Articles

Embraer acelera escolha de fornecedores para o KC-390

In Defesa on 22/09/2010 by E.M.Pinto

https://i1.wp.com/www.jrlucariny.com/Site2008/embkc390/embkc390imagens/005Membkc390.jpg

Virgínia Silveira

A Embraer e o Comando da Aeronáutica deram mais um passo, ontem, no programa de desenvolvimento da nova aeronave de transporte militar KC-390, com o início do processo de seleção dos fornecedores de três sistemas estratégicos: auto proteção, sistemas de missão e de reabastecimento em voo. Mais de 50 empresas estrangeiras interessadas em participar desse processo se reuniram, em São José dos Campos, no II Workshop de Offset (contrapartidas tecnológicas, industriais e comerciais) do Projeto da Aeronave KC-390.

No primeiro encontro, realizado em maio, foram iniciadas as negociações com os potenciais fornecedores de outros cinco sistemas considerados estratégicos: equipamentos aviônicos, motor, sistema de manuseio e lançamento de carga e trem de pouso. “A FAB participa junto com a Embraer da seleção dos fornecedores de oito sistemas principais do KC-390, que terão exigência de acordos de offset, pelo alto nível de tecnologia que agregam”, explicou o diretor do KC-390 na Embraer, Paulo Gastão Silva.

O anúncio dos principais fornecedores do KC-390, segundo Gastão, deverá ser feito antes de maio de 2011, quando começa a fase de definições conjuntas do projeto, reunindo todos os parceiros e fornecedores. Algumas empresas brasileiras também já garantiram contratos importantes para o KC-390, mas tudo está sendo mantido em sigilo.

No caso dos motores da aeronave, a disputa envolve dois grandes consórcios: a CFM, uma joint venture entre a empresa americana General Electric (GE) e o grupo francês Safran e a IAE (International Aero Engine), joint venture entre a inglesa Rolls-Royce, a americana Pratt & Whitney, MTU da Alemanha e JAEC, do Japão. Para os sistemas de missão, reabastecimento em voo e de auto defesa do KC-390 , 14 empresas apresentaram ontem suas propostas no workshop, entre elas a BAE Systems, Indra, Sagem, Saab, Thales e Astronautics, entre outras.

Segundo informações divulgadas ontem pelo IFI (Instituto de Fomento e Coordenação Industrial), órgão vinculado ao DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial), que auxilia a FAB nas negociações de acordos de offset, o projeto do KC-390 deverá gerar mais de 14 contratos de transferência de tecnologia com empresas estrangeiras selecionadas para participar do desenvolvimento.

Atualmente, de acordo com o IFI, os acordos de compensação em vigor no âmbito da Aeronáutica somam cerca de US$ 4,5 bilhões. Esse número não inclui os projetos futuros da Aeronáutica, como o desenvolvimento de veículos aéreos não tripulados (vants), radares, o substituto do Tucano e do Sucatão (Boeing 767), já em fase de estudos de viabilidade. O programa de aquisição de caças de combate F-X2, avaliado em R$ 10 bilhões, também prevê acordos de offset. O percentual exigido varia de 30% a 100% do valor do contrato, mas há casos em que os valores ficam acima disso.

No caso do F-X2, o governo brasileiro pretende divulgar antes do fim do ano o nome da empresa vencedora da licitação, que prevê a compra de 36 caças supersônicos. Segundo fonte ligada ao processo, o Ministério da Defesa trabalha agora com a possibilidade de anunciar o resultado em duas datas: ou no dia 23 de outubro (dia do aviador), caso não haja segundo turno das eleições presidenciais, ou durante a realização da quinta edição da Operação Cruzeiro do Sul (Cruzex), que acontecerá no período de 28 de outubro a 20 de novembro, na região Nordeste do país. A Cruzex é um exercício aéreo multinacional, que reúne as Forças Aéreas da Argentina, Brasil, Chile, Estados Unidos, França e meios simulados de força terrestre e força naval.

Fonte: Valor via NOTIMP

Anúncios

11 Respostas to “Embraer acelera escolha de fornecedores para o KC-390”

  1. Não sei se alguem tem reparado nas concepções artísticas que dão ao futuro KC-390,mas notaram que em nenhuma delas aparecem os “winglets” nas pontas das asas? Por que será? Alguém tem alguma possível explicação? Essa estrutura aerodinâmica é quase universalmente adotada hoje.

  2. Intruder :Não sei se alguem tem reparado nas concepções artísticas que dão ao futuro KC-390,mas notaram que em nenhuma delas aparecem os “winglets” nas pontas das asas? Por que será? Alguém tem alguma possível explicação? Essa estrutura aerodinâmica é quase universalmente adotada hoje.

    Na minha opinião caro amigo, vê asa do 787 ou do 747-8 as “winglets” não são tão prenunciada, a sua forma na pontas tem a mesma ou é mais eficiente do que a “winglets” tradicional independentemente do material feito para construir essa mesma asa. Há uma versão do 787 que terá essas “winglets” tradicionais, embora tenha lido que poderá ser abandonada e a opção volte a ser a mesma do 787 que conhecemos, não sei como está esse pormenor.
    Daí pensar que não terá importância esse pormenor, é uma questão técnica de como se faz a asa…
    Por acaso estou muito interessado em saber quem são os fornecedores… espero ver grandes empresas aliadas ao kc390… veremos como se procede as coisas.

  3. “Sucatão (Boeing 767)”, Deduzo que seja referencia ao kc135 e não ao 767.

  4. Exatamente Karlus,a a autora confundiu-se ai com os números.
    sds
    E.M.Pinto

  5. Intruder:
    Winglet é um componente aerodinâmico posicionado na extremidade livre da asa de uma aeronave, que tem por função diminuir o arrasto induzido, relacionado ao vórtice de ponta de asa. Em geral, tem a forma de uma aba vertical ou inclinada.
    A ponta da asa normalmente forma um vórtice, que transfere para a aeronave barulhos e trepidações, além da perda de sustentação naquela parte final da asa (algo como um metro e meio). Com o dispositivo winglet, esse problema é solucionado.
    A redução do arrasto melhora a eficiência da aeronave, significando aumento da velocidade e economia de combustível. Atualmente, quase 100% das aeronaves que saem de fábrica vêem com winglets. Boeing 747 e Boeing 737 são exemplos de aviões com winglets (Em algumas versões), do mesmo modo, TODOS os aviões da Airbus saem de fábrica com winglets
    Tirado da Wikipédia. Espero ter ajudado. Abraço.

  6. Daniel Rosa :
    Intruder:
    Winglet é um componente aerodinâmico posicionado na extremidade livre da asa de uma aeronave, que tem por função diminuir o arrasto induzido, relacionado ao vórtice de ponta de asa. Em geral, tem a forma de uma aba vertical ou inclinada.
    A ponta da asa normalmente forma um vórtice, que transfere para a aeronave barulhos e trepidações, além da perda de sustentação naquela parte final da asa (algo como um metro e meio). Com o dispositivo winglet, esse problema é solucionado.
    A redução do arrasto melhora a eficiência da aeronave, significando aumento da velocidade e economia de combustível. Atualmente, quase 100% das aeronaves que saem de fábrica vêem com winglets. Boeing 747 e Boeing 737 são exemplos de aviões com winglets (Em algumas versões), do mesmo modo, TODOS os aviões da Airbus saem de fábrica com winglets
    Tirado da Wikipédia. Espero ter ajudado. Abraço.

    Meu caro: Se releres o meu post poderás, possivelmente, notar que eu não perguntei sobre o que seria um “winglet”! O que perguntei foi porque NÃO EXISTEM “winglets” nas ilustrações do KC-390.
    Sds
    Intruder

  7. karlus73 :

    Intruder :Não sei se alguem tem reparado nas concepções artísticas que dão ao futuro KC-390,mas notaram que em nenhuma delas aparecem os “winglets” nas pontas das asas? Por que será? Alguém tem alguma possível explicação? Essa estrutura aerodinâmica é quase universalmente adotada hoje.

    Na minha opinião caro amigo, vê asa do 787 ou do 747-8 as “winglets” não são tão prenunciada, a sua forma na pontas tem a mesma ou é mais eficiente do que a “winglets” tradicional independentemente do material feito para construir essa mesma asa. Há uma versão do 787 que terá essas “winglets” tradicionais, embora tenha lido que poderá ser abandonada e a opção volte a ser a mesma do 787 que conhecemos, não sei como está esse pormenor.
    Daí pensar que não terá importância esse pormenor, é uma questão técnica de como se faz a asa…
    Por acaso estou muito interessado em saber quem são os fornecedores… espero ver grandes empresas aliadas ao kc390… veremos como se procede as coisas.

    Grato pela resposta, caro amigo!
    No entanto, a duvida se justifica pois se observarmos, por exemplo o C-17 “Globe Master” veremos esta estrutura. Agora, considerando que o “K” vem de “tanker” (aeronave de reabastecimento) e que uma das vantagens dos winglets é diminuir a turbulencia atrás da aeronave, fica mais estranho ainda sua ausencia nas maquetes.

    No caso do 787 “DreamLiner”, sua ausência pode ter relação com a grande flexibilidade da asa, motivada pelos materiais compósitos das quais é feita, o que não deverá ocorrer no caso do “KC”, devido a ser uma tecnologia muito avançada e ainda não presente em aeronaves comerciais ( de fato, o “787”, será o primeiro).

  8. Estou muito curioso para saber quem vai fornecer os motores e aviônicos. Considerando-se que o atual governo (e sua provável sucessora) não consideram os EUA um país confiável para o fornecimento de armamentos e seus subsistemas, quero ver se vão descartar todos os fornecedores americanos.

    Já declararam várias vezes que os EUA não transferem tecnologia e por isso não devem vencer o FX-2. Ora, se está é a desculpa para favorecer os franceses, pelas mesmas razões, todos os fornecedores americanos devem ser alijados do programa KC390.

    Caso não o façam, é de se suspeitar que intenção do governo de adquirir material francês (FX-2) com a desculpa de transferêcia de tecnologia (e outros bla-bla-blás) não passa de uma forma de ludibriar o público interno, para garantir gordas comi$$ões.

    Leo

  9. Intruder :

    Daniel Rosa :Intruder:Winglet é um componente aerodinâmico posicionado na extremidade livre da asa de uma aeronave, que tem por função diminuir o arrasto induzido, relacionado ao vórtice de ponta de asa. Em geral, tem a forma de uma aba vertical ou inclinada.A ponta da asa normalmente forma um vórtice, que transfere para a aeronave barulhos e trepidações, além da perda de sustentação naquela parte final da asa (algo como um metro e meio). Com o dispositivo winglet, esse problema é solucionado.A redução do arrasto melhora a eficiência da aeronave, significando aumento da velocidade e economia de combustível. Atualmente, quase 100% das aeronaves que saem de fábrica vêem com winglets. Boeing 747 e Boeing 737 são exemplos de aviões com winglets (Em algumas versões), do mesmo modo, TODOS os aviões da Airbus saem de fábrica com wingletsTirado da Wikipédia. Espero ter ajudado. Abraço.

    Meu caro: Se releres o meu post poderás, possivelmente, notar que eu não perguntei sobre o que seria um “winglet”! O que perguntei foi porque NÃO EXISTEM “winglets” nas ilustrações do KC-390.SdsIntruder

    Haaaaaaaaaaa taaaaaaaaaaaaa….então vamos lá!
    Não trabalho na Embraer, mas creio que ela chegou a um desenho ideal das asas, tendo conseguido contornar o problema de vortice, de forma a não precisar do winglet!
    Abraço.

  10. Já existe diversos países interessados no KC 390, é então , necessário últimar osfornecedores de peças e aviônicos, deles depende o sucesso deste empreedimento. E q os ianks fiquem de fora deste n projeto, vamos de francos.Sds.

  11. Seria possível uma versão Bombardeiro Estratégico Médio (se existe isso)?

    E a instalação de canhão na lateral como em alguns C-130 acho inviável pela velocidade do KC.
    C-130 + C-130 + C-130 = KC-390!!!!! (fonte: Revista Força Aérea).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: