Articles

Para ‘Economist’, ambição global do Brasil ajuda a modernizar Exército

In Defesa, Geopolítica, Negócios e serviços on 24/09/2010 by E.M.Pinto

https://i2.wp.com/img365.imageshack.us/img365/8/dsc07084.jpg

Sugestão: Gérsio Mutti

A revista britânica The Economist traz uma reportagem na sua edição desta sexta-feira sobre como as aspirações do Brasil de crescer no cenário político mundial ajudaram o país a modernizar o seu Exército.

Segundo a revista, as missões de paz se tornaram um componente importante na política externa de Luiz Inácio Lula da Silva, como parte de uma estratégia para alavancar o status do país no cenário mundial.

A decisão, em 2004, de liderar as operações de paz no Haiti, enviando 13 mil homens ao país, teria sido parte dessa estratégia. A revista cita ainda outra medida mais recente: o anúncio feito no mês passado de que o Brasil assumirá o comando naval da missão da ONU no Líbano.

A The Economist, porém, não entra no mérito do Brasil estar ou não conseguindo galgar posições na política global. Em vez disso, concentra-se em mostrar como esse esforço vem gerando melhorias para o próprio Exército.

Entre elas, estaria uma mudança de atitude entre os militares. Entrevistado pela revista, o cientista político da Universidade Cândido Mendes Clóvis Brigagão, diz que enquanto “a geração antiga (das Forças Armadas) se preocupava mais com guerras e segurança”, uma “próxima geração” estará apresentando “novas ideias sobre prevenção de conflitos, governança e Estado de direito”.

Como exemplo dessa modernização, a matéria cita o fato de que as operações abriram espaço para a criação do Centro de Instrução de Operações de Paz, uma escola sobre missões de paz localizada próxima ao Rio de Janeiro que permite uma maior integração entre militares e policiais que atuam em favelas.

Segundo a Economist, as Forças Armadas são “balcanizadas”, com cada Arma “agindo autonomamente”. Mas há sinais de que isso também pode estar mudando, diz a revista, como a recente nomeação do primeiro chefe do Estados Maior Conjunto das Forças Armadas e a colaboração conjunta em mecanismos como o Centro de Instrução de Operações de Paz (CI Op Paz), criado em 2007 para treinar militares em missões de paz no Haiti.

A The Economist acredita ser “improvável” que o próximo presidente seja tão ativo na política externa quanto Lula. “Nas missões de paz, assim como em outras questões, as ambições globais do Brasil tendem a dar dois passos para frente e um para trás.”

Fonte: BBC Brasil

32 Respostas to “Para ‘Economist’, ambição global do Brasil ajuda a modernizar Exército”

  1. Muito boa esta foto do Patio do Quartel, com os soldados e algums Elicopteros!!
    Gostaria muito de ver uma reportagem com os Eliscopteros, carros de combates, artilharias etc das nossas forças armadas.
    Sobre a Reportagem, nada de mais… só uma baita puxação de saco para o Brasil…
    Estão querendo fazer a Politica do $$$$$$, elogiando, passando a mão, etc
    Já vi muito isso… só tem uma vantagem… estão fazendo melhor que os franceses,
    que não fizeram nada disso… abra o olho pessoal… é bom, mas não podemos baixar
    guarda

  2. Eliscopteros le-se helicópteros. rs
    Falha tecnica

  3. Mateus se for quanto aos elogios,dos ingleses,se vc ver as edições do Le Monde,e outras públicações da frança vc vai ficar espantado,já existe um painel do Lulão no Metro de Paris.
    Não são só os franceses e ingleses a NEWSWEEK uma reportagem fantastica com o Título:Construindo uma Super Potencia.
    Pena que no brasil o fanatismo de parte da nossa imprensa não mostra isso.

  4. […] Referência: BBC, via Plano Brasil […]

  5. -COMO FAZ FALTA DE UM ESTADISTA POR AQUI.

    Foi bem colocada as palavras do ” The Economist”,pois nosso país infelizmente não há uma visão estadista que trace um caminho para um futuro a longo prazo.
    O nosso país no que tange a política externa,ela é mais uma questão de um governo do que de estado, que não é o caso dos EUA e REINO UNIDO,exemplos.
    Mudança em sua forma de atuação é igual a cara do partido ou do presidente,aqui no Brasil.
    O senado tem que ser mais ativo em assunto internacional,caso contrário a nossa percepção pelo mundo, sempre será duvidosa.
    Criticamos sempre os americanos,más eles tem um ponto positivo,eles não tem duvidas em assunto externo,seja lá quem for o presidente,seja ele branco ou preto.

  6. Modernizar ideologia? E equipamento que é o que importa e precisamos nada.

  7. “Dois passos para a frente e um para tras” Acho que esta empatado ou ate negativo nos ultimos 2 anos de Lula. Dois passos para tras e foram passos gigantescos: Honduras e o apoio brasileiro ao Fanfarrao e Iran. Esta semana mesmo ficou confirmado que Almahdinejad merece estar em um manicomio.de acordo com ele o propio EUA bombardearam as Torres. E la esta o Brasil regredindo como caranguejo e colocando a garganta a corte como bobos, perante a corte mundial.
    Hillary esta dando show nos barbudinhos de Lula…MAG e Amorim. Esquerdistas sao sempre demagogos e ficam a dar suporte as ideias de um imbecil como o Chavez.Deu no que deu.Burros!

  8. Apenas uma sugestão para a cultura em defesa e aproximação maior do EB com os cidadãos e problemas relacionados a fronteira Amazônica…

    Pensar em ocupação em termos de mobilidade…

    Explico: Junto com o corpo de engenharia, universidades e empresas nacionais (micro e pequena) criar um projeto estilo baja, motor a álcool dedicado (com capacidade de recarregar eletrônicos), robusto, simples, confiável e principalmente barato, com capacidade de 1 soldado e mais equipamentos (barraca, viveres, etc..)…

    Vender a baixos preços para jipeiros e o pessoal que gosta de lama, além de servir para as funções do próprio EB e quem sabe, uma fonte de recursos extras para aplicar na própria instituição, principalmente P&D (jipeiros e o pessoal da lama, adoram veículos utilizados pelo EB)…

    O EB poderia organizar “passeios” em trilhas no ambiente amazônico para chamar a atenção sobre a importância e riquezas da Amazônia, ao qual, também, poderiam ministrar outros cursos durante a trilha (ex. noções de sobrevivência na selva)… O serviço seria cobrado apenas para a manutenção do projeto..

    Poderia se pensar, em uma trilha (para os eco chatos, não há um impacto ambiental grande) por toda a extensão de fronteira Amazônica ou não…

    A idéia por traz disto é simples: Sempre ter pessoas ou militares, em continua movimentação pela faixa de fronteira, isto dificulta a ação de madereiros, garimpeiros, nacortraficantes e principalmente, a infiltração de guerrilhas exôgenas… Seria uma ocupação móvel desta área…

    Poderia pensar na faculdade para os jovens (principalmente para os dos centros urbanos conhecer a realidade da região), esta viagem com o EB, como substituição do serviço militar obrigatório… Seria uma ótima iniciação cívica para estes jovens e com os melhores professores do assunto…

    Apenas uma sugestão…

  9. A inVEJA do Jackson ta matando ele…ehhehe. Morre de inveja meu, teus idolos não fizeram nada a não ser tentar entregar o país. Graças a Deus este governo ta fazendo muito pelas forças armadas e os milicos estão agradecidos…só não ve quem sofreu lavagem cerebral. A Marinha ja esta sendo equipada, a Aeronautica também e o exercito ja ta negociando novos equipamentos para a defesa aérea. Ja o que tu chamas de desgoverno não aconteceu no entreguista passado porque ele foi eleito por engano, nem sabia o que era governar.

  10. E tu me disse que não queria política por aqui E.M.Pinto….ehehehee
    Dilma neles…ehehe

  11. Para quem não sabe o que é “baja” link: http://www.youtube.com/watch?v=e2XTHcnQs5Q

  12. Enquanto os soldados estado-unidenses e seus amigos entram e destroem um país, os do Brasil vão ajudar um governo a se reestabelecer e reconstruir um país.
    Sendo jogada política ou não ou coisa do gênero, essa é uma atitude que me deixa orgulhoso de ser um cidadão Brasileiro!

  13. Fernando e Leamartine é facil falar das “proezas” do governo atual, so não se esqueçam que elas so foram possíveis com o controle da hiper-inflação e a estabilização da economia que foram obtidas no governo anterior a partir dai houve o crescimento econômico,mas como toda demagogia partidária de esquerda é so esquecer esse fato,como nos programas sociais se muda o nome e se diz que foi criação do governo atual.Quanto a mesquinharia da FAB em buscar pelo “mais barato” vocês deviam conhecer uma empresa chamada Embraer que ja é a terceira construtora mundial de aeronaves e tem tudo para crescer no mercado mundial.

  14. estou pensando em criar um movimento social … e uma igreja (igreja nao paga imposto)..

    roubo em um aplico no outro..hahahaha…

    o MST suga verbas publicas para um bando de safados que vivem no bem bom manobrarem um bando de ignorantes esfaimados e se dão bem… FATO!

    vários lideres sindicais virarão nababos em seu meio… sugando os trabalhadores atrelados aos seu mando… e se dão bem .. FATO!

    tem partido que cobra dizimo.. faz trem da alegria empregando parentes ..pagagaio.. namorada .. amante.. em cargos relevantes (esqueci as propinas para liberar as verbas..rsrs)… fazendo e desfazendo do meu dinheiro (pago impostos ainda não tenho igreja..rsrs) ..FATO !

    Por tudo isso … o futuro sera criar movimentos sociais mamadores das verbas do PT …ops.. do governo … único requisito … votar neles.. FATO !

  15. BARCA :
    Mateus se for quanto aos elogios,dos ingleses,se vc ver as edições do Le Monde,e outras públicações da frança vc vai ficar espantado,já existe um painel do Lulão no Metro de Paris.
    Não são só os franceses e ingleses a NEWSWEEK uma reportagem fantastica com o Título:Construindo uma Super Potencia.
    Pena que no brasil o fanatismo de parte da nossa imprensa não mostra isso.

    Eu espero q essa reportagem seja td mt verdadeira,pois eu ainda acho as n FAs mt mal equipadas, um exemplo: Só temos 04 subs SSKs p patrulhar + de 8 milhões de costa..sacanagem, no mínimo uns 27 subs , um PA, no mínimo 03. FAB:Ñ tem um caça de 4,5 geração..deve ser um algurio positivo. Sds.

  16. William Nakamura :
    Enquanto os soldados estado-unidenses e seus amigos entram e destroem um país, os do Brasil vão ajudar um governo a se reestabelecer e reconstruir um país.
    Sendo jogada política ou não ou coisa do gênero, essa é uma atitude que me deixa orgulhoso de ser um cidadão Brasileiro!

    William, assino embaixo, o povo brasileiro não vai deixar nunca o país fazer as besteiras que fazem os nossos primos, disso tenho certeza.

  17. Barca assino embaixo, eu comentei há um tempo justamente isso baseado em matérias de analistas de institutos americanos, volto a colocar:

    “SOON, WE´LL HAVE TWO SUPERPOWER IN THE WESTERN HEMISPHERE”
    Brazil. Potencial SuperPower

    The Federative Republic of Brazil is considered by a number of analysts and academics a potential superpower of the 21st Century.

    In a lecture entitled Brazil as an Emerging World Power,[14] presented at the Mario Einaudi Center for International Studies, Leslie Elliot Armijo has said that “Brazil will soon rise as Latin America’s first superpower”.

    Armijo states that “Brazil keeps solidifying itself as leader of its region by launching a series of integration projects”, adding also that “as an international actor, Brazil has also taken a larger share of world politics by incrementing its already strong presence in economic initiatives, such as the International Finance Facility and the G20”, asserting that “Brazil’s rising prominence derives from its solid democratic rule and its strong economy” and concluding that “Soon, we’ll have two superpowers in the Western Hemisphere”[5][15]

    “BRAZIL CAN SPEED UP THE CREATION OF THE WORLD´S NEW ORDER”

    Marek Swierczynski, a journalist and defense analyst, in his Atlantic Community article[16] calls Brazil the “potential superpower of the South” and argues that it “may be on its way out of the western camp and can speed up the creation of the world’s new order”.

    “While the US looks esatward Brazil Is Emerging as a Nuclear Superpower.”

    Elizabeth Reavey, a research associate from the Council on Hemispheric Affairs, claims in the title of her article that While the US Looks Eastward Brazil Is Emerging as a Nuclear Superpower[6].

    “Brazil an emerging superpower”

    Describing the importance of the ongoing development of nuclear technology in the country, she calls Brazil an emerging superpower, with a “potential to have a China-like, booming economy, increased nuclear capabilities, a growing self-confidence in its own power and an ability to make its own way”.

  18. Creio que pela primeira vez na história irei concordar com algo dito pelo Jakson e temo pelo meu futuro por isso até…

    Fernando Gonzales,
    Inegável é que o governo anterior ao Lula pouco fez pelas forças, porém eu particularmente cito pontos importantes para essa infelicidade:
    1 – A situação ecônomica do país estava longe de ser a que hoje temos, o desenvolvimento do país como um todo vivia um atraso muito maior do que o atual e a falta de prestígio da nação diante do mundo era notória.

    2 – O sentimento de receio e revanchismo ante aos militares era mais latente, privilegiar investimentos ainda nos tempos dos 3 ministérios militares seria um tapa na cara de uma vasta parcela da opnião pública e ainda hoje o assunto é tratado com cautela e com o mínimo de alarde possível ante a população para evitar qualquer reflexo impopular, a realidade fica nítida sobre isso na questão da incapacidade de se citar o assunto defesa em debates presidenciais.

    3 – Se pouco foi feito, sementes foram deixadas para o desenvolvimento que vivemos hoje e no quesito das forças o passo mais largo foi dado com a criação do MD, que por si só é ato absolutamente incompleto e incapaz porém com o passar do tempo tomou seu lugar e espaço efetivo ante ao poder político.
    Tirar da responsabilidade de militares irem ao congresso negociar verbas e passar isto a uma figura política civil, menos ofensiva ao meio e sem riscos de ser prejudicada por fatores históricos (como comandantes militares).

    4 – De fato, nada é perfeito, ao contrário essa imperfeição natural é de validade ímpar para o processo de contínua evolução e desenvolvimento da nação.

    Eu sei reconhecer muito bem os grandes pontos levantados ao longo de últimos 8 anos, porém sei enxergar que muito disso se fez porque os 8 anos anteriores tiveram vários pontos extremamente positivos e produtivos e inclusive eu defendo a tese que no momento em que o país como um todo for capaz de observar os pontos positivos de ambos os “regimes” e souber entender que ambos foram imperfeitos porém cumpriram com funções importantíssimas dadas as circunstâncias, então nós teremos uma evolução na discussão de governo e estado de valor incomensurável.

    E vou além…
    Concordo inteiramente com o processo político entremeado a compras militares pois este tipo de compra está intimamente relacionado aos rumos da política externa de um páis e suas alianças, portanto devem ser orientadas em harmonia total com o pensamento político do governo. Medida desse tipo é de GOVERNO das COMPRAS e não de desgoverno.
    Claro que esse tipo de negócio deve respeitar requisitos técnicos e isso não deixou de ser feito em momento algum no Brasil, se a escolha se concretizar por qualquer um dos concorrentes, existe a certeza e confirmação por parte do Comando da Aeronáutica que estes aviões foram colocados em uma short-list e são ambos capazes de realidas as missões necessárias.

    Raptor,
    Achei interessantíssimo seu ponto, até por que eu gosto e muito de Jipes

    Sobre a matéria, a foto foi estupenda e o texto demonstra um lado positivo de nossas aspirações, a retirada do atraso de nossas forças.

  19. sim como o texto e o pessoal citou, falta visão de futuro, coisa que o molusco e muito menos uma Terrorista, tem!!

  20. ..ñ gostei do termo “Ambição”, para mim é necessidade mesmo, n FAs estão mt sucateadas ao longo destes anos de total desamparo.Sds.

  21. Se o Brasil quer ser visto pelo mundo como uma potência, como um gigante capaz de intervir em conflitos nos quatro cantos do planeta a exemplo do que é feito pelos EEUU, temos que fazer muito mais do que foi feito até agora. E muito mais mesmo! Não só pelo nosso combalido Exercito, mas pela FAB, pela Marinha, e por nossa industria de defesa. Nada de investimentos minguados! Uma nação sem um forte braço militar não tem voz ativa na politica mundial. Distribuir sorrizos para fotógrafos não ajudará em nada…

  22. Eu tambem gostei da foto, achei muito interessante, qdo os russos vierem tomara que eles tragam um MI 26 embaixo dos braços.
    Nos temos que ampliar esta modernização pelo que passa o EB, FAB E MB, pena que aqui no Paraná não tenha essas unidades de ação rapida, em virtude dos problemas na fronteira com o Paraguai, se faz necessário, alias com sinceridade, aqui em curitiba tem tanto quartel que eu nao sei a necessidade de tantos.
    Vou apenas citar os maiores, 20º BIB, 5º GACAP, 5º BSUB, 5º BLOG, 27º BLOG, entre outros que aqui existem.
    Eu não sei porque nao se cria um BIB na fronteira com o Paraguai, olha, até a marinha do Brasil poderia criar uma extensão do CFN em Londrina ou Maringa. Ou mesmo a Brigada de Paraquedistas.

  23. POW, mas o povo reclama hein!!

    Os Helis foram comprados novos, 0 KM, e a galera não para de criticar… queriam o que, coisa nacional, não tem pois TODOS OS GOVERNOS ANTERIORES NAO INVESTIRAM NADA EM P&D.

    E agora toca comprar fora, e ainda ter que aceitar o que encontrar, pois se compra Yankee não transfere tecnologia, se compra Russo neste caso também não, os Linx também não aceitaram transferir tecnologia, os italianos não podiam pois os NH-90, além de que este modelo é caro pra burro, e o projeto não era somente deles… e então, o que ficou para comprar tecnologia???

    Pessoal, resolvam os senhores então o problema… façam as tecnologias necessárias!

  24. Essa foto é de uma formatura no Batalhão de Aviação do Exército (BAvEx) em Taubaté – SP, por ocasião do recebimento dos AS 532 Cougar pelo EB.

    Já estive em muitas destas, rs..

  25. Francoorp,
    Assino contigo camarada…

    Vympel1274,
    Já tive o privilégio e ver as estruturas desse batalhão quando ainda se chamava COMAVEX (é faz tempo)…
    Pessoal extremamente profissional.

    Adsumus!

  26. Salve Carcará,

    Também flerto com Jipes. Ontem mesmo, ao sair a noite a caça de felinas (as de família, por favor)…risos… me deparei com um da Engesa. Com certeza deve ter quebrado de tanto que olhei o bicho…

    Um projeto destes seria interessante até para se utilizar o trabalho de muitos que estão reformados e querem participar ( militar é fogo, mesmo depois dos cabelos brancos, os caras não sossegam)… A verba da própria remuneração deles, poderia vir do preço cobrado dos particulares jipeiros e afins ou empresas que se interessem neste tipo de treinamento para uso corporativo (as experiências de uma viagem destas, podem servir muito bem para a formação de um executivo).

    Para muitos seria um ótimo complemento para suas minguadas aposentadorias e ajudar a quebrar o paradigma de que apenas jovens é que são úteis (no Japão é ao contrário, quanto maior a experiência, maior a procura por estes profissionais. Lá é bastante comum, profissionais que já passaram dos 70 anos serem disputados a tapas pelo mercado). Parece as vezes, que o mundo ficou cego ou ignorante (esqueceram de coisas simples, tais como, a tal mudança da pirâmide etária)… A regra sempre foi o do caçador mais velho ensinar seus truques ao mais jovens, para que os mesmos, desenvolva os próprios e aprenda a caçar por si mesmos e a respeitar os demais.

    Um grande abraço.

  27. Raptor,
    A idéia é realmente muito boa!

    E a idéia de ex-militares por mim é interessante em todas as partes do processo, conheço bem essa coisa do cabeça branca querer participar, meu avô foi assim até quando pode!
    A experiência e por vezes até excitação dos cabeça-branca poderia ser um triunfo e tanto para uma idéia dessas.

    E confesso que o provável sucesso de mercado também, existe muito jipeiro por aí que é fã dos Defender da Land-Rover, pela origem militar do “garoto” e os Defender que estou falando são aqueles crus, sem nada além do necessário para a lama.
    Infelizmente uma indústria nacional que poderia participar do processo foi englobada por uma gigante do setor automotivo…

    Vejo como complicado só a forma de colocar o produto no mercado, sem a parceria com uma empresa privada do setor automotivo…

    Sobre as felinas (as de família claro… rs.) elas também costumam gostar muito dos “fora de estrada”, pena que em geral não são chegadas a lama… rs.

  28. Comander Vympel libera uma fotos jedis destas para nós. vamos fazer uma matéria sobre o tema.
    Abraço
    E.M.Pinto

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: