção, ou a 9784/99 processo administrativo, a 8112/90 que regulamenta o funcionalismo público, e principalmente a 8429/92 que trata da Improbidade administrativa(incapacidade administrativa- mas ele mesmo cairia nela!) entre outras… e ainda que todos sejam concursados, e não colocados na máquina pública como se fosse a casa da mãe joana… a Venezuela é agora exatamente como era no Brasil nos idos de 80-90, ele tinha que ter consertado esse calcanhar de Aquiles que é a competência da máquina administrativa, mas não fez nada, alias fez somente festa, e agora esta ai com medo do juízo popular…

    E ainda bem que a Venezuela é uma democracia, onde o povo poderá mudar tudo com as eleições que se aproximam… e se não fosse uma democracia o povo deveria aceitar tudo sem ter a possibilidade de mudar as coisas… mas graças à verdade dos fatos democráticos o momento do voto esta chegando e o Chavez está se borrando!

    Valeu!!

  7. O mandato presidencial na Venezuela, já há décadas sempre foi de 7 anos, más era só um mandato.

    Na França também é de 7 anos porem com direito a reeleição, 14 anos de mandato…

    O que Chavez fez, foi tentar conseguir que o congresso aprovasse a reeleição para presidente ilimitadamente, como *era no EUA, até 1951…

    *(Franklin Delano Roosevelt , realizou quatro mandatos e morreu durante o último. Em 1951, a 22ª Emenda da Constituição dos EUA é ratificada, limitando o mandato presidencial a dois mandatos de quatro anos.)

    Más o congresso da Venezuela não aprovou a reeleição sem limites, aprovou somente 2 mandatos consecutivos.

    O mesmo fizeram FHC, Uribe , o mesmo foi feito no Peru, Argentina, Chile, entre outros… presidentes que, durante o seu mandato, conseguiram que fosse aprovado um segundo mandato presidencial em seus países e se beneficiaram disto, sendo eleitos para o 2º mandato…

    Chavez está ainda no segundo mandato de 7 anos, para o qual foi eleito democraticamente , não vejo nenhuma razão para chama-lo de ditador, a maioria da população da Venezuela é que colocou Chavez no poder, através de eleições em ambiente de liberdade, legitimas e reconhecidas internacionalmente. E isto tem que ser respeitado…

  8. O problema, é que este maluco beleza venha fazer o mesmo que os ditadores argentinos no passado;fabrique um conflito para aglutinar os venezuelanos entorno dele.

  9. Esse cara fala de mais, e faz de menos… afundou e industria petrolífera, de tando arrumar cargos para os amigos. Prendeu quase todos aqueles que tiveram coragem de peitá-lo (menos claro o Rei da Espanha, que lhe mandou um belo “cale-se”!)!
    Ser presidente de um pais é antes de tudo saber praticar a dura arte da politica. É saber a hora de falar, e saber a hora de se calar. É saber que não deve submeter seu pais a situações vexaminosas…
    É saber que não deve estatisar tudo, para ter tudo em suas mãos. É saber que ele representa um povo, um pais, e não a sí próprio.
    O senhor Chaves mostrou que não sabe fazer nada disso… acabou com a economia do pais… e ainda por cima se mostrou um eximio falastrão!

  10. Paulo :

    David :
    É incrível como Hugo Chávez é criminalizado pelo simples fato de ser um socialista. A imprensa venezuelana é bem pior que a globo, ela manipula notícias de forma a sempre desacreditar o governo. Parece que têm gente que vive sobre a saia dos EUA, aessas pessoas que tanto amam esse país porque não vão para lá, já que dizem que é um exemplo de democracia. Agora cuidado com os extremistas de direita, neonazistas, eles adoram espancar um imigrante.
    Se existisse mais governantes como Chávez, o mundo não se ajoelharia perante os EUA.

    Chaves é um ditador que usou a democracia para subir ao poder e se consolidar eternamente no governo venezuelano.
    Eu tenho medo dessas pessoas que defendem o cara como esse. Esse socialismo é a maior ameaça a democracia brasileira, espero nunca ver um lider adotando esse tipo de ideologia no Brasil.

    David Chavez é um ditador que pra se perpetuar no poder aterroriza os meios de informação e todas as camadas da sociedade Venezuelana que clama por liberdade.Pessoas como ele usam o jargão de aliciar a maioria sofrida do povo com ilusões.Amigo no começo ele fomentou a America do Sul contra nós.Chavez é falso e jamais foi realmente amigo do Brasil.É uma pessoa perigosa assim como tambem era perigosa a pessoa do Uribe.Se olharmos com olhos ideologicos de tucanos ou vermelhinhos jamais veremos o que é bom e o que não é bom ao Brasil.Pra mim pouco importa a origem mas sim que seja bom ao meu pais ou que pelo menos não traga a desestabilização e a discordia a nosso continente.

  11. Porque o Brasileiro não consegue enxergar uma terceira via?Na cabeça de muitos de nós ou devemos abrir as pernas aos EUA ou empunharmos a bandeira suja de sangue menstrual do sr.Hugo Chavez….Não precisamos de nenhuma dessas porcarias.Temos potencial para caminharmos por nossas proprias pernas.Cade o orgulho de dizermos que somos Brasileiros e que não desistimos nunca?…Acorda gigante.Somos 190milhões de almas.Divididos somos nada mas unidos somos inbativeis.

  12. ferramenta de propaganda, o governo usa o fato de parte da imprensa privada ter apoiado o golpe de 2002 para cassar concessões

    E ele tá errado? Agora é sagrada, a imprensa? Ela pode atentar contra o governo legítimo, e este, se sobreviver, é forçado a venerá-la?

  13. Chavez realmente é um político personalista, da linha populista e um falastrão insuportável!

    Más dizer que a Venezuela afundou economicamente com Chavez, ou que a vida do povo venezuelano não melhorou em seu governo, não é verdade, simplesmente não corresponde a realidade.

    Embora a Venezuela tenha sido afetada pela crise econômica de 2008/2009, nos anos anteriores do seu governo foram feito avanços econômico/sociais importantes.
    …………………………..

    À título de informação, trecho de texto de Mark Weisbrot, publicado no Ópera Mundi:
    ——-

    – De 2003 a 2008. A economia cresceu como nunca, a pobreza caiu mais de 50% e houve grandes avanços no problema do desemprego.

    – O gasto real por pessoa mais que triplicou e a atenção médica gratuita foi estentida a milhões de pessoas. É preciso procurar muito para encontrar estes dados básicos apresentados como tal em algum artigo da imprensa atual, embora os números não sejam questionados pelos economistas das organizações internacionais que trabalham com as estatísticas.

    – Por exemplo, em maio deste ano, a Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe), da ONU, concluiu que a Venezuela havia reduzido a desigualdade mais que qualquer outro país do continente entre 2002 e 2008, conseguindo a distribuição de renda mais equitativa da região. Este dado ainda não foi mencionado pela grande imprensa internacional.

    – A Venezuela entrou em uma recessão em 2009, e pode-se imaginar quanto os meios têm destacado o crescimento do PIB comparado à época em que a Venezuela crescia mais rapidamente do que todas as economias do hemisfério. Depois, em janeiro de 2010, quando o governo desvalorizou a moeda, a imprensa previu um grande recrudescimento da inflação, de até 60% para este ano. A “estagflação” – a recessão acompanhada de uma inflação crescente – virou uma palavra da moda.

    A inflação “fora de controle” nunca aconteceu. Na verdade, a inflação dos últimos três meses, que chegou a 21% em uma taxa anualizada, está consideravelmente mais baixa do que antes da desvalorização. Esta realidade é mais um exemplo de que os economistas, as principais fontes da imprensa, têm um conhecimento limitado do verdadeiro funcionamento da economia venezuelana.

    A Venezuela, aparentemente, começou a sair da recessão no segundo trimestre deste ano. Sobre uma base anualizada e com ajuste sazonal, a economia cresceu 5,2% no segundo trimestre. Em junho, o Morgan Stanley projetou uma contração da economia de 6,2% neste ano e 1,2% em 2011.

    – O FMI (Fundo Monetário Internacional) projeta uma situação de penumbra e perdição de longo prazo para a Venezuela, com um recuo do PIB per capita durante os próximos cinco anos. Vale mencionar que o FMI virou um concorrente dos autores de Dow 36.000 em termos de prognósticos criativos, com suas subestimações repetidas e disparatadas sobre a economia venezuelana durante a expansão.

    É possível que tudo isso pareça normal se comparado com a maior economia do mundo, os Estados Unidos, onde a grande maioria dos meios de comunicação, de uma maneira ou de outra, falhou ao não prever as maiores bolhas de ativos da história do mundo – o mercado de valores e a subsequente bolha imobiliária. Mas houve exceções importantes aqui, como por exemplo o New York Times em 2006. No caso da Venezuela – bem, pode-se imaginar.

    Claro que não se pode garantir que o crescimento venezuelano continuará. Para isso, o governo terá de assumir o compromisso de manter altos os níveis da demanda agregada. Nesse sentido, a situação imediata é parecida com a dos EUA, a zona europeia e várias outras economias desenvolvidas que, no momento, sofrem com uma recuperação lenta e incerta.

    Na Venezuela, são mantidas as reservas de divisas adequadas, há um superávit do intercâmbio e da conta corrente, os níveis da dívida pública externa são baixos e há uma boa capacidade de empréstimos estrangeiros, caso seja necessário usá-los. Isto foi demonstrado mais recentemente em abril, com um empréstimo da China no valor de 20 bilhões de dólares (cerca de 6% do PIB venezuelano). Assim, é extremamente improvável que a Venezuela enfrente uma escassez de divisas.

    Portanto, os gastos e investimentos públicos podem ser usados no que for necessário para garantir que a economia cresça o suficiente para obter um aumento do índice de emprego e melhorar os padrões de vida, como foi feito antes da recessão de 2009. (Nosso governo nos EUA poderia fazer o mesmo, inclusive com mais facilidade, mas isso não parece estar na lista de prioridades no momento). Esta situação pode perdurar por muitos anos.

    Aconteça o que acontecer, podemos esperar uma cobertura completa de um lado da história por parte dos meios de comunicação. Por isso, lembre-se: quando ler o New York Times ou escutar a rádio pública dos EUA falando sobre a Venezuela, você estará recebendo a Fox News. Se desejar algo mais equilibrado, terá de procurar na internet.

    *Mark Weisbrot é co-diretor do Centro de Pesquisa Econômica e Política (CEPR), em Washington. Ao lado de Dean Baker, é autor de Social Security: The Phony Crisis (University of Chicago Press, 2000) e de várias pesquisas sobre política econômica. Preside a organização Just Foreign Policy. Também é um dos roteiristas do documentário mais recente de Oliver Stone, South of the Border. Artigo originalmente publicado no The Guardian.

  14. Não desmerecendo os comentários muitíssimo bem embasados sobre o lado Líder de Estado legítimo no poder, mas…
    Sobre Chavez ser um ditador ou não existem vários conceitos para isso, e ademais temos também a questão de que a figura de um ditador precisa ser necessariamente a tradicional e instuída à séculos?
    Será que não poderíamos estar vendo aí uma “nova figura” para um ditador?
    Que se mascara em meio as amizades empresariais e uso da máquina do estado e de seus funcionários para criar a equação de perpetuação de poder, limitando fortemente algumas fontes críticas ou a oposição e tentando sufocar movimentos contrários com discursos inflamados de nacionalismo e buscando a imagem de um “vilão” na oposição?

    Olha, tudo bem que não considerem Chavez um ditador, que ele esteja jogando com o livro de regras embaixo do braço, mas isso ao meu ver mostra o que pode ser a nova face de um ditador, aquela que estamos acostumada caiu por terra se tornou ultrapassada e precisa de uma nova roupagem, nada mais natural que surgir um novo método.

    Sobre a reeleição ilimitada, Wi, o pebliscito que me lembro no ano passado aprovou a proposta não? Como funciona essa questão do parlamento? Que eu saiba está valendo a reeleição ilimitada para chavito.

  15. Só o adendo que não localizei nada sobre o impedimento de reeleição infinita na Venezuela, ao contrário o fato é que o plebiscito popular é apoiado no fator que de a Venezuela possuí 5 poderes, sendo um deles o dito “Cidadão” onde referendos populares possuem tanta força para modificação ou criação de leis, quanto a própria vontade e ação do legislativo…

    Infelizmente não tenho fonte teórica desta informação e sim me baseio no relato de um amigo que passou dois anos lá e voltou pouco antes desse plebiscito, e ele é altamente adepto da filosofia bolivariana-chavista.

  16. 1maluquinho :Porque o Brasileiro não consegue enxergar uma terceira via?
    Somos 190milhões de almas.Divididos somos nada mas unidos somos inbativeis.

    Assino embaixou e faço uma observação… eu jamais quero ver o sangue menstrual do chavez!

  17. A “revolução” vai ser, se ele sair do poder.. Espero que ele não tente matar ninguém para se manter no poder.

  18. Tem gente q acha q só pq tem “eleições” vive-se na mais perfeita das democracias…

  19. Luiz9med:

    “Sobre a reeleição ilimitada, Wi, o pebliscito que me lembro no ano passado aprovou a proposta não? Como funciona essa questão do parlamento? Que eu saiba está valendo a reeleição ilimitada para chavito.”

    …………………..

    Luiz, você está correto, escrevi de memória e me equivoquei…

    Atualmente, a reeleição ilimitada na Venezuela está valendo sim.

    Retificando e complementando:

    Na Venezuela de antes de Chavez e da constituição de 1999, era permitido um só mandato presidencial, citando de memória, acredito que era um mandato de 7 anos (más não tenho certeza …).

    O Artigo 230 da Constituição de 1999, (constituição escrita no 1º ano, do 1º mandato de Chavez como Presidente) estabeleceu o período presidencial de seis anos e o Presidente ou Presidenta da República podia ser reelegido ou reelegida, de imediato e por uma só vez, para um novo período(12 anos de manadato) .

    Foi em 2007 que a Assembléia Nacional da Venezuela aumentou o mandato presidencial de seis para sete anos. A ampliação já vale para o atual período de Chávez no poder.

    Em fevereiro de 2009 em referendo plebiscitário, foi aprovada a emenda constitucional que permite a candidatura sucessiva e ilimitada aos cargos de presidente da República, governadores, prefeitos e deputados.

    complementando :

    Chavez foi eleito presidente pela 1ª vez nas eleições de 1998, assumindo em 1999.

    Assim que foi eleito o presidente convocou, como o prometera durante a campanha, um referendo para perguntar aos venezuelanos se estavam de acordo em mudar a Constituição e convocar uma Assembleia Constituinte. O resultado exprimiu por si próprio a necessidade de mudança: 90% votaram pela convocação da Assembleia Constituinte, que foi aprovada.

    Houve depois eleições para eleger os representantes da Assembleia Constituinte e que foram o espelho da realidade política do momento. Contavam-se entre os representantes partidários e aliados de Chávez (muitos deles mais tarde acabariam por traí-lo), mas também adversários políticos.

    Após alguns meses de trabalho, inspirando-se no projecto de Chávez, mas integrando elementos dos cidadãos e do debate resultante das diferenças políticas no seio da Assembleia Constituinte, os deputados apresentaram o projecto final à aprovação dos venezuelanos por um segundo referendo popular.

    Em 15 de Dezembro de 1999 a nova Carta Suprema foi ratificada por 71,19% dos venezuelanos.

    Chávez foi reeleito para o período 2007-2013 ao vencer o pleito de 2006.

  20. Sobre a duração do mandato presidencial na Venezuela, retificando e sendo mais exato:

    O mandato presidencial na Venezuela de antes de 1999 era de 5 anos, com a nova constituição de 99 foi ampliado para 6 anos e em 2007 ampliado novamente , para 7 anos…

  21. Visão dual…Quantitativa ou qualitativa…Faltanos a visão interior,visão unica de Brasileiros,capazes de se harmonizarem com multi-ideologias,multi-religiões,multi-opiniões…Acho que existe algo que deveria ser mais importante a nós,o nosso pais,o nosso povo,a nossa soberania,a nossa independencia.Somos a maior democracia do mundo não em numeros mas em plenitude…Essa guerrinha de tucanos e vermelhinhos não visa o melhor ao Brasil e se não é bom para o Brasil é inimiga de nosso povo…Simpatizantes Bolivarianos e serviçais dos EUA eu sempre os combaterei pois os primeiros são a escoria do continente e os seguintes ou se beneficiam direta ou indiretamente ou são masoquistas assumidos pois gostam de serem escravos…O Brasil não precisa de nenhuma dessas porcarias.Precisamos unicamente de nossas proprias pernas.Temos potencial.Mas como alavancar isto e trazermos cada vez mais beneficios a nossa gente?Alem desses dois blocos alienados de poder ainda temos as quadrilhas de saqueadores politicos.O povo ja conhece todas as formas de iludirem-nos e esta candado de estorinhas,queremos resultados…Abram seus olhos para não serem queimados na fogueira da purificação nacional.

  22. Chaves e tão loco,que prefere sucatear sua imdustria,á perder o poder,trás ,eletrodomesticos da china , para agradar o povo em época de eleiçãoção ,uma clara compra de votos,espero que o povo venezu, abra o olho e tire esté ditador , disfarçado do poder ,o mais rapido possível , até Fidel diz que socialismo já era,,

  23. Sempre problemas Wi!

    Em todo caso, deixando de lado a figura de Chavez da discussão, eu considero de um risco enorme ao processo político a possibilidade de uma determinada figura poder se perpetuar indefinidamente no poder, por mais que isso possa até ser algo proveitoso a uma nação (possibilidade que eu restringiria a um percentual de chance pequeno).

    Em todo caso, o processo lá foi instituído e com esta possibilidade um governante que tenha uma boa condição pode se valer da máquina do Estado para se perpetuar não de forma “eterna” mas ao menos por um longo período e dados os vícios que se acumulam em um determinado regime de poder acredito que não seja de todo tão bom para a nação esse tipo de possibilidade.

    Mas é pessoal isso e lembrando, que estou analisando o fato meramente, sem tomar a figura de Chavez, somente o fato político, a situação política que a regra possibilita…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: