Articles

Boeing tem novidades sobre a produção dos Super hornet da Austrália

In Aérea, Aviões de Combate, Defesa, tecnologia on 25/09/2010 by E.M.Pinto

https://i2.wp.com/cavok.com.br/blog/wp-contents/uploads/2010/09/RAAF-Super-Hornet-1st-electronic-Attack-capability.jpg

A Boeing anunciou hoje que completou a produção do primeiro F/A-18F Super Hornet para a Real Força Aérea Australiana (RAAF) que tem a capacidade de ser convertido em uma aeronave de ataque eletrônico. A Boeing está no processo de adaptação para o segundo lote de 12 Super Hornet nas instalações da empresa em St. Louis. O objetivo é possibilitar uma futura conversão das aeronaves para este tipo de tecnologia.
“Incorporar a capacidade de converter uma aeronave para possibilitar o ataque eletrônico garante máxima flexibilidade para nossa Força Aérea no futuro”, afirmou o capitão Steve Roberton, Comandante da 82 Wing da RAAF, que inclui o Super Hornet e as aeronaves F-111. “Finalmente, se a decisão de incorporar uma opção de ataque eletrônico for tomada, ele vai expandir a capacidade de um sistema do Super Hornet que já é formidável”.
Clique para ampliar...
O governo Australiano anunciou em março de 2007 a aquisição de 24 unidades do Super Hornet versão Block II, que são equipados com o radar Raytheon APG—79 Active Electronically Scanned Array (AESA). Onze Super Hornet estão agora operando na base Amberley, em Queensland. Todas as aeronaves foram entregues antes do prazo e dentro do orçamento.
“Além de garantir à RAAF o potencial de introduzir no futuro a capacidade de ataque eletrônico, produzir desde o início essas 12 aeronaves com esse tipo de configuração também reduz o custo, quando comparado com a adaptação em uma data posterior”, disse Carolyn Nichols, gerente do programa Super Hornet Australiano da Boeing.

Fonte: Revista Asas

4 Respostas to “Boeing tem novidades sobre a produção dos Super hornet da Austrália”

  1. Vejam bem pessoal o futuro caça da fab

    E so uma questão de detalhes tipo os americanos compram 5 kc390 e alguns super tucano e o negocio ta fechado a questão e que ano

  2. Essa informação é dirigida ao FX 2 do BRASIL, olha só o q vc estão perdendo.Meu sonho são os Su 35BM, ou então os rafales. E q venham os rafales,p ontem. Sds.

  3. A notícia apenas mostra quão versátil é o Super Hornet. E o Rafale? e não venham me dizer que o Rafale tem o SPECTRA pois até onde se sabe é um sistema defensivo.

  4. carlos argus :Essa informação é dirigida ao FX 2 do BRASIL, olha só o q vc estão perdendo.Meu sonho são os Su 35BM, ou então os rafales. E q venham os rafales,p ontem. Sds.

    Mesmo sem a TT, acharias que era bom negócio para o Brasil?
    Sei que são belas aeronaves, mas tenho a certeza que não seriam iguais ao que os russos usam.
    Há cálculos que quanto custaria ao Brasil a aquisição desses aviões? 32 por exemplo.
    É que de um sonho as coisas poderão transformar-se em pesadelo.
    Quem seleccionou os 3 finalistas é assim tão estúpido em excluir um vector russo, se ele foi embora é que não reunia as condições para tal, pois o que o Brasil quer neste momento é adquirir conhecimento, daí estar aqueles 3 na final.
    Também gostaria que Portugal tivesse determinados vectores, mas sei muito bem que não podemos ter pois não temos capacidade em aguentar, não sei se me fiz entender.
    Acho e continua a dizer que o F18SH serio muito bom para o Brasil mas com a condição se a TT fosse aquela que o Brasil pede… e que a parte de lobbies ficasse em casa dos concorrentes do FX2.
    Digo e volto a repetir que quem vencer que seja o que o Brasil poderá ter de melhor, aproveitar o máximo e em pouco anos produzir o seu caça.

    Sei que neste momento (com a exclusão de qq vector russo) apoias o Rafale.
    Numa hipotética guerra ( que para mim é de rir, podia argumentar muitas coisas; mas nem vale a pena porque a cavalaria russofila descia do monte para guerrear as minha posição de chamar-me de complacente com os americanos) mas coloco as coisas assim: se tal acontecer, um conflito (guerra) com o lobo mau (EUA) que eles querem a riqueza do Brasil (Pré-Sal) nesta disputa achas que a França estaria ao lado do Brasil? Não haveria o botãozinho bobo de desligar o rafale para que não fosse usado contra aos americanos, para que os killler de F22, F15, e F18 não pudesse destruir os caças americanos.

    Acho e isto agora a sério o Rafale muito bom para o Brasil, tal como acho que o SH seria bom para o Brasil.
    Tudo vai depender o negócio feito e das contrapartidas que o Brasil possa ganhar com elas. O Brasil já não tem a mentalidade dos anos 70/80 onde deixava o lobo mau controlar, agora é diferente o Brasil cresceu porque mudou a mentalidade, cresceu porque mudou o modo de pensar… mudou porque sabe muito bem que para crescer precisa de aproveitar o que o mundo pode dar.
    Mas vai regredir se deixar comandar-se por coisas que não existem… só na cabeça de algum que não deixa olhar noutro sentido) isto vou provar que tenho razão se tal acontecer vou-te lembrar o que hoje aqui escrevi… e vais perceber onde quero chegar.

    Sds meu amigo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: